A importância da educação socioemocional nas escolas

Ensinar valores que contribuem para o melhor relacionamento entre as pessoas também é tarefa das escolas

E se além das disciplinas tradicionais as escolas abordassem também a solidariedade, amizade, responsabilidade, colaboração, empatia, organização, ética, cidadania e honestidade? Pois essa é justamente a proposta da chamada educação socioemocional, prevista para chegar às escolas brasileiras em 2020.

Definidas pelas novas diretrizes da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), esses valores tão importantes para a qualidade do relacionamento humano serão estimulados e ensinados nas escolas, mas para que essa abordagem diferenciada se torne realidade, há a necessidade de rever os currículos e, principalmente, capacitar os professores.

A educação sociemocional foi assim nomeada há mais de 20 anos e consiste em proporcionar momentos de reflexão e transformação da sociedade pela educação.

O tema é mundialmente estudado e um dos nomes de referência é a professora e doutora norte-americana Pamela Bruening, diretora pedagógica do Cloud9World, que recentemente concedeu uma entrevista para a Revista Educação, na qual explica que a educação socioemocional engloba o autoconhecimento, autogerenciamento, tomada responsável de decisões, habilidades de relacionamento e consciência social.

De acordo com Pamela, a educação socioemocional existe no ambiente escolar de variadas formas, mas a ideia agora é que ela possa ser formalizada e melhor estruturada. “Nos últimos anos a proposta ganhou muita força, especialmente a ideia de que as habilidades precisavam ser ensinadas propositadamente e que os alunos precisavam de oportunidades para praticar tais habilidades”, conta Bruening na entrevista.

Clique aqui para ler a entrevista na íntegra

E conheça também o Formare, projeto realizado pela Fundação Iohcpe em parceria com a International Paper, que promove a formação profissional e também aborda a educação socioemocional para que os jovens se preparem para o mercado de trabalho.

0 comentários

Deixe seu comentário

Quer participar da discussão?
Fique a vontade para contribuir!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *