Hora de aprender: Formare retoma aulas em Mogi Guaçu e Luiz Antônio

formare_lan_2016_baixa

Alunos de Luiz Antônio


De caderno e caneta na mão, 40 novos alunos do Projeto Escola Formare iniciaram as aulas nas cidades de Mogi Guaçu e Luiz Antônio, ambas em São Paulo, no dia 1º de março. Na mochila, além dos livros, está também a expectativa para o início de uma nova experiência. Para muitos, este é o primeiro passo e uma grande oportunidade para a construção da carreira profissional.

“Sei que esta é uma chance única para minha vida, que vai me ajudar a abrir as portas para o mercado de trabalho, por isso, quero aproveitar ao máximo esta experiência”, conta Murilio Henrique Arruda da Silva, de 18 anos, aluno da unidade de Luiz Antonio. Rafaela Aparecida de Abreu Adolpho Rodriguês, 18 anos, também é aluna de Luiz Antônio e já está pensando no futuro. “Quando finalizar o curso, estarei preparada para conseguir um emprego”.

A expectativa é grande, ainda mais depois de um criterioso processo seletivo, realizado em cinco etapas, que reuniu mais de 100 jovens em cada unidade. “Eu estava muito nervoso, principalmente na dinâmica de grupo, pois tínhamos que falar abertamente sobre a nossa vida na frente de outras 50 pessoas,” relembra Murilo.

O frio na barriga e aquela sensação de começar um novo projeto não ficou restrita aos alunos. Nestas turmas, iniciaram também 146 novos Educadores Voluntários (EVs), cheios de vontade de compartilhar e receber conhecimento. “Confesso que a ansiedade era grande, mas a aula se desenvolveu de forma tão proveitosa, que uma hora foi pouco. A turma foi muito receptiva, e acho que o interesse das duas partes foi o que fez a aula se desenvolver daquela forma”, destaca Glauber Sales, Trainee I – RH, da unidade de Mogi Guaçu, que iniciou o trabalho como EV este ano. Engenheiro, Glauber é o responsável pela matéria “Fundamentos Numéricos”.

Mesmo quem já tem mais tempo de casa como Educador Voluntário sempre tem uma história nova para contar, como é o caso de Leticia André, Analista de Planejamento Logístico – Exportação, da unidade de Mogi Guaçu. A Analista faz parte desse time de educadores desde 2014. “Eu aprendo todos os dias com os alunos: ouvir mais, ser grata por tudo e todos que eu tenho em minha vida e me relacionar melhor com o outro. É uma via de mão dupla, onde doamos e recebemos conhecimento em todas as aulas.”

Lançado pelo Instituto International Paper em 2010, o Formare é desenvolvido pela Fundação Iochpe (franquia social) e oferece cursos de educação profissional para jovens de famílias de baixa renda, na faixa etária entre 16 e 18 anos.

Desde então, o Projeto já formou 194 jovens, dos quais 28% são hoje profissionais da International Paper. “Este é um grande diferencial do Projeto. Todos ganham com a iniciativa: o jovem, que conquista seu emprego, e a empresa, com o recrutamento de um profissional com energia para aprender e que já conhece a cultura, normas e políticas da companhia”, afirma Gláucia Faria, Coordenadora de Responsabilidade Social da International Paper.

formare_mg_2016_baixa

Alunos de Mogi Guaçu

 

Já aqueles que não ingressam na empresa chegam mais preparados para enfrentar o mercado de trabalho, pois recebem certificado de Assistente de Produção da Indústria de Processo, reconhecido pelo MEC e emitido pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

Os benefícios que o Formare traz aos alunos vão além da formação profissional, e a troca de experiências transforma todos os envolvidos. “Acho que o programa tem um potencial gigante para impactar a vida desses jovens, e estou disposto a dar toda assistência possível para fazer isso acontecer”, ressalta Glauber Sales. Para Leticia André, “estar em sala de aula com os alunos é o momento em que eu desligo um pouquinho do meu trabalho e conecto com ‘mundinho’ deles. Cada aluno traz consigo sua história, sua personalidade e quando entramos em contato, todos nós ganhamos.”

Além do contato com os Educadores Voluntários, os alunos do Formare têm tutores – executivos da International Paper – que se voluntariam para direcioná-los durante os projetos no decorrer do curso. Além disso, periodicamente, o IIP promove bate-papos dos alunos com profissionais experientes do mercado, em um momento descontraído para falar sobre decisões de carreira e expectativas para o futuro.

Dicas sustentáveis no volta às aulas

Já que o tema é volta às aulas, que tal relembrar dicas importantes de como aproveitar melhor o seu material escolar? Com o conceito dos 3Rs da sustentabilidade fica mais fácil:

Reduzir:

  • Pense bem antes de comprar: faça uma lista com tudo o que você precisa antes de ir à loja para evitar desperdício de tempo, material e dinheiro.
  • Vai precisar consultar livros para pesquisa? Nos sebos você vai encontrar o melhor custo-benefício. Você pode também ver com amigos e conhecidos para pegar livros emprestados, mantendo-os sempre bem cuidados.

Reutilizar:

  • Reutilize os materiais escolares do ano passado. Mochilas, borrachas, canetas e estojos, se bem preservados, vão servir direitinho para este ano também.
  • Seja cuidadoso com o material didático, pois ele pode ser útil para outras pessoas. Encapar livros e cadernos pode ser uma boa dica para preservá-los. ­­­­­

Reciclar

  • Se o seu caderno do ano passado tem folhas em branco sobrando, use-as como rascunho. Você pode fazer um bloco de anotações e ainda personalizar a capa com recortes e adesivos.
  • Pesquise sobre a coleta seletiva em sua cidade e saiba mais sobre como dar o destino correto a vários tipos de lixo que possam ser reciclados. Cidadania se exerce desde as atitudes mais simples do dia a dia.

 

0 comentários

Deixe seu comentário

Quer participar da discussão?
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>