Problemas ambientais: brasileiros apostam na tecnologia como solução

Poluição do ar e das águas são as principais preocupações; governo não é considerado o principal agente de transformação

shutterstock_91957046A preocupação com o ambiente e a recuperação dos recursos naturais têm sido o grande desafio deste século. A tônica do debate é unir governo e população para ações concretas que promovam o desenvolvimento sustentável, e também estimulem a conscientização, por meio da educação, sobre a responsabilidade socioambiental. Diante do muito a se fazer, o que mais aflige os brasileiros quando se fala em problemas ambientais?

O Instituto Market Analysis foi em busca dessas respostas e constatou que a poluição do ar, das águas, as emissões de gases dos automóveis e a escassez de água potável estão entre as principais preocupações. Mas, se de um lado, os líderes mundiais discutem uma agenda ambiental, é exatamente o setor governamental, no Brasil, que detém o menor índice de confiabilidade – apenas 10% – na execução de ações que modifiquem esse cenário. Para os ouvidos pela pesquisa, as ONGs, entidades do terceiro setor e os grupos econômicos são os principais agentes de medidas de articulação, conscientização e transformação em benefício da sociedade. Em cada um destes setores, o índice de confiabilidade supera os 50%.

Os dados da pesquisa apontam, ainda, que as mudanças climáticas/aquecimento global e a diminuição dos recursos naturais também figuram entre as principais causas a serem tratadas para a recuperação ambiental.

Quando perguntados sobre as responsabilidades individuais com relação às mudanças climáticas, há uma pequena margem de diferença no reconhecimento de culpa do cidadão por atitudes que impactam negativamente no ambiente. Do total, 52% concordam totalmente (19%) ou parcialmente (33%) que suas atitudes são destrutivas, enquanto 47% discordam totalmente (25%) ou em parte (22%) de que causam impacto ao ambiente.

Para reverter a situação, a tecnologia é citada por 60% dos entrevistados como a grande aliada das ações para promover mudanças climáticas. As soluções tecnológicas são vistas, no entanto, como facilitadoras das mudanças comportamentais de forma que não se exijam grandes esforços individuais.

A conclusão dos entrevistados vem ao encontro da linha adotada pelo Brasil, a partir dos acordos firmados na COP21, de investir em tecnologias limpas para vencer os desafios climático-ambientais.

Para saber mais sobre a pesquisa, clique aqui.

 

 

0 comentários

Deixe seu comentário

Quer participar da discussão?
Fique a vontade para contribuir!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *