05-formare1

Formare Luiz Antônio: conheça os aprovados para 2018

05-formare1

RESULTADO PROCESSOSELETIVO FORMARE 2018 – INTERNATIONAL PAPER – UNIDADE DE LUIZ ANTÔNIO, SP

Confira abaixo a lista de aprovados no processo seletivo do Formare para unidade da International Paper em Luiz Antônio.

APROVADOS FORMARE 2018 – LAN

AMANDA MELO DA SILVA

ANA CAROLINA FAGUNDES DA SILVA ARAÚJO

ANTONIO MESSIAS RIBEIRO DOS SANTOS

BIANCA HELENA SILVA

DANIELE GABRIEL DOS SANTOS

DAVID JARDIM DA SILVA

DIEGO RODRIGO DOMINGOS DE SOUZA

GABRIEL RICARDO ROMANO DE GODOY

INELISE LAURA DA CRUZ FERREIRA

INGRID DA SILVA FELIX

JOÃO VITOR PEREIRA DA SILVA

LAURA LIMA ALVES FERREIRA

LUIZ GUILHERME MONTANHA VITORIO

PABLO FERNANDO DOS SANTOS ALVES

PATRICK TRINDADE VIANA

SIMEÃO CARLOS FRANCISCO

 

 

05-formare1

Formare Mogi Guaçu – aprovados para visita domiciliar

05-formare1

Estamos chegando na reta final! Confira abaixo os candidatos aprovados para a última fase do processo seletivo do Formare International Paper – unidade Mogi Guaçu/SP.

As visitas domiciliares acontecerão na semana de 26/12 a 29/12 no município de Mogi Guaçu. Nessa etapa o foco da equipe do Formare é conversar com os pais e responsáveis dos candidatos.

ALAN SILVA DOS SANTOS JUNIOR
AMANDA ROBERTA CORREA RANGEL
BIANCA HELENE DA SILVA
CLAUDIA GISLENE GONÇALVES DOS SANTOS
DIANDRA MARIA ROBERTO DIAS
EVANDRO HENRIQUE LOPES
EVELIN DE JESUS MENDES
EVELIN OLIVEIRA GONÇALVES
FABIANA FERNANDA CAVENAGHI
FRANCIELY CRISTINA DA SILVA
GABRIEL CAVALCANTE SANTOS
GABRIELA VITORIA DE OLIVEIRA
GABRIELE REZENDE
GRAZIELI MARIANA PEDRO
GUSTAVO ALVES DA SILVA
JAQUELINE SILVA SANTON
KAREN CRISTINA SERAFIM
KEREN RAQUEL TOLEDO PIZA
LEANDRO ROSA DE OLIVEIRA
LEONARDO JOSÉ DA SILVA
LUANA GABRIELE MACHADO
LUANA SOUZA QUEIROZ
LUARA TENÓRIO BRANDÃO
LUCAS CARVALHO DOS SANTOS
MARCOS ANTONIO SOARES
MARINA GASPAR DE ARAÚJO
MIKAELA ALANA NAJLA DINIZ ANDRADE
NATHALIA FERREIRA OLIVEIRA
NATHAN DOS SANTOS SAMPAIO
NATHAN PHELIPE CHAVARI ROSSI
PABLO ALEXSANDER RODRIGUES
PAMELA VICTORIA DA SILVA SABINO
PEDRO OTAVIO FRALEONE
VIVIANE APARECIDA ALVES PRADO
Turma de Mogi Guaçu

Formare capacitou aproximadamente 50 jovens para o mercado de trabalho em 2017

O objetivo do projeto é a transformação social por meio da educação de jovens

Turma de Mogi Guaçu

Turma de Mogi Guaçu (SP)

Somente no ano de 2017, o Projeto Formare capacitou cerca de 50 jovens para o mercado de trabalho. O projeto está na IP desde 2010 e é uma parceria com a Fundação Iochpe. Os alunos ingressaram no curso por meio de seleções criteriosas, entre provas, dinâmicas e entrevistas. Todos os estudantes são de comunidades vizinhas aos negócios da International Paper nas cidades de Luiz Antônio (SP), Mogi Guaçu (SP) e Três Lagoas (MS).

“Mais do que capacitar jovens em vulnerabilidade social, nós estamos ajudando a modificar a base familiar. Nós acreditamos que ao manter esse projeto dentro das nossas unidades fabris estamos transformando a vida das pessoas por meio do exemplo, da educação e mostrando um cenário de oportunidades”, afirmou Tomás Fernandes, coordenador do projeto.

Durante nove meses, de segunda a sexta-feira, as aulas foram ministradas voluntariamente pelos profissionais da IP – conhecidos como Educadores Voluntários. O projeto também contou com a participação de executivos que ocupam cargos de liderança e ofereceram tutoria aos alunos por meio do programa “Mire-se no Exemplo”.

Turma de Três Lagoas (MS)

Turma de Três Lagoas (MS)

“Os alunos são talentos descobertos e podemos lapidá-los, é gratificante! Sabemos que isso só é possível pela estrutura que o Formare proporciona para cada um. Os jovens passam a ter outra percepção da vida profissional e pessoal”, declarou Gabriella Pavanelli, trainee da IP, também Educadora Voluntária do Formare.

Prática Profissional

Além de aulas teóricas, os alunos também tiveram a oportunidade de conhecer os processos de produção de papel e celulose durante a Prática Profissional, onde foram monitorados por profissionais da IP e puderam aplicar a teoria aprendida em sala de aula.

Além disso, no fim do curso, os estudantes receberam um certificado reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC), emitido pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

Turma de Luiz Antônio (SP)

Turma de Luiz Antônio (SP)

“O Formare me transformou em uma pessoa melhor!  Ele colaborou para o meu desenvolvimento pessoal e profissional, me tornando uma pessoa mais comunicativa. Hoje sei o valor do trabalho em equipe e por meio da Prática Profissional escolhi a carreira que quero seguir. O Formare também me mostrou como os estudos são importantes e fazem parte da realização dos meus objetivos”, comemorou Mileny Nomura, de 19 anos, aluna do Formare 2017.

Em 10 anos de Instituto International Paper, o Formare IP capacitou mais de 300 jovens. O projeto ocorre em Mogi Guaçu (SP) desde 2010, em Luiz Antônio (SP) desde 2011 e em Três Lagoas (MS) desde 2014. As próximas turmas começam em março, nas três unidades.

BAT5766

Formare realiza processo seletivo para turmas de 2018

O número de inscritos este ano chegou a quase 400

Lançado em 2010 pelo Instituto International Paper e BAT5766desenvolvido pela Fundação Iochpe, o Projeto Escola Formare chega à sua nona edição. Foram aproximadamente 400 inscritos para o processo seletivo para uma concorrência de 7,96 de candidato por vaga.

Neste ano, a disputa maior foi em Mogi Guaçu (SP), que de 20 vagas ofertadas foi para 24 e recebeu 235 inscritos. Em segundo lugar, está Três Lagoas (MS), que obteve 7,4 candidatos por vaga. Por último, Luíz Antônio (SP) com 89 estudantes disputando 16 lugares.

Como funciona o processo seletivo?   A primeira etapa é a inscrição, depois disso os candidatos realizam provas de Língua Portuguesa, Matemática e Redação. Segue para a terceira fase os aprovados, que participam de dinâmicas em grupo. O momento expõe situações do dia a dia, que possibilitam aos recrutadores conhecer e identificar o perfil dos futuros alunos.

Além de participarem de uma entrevista individual, os selecionados recebem uma visita domiciliar feita pela equipe do Instituto IP. O objetivo é conhecer a família do candidato para verificar os requisitos socioeconômicos e confirmar as informações prestadas ao longo da seleção. Só podem concorrer, jovens de baixa renda que concluíram o Ensino Médio na rede pública da região onde o projeto atua.

O que acontece de agora em diante? – Os 50 jovens aprovados passam por uma formação profissional com duração de 9 meses. Neste tempo, eles aprendem sobre o mercado de trabalho e as particularidades do processo de fabricação de papel e celulose.

A grade curricular é bastante similar à do Ensino Médio, com Matemática, Física, Química e Inglês. No entanto, as principais matérias dessa formação abrangem comunicação e relacionamento, organização industrial e manutenção eletromecânica.

As atividades do projeto são ministradas por educadores voluntários (EV’s). Tratam-se de profissionais da International Paper, que se dedicam a compartilhar conhecimento e reservam um tempo para a elaboração das aulas, que estão previstas para iniciarem em março de 2018.

Desde 2010, o Formare já profissionalizou em média 300 jovens. Ao final do curso, todos recebem o diploma de formação profissional emitido pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC).

IMG-20171027-WA0039 (002)

Alunos de Mogi Guaçu conhecem jovens do Formare Eaton

Empresas promovem o intercâmbio de turmas para troca de boas práticas

IMG-20171027-WA0039 (002)A troca de experiências é uma importante etapa dentro do Projeto Escola Formare. Para possibilitar essa interação na reta final das turmas de 2017, a International Paper e a Eaton reuniram os alunos que participam da capacitação nas duas empresas em 26 e 27 de outubro.

No primeiro dia, os 20 jovens de 15 a 18 que fazem parte do programa na Eaton saíram de Mogi Mirim (SP) para uma visita técnica na unidade de Mogi Guaçu (SP) da International Paper. Eles conheceram os processos industriais do setor de papel e celulose, acompanhados por um coordenador e por três educadores voluntários, que atuam na empresa de automação.

Além dos processos na fábrica, os alunos conheceram melhor algumas das normas de segurança da IP. Eles também puderam conferir as ações de sustentabilidades desenvolvidas pelo Instituto, por meio de seus projetos socioeducativos.

No dia seguinte, em 27 de outubro, foi a vez dos 20 alunos do Formare IP de Mogi Guaçu, conhecerem a fábrica da Eaton em Mogi Mirim. Eles aprenderam um pouco sobre o processo de fabricação de produtos para motores automotivos, que é umas das áreas de negócio da empresa. A automatização da produção impressionou os jovens. “Vários dos alunos comentaram que gostariam de trabalhar lá”, contou Ednaldo Linardi, que atua como estagiário na área  de Assuntos Corporativos da IP.

Além das tecnologias empregadas na indústria, a preocupação da empresa com a segurança foi um dos destaques da visita. Atentos, os alunos acompanharam todas as instruções passadas durante a visita e elogiaram a receptividade dos profissionais, que explicaram os detalhes de suas áreas durante o tour.

As duas empresas também organizaram um almoço em suas respectivas unidades para criar mais um momento para a troca de ideias entre os alunos e os profissionais. Foi uma oportunidade para falar, de forma descontraída, sobre possibilidades de carreira e compartilhar dicas para quem dá os primeiros passos na trajetória profissional. “Os alunos demonstraram grande curiosidade e vontade de aprender durante as duas visitas e isso é extremamente gratificante”, comenta Ednaldo, que fez o acompanhamento das turmas.

Turma de Luiz Antônio (SP)

Alunos do Formare participam de visita técnica

Turmas de Mogi Guaçu e Luiz Antônio vão à Sumaré para conhecer indústria química

Turma de Mogi Guaçu

Turma de Mogi Guaçu (SP)

Todos os anos, o Instituto International Paper programa um dia na agenda do Formare para reunir as turmas das unidades paulistas de Mogi Guaçu e Luiz Antonio. Em 2017, o encontro ocorreu na cidade de Sumaré (SP), nas dependências da indústria química Buckman. Foi a oportunidade de os jovens expandirem seus horizontes sobre a atuação profissional, ao conhecer outros tipos de processos fabris.

No dia 1º de novembro, os 40 alunos se encontraram para aprender sobre pesquisa, análise e desenvolvimento de produtos sob uma nova perspectiva. A Buckman, além de atender o mercado de papel e celulose, fornece insumos para as indústrias de couro, de biocombustíveis, petróleo e gás, entre outros setores. Na data da visita, os jovens foram recebidos pelos profissionais de diferentes áreas, que explicaram um pouco sobre a empresa e seus produtos.

Turma de Luiz Antônio (SP)

Turma de Luiz Antônio (SP)

A preocupação da indústria com questões relacionadas à segurança e à sustentabilidade chamou a atenção dos alunos pela semelhança que eles encontraram com o trabalho desenvolvido pela International Paper. Na IP, segurança é um valor e isso é ensinado aos jovens desde o começo da capacitação no Projeto Escola Formare.

Durante a formação, as turmas também conhecem as práticas adotadas pela empresa para a redução dos impactos ambientais.

A troca de experiências entre os alunos de diferentes unidades é uma parte importante dos nove meses do Formare. O projeto não só realiza uma imersão no processo produtivo da indústria de papel e celulose, como também prepara esses jovens para os desafios do mercado de trabalho, independentemente do setor para o qual eles venham a trabalhar no futuro.

ods onu 5p

Brasil avança no cumprimento da Agenda 2030 do Pacto Global

ods_onu

No mês de outubro de 2017, o Brasil deu um importante passo para se tornar um dos países mais engajados no cumprimento dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas. A Universidade de São Paulo (USP) assinou parceria com a ONU para sediar o primeiro escritório regional do Programa Cidades, do Pacto Global – acordo humanitário entre empresas, organizações da sociedade civil e demais instituições de todo o mundo.

O escritório fica localizado no prédio do Centro de Difusão Internacional (CDI), na Cidade Universitária. O objetivo é que o espaço seja um centro de pesquisas científicas sobre os temas humanitários da ONU na América Latina. Assim, municípios e estados podem levar suas demandas e problemas aos pesquisadores, que vão propor soluções.

A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável foi lançada em 25 de setembro de 2015. O documento, que faz parte do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), é o resumo de longas consultas e debates entre governos, academia, sociedade civil e setor privado.

A Agenda lista os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e as 169 metas para alcançar dois objetivos: fortalecer a paz universal e erradicar a pobreza em todas as suas formas e dimensões. Por isso que o plano de ação atua em torno dos cinco P’s: pessoa, prosperidade, paz, parceria e planeta.

ods onu 5p

 As ODS e o Instituto IP – O engajamento do setor privado é muito importante para a ONU alcançar os seus ambiciosos objetivos. A International Paper, por entender que a sustentabilidade é crucial para o sucesso dos negócios, também faz suas contribuições para a realização dos objetivos. A empresa, a partir dos novos pilares do Novo Jeito IP, selecionou 11 objetivos da Agenda 2030 da ONU para trabalhar e desenvolver em todas as unidades. São eles:

 

  • Objetivo 2: Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável;
  • Objetivo 3: Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades;
  • Objetivo 4: Assegurar a educação inclusiva, equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos;
  • Objetivo 6: Assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos;
  • Objetivo 7: Assegurar o acesso confiável, sustentável, moderno e a preço acessível à energia para todos;
  • Objetivo 8: Promover o crescimento econômico sustentável, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo e trabalho decente para todos;
  • Objetivo 11: Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis;
  • Objetivo 12: Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis;
  • Objetivo 13: Tomar medidas urgentes para combater a mudança do clima e seus impactos;
  • Objetivo 14: Conservação e uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável;
  • Objetivo 15: Proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e deter a perda de biodiversidade.

 

 

 

 

 

05-formare1

Formare Luiz Antônio: aprovados para visita domiciliar

05-formare1

RESULTADO DO PROCESSO SELETIVO – LUIZ ANTONIO

APROVADOS PARA VISITA DOMICILIAR

Estamos chegando na reta final! Confira abaixo os candidatos aprovados para a última fase do processo seletivo do Formare International Paper – unidade Luiz Antônio/SP.

As visitas domiciliares acontecerão na semana de 27/11 a 01/12 nos municípios de Luiz Antônio, São Simão e Guatapará. Nessa etapa o foco da equipe do Formare é conversar com os pais e responsáveis dos candidatos.

Amanda Melo da Silva
Ana Carolina de Oliveira Azevedo
Ana Carolina Fagundes da Silva Araújo
Antonio Messias Ribeiro dos Santos
Bianca Helena Silva
Daniele Gabriel dos Santos
David Jardim da Silva
Diego Rodrigo Domingos de Souza
Emanuela Borges de Jesus
Gabriel Ricardo Romano de Godoy
Inelise Laura da Cruz Ferreira
Ingrid da Silva Felix
João Vitor Pereira da Silva
Laura Lima Alves Ferreira
Luiz Guilherme Montanha Vitorio
Mariana da Silva Pedro
Pablo Fernando dos Santos Alves
Patrick Trindade Viana
Raila Alves Barbosa Marciano
Simeão Carlos Francisco

 

05-formare1

Formare Mogi Guaçu: aprovados na primeira fase

05-formare1

Confira a lista de aprovados na primeira fase do processo seletivo do Formare International Paper, na unidade Mogi Guaçu/SP.

A próxima etapa acontece em duas turmas diferentes no Centro de Treinamento Horto Mogi Guaçu.
Rodovia SP 340, km 171 – Mogi Guaçu (SP)

Fique atento a sua turma e anote as datas e os horários:

Turma 1: dia 4/12/2017 (segunda-feira) , das 13h às 17h.

Turma 1: dia 4/12/2017 (segunda-feira) , das 13h às 17h.

BIANCA HELENE DA SILVA
BRENDA TUANY MOREIRA GONÇALVES
CLAUDIA GISLENE GONÇALVES DOS SANTOS
DIANDRA MARIA ROBERTO DIAS
EVANDRO HENRIQUE LOPES
EVELIN DE JESUS MENDES
FABIANA FERNANDA CAVENAGHI
FERNANDA MARQUES PANDOLFO
GABRIEL CAVALCANTE SANTOS
GABRIELA DA SILVA IGNÁCIO
GABRIELE REZENDE
GRAZIELI MARIANA PEDRO
IGOR DOMICIANO MISTURA
INGRID VICENTE VIRGILIO
ISABELA BUENO
JAQUELINE SILVA SANTON
LAUANA ALVES DOS SANTOS
LUANA GABRIELE MACHADO
LUANA SOUZA QUEIROZ
LUARA TENÓRIO BRANDÃO
MILENE FERREIRA DA SILVA
NATHAN PHELIPE CHAVARI ROSSI
PABLO ALEXSANDER RODRIGUES
PEDRO OTAVIO FRALEONE
SABRINA LINS DA SILVA
THIAGO DOMICIANO MISTURA
VALDIR GONÇALVES DE ALMEIDA JUNIOR
VANESSA MOREIRA DOS SANTOS
VITORIA CARDOSO LARANJEIRA
VITÓRIA MENEGONI DOMINGUES
VIVIANE APARECIDA ALVES PRADO

Turma 2: dia 5/12/2017, (terça-feira) das 13h às 17h.

ALAN SILVA DOS SANTOS JUNIOR
AMANDA ROBETRTA CORREA RANGEL
ANA LAURA ZULIANE
ELLEN DE SOUSA MOTA
EVELIN OLIVEIRA GONÇALVES
FABRICIO GOMES DA SILVA
FRANCIELY CRISTINA DA SILVA
GABRIEL HENRIQUE TEIXEIRA
GABRIELA VITORIA DE OLIVEIRA
GUSTAVO ALVES DA SILVA
ISADORA CRISTINA PEREIRA SILVA
JAQUELINE DE SOUZA SILVA
JÉSSICA FERREIRA DA SILVA LUIZ
KAREN CRISTINA SERAFIM
KEREN RAQUEL TOLEDO PIZA
LEONARDO DE PAULA BISCHILIARI
LEONARDO JOSÉ DA SILVA
LUCAS CARVALHO DOS SANTOS
MARCOS ANTONIO SOARES
MARIA EDUARDA JESUS DE MELO
MARINA GASPAR DE ARAÚJO
MATHEUS ALVES DA SILVA
MIKAELA ALANA NAJLA DINIZ ANDRADE
NATHALIA FERREIRA OLIVEIRA
NATHAN DOS SANTOS SAMPAIO
PAMELA VICTORIA DA SILVA SABINO
PEDRO HENRIQUE ZANCHETTA
TELMA VAZ DE FREITAS NETA
TIAGO BARBOSA BESERRA
VITORIA ROGERIO

 

 

05-formare1

Formare Três Lagoas: Aprovados para a entrevista

05-formare1

 

Confira a lista de aprovados para a próxima fase do Processo Seletivo do Formare 2018 em Três Lagoas (MS)

As entrevistas acontecerão na Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS) Campus I.

Data: 7/11/2017
Horário: 7h
Endereço:  Avenida Capitão Olinto Mancini, nº 1662 (em frente ao quartel) – UFMS.
Bairro: Colinos – Três Lagoas/ MS

Aprovados para a fase de entrevistas:

BEATRIZ CHACRA FERREIRA
BIANCA FRANÇA REIS
BRUNA VITÓRIA BORGES GONÇALVES
ELIANA BORGES LOPES
GABRIELA MACIEL SOUZA
GEOVANNA SANTIAGO COSTA
GLEICIELLY REGATTIERI SOUZA
INGRID VITÓRIA FERNANDES SANTANA
ISABELLA MELISSA MARQUES SANTOS
JÉSSICA PEREIRA DE SOUZA
JHONATAN GALEANO LOPES
JOAO VICTOR CASTRO DOS ANJOS
JOSSENILDO REISSON MATOS DA SILVA
JULLYANA KARINE SOARES LOVO
LAURA DANIELA DIAS FERREIRA
LAURA PAULA FERREIRA BARROS
LUANA KELLY DO NASCIMENTO
LUCAS ORMODE PEREIRA DA SILVA
LUCAS TERUHIKO YAMAMOTO NARIMATU
MARCOS VINICIUS DE OLIVEIRA SILVA
MONIQUE MARQUES DE SOUZA CAMARA
NATHÁLIA MATIAS RODRIGUES
NILTON RODRIGUES DOS SANTOS JUNIOR
PEDRO HENRIQUE DE SOUZA
RAQUEL DE MOURA MARTINI
YAGO AUGUSTO VIANA

DSC_6176

Dia Nacional do Livro: 29 de outubro

Data celebra o surgimento da Biblioteca Nacional em 1810

DSC_6265

O Dia Nacional do Livro, comemorado em 29 de outubro, nos remete aos tempos do Brasil colonial. Com a vinda da corte portuguesa ao País em 1808, a cidade do Rio de Janeiro recebeu um rico acervo da Real Biblioteca de Portugal, com mais de 60 mil itens. Em princípio, todo o material foi instalado das dependências do Hospital da Ordem Terceira do Carmo.

Mas, no dia 29 de outubro de 1810, a coroa portuguesa fundou a Biblioteca Nacional, com a transferência do acervo para um novo local. Um decreto estabelecia que “nas catacumbas do Hospital do Carmo se erija e acomode a Real Biblioteca e instrumentos de física e matemática, fazendo-se à custa da Fazenda Real toda a despesa conducente ao arranjo e manutenção do referido estabelecimento”. Este fato histórico inspirou a criação do “Dia Nacional do Livro”.

Com o retorno da família real à Portugal, parte do acervo também voltou ao país de origem. Mesmo assim, com a passagem dos anos e a aquisição de coleções valiosas, a Biblioteca Nacional só cresceu. A instituição é considerada pela UNESCO uma das dez maiores bibliotecas nacionais do mundo e é a maior da América Latina, com atualmente cerca de 10 milhões de itens.

Mais leitores – o hábito de leitura no Brasil cresce lentamente. Em 2015, 50% da população havia lido livros em 12 meses e no ano passado, este percentual subiu para 56%, de acordo com uma pesquisa feita pelo Ibope (Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística) a pedido do Instituto Pró-Livro.

De acordo com a pesquisa, 67% dos entrevistados afirmaram que não houve estímulo de pessoas próximas para que lessem mais. Ciente do papel da leitura para o desenvolvimento de crianças e jovens, o Instituto International Paper investe em iniciativas para ampliar o acesso à leitura. O projeto Cidade do Livro, por exemplo, beneficiou cerca de 50 mil crianças em sete anos de atuação.

GRI_foto

Relatório de Sustentabilidade da IP revela avanços na preservação ambiental

Empresa mantém o foco na agenda 2020 e reduz a emissão de poluentes em 13% em dois anos 

GRI_foto

A International Paper divulgou em outubro o seu Relatório de Sustentabilidade. O documento revela as boas práticas da empresa em diferentes indicadores, como: preservação e economia de recursos naturais, segurança do trabalho, gestão de pessoas, ações na comunidade, entre outros.

Anualmente, empresas de grande porte prestam contas à sociedade sobre as iniciativas realizadas para redução dos impactos ambientais decorrentes de sua atividade.  Em uma demonstração de transparência, todas essas informações são compiladas em um documento, que torna públicas as iniciativas de responsabilidade social de uma organização.

Transformando a vida das pessoas – A IP estabelece como base de sua sustentabilidade os chamados 4P: Performance, Pessoas, Planetas e Produtos. Na prática, esses quatro pilares mostram como a empresa deve atuar de forma ética, para o alcance dos resultados financeiros, com o menor impacto ambiental possível, gerando empregos com a criação produtos renováveis e recicláveis.

Na IP, transformar a vida das pessoas é uma missão. Um trabalho desenvolvido em múltiplas frentes, com profissionais, parceiros, clientes e também com a comunidade. É aí que entra o Instituto International Paper, responsável pelos projetos socioeducativos desenvolvidos pela empresa. Somente em 2016 foram mais de 28.500 beneficiados em projetos, como: Apicultura Solidária, ESA, Guardiões das Águas, PEA, Natureza e Corpo, entre outros.

Inovação em prol do meio ambiente – Nos últimos anos, a IP reduziu em 13% a emissão de gases de efeito estufa, dentro da meta estabelecida para o ano de 2020. De toda a água utilizada em seus processos industriais, 95% é devolvida tratada para a natureza e 90% da energia utilizada nas fábricas são provenientes de fontes renováveis.

Para mais detalhes acesse: http://relatorio.institutoip.com.br/2016/index.html

 

08-guardioes-das-aguas

Escolas vencedoras do Projeto Guardiões das Águas reforçam a importância da água

De julho a setemshutterstock_347798567bro, educadores da rede pública de Luís Antônio (SP) e região trabalharam a conscientização dos alunos para a preservação dos recursos hídricos, no projeto “Guardiões das Águas”, coordenado pelo Instituto International Paper.

As escolas dos municípios paulistas de Luís Antonio, Altinópolis, Guatapará e São Simão enviaram seus projetos para a redução do desperdício de água e as vencedoras, receberam um prêmio em dinheiro para tirar a ideia do papel e colocá-la em prática.

Mão na massa – A Escola Marcílio Bondesan, vencedora em São Simão, realizou a construção de uma minicisterna para a captação e o reaproveitamento da água da chuva, gerando economia.

Já a Escola Profª Andréia Sertori Sandrin, em Guatapará, incluiu em seu projeto dinâmicas de conscientização para a conservação da água, além da montagem de um espaço verde na escola, algo que não existia. Para isso, construiu um telhado verde com eucalipto tratado. O intuito foi mostrar aos alunos que mesmo com pouco espaço é possível respeitar a natureza e trazer mais vida para a área.

Em Altinópolis, uma palestra sobre sustentabilidade, realizada na Escola Profª Carmem Miguel Vicari pelo engenheiro civil Wadje de Mello Sobiesiak, abordou o papel das pessoas na preservação do meio ambiente. O profissional mostrou que é dever de cada um de nós colaborar para a redução da poluição, poupando os recursos naturais. Na ocasião, o engenheiro mostrou para os alunos a planta do projeto de implementação de dois reservatórios de água.

Na Escola Helena Maria Luiz de Mello, em Luiz Antônio, o projeto incluiu a construção de uma cisterna no pátio, que irrigará com água da chuva uma horta feita pelos próprios alunos com garrafas PET e pneus.

IIP – O envolvimento das escolas com o Projeto Guardiões das Águas promove a mudança do comportamento dos indivíduos para o uso sustentável dos recursos hídricos. Preservar a natureza é garantir a nossa própria existência.

A economia da água é um assunto que sempre renderá reflexão e conscientização. É por isso que, desde 2008, o Instituto International Paper atua em prol desta causa, unindo toda a comunidade escolar, para que se possa, de fato, transformar a vida das pessoas.

Natureza e Corpo realiza sua primeira colheita

Alimentos cultivados em projeto do Instituto IP beneficiarão centros de apoio a pessoas em vulnerabilidade (Centros POP) de Três Lagoas (MS)

_DSC3946

Com o empenho de alunos e professores, as escolas Joaquim Marques de Souza e Parque São Carlos, participantes do Projeto Natureza e Corpo, realizaram sua primeira colheita no dia 6 de outubro. As doações foram entregues à Secretaria Municipal de Assistência Social de Três Lagoas, que direcionará os vegetais aos Centros Pop, que atendem pessoas em situação de rua.

No total, foram colhidos cerca de sete quilos de verduras, incluindo: alface, rúcula, almeirão e cebolinha, que alimentarão pessoas atendidas em programas da Secretaria Assistência Social do município.

Os alimentos foram recebidos pela secretária de Assistência Social, Vera Helena, em um evento especial na Escola Joaquim Marques de Souza, acompanhado de perto pelos alunos responsáveis pelo sucesso da colheita.

O projeto existe desde 2013 e começou com o cultivo de ervas conhecidas na cultura popular por suas propriedades terapêuticas. Em 2016, o projeto evoluiu para a implantação das hortas em ambiente escolar. Desde o início, o IIP dá todo o suporte para a implementação dos canteiros.

_MG_9468

Instituto IP comemora 10 anos com premiação em concursos do ESA

_MG_9468

 No dia 29 de setembro ocorreu a premiação do concurso de redação e do concurso literário do projeto Educação Socioambiental, o ESA. Foram reconhecidos os alunos e os professores das cidades Mogi Guaçu, Mogi Mirim e Estiva Gerbi, todas localizadas no estado de São Paulo.

Em 2017, o concurso de redação, que chegou à sua 42ª edição, foi aberto para jovens do 5º e 9º ano do ensino fundamental e 3º ano do ensino médio de escolas da rede pública e privada. Já o concurso literário, que ocorre há 12 anos, contou com a participação de professores de todas as séries e disciplinas das instituições de ensino dos três municípios.

Neste ano, o assunto principal das duas iniciativas foram os 10 anos do Instituto IP e seus impactos positivos para as comunidades, com o tema: “Transformar a vida das pessoas é o nosso papel”. Como apoio, o Instituto ofereceu um workshop (http://institutoip.com.br/home/10-anos-do-instituto-e-tema-em-workshop-para-participantes-do-esa-2/) aos educadores com a finalidade de orientá-los no desenvolvimento da proposta com os alunos.

Para Leandra Leite, presidente do Instituto International Paper, é uma satisfação celebrar mais uma premiação, desta vez com um tema que destaca os resultados da atuação do Instituto IP na comunidade. “Hoje colhemos frutos de um projeto que começou há mais de 40 anos, antes mesmo do instituto nascer. E, no ano em que celebramos 10 anos, é uma alegria receber textos tão especiais que abordam como um trabalho de transformação tem sido realizado em prol do desenvolvimento sustentável da comunidade”, comenta.

O evento de premiação foi realizado no Espaço Genesis, em Mogi Guaçu, e cada um dos três primeiros colocados foram contemplados com um prêmio em dinheiro. Confira a lista de vencedores:

Concurso de Redação

Alunos do 5º ano

1º Filipe Guilherme – Aqui se planta, aqui se colhe
2º Samuel Lazarini – O sonho do papel
3º Bianca Jesus – Desenhando o futuro

Alunos 9º ano

1º Camila Macedo – Saindo do papel para buscar o futuro
2º Ana Laura Depieri Filomeno – A empresa e o Instituto
3º Eduardo Rovigatti- Pequenas mudanças trazem grandes resultados

Alunos 3º ano

1º Julia Lanzi Ribeiro – O papel de todos
2º Ítalo Holanda – No caminho do bem: Uma década do Instituto International Paper
3º Julia Silva – Educar para transformar

Concurso Literário

1º Elaine Seco – Festa do Papel Picado
2º – Valéria Dipieri – Sobre tábuas, vãos e a vida que se transforma
3º Lidiane Pessota – Uma ideia sementeira

cidadão sustentável 2

Dia das Crianças e o Instituto IP

cidadão sustentável 2

 O Brasil comemora o Dia das Crianças em 12 de outubro. A celebração foi criada no país por meio de uma lei federal, proposta pelo deputado Galdino Filho e oficializada pelo presidente Arthur Bernardes em 1924. Inicialmente, a data designada pelo legislativo não ganhou popularidade.

Na década de 1960, a fábrica de brinquedos Estrela mudou o status dessa data. Para incentivar a venda da boneca “Bebê Robusto”, a empresa criou uma promoção que durou sete dias. Como a ação fez sucesso, a “Semana do Bebê Robusto” se tornou “Semana da Criança” no ano seguinte e, com o aumento das vendas no mês de outubro, todo o comércio aderiu à comemoração.

Celebração e conscientização o ano todo – Com dez anos de atuação, o IIP (Instituto International Paper) entende que a educação de crianças e jovens é uma das formas de transformar a vida das pessoas nas comunidades próximas de suas unidades fabris.  Conheça alguns projetos do Instituto IP que atuam diretamente para o público infantil.

No projeto Guardiões das Águas, ações pedagógicas são criadas para incentivar o uso racional dos recursos hídricos dentro e fora da escola. As iniciativas envolvem professores e alunos do Ensino Fundamental da rede pública de ensino da microrregião da unidade fabril e florestal de Luiz Antônio no Estado de São Paulo.

Com o PEA (Programa de Educação Ambiental), o Instituto desmistifica algumas questões relacionadas à utilização das florestas plantadas, combinando conhecimento e atividades lúdicas.  Idealizado para alunos e professores do Ensino Fundamental, o PEA recebe semanalmente cerca de 300 crianças, de 9 a 12 anos, nas unidades de Mogi Guaçu e Luiz Antônio para tratar de assuntos relevantes para a preservação ambiental.

O Natureza e Corpo desperta para consciência ambiental, dentro do conceito de sustentabilidade alimentar e alimentação saudável. O projeto é coordenado pelo Instituto International Paper no município de Três Lagoas (MS). Desde 2016 as escolas Joaquim Marques de Souza e Parque São Carlos trabalham com o cultivo de verduras e legumes, em hortas coletivas instaladas nas dependências das instituições de ensino.

Já o Cidade do Livro mostrou aos alunos do Ensino Fundamental o mundo mágico da literatura. Durante sete anos, mais de 51 mil crianças foram beneficiadas em nove cidades: Mogi Guaçu (SP), Três Lagoas (MS), Ribeirão Preto (SP), Suzano (SP), Paulínia (SP), Franco da Rocha (SP), Itapeva (SP) e Manaus (AM).

Com o ESA (Educação Socioambiental), a unidade de Mogi Guaçu tem o propósito de colaborar com a formação educacional e socioambiental de crianças e adolescentes. Para isso, são realizados um concurso de redação e também um concurso literário com temas relacionados ao meio ambiente e cidadania.

Leandra_e_Glaucia

Instituto International Paper comemora uma década de transformação e responsabilidade social

É um orgulho ver como esse projeto faz diferença na vida das pessoas”, diz Leandra Ferreira Leite, presidente do Instituto

Leandra Ferreira Leite, presidente do Instituto e Gláucia Faria, gerente de Responsabilidade Social e Sustentabilidade
Leandra Ferreira Leite, presidente do Instituto, e Gláucia Faria, gerente de Responsabilidade Social e Sustentabilidade

Há 10 anos, em setembro de 2007, foi criado o Instituto International Paper. Em uma década de responsabilidade social corporativa, desenvolvimento educacional e socioambiental, a instituição tornou-se referência em coordenar e executar ações que transformam a educação de milhares de jovens e crianças brasileiras.

Os primeiros preparativos para a criação do Instituto IP contaram com a participação voluntária de aproximadamente 200 profissionais, que assistiram a alguns workshops. O resultado dessas capacitações foi a criação da visão, missão e público alvo da instituição.

Para Gláucia Faria, gerente de responsabilidade social e sustentabilidade, foi um momento único todo o processo criativo, o que torna o Instituto um propagador de consciência ambiental e sustentabilidade para futuras gerações. Hoje, 11 projetos estão em andamento, buscando construir e investir em iniciativas alinhadas à preservação ambiental, ao voluntariado e ao compromisso social e educacional.

Confira, abaixo, a entrevista que fizemos com Gláucia Faria e com Leandra Leite, presidente do Instituto International Paper, desde maio de 2012. Elas contam sobre os momentos que marcaram a trajetória do IIP e quais são os planos futuros.

Instituto International Paper – Para vocês, quais foram os maiores obstáculos que enfrentaram?

Leandra Ferreira Leite – Manter os projetos e o número de pessoas influenciadas com os recursos que temos. Entender e cumprir a legislação da Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP). Por fim, o engajamento das pessoas e o interesse nos projetos, também é outro obstáculo que enfrentamos.

Gláucia Faria – Fazer com o que Instituto IP funcionasse uniformemente e que fosse reconhecido por todos. Foi um desafio ganharmos autonomia para que a instituição tivesse credibilidade e relevância entre as pessoas como nos dias de hoje.

IIPE quais foram as maiores conquistas que celebraram?

Leandra Ferreira Leite – A parceria com a Fundação Iochpe para o Projeto Formare; a mudança no Natureza e Corpo em Três Lagoas, que trouxe outro nível de envolvimento das escolas, alcançando novos benefícios. O sucesso da parceria com a Cidade do Livro e o crescimento do Apicultura Solidária.

Gláucia Faria – Sem dúvida, os 10 anos de existência do Instituto International Paper é a maior conquista que estamos celebrando.

IIP – O Instituto International Paper tem planos para o futuro? Quais são?

Leandra Ferreira Leite – Manter os projetos que são significativos para os beneficiários e trazer novos programas que atendam melhor as comunidades onde estamos, tanto no negócio de papel e embalagens. Este ano, realizamos um diagnóstico para identificar onde podemos atuar melhor e essa será nossa discussão daqui em diante.

Gláucia Faria – Dar continuidade com os projetos e trabalhar em novos para que possamos transformar cada vez mais a vida de jovens e adolescentes das comunidades que atuamos.

IIP – Qual é sua relação com o IIP?

Leandra Ferreira Leite – Parceria. Uma relação que se estabelece no auxílio, no desenvolvimento e no reconhecimento da instituição para todos os públicos. Participo do Formare como voluntária desde o primeiro ano, em 2010, e é um orgulho ver como esse projeto faz diferença na vida das pessoas.

Gláucia Faria – É além do profissional, o Instituto se tornou parte de mim. Os nossos projetos transformam a vida das pessoas e elas levam consigo uma sementinha da mensagem que plantamos durante esses 10 anos.

IIP – O Instituto International Paper é…

Leandra Ferreira Leite – Uma instituição focada na transformação social da vida das pessoas, atuando junto à comunidade com o objetivo de ser um diferencial na educação e responsabilidade socioambiental.

Gláucia Faria – Um propagador de consciência ambiental e sustentabilidade para as nossas futuras gerações.

 

shutterstock_590703260

Professor utiliza papelão e canetinha para ensinar matemática a alunos

Com apenas dois objetos, o docente transformou a educação de uma escola periférica do Rio de Janeiroshutterstock_514725154

Em 8 de setembro foi celebrado o Dia Mundial da Alfabetização, criado há mais de 50 anos pela Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultural (UNESCO). A data tem o propósito de celebrar a alfabetização e a educação como uma forma de empoderamento para milhares de mulheres e homens pelo mundo.

Em média, a taxa de brasileiros com 15 anos ou mais que não sabem ler ou escrever caiu pelo quarto ano consecutivo, conforme a pesquisa realizada em 2016 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Mesmo com essa evolução, o analfabetismo ainda é sinônimo de exclusão e pobreza para a população dessa faixa etária.

Diante desse cenário, o professor Luís Felipe Lins revolucionou suas aulas de matemática usando canetinha e papelão na Escola Municipal Francis Hime. De que forma?  Ele utilizou os materiais para criar jogos, como memória e dominó para ensinar matemática a alunos a partir do 6º ano do Ensino Fundamental.

Os estudantes precisam decifrar enigmas, escrever como obtiveram o resultado, além de registrar todo o processo em vídeo para compartilhar com os colegas. Para o professor, isso é desenvolver habilidades além da matemática, como a escrita, a oralidade e o trabalho em equipe.

A escola já conquistou 197 medalhas em competições de matemática num período de dez anos, o que rendeu resultados significativos para o ensino da escola, que utiliza itens básicos do dia a dia das crianças.

Por meio de iniciativas – A educação é uma das causas abraçadas pelo Instituto International Paper, que contribui para a vida de milhares de jovens e adolescentes por meio de projetos onde a empresa mantém operações.

O Projeto Escola Formare do Instituto IP já capacitou mais de 450 jovens entre 16 e 18 anos nas cidades de Mogi Guaçu e Luiz Antônio no estado de São Paulo e Três Lagoas no Mato Grosso do Sul.

Em 2017, o Formare recebeu cerca de 170 profissionais da International Paper, que decidiram compartilhar seus conhecimentos voluntariamente aos alunos. Ao todo, em 2016, a empresa já beneficiou mais de 28 mil pessoas.

Consulte a matéria completa no Blog Adoro Papel!

shutterstock_588007646

Dia da Árvore e Dia do Papeleiro

Ambas as datas são comemoradas em setembro e têm motivos em comum

shutterstock_127683065Em 20 de setembro é celebrado o Dia do Papeleiro. A data foi estabelecida como marco da fundação do Sistema Sepaco de Saúde, em 1956, instituição criada para atender aos profissionais do setor papeleiro e seus dependentes.

Já em 21 de setembro é comemorado o Dia da Árvore. A data, que marca também o início da primavera no Brasil, busca conscientizar a população sobre a importância desse ser vivo para o meio ambiente.

As comemorações deste dia começaram no final do século XIX. Isso porque, em 10 de abril de 1872, o político e jornalista estadunidense Julius Sterling Morton plantou uma grande quantidade de árvores na cidade de Nebraska (EUA). A ocasião ficou conhecida como “Day Arbor” e foi um marco ecológico para a preservação das espécies arbóreas.

Comemorada mundialmente na chegada da primavera, muitos países adequaram a data a partir das características físico-climáticas de suas regiões. Na Polônia, por exemplo, as comemorações acontecem em 10 de outubro; na Tanzânia, em 1º de janeiro.

A indústria e as florestas – O eucalipto é cultivado para ser utilizado pela indústria de papel e celulose, tornando o processo 100% reciclável e biodegradável. Em média, no Brasil, a taxa de reaproveitamento do papel, que pode ser reciclado, é aproximadamente de 60%.

No Instituto International Paper, são executadas diversas iniciativas ambientalmente responsáveis, que protegem a biodiversidade e o meio ambiente. Além de manterem um hectare de terra reservado para a conversação da fauna e da floral regional, auxiliando na preservação da mata nativa, são realizadas ações educativas com crianças e adolescentes.

Em 2016, o Programa Educação Ambiental (PEA) preparou atividades variadas entre estudantes e professores em Mogi Guaçu (SP) e Luiz Antônio (SP), região em que o programa atua.

Uma das ações, que envolveu mais de 3 mil pessoas, consistiu em mostrar os detalhes sobre a fabricação do papel. A intenção foi desmitificar alguns conceitos do processo produtivo e apresentar as outras iniciativas da empresa para a preservação do meio ambiente.  Somente na IP, são produzidas mais de 16 milhões de mudas por ano.

shutterstock_553811536

10 anos do Instituto é tema em workshop para participantes do ESA

Fomentar prshutterstock_553811536ojetos educacionais e socioambientais com foco em crianças e adolescentes é um processo de transformação alinhado aos valores que o Instituto International Paper pratica. Para disseminar os aprendizados e orientações conduzidos em projetos e celebrar uma década de atuação, o Instituto promoveu, em agosto, o workshop “10 anos do Instituto IP”.

Participaram da ação membros do ESA (Educação Socioambiental): estudantes do ensino fundamental e médio, além de educadores e coordenadores de escolas da rede estadual, municipal e particular das cidades de Mogi Guaçu (SP), Mogi Mirim (SP) e Estiva Gerbi (SP).

A proposta – Este ano, os participantes do ESA serão desafiados a escrever uma redação, tendo como base a história do Instituto IP, com o tema “Transformar a vida das pessoas é o nosso papel”. No workshop, eles foram orientados sobre como trabalhar a temática, alinhada ao conteúdo programático previsto na grade curricular. Essa é mais uma oportunidade de aprimorar as habilidades dos estudantes e também dos educadores, sendo um estímulo para os jovens participantes do concurso de redação.

No dia 29 de setembro, ocorre a cerimônia de premiação dos vencedores do ESA e a festa de celebração destes 10 anos de Instituto.

O projeto – Desde 1975, as unidades de Mogi Guaçu e Luiz Antonio têm o propósito de colaborar com a formação educacional e socioambiental de crianças e adolescentes. Para isso, são realizados um concurso de redação e também um concurso literário. Além disso, os alunos e professores participam de ações em prol do reflorestamento de áreas degradadas.

Turma de Luiz Antônio (SP)

Alunos do Formare em Luiz Antonio participam da SIPAT

Jovens montam estande para falar sobre projeto global da IP

A unidade de Luiz LUIZ ANTONIO 2017Antonio da International Paper finalizou a sua Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho (SIPAT). E os alunos do Projeto Escola Formare participaram ativamente da iniciativa, com um estande montado para falar sobre o GMS (sigla em inglês para Sistema Global de Manufatura), projeto implementado para todos os negócios de papel e papel para embalagens, com a visão de se tornar a melhor indústria de manufatura do mundo. Para a IP, segurança é um valor inegociável e a semana de 23 de agosto a 1º de setembro foi mais um momento de reforçar o quão fundamental o trabalho focado na prevenção de acidentes é para todos na empresa. O tema escolhido pelos alunos foi o Sistema Global de Manufatura (GMS) e os seus cinco pilares: Saúde, Segurança e Meio Ambiente (EHS&S), Pessoas, Redução de Custos, Capital e Confiabilidade. A escolha desse tema para SIPAT se deu por ser um tema muito relevante e também por ser possível abordar de a relação de cada um dos elementos com ações de prevenção de acidentes de trabalho”, explica Sabrina Tenello, Analista de Responsabilidade Social e Sustentabilidade da IP, área que coordena as atividades do Instituto.

A ideia de falar sobre o Sistema Global de Manufatura partiu dos próprios alunos, que além de escolher o tema e se empenharam na montagem do estande e nas explicações dadas aos profissionais que participaram das atividades.

A intenção foi trazer mais leveza e criatividade a um assunto sério, despertando a curiosidade das pessoas e esclarecendo alguns tópicos do GMS que ainda deixam dúvidas. “Os alunos abordaram um tema que está em alta na empresa e que muitos ainda têm dificuldade de entender o que é, diz a trainee Gabriella Pavanelli, que também faz parte da CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes).

A Educadora Voluntária (EV), nas disciplinas de matemática e física, Gabriella acompanha a evolução dos alunos desde o início das aulas e se surpreendeu com o planejamento dos estudantes durante o evento.  “Os alunos sistematizaram a participação de cada um no estande, mostrando desenvolvimento pessoal. Houve revezamento nos horários de almoço, um verdadeiro trabalho em equipe. ”

O trabalho dos alunos não ficou restrito somente à semana da SIPAT. Os jovens prepararam todo o conteúdo antecipadamente e fizeram sabatinas entre os grupos para alinhar tudo o que seria falado e responder a todas as perguntas que chegassem.

A participação na SIPAT foi mais uma etapa do processo de desenvolvimento profissional que acontece nos dez meses do Formare. Com o curso já na segunda metade, a evolução é nítida e os alunos já começaram a pensar com mais clareza sobre o futuro. “Hoje vejo mais envolvimento e motivação nos alunos. Muitos já sabem do que gostam e já traçaram um plano para o ano que vem. Isso é muito importante, porque aqui eles podem experimentar, conhecer e pedir orientação. Estou muito feliz de contribuir com o Formare, porque também aprendo todos os dias com eles. É a primeira porta aberta de muitas possibilidades”, finaliza a trainee Gabriella Pavanelli.

Formare IP celebra o “Dia Nacional do Voluntariado”

O Dia Nacional do Voluntariado é celebrado dia 28 de agosto. Em celebração à data, os alunos do Formare organizaram e prestaram uma homenagem a todos os voluntários do programa.

No evento, os voluntários foram convidados para celebrar o dia com um café da tarde e os alunos aproveitaram para fazer os agradecimentos por meio de mensagens, músicas e apresentações.

A homenagem reforça a importância do trabalho voluntário para a IP, que por meio de programas e projetos, realiza ações sociais e comunitárias. O trabalho dos Educadores Voluntários, junto com as equipes de Responsabilidade Social, é executar atividades educacionais com os alunos do Formare por 9 meses.

O programa já capacitou mais de 400 jovens desde 2010. Só neste ano, 174 profissionais decidiram compartilhar seus conhecimentos com os alunos para a edição de 2017. A significativa adesão ao projeto mostra o comprometimento e o engajamento da International Paper com o voluntariado.

Histórico da data – No dia 28 de agosto de 1985, foi instituído o Dia Nacional do Voluntário por meio da Lei Nº 7.352. No Brasil, os trabalhos voluntários surgiram em 1543 com um grupo de imigrantes portugueses instalados em São Vicente (SP). Eles recebiam aventureiros exaustos devido a longa viagem marítima, que haviam atravessado para alcançar novas terras. No início, era muito comum entidades de caráter voluntário estarem associadas às organizações religiosas e étnicas.

Outro marco histórico e muito conhecido pela população brasileira foi o início da Cruz Vermelha em 1908. A organização iniciou o movimento mundial de escotismo no país e trouxe como referência o voluntariado sem filiação partidária e sem fins lucrativos.

Em 1993, o trabalho voluntário se fortaleceu com a criação da Ação da Cidadania Contra a Fome e a Miséria e pela Vida. O movimento tem o propósito de sensibilizar e organizar a sociedade brasileira em busca por iniciativas de combate à fome.

Na última segunda-feira, 28 de agosto, o governo federal, em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), lançou o “Viva Voluntário”, programa nacional de voluntariado que tem o objetivo de aumentar o engajamento dos brasileiros em atividades solidárias e transformadoras.

shutterstock_380464495

O papelão e sua contribuição para o reflorestamento

floresta ip mogi guaçu

No mundo, existem muitas maneiras que contribuem para o meio ambiente e a biodiversidade do planeta. Uma delas é utilizar o papelão ondulado na recuperação de áreas degradadas. O processo é simples e custa 50% menos do que que os métodos tradicionais.

O papelão é utilizado no controle de plantas invasoras e na proteção de mudas nos primeiros anos de plantio. De acordo com pesquisadores da Embrapa, o material de papel contribui para o reflorestamento e para o controle do coroamento ao redor de mudas que estão sendo reflorestas.

Na prática – Para proteger a base das mudas de espécies florestais, é usado um disco ou placa de papelão ondulado, novo ou reutilizado. Por meio do coroamento, a proteção faz com as gramíneas – que exercem forte competição com as espécies reflorestadas – não se desenvolvam.

Com isso, ocorre um crescimento igual como se estivessem sendo controladas por manuseios recorrentes, no caso, por meio de enxadas, foices e roçadeiras.

Antes de chegar a esse resultado, os primeiros experimentos utilizavam embalagens arredondadas para pizza. A consequência disso, foi a descoberta de que o papelão apresenta eficiência de mais de um ano se for usado com solução à base de sulfato de cobre.

Um exemplo deste processo, usando papelão tratado, é a cobertura de solo para o cultivo da pupunha, que aumenta sua produtividade e é muito sustentável na plantação do palmito, segundo dados divulgados pela Embrapa em 2011.

Para o pesquisador Guilherme Chaer, o benefício de usar o papelão não é só por impedir o crescimento das gramíneas, mas também pelo aumento da taxa de sobrevivência das mudas. Uma vez que a técnica chega a diminuir em 10ºC a temperatura do solo superficial em dias quentes, reduzindo também a perde de água por evaporação.

 

Consulte a matéria completa no Blog Adoro Papel!
Fique por dentro do processo e curiosidades sobre o assunto!

explicação sobre fabricacao de papel_2

Projeto Educação Ambiental participa de “Dia de Campo Limpo”

experiência sensitiva_
 Instituto International Paper levou o PEA (Programa de Educação Ambiental) para o Dia Nacional do Campo Limpo (DNCL). Promovido pela Coplana, Cooperativa Agroindustrial, o evento ocorreu em Jaboticabal (SP) no dia 16 de agosto.

Com o objetivo de conscientizar os alunos da rede pública para a preservação ambiental, a ação reuniu, na Estação de Eventos Cora Coralina, mais de 2.500 estudantes de 9 a 14 anos dos municípios paulistas de Jaboticabal, Guariba, Dumont, Pradópolis, Santa Ernestina e Taquaritinga.  Eles puderam acompanhar demonstrações e conhecer uma série de boas práticas de preservação ambiental e logística reversa adotadas pelas empresas da região onde moram.

O Instituto International Paper marcou presença nas atividades do “Dia Nacional do Campo Limpo”, ao explicar os processos de produção de papel e a importância da preservação da fauna e da flora, um trabalho que é constantemente aprimorado pela empresa para reduzir impactos ambientais.

Além do Instituto IP, vários outros convidados estiveram presentes e as demonstrações foram estruturadas em estações, nos moldes de uma “feira de Ciências”. Os estudantes receberam orientações sobre o descarte de embalagens de defensivos agrícolas, a reutilização ou transformação de diferentes tipos de materiais, entre outras iniciativas.

Os alunos acompanharam, curiosos, todas as explicações nos estandes por onde passaram. Eles puderam aprender um pouco mais sobre a importância da reciclagem e da reutilização de recursos como forma reduzir os impactos ao meio ambiente.

_MG_5627

Concursos do ESA celebram os 10 anos de história do Instituto IP

Participantes terão o desafio de transformar 3.650 dias de história em um texto de poucas linhas

Em 2016, o tema foi "Alimentação Saudável"

Em 2016, o tema foi “Alimentação Saudável”

O Instituto IP está em festa. Para comemorar uma década de ações para um mundo mais sustentável, a instituição levou aos concursos do Projeto Educação Socioambiental (ESA), um pouco dessa história. E quem vai continuar a escrevê-la serão os participantes da 42ª edição do Concurso de Redação e do 12º Concurso Literário.

O Projeto Educação Socioambiental já é uma tradição em Mogi Guaçu (SP). Desde 1975, os estudantes dos últimos anos de cada ciclo da Educação Básica, que correspondem atualmente ao 5º e 9º anos do Ensino Fundamental e ao 3º ano do Ensino Médio participam do concurso de redação.

Concurso de Redação - Em mais de quatro décadas, os participantes dissertaram sobre os mais diferentes temas. Já foram abordados alimentação saudável, cuidados com o solo, entre outras temáticas relacionadas à sustentabilidade e ao meio ambiente.

Este ano, os estudantes serão desafiados a escrever uma redação, tendo como base a história do Instituto IP e o seu lema: “Transformar a vida das pessoas é o nosso papel”. Além de trabalhar com educação ambiental para públicos escolares em projetos como: Guardiões das Águas, Natureza e Corpo e Projeto Educação Ambiental (PEA), a organização também colabora para a formação profissional de adolescentes no Projeto Escola Formare, que existe desde 2010. Somente em 2017, já capacitou centenas de jovens nos municípios de Mogi Guaçu (SP), Luiz Antônio (SP) e Três Lagoas (MS).

Concurso Literário – Desde 2005, o município de Mogi Guaçu realiza, dentro do ESA, o Concurso Literário, voltado exclusivamente para os educadores, englobando professores e equipes da gestão escolar. Em sua 12ª edição, o Concurso Literário é um exemplo de crescimento do ESA na comunidade escolar de Mogi Guaçu. É também, a oportunidade de reconhecer o trabalho daqueles que se empenham na construção do conhecimento no dia a dia da sala de aula.

Workshops – Para estimular a participação de toda a comunidade escolar guaçuana, o Instituto IP realiza, ao longo do ano, uma série de oficinas com os professores. Assim, os instrumenta para a prática da escrita em classe, com o objetivo de aprimorar as habilidades de escrita dos alunos, incentivando-os a participar do concurso. Os workshops também trazem ideias para que os professores trabalhem diferentes conteúdos transversais, combinando-os com o conteúdo programático já previsto na grade curricular.

Premiação – No dia 29 de setembro, o Instituto fará a cerimônia de premiação dos vencedores do ESA, e a festa em celebração destes 10 anos de história!

criança_alimentaçao saudavel

Programa da ONU ajuda países a cumprir metas de nutrição

criança_alimentaçao saudavel
Em 1º de abril de 2016, em Nova Iorque, a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) estabeleceu o período de 2016 a 2025 como a Década de Ação para a Nutrição. A medida reconhece a necessidade de acabar com a fome e evitar a desnutrição no mundo.

No início do segundo semestre de 2017, a Organização lançou um programa de trabalho com recomendações sobre metas globais de combate à fome e à má nutrição. Elaborada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), a publicação visa a facilitar a realização de iniciativas concretas e a consequente efetivação dos compromissos assumidos pelos países.

Para isso, seis áreas de atuação são priorizadas:

 

  • Sistemas alimentares resilientes e sustentáveis para dietas saudáveis;
  • Sistemas de saúde com cobertura universal de ações essenciais em nutrição;
  • Proteção social e educação em nutrição;
  • Comércio e investimentos para melhorar a nutrição;
  • Ambientes saudáveis e de apoio à nutrição em todas as idades;
  • Governança fortalecida e prestação de contas para a nutrição.

 

A publicação ainda recomenda que os países adotem os objetivos SMART – sigla em inglês para Specific, Measurable, Attainable, Relevant e Time-bound. Ou seja, específicos, mensuráveis, atingíveis, relevantes e com prazo.

 

Nutrição no Instituto IP – No município de Três Lagoas (MS), o projeto Natureza e Corpo, coordenado pelo Instituto International Paper no município de Três Lagoas (MS), desperta os alunos da 6ª a 9ª série para consciência ambiental, dentro do conceito de sustentabilidade alimentar e alimentação saudável.

Quando nasceu em 2013, o projeto resgatava hábitos das gerações passadas, com uso de chás e infusões de plantas com propriedades “terapêuticas”. Em 2015, as escolas Joaquim Marques de Souza e Parque São Carlos passaram a trabalhar com o cultivo de verduras e legumes, em hortas coletivas instaladas nas dependências das instituições de ensino.

 

Agora, em 2017, a ideia foi dar continuidade ao cultivo de alimentos, ampliando as possibilidades dentro das hortas em cada escola. A experiência tem dado certo, tanto que os alunos já fizeram a primeira colheita no mês de agosto.

 

 

CAPA

Apicultores do programa Apicultura Solidária recebem novos equipamentos de proteção individual

“Cooperados estavam ansiosos para receber os novos materiais”, conta José Antônio Monteiro

1

Na unidade de Luiz Antônio, nos dias 6 e 7 de julho, os cooperados da Cooperativa dos Apicultores da Região de Ribeirão Preto (COOPERAPIS) e a Associação dos Apicultores de Leme e Região (AAPILEME), receberam novos equipamentos de proteção individual (EPI) para o cultivo e colheita de mel.

Para trabalhar com abelhas são necessárias técnicas de manejo e de produção, mas além disso, para garantir a segurança desses trabalhadores no dia a dia, eles precisam de roupas especiais. Durante a produção e extração de mel, é imprescindível um macacão, par de luvas, par de botas e um fumegador. E foram esses materiais que os cooperados receberam do Instituto International Paper.

A entrega dos equipamentos de proteção individual para os apicultores faz parte de uma ação da IP, que renova as ferramentas de trabalho dos cooperados uma vez ao ano. Segundo o líder da COOPERAPIS, José Antônio Monteiro, é uma iniciativa muito importante para todos os apicultores, que utilizam um material de extrema qualidade.

2
“Quando soube em que dia poderia buscar todos os pacotes, avisei os cooperados. Alguns já estavam superansiosos para receber os novos equipamentos de proteção e por isso vieram até a mim para buscar”, conta Antônio, que trabalha com apicultura há mais de 40 anos.

Para Monteiro, é muito gratificante fazer parte do projeto Apicultura Solidária. O programa, ajuda no desenvolvimento socioambiental dos apicultores locais e contribui para a geração de renda desses trabalhadores, que utilizam das áreas florestais de eucalipto da International Paper.

shutterstock_343101845

Férias escolares pelo mundo

As estações do ano e datas comemorativas fazem com que cada país adote o recesso em diferentes datas do calendário

shutterstock_343101845

No Brasil, janeiro, julho e dezembro costumam ser meses muito aguardados por alunos de todo o país, pois eles marcam a chegada das férias escolares. Os períodos de recesso alternam entre as escolas particulares e as públicas, que seguem um calendário de nível federal, variando entre 60 e 120 dias distribuídos nos três meses.

Em outros países, porém, essa disposição pode ser bem diferente. É o caso da França, que permite que crianças e adolescentes em idade escolar tenham diversas pausas ao longo do ano. Lá, assim como em boa parte da Europa, dos Estados Unidos e do Canadá, o ano letivo tem início em setembro. Entre o fim de outubro e o começo de novembro, acontecem as “vacantes de la toussaint”, em comemoração ao Dia das Bruxas. E nos meses seguintes ainda acontecem mais quatro pausas: as férias de Natal, inverno, primavera e verão – nos meses de dezembro, fevereiro, abril e julho, respectivamente.

As temperaturas rigorosas dos Estados Unidos fazem com que, lá, a organização dos dias letivos também seja diferente de outras partes do mundo. As aulas começam no meio do ano, quando entra o verão, e o inverno marca as férias, uma vez que a neve é um grande obstáculo para quem precisa se locomover. E existe, ainda, o famoso “spring break”: período de pausa de uma semana antes do início da primavera, para alunos das escolas e universidades norte-americanas.

Na Finlândia, país que sempre figura no topo dos rankings internacionais por sua qualidade na educação, os estudantes possuem uma jornada escolar curta e as férias de verão duram dez semanas! Um longo período se comparado às outras nações.

Embora as quantidades e datas sejam tão diferentes, uma coisa é certa: nenhum país abre mão do merecido descanso durante o ano escolar. Para as crianças, além de um momento de relaxamento e diversão, as férias trazem enormes benefícios para a aprendizagem e devem ser aproveitadas ao máximo.

Renato Meulman Leite da Silva_ Forestry area_crop

Dia do Engenheiro Florestal

Especialistas no manejo sustentável das florestas celebram a profissão em 12 de julho

Renato Meulman Leite da Silva_ Forestry area

No dia 12 de julho é comemorado o “Dia do Engenheiro Florestal”, profissional dedicado à gestão racional e sustentável dos recursos florestais. A data homenageia São João Gualberto, escolhido pelo Papa Pio XIII como Protetor dos Florestais e um dos precursores das leis agrárias. A ele e a seus discípulos é atribuído o lema “conservar e saber usar”, que norteia os trabalhos destes profissionais até os dias de hoje.

Na IP, não poderia ser diferente: são as técnicas de manejo florestal que garantem a qualidade e a sustentabilidade do papel que é produzido pela empresa. Todo o trabalho é focado na redução do desperdício para o bom aproveitamento das florestas plantadas. Para isso, as técnicas de cultivo são essenciais.

“Na IP, temos engenheiros florestais trabalhando nas operações, desde a produção de mudas até a colheita florestal e abastecimento fabril. Também temos engenheiros florestais nas áreas de suporte, como planejamento e inventário, geoprocessamento, fomento e parceria, pesquisa e desenvolvimento”, explica o coordenador de Pesquisa e Desenvolvimento da International Paper, Renato Meulman, que trabalha há sete anos na empresa.

Ele conta que as possibilidades de atuação do engenheiro florestal são múltiplas e não se restringem apenas ao manejo florestal. “Hoje temos engenheiros nas áreas de suprimentos e nas áreas fabris, para produção de celulose.”

Para ser bem-sucedido na profissão – Mas quais as habilidades essenciais que os profissionais precisam desenvolver ao longo da carreira? Para Renato Meulman, é fundamental que o profissional goste do trabalho no campo e entenda como aliar os benefícios que os recursos naturais trazem para as sociedades, com a sustentabilidade do meio ambiente. A utilização destes recursos deve ser inteligente para garantir que não se esgotem na natureza.

“O meu trabalho envolve o desenvolvimento de novas tecnologias tanto para as operações florestais quanto para máquinas e equipamentos. Preciso também garantir que as recomendações técnicas estejam aplicadas de maneira correta para manter a qualidade das operações nas florestas plantadas”, explica.

No Brasil, a profissão de Engenheiro Florestal é relativamente nova e data da década de 1960. Nesses 50 anos, muita coisa mudou e as técnicas de manejo florestal evoluíram muito com as novas  tecnologias que têm contribuído para melhorar as atividades no campo.

DSC_0158

Ex-aluno do Formare IP conquista certificado Yellow Belt

Jediel Sabino fez parte da primeira turma do Projeto, em 2010 e hoje é engenheiro químico 

DSC_0166_

Aos 24 anos de idade, sete deles como profissional da IP, Jediel Sabino é um exemplo para as novas turmas do Formare. Contratado pela IP em 2010, após a conclusão do Fomare, ele começou sua trajetória na empresa como auxiliar de laboratório e foi técnico I e II, antes de se tornar operador de Painel da Caustificação e do forno de cal.

Nestes sete anos, Jediel formou-se em engenharia química na Faculdade Municipal Professor Franco Montoro, em Mogi Guaçu, e aperfeiçoou-se na carreira. Este ano, ele obteve o certificado Yellow Belt, concedidos a profissionais que realizam treinamento da metodologia “Seis Sigma”, para melhoria dos processos dentro de uma empresa.

A certificação – Obter um Yellow Belt exige um treinamento específico e a entrega de um projeto. Para conseguir a certificação, Jediel propôs um projeto de economia de químicos no processo de recuperação, com a redução do PH do grits (resíduo da fabricação do papel e da celulose).

“A ideia surgiu de uma necessidade ambiental de controlar o PH nos subprodutos gerados no processo de caustificação. Com a implantação do plano de melhoria, tivemos uma economia de R$16.000,00 mensais em perdas de produtos químicos, além de melhorar as metas ambientais”, explica.

A importância do Formare – Como aluno da primeira turma do Formare IP, o operador conta que, ter participado das aulas, foi fundamental para que pudesse construir sua carreira com mais clareza. Aproveitou, principalmente, as orientações que recebia dos profissionais mais experientes. “O Formare me mostrou como seria minha vida dentro de uma empresa. Isso realmente me ajudou a definir um plano de carreira, a decidir sobre a minha formação”, conta ele, que já participou como Educador Voluntário nas turmas do Projeto.

Para fazer acontecer – Com sua experiência de ter passado pelo Formare e ter se tornado um profissional IP, Jediel reforça a importância do aprendizado contínuo para a construção da vida profissional, com espaço para novas conquistas e crescimento. “É preciso ter vontade de aprender, ser curioso e aproveitar as oportunidades para tirar todas as dúvidas. Todo conhecimento, por mais simples que seja, quando aplicado traz grandes ganhos”, diz.

Alunos do Formare se apresentam em instituição de ensino superior

Convite feito por Educador Voluntário deu aos jovens a oportunidade de conversar com universitários

No dia 8 de junho, os alunos do Formare de Três Lagoas (MS) se apresentaram na 1º Semana Acadêmica, Cultural e Esportiva de Administração e Ciências Contábeis da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. O evento, realizado no anfiteatro do Campus II da instituição, abordou temas sobre inovação, motivação e mercado de trabalho.

Os alunos foram convidados por Otávio Rodrigues, estudante de Administração de Empresas da UFMS e Educador Voluntário do Formare. “O evento precisava de algo incomum, que se diferenciasse dos projetos de startups dos universitários. Inicialmente, a minha ideia era levar os alunos para prestigiar as palestras, mas depois sugeri que eles tivessem uma participação mais efetiva na Semana Acadêmica”, explica.

Os estudantes do Formare fizeram uma apresentação sobre “A História das Startups”, seguindo o tema escolhido para os debates do dia. Foi a primeira vez que se apresentaram para uma quantidade maior de pessoas.

Para embasar o conteúdo que seria ministrado, Rodrigues conta que, no primeiro módulo do projeto, os assuntos abordados foram sobre “Relacionamento e Trabalho em Equipe”, com o intuito de orientá-los a respeito da postura e da comunicação verbal durante apresentações.

Os universitários acharam incrível a organização e a disposição que os alunos tiveram, incluindo conceitos novos sobre o tema. “Houve muita participação dos estudantes e os jovens do Formare conseguiram lidar muito bem com essas situações”, comenta Otávio.

Outros Educadores Voluntários puderam assistir à apresentação dos alunos e ficaram orgulhos com essa experiência. “Tivemos nossas expectativas superadas, visto que sempre depositamos uma confiança muito grande neles”, finaliza o EV.

cidadão sustentável

Alunos do Formare visitam Feira do Livro de Ribeirão Preto

Jovens expandem conhecimentos sobre sustentabilidade e qualificação profissional

cidadão sustentávelNo dia 6 de junho, a turma de Luiz Antônio do Projeto Escola Formare marcou presença na 17ª edição da Feira Nacional do Livro de Ribeirão Preto, promovida pela Fundação do Livro e da Leitura. O evento, que aconteceu entre os dias 4 a 11 de junho no Theatro Pedro II e na Tenda Sesc, teve como tema “Do conhecimento que liberta ao amor que educa” e propôs o debate e a reflexão sobre o papel do livro na educação.

Este ano, a Feira priorizou discorrer sobre o desenvolvimento educacional, que tende a beneficiar crianças, adolescentes e comunidades em geral. As atividades incluíram uma homenagem a Portugal, país mãe da Língua Portuguesa, o oitavo idioma mais falado pelo mundo.

cidadão sustentável 2Os alunos do Formare, visitaram o estande do jogo “Cidadão Sustentável”, que abordou sobre a relação das questões ambientais e de cidadania, com o objetivo de refletir sobre a responsabilidade de cuidar do ambiente natural e da cidade. Na dinâmica, os alunos tiveram acesso a informações, que poderão ser utilizadas nas aulas de Meio Ambiente do programa do Instituto International Paper.

O estande da Escola Técnica Estadual – Centro Paula Souza também foi visitado pelos alunos, que puderam esclarecer dúvidas a respeito de processo seletivo e cursos técnicos gratuitos. Além dessas atividades, a Feira abriu espaço para palestras e exposições, apresentações culturais e oficinas.

Para Sabrina Tenello, da Responsabilidade Social Corporativa e Sustentabilidade da IP, a importância de atividades extracurriculares são uma oportunidade para os alunos não só refletirem sobre a vida profissional, mas também sobre seu papel na cidadania. “Queremos contribuir fortemente para formação de bons cidadãos”, finaliza Sabrina.

shutterstock_380464495

Brasil sobe em ranking de sustentabilidade

De acordo com o Environmental Performance Index de 2016, Brasil evolui na categoria qualidade do ar

shutterstock_380464495

Divulgado a cada dois anos, o “Environmental Performance Index” avalia o desempenho de 180 países em relação às políticas voltadas à sustentabilidade e bem-estar. Na última edição (2016), o Brasil saltou da 77ª posição para a 46ª, alavancado pela melhoria da qualidade do ar.

O relatório é fruto de uma parceria entre as universidades americanas Yale e Columbia e analisa os países em nove critérios macro: agricultura, saúde, qualidade do ar, água e saneamento básico, recursos hídricos, recursos florestais, clima e energia, recursos pesqueiros e biodiversidade. Os países que melhor se posicionam no ranking têm notas próximas a 100, indicador máximo de pontuação.

Os 10 países mais bem posicionados no ranking de 2016 foram: Finlândia (90.68 pontos), Islândia (90.51 pontos), Suécia (90.43 pontos), Dinamarca (89.21 pontos), Eslovênia (88.98 pontos), Espanha (88.91 pontos), Portugal (88.63 pontos), Estônia (88.59 pontos), Malta (88.48 pontos) e França (88.20 pontos).

Cada um dos nove indicadores tem pesos diferentes. Mas uma das curiosidades trazidas nesta última edição, em relação ao ranking divulgado em 2014, diz respeito à qualidade do ar: em 2013, as mortes em decorrência da qualidade da água foram maiores do que as mortes ocasionadas por problemas ligados à qualidade do ar. Situação que se inverteu dois anos depois.

De acordo com o relatório, o desenvolvimento industrial urbano, somado à maior exposição da população ao transporte motorizado, trouxe mais impactos para a saúde respiratória, configurando-se em um fenômeno global, que não está restrito a determinados países. E é justamente na categoria qualidade do ar, que o Brasil mais se destacou. No entanto, o documento aponta que um dos principais desafios mundiais hoje é equilibrar o desenvolvimento econômico com as metas globais de redução na emissão de gases, que contribuem para o efeito estufa.

Cuidado com as florestas: um longo trabalho para o Brasil

Se a categoria qualidade do ar fez com que o País subisse 31 posições no ranking, a categoria preservação de recursos florestais coloca o Brasil na 83º posição. Isso mostra que há ainda muito trabalho a ser feito nesta área, mobilizando poder público e iniciativa privada em ações voltadas à mitigação dos impactos ambientais e à preservação dos recursos florestais.

Na International Paper, as iniciativas voltadas à sustentabilidade incluem a preservação de um hectare de mata nativa para cada três hectares de florestas plantadas de eucalipto. Aliás, são as florestas plantadas que originam a madeira e o papel certificado pelo FSC e Cerflor, instituições independentes que avaliam a sustentabilidade do setor de papel e celulose.  Além disso, 95% da água utilizada na produção volta tratada ao meio ambiente. Este trabalho mostra a preocupação da empresa em reduzir ao máximo os impactos ambientais.

Fonte: http://epi.yale.edu/sites/default/files/2016EPI_Full_Report_opt.pdf

leguminosas

A importância da nutrição e hábitos alimentares saudáveis no Brasil

leguminosas

Em Brasília, no início de maio, o Centro de Excelência contra a Fome – uma parceria do Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas com o governo brasileiro – realizou uma oficina sobre nutrição.

Os pesquisadores convidados debaterem sobre os padrões alimentares e o aumento excessivo de alimentos ultraprocessados no Brasil. De acordo com a representante do Ministério da Saúde presente no evento, Michele Lessa, o tema é hoje o principal desafio de saúde pública no país, pois está relacionado ao aumento da obesidade e das doenças crônicas não-transmissíveis, como o diabetes e a hipertensão.

Na conferência, foi dito que os danos de uma alimentação não balanceada tem um impacto muito grande, principalmente, em comunidades de baixa renda, no entanto, regiões com alto índice de desenvolvimento também não estão imunes ao problema.

Doenças cardíacas, câncer e diabetes acredita-se que correspondam por mais da metade das mortes no país e hábitos alimentares não saudáveis são as principais causas para o crescimento dessas enfermidades na sociedade.

O intuito do debate não foi somente refletir sobre a qualidade da alimentação, mas também os resultados significativos que a nutrição brasileira está apresentando no combate à desnutrição e outros desafios atuais, como a obesidade e o sobrepeso.

Durante o evento, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) abordou as pesquisas no Brasil a respeito da biofortificação – técnica de evolução genética natural que eleva o teor de micronutrientes da abóbora, arroz, feijão, feijão-caupi, mandioca, milho, batata-doce e trigo, que pode melhorar a qualidade da dieta dos brasileiros

Na oficina, o diretor do Centro de Excelência contra a Fome, Daniel Balaban, destacou a relevância de compartilhar experiências e aprendizados com outros países, para assim buscar soluções a esses problemas que o país está vivendo.

Instituto pautado em temas atuais – Um dos programas do Instituto International Paper que aborda a temática dos hábitos alimentares, é o Natureza e Corpo. Com início em 2013 na cidade de Três Lagoas (MS), o programa visa a resgatar padrões culturais a fim de conscientizar e engajar jovens a respeito de práticas saudáveis e sustentáveis.

O programa realiza atividades com alunos do 6º ao 9º do ensino fundamental, que descobrem a importância de uma alimentação balanceada e desfrutam de uma horta comunitária instalada na escola. Desta forma, esses jovens tornam-se protagonistas na conservação e no cultivo das plantações.

A expectativa do projeto para 2017 é a ampliação das hortas instaladas nas instituições participantes para expansão da produção e distribuição a comunidade local e outras escolas da região.

O programa trabalha com propostas que visam a refletir sobre o meio ambiente e sobre sustentabilidade alimentar pelo mundo. Um trabalho que contribui para a educação de jovens e também, para a conservação ambiental do planeta.

Dados extraídos do artigo da ONU: https://nacoesunidas.org/oficina-em-brasilia-discute-aumento-de-habitos-alimentares-nao-saudaveis-no-brasil/

08-guardioes-das-aguas

Confira as Escolas vencedoras do Guardiões das Águas 2017

Projetos vencedores incluem construção de cisternas, plantio de mudas e passeatas informativas sobre o tema

08-guardioes-das-aguas

O prêmio “Guardiões das Águas” é uma iniciativa do Instituto International Paper, que propõe aos participantes criarem projetos pedagógicos relacionados ao uso racional dos recursos hídricos dentro e fora da escola.

Este ano, foi a vez da região de Luiz Antônio participar ativamente das ações, envolvendo educadores do Ensino Fundamental I e II, sendo que cada escola vencedora receberá até R$ 7 mil reais para tirar suas propostas do papel e já no próximo dia 14 de junho os vencedores serão recebidos na sede da fábrica da International Paper em Luiz Antônio para um café de confraternização e início da implantação dos projetos vencedores.

Confira abaixo quais são as Escolas Guardiãs das Águas de 2017 vencedoras de cada município:

ALTINÓPOLIS/SP

EMEF Professora Carmem Miguel Vicari

Responsável pelo projeto: Gilmara Alves Arantes do Nascimento (Coordenadora Pedagógica)

Principais iniciativas: Construção de cisterna para captação da água da chuva e conscientização dos participantes por meio de atividades pedagógicas realizadas na escola, como apresentações musicais, palestras, maquetes além da confecção de folders e cartazes pelos alunos.

GUATAPARÁ/SP

EMEF Andrea Sertori Sandrin

Responsável pelo projeto: Rita de Cássia Azevedo (Professora do Ensino Fundamental I)

Principais iniciativas: Troca de válvulas hídricas e torneiras para redução do consumo de água na escola, construção de um sistema de reaproveitamento de água do bebedouro para irrigação da horta escolas, divulgação de informações para comunidade por meio de passeata e a revitalização de áreas verdes na Avenida Jacarandás e plantio de mudas nativas no bairro Nossa Senhora Aparecida.

LUIZ ANTÔNIO/SP

EMEF Professora Helena Maria Luiz de Mello

Responsável pelo projeto: Margarete Carvalhaes de Jesus Janini (Professora do Ensino Fundamental II)

Principais iniciativas: Construção de cisterna para captação da água da chuva que será utilizada para regar uma horta comunitária já existente na escola. Além dessa ação a escola também propõe trabalhar o tema com os alunos ao longo do ano e fazer o reparo de alguns espaços públicos da escola.

SÃO SIMÃO/SP

EMEF Marcílio Bondesan

Responsável pelo projeto: Ana Paula Baldini Vieira de Souza (Assessora Pedagógica)

Principais iniciativas: Construção de cisterna para captação de água da chuva para ser implantada na escola e a demonstração para a comunidade de como construir uma mini cisterna doméstica. Também será feito a apresentação pelos alunos do texto “Carta do Futuro” e cada sala de aula desenvolverá um projeto relacionado ao tema para ser apresentado no final do ano.

shutterstock_410383780

Dia Mundial do Meio Ambiente é comemorado em 5 de junho

shutterstock_410383780

Em 1972, a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano foi realizada em 5 de junho, em Estocolmo, Suécia. Na ocasião, a data foi instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o “Dia Mundial do Meio Ambiente”, com o objetivo de promover a preservação ambiental em todo o mundo.

“A proteção e o melhoramento do meio ambiente humano é uma questão fundamental que afeta o bem-estar dos povos e o desenvolvimento econômico do mundo inteiro, um desejo urgente dos povos de todo o mundo e um dever de todos os governos.” Declaração de Estocolmo sobre o ambiente humano 1972

 Na mesma conferência, foi criado o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), que alerta povos e nações para o uso racional dos recursos naturais, dentro de uma proposta de desenvolvimento sustentável. A entidade tem sede em Nairóbi, no Quênia. No Brasil, a instituição tem um escritório em Brasília (DF) desde 2004 com o objetivo de atender as demandas locais, além de disseminar os temas relevantes da agenda global e regional.

Conheça as iniciativas do Instituto International Paper que estão relacionadas com o meio ambiente:

- Programa de Educação Ambiental (PEA): o objetivo é promover um diálogo aberto, com alunos e professores do Ensino Fundamental das comunidades onde a International Paper atua. Os assuntos abordados são: os mitos e verdades relacionados à produção de papel e celulose, à fauna e flora local, florestas plantadas, papel reciclado, entre outras questões.

- Formare IP: lançado no Instituto em 2010, o projeto oferece a jovens, preferencialmente em vulnerabilidade social, um curso de educação profissional, reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC) e emitido pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Por nove meses, os alunos participam de aulas práticas e teóricas realizadas nas unidades da International Paper em Mogi Guaçu (SP), Luiz Antônio (SP) e Três Lagoas (MS). As disciplinas são ministradas por Educadores Voluntários (EVs) e os jovens contam com o apoio de 50 tutores da liderança da IP.

 - Guardiões das Águas: a iniciativa começou em 2008 na região de Luiz Antônio (SP) e, desde então, tem a missão de informar e conscientizar os participantes sobre o uso racional da água, além de incentivar práticas de conservação.

 - Apicultura Solidária: é realizado desde 2011 nas regiões dos municípios de Mogi Guaçu e Luiz Antônio, ambos em São Paulo. O objetivo é estimular o uso múltiplo das florestas de eucalipto plantadas pela International Paper, permitindo que apicultores locais instalem suas colmeias e caixas de captura necessárias para a produção do mel e, assim, tenham uma geração de renda com a venda do que é produzido.

- Natureza e Corpo: tem o objetivo de resgatar e despertar, em jovens alunos do município de Três Lagoas (MS), alguns costumes culturais da região, como o plantio de hortas comunitárias. Além de melhorar o acesso dos participantes e seus familiares a uma alimentação saudável e balanceada, os jovens alunos se tornam multiplicadores de conceitos de conservação ambiental e do desenvolvimento sustentável da própria comunidade local.

- Educação Socioambiental (ESA): a iniciativa, que este ano completa 42 anos, de existência na região de Mogi Guaçu,  propõeum concurso de redação para alunos do 5º e 9º ano do Ensino Fundamental e 3º ano do Ensino Médio, e um concurso literário entre professores dos municípios de Estiva Gerbi (SP), Mogi Mirim (SP) e Mogi Guaçu (SP).

- Projeto Parceiro Guardiões do Verde: realizada, desde 2008, no viveiro Semeando o Futuro, localizado no município de Guatapará (SP), a iniciativa capacita jovens de 14 a 17 anos em situação de vulnerabilidade social a exercerem a atividade de viveirista.

11-pea

Participe do Programa de Educação Ambiental (PEA)

Estão abertas as inscrições para o PEA em Luiz Antônio e Mogi Guaçu para o 2º semestre de 2017.

11-pea

O objetivo do Programa de Educação Ambiental é trabalhar alguns mitos sobre a produção de Papel e Celulose. A capacidade máxima é de 60 alunos por visitação e eles conhecem mais sobre a IP e participam de brincadeiras descontraídas com o intuito de ensiná-los a respeito da fauna e da flora.

No ano passado, as atividades abordaram o processo produtivo e as ações de preservação ambiental, envolvendo um total de 3.161 pessoas.

Nesse conjunto, o PEA visa a conscientizar a comunidade escolar sobre o plantio e a fabricação da celulose e do papel, trazendo uma reflexão sobre a sustentabilidade do processo produtivo. O papel produzido pela IP segue as mais rigorosas normas de certificação ambiental, que exigem o manejo sustentável das florestas plantadas a fim de preservar os hectares de mata ativa.

O programa que iniciou em 1993, busca complementar a educação ambiental dada nas escolas, sendo seu público-alvo professores e alunos dos ensinos Fundamental I e II.

As visitas acontecem semanalmente nas unidades nas seguintes unidades da International Paper:

Unidade Mogi Guaçu

Local: Horto Mogi (Rodovia SP 340, Km 171 – Mogi Guaçu/SP)

Dias da semana: todas as segundas e terças-feiras

Horários: das 8h às 12h ou das 13h às 17h.

Para agendar sua visita entre em contato com Tomás Fernandes ou Maitê Silva.
Telefones:  (19) 3861-8955 e (19) 3861-8311
E-mail: tomas.fernandes@ipaper.com e maite.silva@ipaper.com

 

Unidade Luiz Antônio

Local: Centro de Educação Ambiental (Rodovia SP 255, Km 41.2 – Estrada Ribeirão Preto-Araraquara)

Dias da semana: todas as quartas-feiras

Horários: das 8h às 11h ou das 13h às 16h.

Para agendar sua visita entre em contato com Júlia Valadares ou Sabrina Tenello.
Telefones: (16) 3986-9076 e (16) 3986-9076
E-mail: julia.valadares@ipaper.com e sabrina.tenello@ipaper.com

Relatório Instituto IP 2016-1_crop

Instituto IP divulga relatório de atividades

Programas coordenados pelo IIP beneficiaram mais de 28.500 pessoas em 2016

Relatório Instituto IP 2016-1

O Instituto International Paper divulgou, no final de abril, o relatório de atividades 2016. Ao todo, 28.574 pessoas foram beneficiadas pelos projetos realizados pelo IIP e seus parceiros em 14 cidades. Para se ter uma ideia, o número de impactados pelas ações é mais do que o dobro da população estimada do município de Luiz Antonio (SP), que conta hoje com cerca de 13.703 habitantes, de acordo com o IBGE.

O IIP em números – Ao longo de um ano, foram realizadas 24 ações nos 10 projetos coordenados pelo Instituto. Juntas, as iniciativas totalizaram R$ 1,2 milhão em investimentos na área de Responsabilidade Social Corporativa, mostrando o compromisso do IIP com o desenvolvimento socioeducacional de crianças e adolescentes. Confira alguns destes projetos:

PEA – O Programa de Educação Ambiental (PEA) tem como objetivo dialogar com professores e alunos do Ensino Fundamental para desmistificar questões relacionadas à sustentabilidade na produção de papel. Durante as visitas das escolas nas unidades, são abordados temas como a importância das florestas plantadas na preservação da fauna e da flora nativas, além das iniciativas em reciclagem e tratamento de efluentes feitas pela IP. Em 2016, o PEA beneficiou 3.161 pessoas, entre alunos e professores.

Formare – Desde 2010, o Projeto Escola Formare IP já preparou mais de 250 jovens para darem seus primeiros passos no mercado de trabalho. Todos os anos, 50 adolescentes, sendo 20 da cidade de Mogi Guaçu (SP), 20 de Luiz Antônio (SP) e região e 10 de Três Lagoas (MS), são selecionados para uma formação de 9 meses dentro das unidades da IP.

Além de acompanharem as aulas, ministradas por profissionais da IP, que atuam como Educadores Voluntários (EVs), estes jovens recebem orientações sobre estudos e carreira. Também aprendem sobre o setor de papel e celulose. No ano passado, 248 pessoas participaram das atividades do Formare.

Guardiões das Águas – Com o objetivo de despertar a reflexão sobre o uso consciente dos recursos hídricos, o projeto Guardiões das Águas existe desde 2008 e mobiliza alunos e professores do ensino básico, além de estender suas atividades para a comunidade. Em 2016, as ações aconteceram no município de Rio Verde (GO) e dividiram-se em três ondas: a primeira delas, “Linha D’Água”, incluiu uma palestra do navegador Amyr Klink a alunos da rede municipal de ensino e uma exposição fotográfica das expedições de Klink. Esta fase, impactou 4.047 pessoas.

A segunda onda, “Espaço Mundi” levou o espetáculo “Dr. Gota Contra o Desperdício” a comunidade, beneficiando 4.966 pessoas. A peça, montada em um cenário inflável em forma de meio globo terrestre aborda situações relacionadas ao desperdício de água.

Para encerrar as atividades, na terceira onda, o IIP premiou os melhores projetos para redução do consumo de água propostos pelas escolas. No total, as três ondas de implantação do Guardiões das Águas impactaram 10.225 membros da comunidade escolar de Rio Verde.

Apicultura Solidária – Em 2016, a produção de mel nas florestas plantadas de Mogi Guaçu e Luiz Antônio chegou a 15 toneladas, quase o dobro do que foi produzido em 2015 (8,4 toneladas). No ano passado, o IIP contratou uma consultoria para orientar os apicultores clandestinos a atuarem dentro das normas de segurança, convidando-os para fazer parte do projeto.

Natureza e Corpo – O projeto desenvolvido no município de Três Lagoas levou a horta comunitária a 300 alunos com idade de 12 a 16 anos de idade. Eles tiveram a oportunidade de visitar um assentamento rural, antes de começarem o plantio de verduras e legumes nos canteiros escolares.

ESA – Os Concursos de Redação e Literário do Projeto Educação Sociombiental, ESA, envolveram 449 pessoas entre alunos e professores dos últimos anos do Ensino Fundamental (5º e 9º) e do Ensino Médio. Com base no tema da ONU “2016, ano internacional das leguminosas”, os participantes tiveram que dissertar sobre alimentação saudável. Antes do concurso, porém, os professores participaram de workshops para levarem a temática para o debate em sala de aula.

Cidade do Livro – O programa de incentivo à leitura do IIP beneficiou 12.974 pessoas em 2016 e encerrou um ciclo de sete anos, após a passagem pelos municípios de Mogi Guaçu (SP), Três Lagoas (MS), Ribeirão Preto (SP), Suzano (SP), Paulínia (SP), Franco da Rocha (SP), Itapeva (SP), Rio Verde (GO) e Manaus (AM).

Leia na íntegra o relatório de Atividades do IIP.

18-04-reino-sem-dengue_crop

Guardiões das Águas aborda prevenção à dengue com contação de histórias

18-04-reino-sem-dengue

Entre os dias 22 de maio e 2 de junho, o Instituto International Paper promove a segunda fase do projeto “Guardiões das Águas”, com o espetáculo interativo “Um Reino Sem Dengue”. A iniciativa une teatro de bonecos, música e informação para a comunidade escolar dos municípios de Guatapará, Altinópolis, São Simão e Luiz Antônio (SP).

A segunda etapa do projeto traz ações para a sensibilização de alunos e professores da rede pública de ensino quanto ao uso consciente dos recursos hídricos. Este ano, porém, o “Guardiões das Águas” dá um passo além, ao mostrar que a economia e a armazenagem de água exigem responsabilidade e cuidados especiais. Assim, ocorre a prevenção contra o Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya que utiliza a água parada para se proliferar.

O espetáculo “Um Reino sem Dengue” é baseado no livro homônimo de Alda de Miranda, com ilustrações de Ricardo Girotto. A narrativa mostra a invasão de um povoado sem doenças por um grande vilão: o mosquito Aedes aegypti.

O IIP tem a expectativa de que a peça alcance diretamente cerca de 3.000 crianças, com idade entre 3 e 10 anos.

Confira o horário das apresentações em cada município:

Guatapará

Dia 22/5 às 11h e às 14h30 na Escola Vera Lucia –  Rua dos Ypês, nº495 – Centro
Dia 23/5 às 10h e 14h30 na Escola Andréia Sertori – Rua José Linares Neto, nº 139 – Centro
Dia 24/5 às 10h na Escola Guiomar Milluzzi – Rua Mamoru Hirakawa, nº 591 – Bairro Mombuca

Altinópolis

Local: Centro Social Urbano de Altinópolis (CSU) – Av. Marginal, s/n.

Dia 24/5 às 14h30: para alunos da Escola Ana Lucia.
Dia 25/5 às 09h30: para alunos da Escola Alayde e Escola Carmem Miguel.
Dia 25/5 às 14h30: para alunos da Escola Ermelinda.
Dia 26/5 às 09h30 e às 14h30: para alunos da Escola Trossel.

São Simão

Dia 29/5 às 11h e às 14h30: Escola Historiador Fausto Pires de Oliveira – Av. Ver. Vitorio Fernando Lizarelli, nº 1039 – Jd. João Furtado.
Dia 30/5 às 11h e às 14h30: Escola Marcílio Bondesan – Rua José Silveira, nº 376 – Bairro Bento Quirino.
Dia 31/5 às 10h: Escola Profª Yolanda Jorge – Rua México nº 868 – Jd. das Américas.

Luiz Antônio

Local: Anfiteatro Municipal – Rua Alagoas, nº52 – Jardim Santa Luzia

Dia 31/5 às 14h30: para alunos da Escola Professora Helena Maria Luiz de Mello.
Dia 1/6 às 09h e às 14h30: para alunos da Escola Professora Zilda Aparecida Marinho Seixas, Escola Aracy Carneiro de Mesquita, CEMEI Egidio Rosatti e CEMEI Josimeire Borges Alves.
Dia 2/6 às 09h: para alunos da Escola Roberto Brayn, CEMEI Irineu Silva e CEMEI Aurea da Silva Pedroza.

^D674C5412891430DE7D995934BFFF000C5A4B646F49EA8FE60^pimgpsh_fullsize_distr

IIP celebra “Dia do Apicultor”

Apicultura_ (15)

O Instituto International Paper preparou uma ação especial para o Dia do Apicultor, celebrado em 22 de maio: a distribuição do mel produzido nas florestas plantadas da IP, pelo projeto “Apicultura Solidária”, aos profissionais de todas as unidades da empresa no País.

Para homenagear o trabalho dos apicultores, os alunos do Projeto Formare organizaram pacotes com sachês de mel, que serão entregues, de 22 a 26 de maio, com um folder informativo, que traz curiosidades sobre a data. Em Mogi Guaçu (SP), Três Lagoas (MS) e Luiz Antônio (SP), a entrega das lembranças será de responsabilidade dos próprios alunos. Já nas unidades de embalagem, a entrega será feita por profissionais internos denominados “pontos focais” do Instituto IP.

O mel foi produzido na safra passada pela pela Associação de Apicultores de Leme e Região (AAPILEME), que é parceira do Instituto desde 2014.
O projeto “Apicultura Solidária” visa ao uso das florestas plantadas de eucalipto da IP, para o cultivo e o comércio de mel. Ao todo, já foram produzidas mais de 70 toneladas do alimento. O objetivo também é expandir o desenvolvimento da produção e contribuir para a geração de renda aos apicultores locais.

Celebrar o “Dia do Apicultor” é celebrar o cuidado destes profissionais com o habitat das abelhas e, também, um alimento rico e benéfico para o corpo. É o reconhecimento desta importante atividade no âmbito da agroecologia nacional.

Histórico da data - Celebrado no dia 22 de maio, o Dia do Apicultor é uma homenagem a Santa Rita de Cássia, considerada a padroeira de todos os apicultores e também, dos que trabalham com a produção de mel e seus derivados. A história da apicultura no Brasil iniciou por volta de 1839, quando o padre Antônio Carneiro importou de Portugal, 100 colônias de abelhas europeias para o País, instalando-as na praia Formosa, no Rio de Janeiro.

Ao constatar problemas de adaptação devido às condições climáticas tropicais, o professor Warwick Estevan Kerr viajou à África com o apoio do Ministério da Agricultura e trouxe 49 rainhas, que foram instaladas no apiário experimental de Rio Claro, no Estado de São Paulo.

Durante o período, abelhas de 26 colmeias foram liberadas, ocorrendo o cruzamento das africanas com as europeias já existentes. Na época, era pouco explorado o estudo de novas técnicas de manejo. No entanto, com o tempo, os apicultores remanescentes passaram a expandir os métodos de cultivo.
Após a realização de simpósios e congressos que reuniram produtores e pesquisadores, a apicultura tornou-se um setor muito importante na produção agropecuária.

Em 1967, foi fundada a Confederação Brasileira de Apicultura, que resultou no primeiro congresso brasileiro do setor, três anos depois.
Em 2009, o Brasil ocupou o 4º lugar no ranking de maiores exportadores de mel do mundo. Em 2015, o país esteve na 8º posição, segundo dados da Associação Brasileira de Exportadores de Mel (ABEMEL).

 

 

Leonardo (002)

Papo-Formare reforça importância da carreira

Periodicamente, o InstitutLeonardo (002)o International Paper promove o encontro dos alunos do Formare com profissionais de diferentes áreas na IP, para uma conversa descontraída sobre estudos e oportunidades de carreira. A ação é chamada de “Papo-Formare”. Em abril, a turma de Luiz Antônio teve a oportunidade

de conhecer um pouco sobre a trajetória profissional do Gerente de Recuperação e Utilidades, Leonardo Vieira.

Há seis anos na IP, Leonardo começou como estagiário na área de acabamento. Em seguida, trabalhou na área de manutenção da divisão de celulose, antes de entrar para a área atual e alcançar o cargo de gerente. Neste período, ele conta que participou diversas vezes do Formare.

Como Educador Voluntário (EV), ministrou aulas nas disciplinas de fundamentação numérica, matemática de apoio e produção de papel. Assim, teve a oportunidade de unir a sua formação em engenharia à rotina da indústria. “Sempre gostei muito do Formare, pois a troca de informações que temos com os alunos e toda a interação ao longo do curso, nos ensina muito”, diz ele, referindo-se ao aprendizado que teve nas edições em que atuou como EV.

Durante o encontro com os alunos, Vieira falou sobre seu início na IP e das características que considerou essenciais para o desenvolvimento de sua carreira na empresa: vontade de crescer e de aprender sempre, dedicação, busca por informações não só sobre a área em que atua, como também de outras que despertam interesse. “O desejo de conhecer outras áreas e o conhecimentos de assuntos destas áreas diferentes me ajudaram a conseguir meu atual cargo na empresa. É preciso estar aberto ao novo e pesquisar sempre”, diz.

Sede de saber – Leonardo destacou uma característica que considera um diferencial na turma de 2017 em Luiz Antonio: o desejo dos alunos de ingressar no Ensino Superior. “Em anos anteriores, ouvi de muitos jovens que, após o Formare, o principal objetivo seria arrumar um emprego. Nesta turma, praticamente todos os alunos manifestaram o desejo de continuar estudando e entrar para uma faculdade, o que me deixou muito feliz”, revela.

Despertar de habilidades – o Formare traz aos alunos inúmeras possibilidades para o desenvolvimento de habilidades e competências, com foco no futuro profissional. As atividades são pensadas para que os alunos identifiquem seus pontos fortes e trabalhem as características que precisam ser melhoradas. Para isso, a interação com o outro e a colaboração são essenciais.

Nesse sentido, Leonardo considera valiosa a habilidade de autoconhecer-se para identificar o que pode ser desenvolvido. Esta foi uma das mensagens que ele fez questão de deixar para os alunos. “Nós precisamos estar atentos ao que temos que melhorar, porque isso nos ajuda a crescer”, conta ele, que cita como exemplo o desafio de superar a própria timidez, trabalhando a oratória para auxiliá-lo na rotina profissional.

‘Mire-se no Exemplo’: A troca de experiências transformando a vida de alunos e tutores

TRÊS LAGOS_MAURO

Nos dias 6 de abril em Três Lagoas, 10 em Mogi Guaçu e 26 em Luiz Antonio, iniciaram-se as atividades do “Mire-se no Exemplo”. O programa do Instituto IP vinculado ao projeto Formare, visa à integração de alunos e líderes da empresa. Os profissionais são responsáveis em tutorar um aluno, que participa da iniciativa, durante dez meses por meio de encontros mensais.

Os voluntários do projeto são líderes da IP. Eles dão dicas, conselhos e contam sobre sua trajetória profissional aos tutorados, com o intuito de orientá-los na decisão da sua futura profissão. O projeto estimula os jovens alunos a buscarem respostas para seu futuro profissional e ajudá-los também a superar inseguranças da vida pessoal.

Mauro Borges é Educador Voluntário do Formare de Três Lagoas há sete anos. Em 2015, recebeu uma homenagem dos alunos, com a qual ficou bastante emocionado. “Para mim, foi muito gratificante, embora a minha alegria seja ainda mais especial quando encontro um ex-formare formado e que já se encontra no mercado de trabalho”, diz.

O Formare foi lançado na International Paper em 2010 e o “Mire-se no Exemplo” é um dos programas paralelos mais importantes do projeto. Nos encontros, o tutorado inspira-se em bons exemplos, que ajudam em seu desenvolvimento. Os líderes desempenham um papel social extremamente relevante e também aprendem com os alunos.

Mãos à obra – Durante as dinâmicas das três localidades, a equipe de Responsabilidade Social da International Paper realiza uma apresentação sobre o programa e a importância desses acompanhamentos individualizados na vida dos tutorados. Os alunos também fazem um breve relato de quem são e suas particularidades para os tutores.

Na unidade de Mogi Guaçu, os alunos presenciaram uma situação diferente dos anos anteriores. Neste ano, descobriram que seriam responsáveis pela escolha dos tutores, da qual ficaram bastante surpresos e animados.

Em Três Lagoas, dois Educadores Voluntários foram convidados para participar do projeto e, junto com outros líderes, realizaram a escolha dos tutorados mediante o perfil de cada aluno. Já em Luiz Antônio, a novidade é que de 19 líderes convidados, 42% estão participando do programa pela primeira vez. Um trabalho muito significativo para todos os profissionais da IP.

TRÊS LAGOAS_VIVIANELíderes motivados a engajar jovens – No seu terceiro ano como voluntária, a gerente de RH de Três Lagoas, Viviane Gonçalves, conta que é sempre uma experiência desafiadora e gratificante. “Lidamos com realidades que nos fazem retomar o valor da simplicidade e isso tudo são eles que transparecem para nós”, comenta.

Para a líder, o programa é puro desenvolvimento e todos os tutores são surpreendidos pelos alunos, que estão sempre buscando por mudanças e conquistas. “Como gestora de pessoas, tenho uma responsabilidade em ajudar todos a serem melhores a cada dia e os alunos do Formare são a prova viva de que essa evolução é possível”.

