Maio Amarelo: atenção para um trânsito mais seguro

semáforo_amarelo

Criado em 2011, o movimento Maio Amarelo tem como objetivo alertar para a prevenção de acidentes de trânsito, a maior causa de mortes de jovens entre 15 e 29 anos, segundo a OMS

No mês de maio, a questão da prevenção de acidentes de trânsito ganha atenção especial nas empresas e nos demais setores da sociedade civil. Trata-se do “Maio Amarelo”, movimento criado para alertar as pessoas para o alto índice de mortos e feridos em acidentes automotivos em todo o mundo. Na esteira de movimentos como “Outubro Rosa”, que chama a atenção para a prevenção do câncer de mama, e “Novembro Azul”, que alerta para a prevenção do câncer de próstata, o “Maio Amarelo” traz à tona estatísticas que, de fato, merecem atenção: de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 1,25 milhão de pessoas morrem todos os anos em decorrência de acidentes de trânsito. Essa é a principal causa de morte de jovens entre 15 e 29 anos, o que faz de maio o mês de atenção pela vida.


roberto_pupo_consultorDe acordo com o professor de direção defensiva do Curso de Formação de Condutores (CFC) da Autotrânsito de Campinas, Roberto Pupo, a questão da educação para o trânsito é fundamental para a redução do número de acidentes e a direção defensiva é protagonista desta ação. “Trata-se de uma reflexão sobre como participar do convívio social com comportamentos e atitudes antecipadas e preventivas. É a forma de se respeitar a própria vida e a de outras pessoas”, afirma.

Pupo é palestrante voluntário em diversas empresas e este mês participa do “Papo-Formare”, o encontro com os alunos do Projeto Formare coordenado pelo Instituto International Paper. Na ocasião, ele irá esclarecer as principais dúvidas dos alunos quanto ao curso para obtenção da carteira de habilitação (CNH), reforçando a importância da direção defensiva para um trânsito mais seguro e para a proteção da vida. Além destes temas, Pupo falará brevemente sobre aspectos da legislação de trânsito e sobre as estatísticas de acidentes.

 Os três “Es” da educação para o trânsito

Falar em prevenção de acidentes automotivos implica necessariamente em abordar a temática da educação para o trânsito, que se estrutura em três princípios, os 3 “Es”: Engenharia, Educação e Esforço Legal. Isso significa que o poder público tem o dever de manter as condições de circulação das vias, provendo a manutenção e a sinalização adequadas, além de elaborar o planejamento de tráfego, o que requer um profundo conhecimento urbano (Engenharia). Quanto ao pilar “Educação” compreende-se a adoção de boas práticas para a convivência no trânsito, priorizando a segurança e o bem-estar de todos. E o pilar “Esforço Legal” abrange as ações de fiscalização, prevenção e emergência. “Estas ações são voltadas para coibir atos ilícitos, sempre reforçando a importância da educação para o trânsito”, explica Roberto Pupo.

Década de Ação pela Segurança e a contribuição das Empresas

shutterstock_163453907O movimento “Maio Amarelo” nasceu dentro do contexto da Década de Ação pela Segurança, instituída em 2009 e que conta com a participação de 192 países. A meta é reduzir pela metade o número anual de 1,3 milhão de vítimas fatais e 50 milhões de feridos em acidentes de trânsito entre 2011 e 2020. “O foco das ações está nos principais riscos de acidentes automotivos: a combinação do uso de álcool e direção, a falta do uso do cinto de segurança e do capacete, além da alta velocidade ao volante”, diz Pupo.

Para auxiliar nas metas propostas, as empresas podem contribuir a partir de ações de conscientização com seu público interno, no sentido de reforçar a importância de agir preventivamente em todas as situações de trânsito e manter o foco na direção defensiva para evitar acidentes. “As empresas devem influenciar sempre as ações de prevenção, fazer campanhas, promover palestras e divulgar estatísticas. O que não pode ser medido, não pode ser avaliado. E o que não é avaliado, não pode ser gerenciado”, declara Roberto Pupo, que aposta no papel que as empresas, ao lado de instituições organizadas como escolas, igrejas e associações, têm de formar multiplicadores. Assim, as práticas preventivas podem ser disseminadas para o âmbito familiar e social. “O trânsito influi na vida de todos de forma pessoal, econômica e profissional, lembrando que o envolvimento em acidentes – que podem ser evitados – acarretam prejuízos emocionais, profissionais e financeiros para o colaborador”, finaliza.

Além do “Maio Amarelo”, é celebrada desde 1997, quando se instituiu o novo Código Brasileiro de Trânsito (CTB), a ‘Semana Nacional de Trânsito’, que acontece entre os dias 18 a 25 de setembro e é mais um momento de reflexão sobre o papel do motorista nas vias públicas. “Segurança em todos os momentos sempre foi um valor para nós e, por isso, apoiamos toda e qualquer tipo de ação que possa contribuir para auxiliar nossos profissionais a terem mais conhecimento colocando a prevenção em primeiro lugar”, diz Gláucia Faria, Gerente de Sustentabilidade e Responsabilidade Social do Instituto International Paper.

Formare no “Maio Amarelo”

Os alunos do Projeto Escola Formare participarão ativamente das ações do “Maio Amarelo”. Além do “Papo-Formare”, que os alunos de Mogi Guaçu terão com Roberto Pupo, os alunos de Luiz Antonio se preparam para apresentar um DDS (diálogos diários de segurança) sobre a temática. A apresentação será no dia 23/05 durante a reunião com os profissionais da unidade integrantes da CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes).

 

 

Este post também está disponível em: Inglês

0 comentários

Deixe seu comentário

Quer participar da discussão?
Fique a vontade para contribuir!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *