Quanto custa a melhoria da qualidade do ar?  

Estudo revela que investimento de R$ 13 por habitante em plantio de árvores é suficiente para melhorar a saúde em áreas urbanas

Trecho da floresta IP em Mogi Guaçu (SP)

Trecho da floresta IP em Mogi Guaçu (SP)

A poluição do ar e o aumento da temperatura global fazem parte dos 17 Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável (ODS), instituídos pela Organização da Nações Unidas (ONU). De olho na redução dos impactos ambientais nas próximas décadas, diversas instituições, além da ONU, debatem soluções viáveis para melhorar a qualidade de vida das pessoas.

É o caso da The Nature Conservancy, que divulgou em novembro de 2016 um estudo que mostra que, com o investimento de US$ 4 por habitante (cerca de R$ 13) no plantio de árvores é possível a redução de até um quarto das partículas suspensas no ar, gerada nos grandes centros urbanos pela queima de combustíveis fósseis.

De acordo com os autores do estudo “Plantando Ar Puro”, a limpeza do ar e manutenção da temperatura trazida pelas árvores trariam grandes benefícios para a saúde das populações nas grandes cidades. Todos os anos, estima-se que morrem mundialmente cerca de três milhões pessoas em decorrência de complicações respiratórias, cardíacas ou derrame, ocasionadas pela inalação de micropartículas de poluentes, que entram na corrente sanguínea.

As árvores, quando corretamente plantadas em áreas estratégicas, funcionam como um filtro, garantindo a limpeza do ar e o conforto térmico. Um sopro de ar fresco, considerando que a temperatura de ambientes arborizados pode ser até 2°C mais baixa, sem falar que as árvores também contribuem para a manutenção da umidade do ar.

Nas áreas florestais da International Paper, por exemplo, são mais de 102 mil hectares de terras plantadas, sendo 70% destinado à plantação de eucalipto e 25% à conservação de vegetação nativa. O cultivo de eucalipto da IP captura cerca de 6 toneladas de CO² a cada tonelada de papel produzido, deixando o ar mais limpo para a comunidade e reforçando nosso compromisso com o planeta e com as futuras gerações.

0 comentários

Deixe seu comentário

Quer participar da discussão?
Fique a vontade para contribuir!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *