O que as cidades ecologicamente corretas têm em comum?

Morar em uma “cidade verde” tem se tornado, cada vez mais, o sonho de muita gente. Quem é que não gostaria de andar por ruas arborizadas, respirar ar puro e passear à beira de rios despoluídos?

Pode parecer cenário de conto de fadas, mas o relatório Green City Index (Índice Verde de Cidades, em português), realizado pela Siemens com a Economist Intelligence Unit, aponta, em todo o mundo as cidades que mais se encaixam neste perfil. E tem mais notícia boa! No último levantamento, divulgado em 2015, uma cidade brasileira está entre esse grupo.

A pesquisa considera e pontua oito pontos de sustentabilidade: energia e emissões de CO2, opções de transporte, água, gestão de resíduos, qualidade do ar, saneamento, construções verdes e governança ambiental global.

san_franciscoSan Francisco (Estados Unidos)

Foi considerada pela pesquisa a cidade mais ecológica da América do Norte. Tem uma longa história de consciência ambiental, com uma taxa de reciclagem de 77%, uma das mais altas do mundo, possibilitada pela obrigatoriedade de se separar o lixo comum do reciclável. Uma ótima ideia, não é? Além disso, a cidade americana prioriza o consumo de ingredientes produzidos localmente e utiliza a bicicleta como meio de transporte.

 

Copenhague (Dinamarca)

Na Europa, o destaque vai para a cidade dinamarquesa que apresenta índices de emissões de poluentes Copenhagenextremamente baixos, considerando seu tamanho e população, de cerca de 1,2 milhão de habitantes. Sabe como isso é possível? Com a utilização da bicicleta como meio de locomoção para mais de 50% da população e transporte público de qualidade e acessível. Outras características que se destacam: a preocupação com a reciclagem e a fabricação de adubo orgânico, além, é claro, do empenho para encontrar maneiras de economizar eletricidade e calor.

 

Vancouver

Vancouver (Canadá)
Quer ar puro? Vancouver teve ótima classificação no quesito emissões de gás carbônico e qualidade do ar. A solução? O incentivo ao uso de energias limpas. A cidade se comprometeu ainda em reduzir suas emissões em 33% até 2020. Enquanto as grandes cidades do mundo continuaram abrindo avenidas, priorizando o trânsito de veículos, a cidade voltou sua atenção para oferecer aos cidadãos opções ecológicas de transporte, investindo em ciclovias e espaço aos pedestres. Ponto positivo para eles! 

 

Cidade do Cabo (África do Sul)Cape Town

A segunda cidade mais populosa da África do Sul está na dianteira do movimento ambiental no continente africano. O caminho para alcançar estelugar foi apostar na economia de energia e no uso de recursos renováveis, como a energia eólica. E a meta é ir além: até 2020, obter 10% de sua energia por meio de fontes renováveis. Outro movimento que começa a tomar força é o incentivo pelo uso da bicicleta como meio de transporte. Apesar de ainda não possuir muitas ciclovias, as bikes podem ser levadas nos ônibus, estimulando a população a deixar o carro em casa.

 Curitiba (Brasil)

curitibaRepresentante latino-americana, a capital do Paraná se destaca pelo eficiente sistema de corredores de ônibus, que contribui para a adesão da população ao transporte público e, consequentemente, para a classificação de Curitiba como uma das cidades com os melhores índices de qualidade do ar do ranking. Olha que exemplo bacana! Além disso, a cidade ainda conta com um programa de reciclagem pioneiro, pensado lá nos anos 80. As metas futuras incluem planejamento para construção de metrô e mais de 300 km de ciclovia.

Em um mundo cada vez mais urbano, ser ecologicamente correto é um desafio. Mas acabamos de ver que, com a articulação de um governo ambientalmente responsável e com o apoio de uma população engajada, isso é possível.

Ser uma cidade ecológica representa buscar um equilíbrio entre a administração das necessidades e o comprometimento da cidade com a preservação do meio ambiente. Significa ser sustentável! E essa transformação deve começar com a gente, nas pequenas ações. Você está fazendo a sua parte?

 

 

Este post também está disponível em: Inglês

0 comentários

Deixe seu comentário

Quer participar da discussão?
Fique a vontade para contribuir!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *