volta
vai
 
23/01/2019

Cuidar da água é dever de todos

Em novo formato, o projeto Guardiões das Águas proporciona a economia e a conscientização sobre a finitude dos recursos hídricos

Nós vivemos em um planeta que tem 75% da sua superfície coberta por água. E quando pensamos em Brasil, nos deparamos com rios imensos e com a maior parte do mais significativo aquífero do mundo, o Guarani, em nosso território.

Ao apresentar esses números, temos a impressão de que a água é um recurso infinito e que podemos usar à vontade. Mas isso não é verdade. De toda a água disponível no mundo, apenas 3% é potável.

Sim, a água pode ficar cada vez mais escassa, por isso economizar, fazer bom uso e não poluir são questões muito importantes e que estão na base do projeto Guardiões das Águas, que a International Paper promove desde 2008.

Em 2018, duas escolas foram contempladas pelo programa, a EMEF Edmo Wilson Cardoso, em Artur Nogueira, na região de Mogi Guaçu-SP e a EMEF Professora Wolnar Ribeiro Balbão, localizada na cidade de Santa Rosa do Viterbo, na região de Ribeirão Preto-SP.

Em ambas localidades, o projeto contou com duas frentes de trabalho. A primeira frente tratou de melhorias estruturais que contribuíram para a redução do consumo de água e reaproveitamento deste recurso. Entre as iniciativas estão a captação de água dos bebedouros, das calhas e implantação de cisternas.

Já a segunda frente foi pedagógica. As crianças do primeiro ao quinto ano do ensino fundamental foram convidadas a trabalhar o tema dentro e fora de sala de aula.

De acordo com a professora Maria Aparecida Monteiro, responsável pelo projeto em Artur Nogueira, os alunos se apropriaram inteiramente da questão e o cuidado com a água passou a ser um assunto presente. “E isso não ficou restrito aos alunos, os pais e a comunidade do entorno também foram impactadas pelas ações que pudemos realizar graças a parceira com o Instituto IP”, destacou a professora.

Em Santa Rosa do Viterbo, os resultados também foram muito promissores e a professora Vilma Ribeiro Breda, que coordenou as ações, destacou que além da economia de água e conscientização dos alunos e da comunidade, houve ganho de autoestima. “O Guardiões das Águas proporcionou o estreitamento de laços dos alunos com a escola e isso é muito importante na aprendizagem. Passamos a aparecer na mídia, as pessoas ficaram interessadas e os alunos ficaram muito orgulhosos e motivados”.

Em termos de números o projeto também foi impactante. Em Santa Rosa do Viterbo foram 400 alunos, 24 professores e 11 funcionários diretamente envolvidos e em Artur Nogueira 185 alunos, 11 professores e 8 funcionários.