Também voluntário, há seis anos, Péricles Cardoso conta que é um privilégio participar do programa. “Sou um agente de transformação na vida desses alunos. É a sensação de dever cumprido em fazer diferença na vida dos tutorados. Aprendi muito com eles e pude repassar isso na educação da minha filha”, afirma o tutor. O líder ainda acrescenta sobre o ótimo suporte das equipes de Responsabilidade Social e do Instituto. “Junto com os tutores e voluntários, todos trabalham para que os tutorados sejam os próximos agentes de mudança e protagonistas de seus destinos”, completa.

O projeto Escola Fomare já capacitou cerca de 230 alunos nas três unidades. Os encontros dos tutores e tutorados é um reforço no aprendizado e contribuiu no potencial desses jovens, que descobrem infinitas possibilidades para seus futuros.

shutterstock_130286066

A busca por respostas para a crescente escassez de água

Cachoeira do Fundao_ Serra Canastra_MGEm artigo publicado no site das Nações Unidas do Brasil, José Graziano da Silva, diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO), destaca a crescente escassez da água e ações que devem ser levadas em conta com base em dimensões globais. “Não se pode evitar uma seca, mas pode-se impedir que a seca se transforme em fome”, ressalta.

Segundo Graziano, o aumento da água não resolverá a crise global. Ele menciona, que a partir de agora, obter resultados para o crescimento, devem ser realizados em três dimensões: econômico, social e ambiental. Dessa forma, seria possível enfrentar fatores que encadeiam problemas estruturais pelo mundo todo, entre os quais a falta de saneamento básico e de recursos naturais.

A crise hídrica seria apenas um fator de risco entre tantos outros países como Sudão do Sul, onde 40% da população vive em situação de desnutrição e calamidade pública. Embora a nação seja rica em petróleo, há 5 milhões de pessoas vivendo em estado de insegurança alimentar. Em países como esse, quando desastres climáticos acontecem, podem ocorrer guerras regionais devido à extrema pobreza.

A crise hídrica e projetos em ação – A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que, atualmente, cerca de 663 milhões de pessoas no mundo vivem sem acesso à água potável, um recurso de extrema importância para agricultores, responsáveis pela grande parcela das 800 milhões de pessoas em rotina de fome. A agricultura é um elemento fundamental, mas consome 70% da água doce no mundo. Por isso, é preciso articular ações que diminuam essa utilização, afirma o diretor-geral em seu artigo.

Promovendo ações de conscientização – No Brasil, por exemplo, há milhares de famílias pobres que vivem em áreas secas e usufruem de cisternas para armazenar água de chuva. Desde 2003, o Programa Cisternas do Governo Federal já entregou cerca de 1,2 milhão de cisternas, com capacidade total de armazenamento de 20 bilhões de litros. O custo de instalação é de R$ 3 mil e, para cada família, garante o abastecimento de até cinco pessoas, por oito meses. Programas educativos e voltados para a reutilização e preservação de água são medidas fundamentais, como o uso responsável da água na agricultura, citado por Graziano.

A economia e a reflexão sobre a utilização consciente de recursos hídricos são pautas trabalhadas no projeto Guardiões das Águas do Instituto International Paper (IIP). Além de abordarem questões quanto ao uso racional da água, a instituição desenvolve outros projetos como o Natureza e Corpo, que visam conscientizar sobre a qualidade de vida e hábitos saudáveis por meio da implantação de hortas comunitárias. Ambos os projetos do IIP são políticas públicas, que trabalham com temas da atualidade e de integração, para conscientizar e repercutir temas em torno do consumo consciente de recursos hídricos e naturais do planeta.

Fonte: ONUBR

_DSC3312

Natureza e Corpo entra em nova fase e incrementa produção

Projeto iniciou o plantio de verduras e legumes em escolas de Três Lagoas em 2016 e pretende ampliar a produtividade este ano.

Alunos da Escola Municipal Joaquim Marques de Souza

Despertar para consciência ambiental, dentro do conceito de sustentabilidade alimentar e alimentação saudável são alguns dos objetivos do Projeto Natureza e Corpo, coordenado pelo Instituto International Paper no município de Três Lagoas (MS).

Desde o ano passado, as escolas Joaquim Marques de Souza e Parque São Carlos trabalham com o cultivo de verduras e legumes, em hortas coletivas instaladas nas dependências das instituições de ensino. Em 2017, o projeto dá mais um passo para melhorar a produção das hortas. Futuramente, a intenção é pensar na distribuição dos alimentos cultivados para a comunidade local ou, até mesmo, para outras instituições de ensino.

Para que o projeto ganhe essa dimensão, será necessário maior envolvimento de alunos e professores na gestão e na manutenção dos canteiros, que também são utilizados em conteúdos transdisciplinares nas aulas do currículo regular.  Isso significa que as hortas vão além das aulas de biologia e entram para os problemas de matemática em cálculos de área, pesos e medidas, por exemplo.

Da cultura popular à horta coletiva – O Natureza e Corpo existe desde 2013, com o intuito de difundir os costumes da região sul-matogrossense. Por meio da construção de hortas com ervas aromáticas, o Projeto resgatava hábitos das gerações passadas, com uso de chás e infusões de plantas com propriedades “terapêuticas”.

Em 2016, o projeto avançou e iniciou o cultivo de verduras e legumes (foto). Para conhecer o processo produtivo, os alunos visitaram um assentamento. No local, puderam conhecer, na prática, como funciona a base da agricultura familiar de subsistência.

Este ano, a ideia é dar continuidade ao cultivo de alimentos, ampliando as possibilidades dentro das hortas em cada escola, além de aproveitar a colheita, que deve render bons frutos.

shutterstock_338383619

Abril: mês da literatura infantil

shutterstock_338383619

O mês de abril celebra a literatura infantil ao homenagear os autores Hans Christian Andersen e Monteiro Lobato. Em diferentes épocas e localidades, estes escritores deixaram uma herança cultural que resiste ao tempo e atravessa gerações, abrindo as portas do mundo dos livros para milhares de crianças.

Além de exaltar a importância dos autores, as duas datas também promovem iniciativas para o estimulo à leitura por crianças e adolescentes.

Dia Internacional do Livro Infantil: 2 de abril

shutterstock_313165946

Criado em 1967 pelo International Board on Books for Young People (IBBY), o “Dia Internacional do Livro Infantil” homenageia o nascimento do escritor dinamarquês Hans Christian Andersen. Ele se tornou famoso pelas adaptações de fábulas e histórias conhecidas em todo o mundo, como “O Patinho Feio”, “A Pequena Sereia”, “A Roupa Nova do Imperador” e “A Rainha da Neve”, que inspirou o filme “Frozen”, da Disney.

A cada ano, é escolhido um país membro do IBBY para representar a data, um autor local, que escreve uma mensagem de incentivo à leitura pelas crianças, e um ilustrador, responsável pela criação de um cartaz para divulgar a celebração e promover a leitura infantil em todo o mundo.

Em 2017, o “Dia Internacional do Livro Infantil” completou seu 50º aniversário, tendo a Rússia como representante e o escritor Sergey Makhotin como porta-voz. Em sua mensagem, ele rememora a infância, a alegria de segurar um livro com uma das mãos e de sentir o cheirinho de livro novo ao folhear as páginas.

Dia Nacional do Livro Infantil: 18 de abril

Cultural_1885.qxd

Criado em 2002, a partir da lei nº 10.402, o “Dia Nacional do Livro Infantil” homenageia o nascimento de Monteiro Lobato, pai de Narizinho, de Pedrinho e de toda a turma do Sítio do Pica-pau Amarelo.  Apesar de também ter escrito obras para adultos, ele costuma ser mais lembrado pela literatura infanto-juvenil, em que resgatou elementos da cultura caipira e personagens do folclore brasileiro.

Lobato também é considerado um dos pioneiros dos paradidáticos, livros que complementam a aprendizagem, unindo de maneira lúdica, conceitos de diferentes áreas do conhecimento às narrativas literárias.  Títulos como “Aritmética da Emília”, “Emília no país da Gramática” e “Serões de Dona Benta” são alguns exemplos de seu legado para a educação infantil.

Além de escrever, Lobato traduziu e adaptou diversas obras para o português, como “Alice no País das Maravilhas”, de Lewis Carroll e uma compilação de contos de Hans Christian Andersen, entre outros títulos. Sua famosa frase “Um país se faz com homens e livros”, mostra sua preocupação com a educação e a cultura nacional.

O IIP e o incentivo à leitura 

DSC_6265

Contribuir para a educação socioambiental de crianças e jovens é uma das missões do Instituto International Paper. O Cidade do Livro Itinerante é um dos projetos porta-vozes dessa causa, unindo teatro e contação de histórias, busca estimular o hábito da leitura desde cedo e já atendeu mais de 50 mil crianças em nove municípios brasileiros nos últimos sete anos.

shutterstock_387561841

Jardinagem pelo correio

Projeto estimula a troca de sementes por carta

shutterstock_387561841

Com o surgimento do e-mail, a troca de cartas tornou-se um hábito raro entre as pessoas. Mas, a empresária de Florianópolis, Anaísa Catucci teve uma ideia original, que superou a marca de 2 mil pessoas interessadas em 24 horas: a troca de sementes pelo correio. Assim começou o projeto “Sementes pelo Mundo”.

A ideia começou quando Anaísa e o namorado resolveram fazer uma horta doméstica. As sementes que sobraram foram anunciadas nas redes sociais e atraíram milhares de desconhecidos, muito mais até do que a quantidade que eles tinham em mãos. Ao unir o gosto pela correspondência e pela jardinagem, a empresária formou uma rede para a troca de sementes, que são enviadas por carta, com instruções para o plantio.

O projeto atualmente busca parceiros para continuar a crescer e acumula histórias. Os interessados têm diferentes perfis, que vão de pais que querem mostrar aos filhos como uma semente germina a pessoas que perderam parentes e encontraram na jardinagem uma espécie de terapia.

Plantas na educação – No Instituto International Paper, o projeto Natureza e Corpo existe desde 2013 na unidade de Três Lagoas Lagoas (MS) para difundir a cultura regional por meio das ervas e hortas comunitárias implantadas nas escolas municipais.

Até 2015, o Natureza e Corpo fazia um resgate da tradição, com as plantas utilizadas pelos nossos avós em chás e na culinária, mostrando os benefícios das plantas para a saúde. No ano passado, o Natureza e Corpo ingressou em uma nova fase e levou a horta para a escola, em uma proposta multidisciplinar, em que os professores das diversas áreas do conhecimento se apropriavam dos canteiros para a explicação de conteúdos da grade curricular tradicional, conectando teoria e prática.

shutterstock_556842991

ONU propõe redução de plásticos dos oceanos

shutterstock_556842991

A Organização das Nações Unidas (ONU) lançou, no final de fevereiro, uma campanha global pela diminuição de plásticos dos oceanos até 2020. Denominada “Clean Seas”, a iniciativa é mobilizar governos, empresas e membros da sociedade civil em prol desta meta.

Lançada na Cúpula Mundial dos Oceanos, a campanha propõe diferentes focos de atuação. Às autoridades governamentais, cabe a implantação de políticas públicas para a redução do uso de plástico. Para as empresas, a diminuição de embalagens neste material, estimulando também a mudança de comportamento no consumidor final.

Em números – De acordo com dados da ONU, de todo o lixo presente nos oceanos, 80% é composto por plásticos. Isso significa um prejuízo estimado em US$ 8 bilhões à natureza. Se a situação não mudar, a perspectiva é que, no ano de 2050, haja mais plásticos do que peixes nos oceanos.

Diante de um cenário que pede por mudanças urgentes, alguns países, como a Indonésia, que sediou a Cúpula dos Oceanos em fevereiro, e também o Uruguai, já se comprometeram com a meta. Além destes, mais sete países também assumiram o compromisso.

Na mira – De todos os tipos de plásticos que chegam aos oceanos, dois tipos têm, hoje, o maior impacto sobre o ecossistema marinho: os microplásticos contidos em cosméticos e as embalagens descartáveis. A meta é eliminá-los dos oceanos até 2020.

Novo olhar – Ciente dos danos que o descarte de plástico na natureza pode causar, uma startup mexicana, a EcoDomum, enxergou uma oportunidade: transformar o que iria para o lixo em casas populares. Além de fabricar os painéis utilizados na construção, a empresa participa das etapas anteriores, como a coleta e a separação do material.

Só em 2016, foram construídas mais de 500 casas. O custo médio de um projeto de 40 m² é US$ 280. A iniciativa mostra que há caminhos viáveis para que o plástico ganhe novos destinos.

Além de convocar os governos e as empresas, a campanha da ONU traz à tona uma importante questão: como a mudança de hábito influencia positivamente na redução dos impactos ambientais? Tem-se, então, o importante papel das escolas e das famílias na educação das futuras gerações, disseminando práticas mais sustentáveis para redução dos resíduos plásticos na natureza.

Na International Paper, as atividades coordenadas pelo Instituto IP têm o objetivo de difundir boas práticas em sustentabilidade e meio ambiente nas comunidades onde a empresa opera. Para isso, o Instituto atua em parceria com as escolas locais, levando os projetos PEA (Programa de Educação Ambiental), ESA (Educação Socioambiental) e Guardiões das Águas.

Cada um deles traz a reflexão sobre a importância de se adotar hábitos mais sustentáveis para reduzir, reciclar e reutilizar.

01

“Dia Mundial da Água” completa 25 anos

Instituída pela ONU em 1992, a data alerta para a reflexão sobre o uso racional dos recursos hídricos.

01Há 25 anos, a Organização das Nações Unidas (ONU) instituiu 22 de março como o “Dia Mundial da Água”. A ação é um chamado às autoridades governamentais e à população sobre a utilização deste recurso vital para a sobrevivência no planeta.

Na ocasião, a ONU também divulgou a Declaração Universal dos Direitos da Água. O documento destaca, em dez itens, o valor do patrimônio hídrico e da preservação ambiental para a vida, além de lembrar a finitude dos recursos naturais, que é agravada pelo comportamento predatório do Homem.

Declaração Universal dos Direitos da Água

-A água faz parte do patrimônio do planeta;
2-A água é a seiva do nosso planeta;
3- Os recursos naturais de transformação da água em água potável são lentos, frágeis e muito limitados;
4- O equilíbrio e o futuro de nosso planeta dependem da preservação da água e de seus ciclos;
5- A água não é somente herança de nossos predecessores; ela é, sobretudo, um empréstimo aos nossos sucessores;

6- A água não é uma doação gratuita da natureza; ela tem um valor econômico: precisa-se saber que ela é, algumas vezes, rara e dispendiosa e que pode muito bem escassear em qualquer região do mundo;
7- A água não deve ser desperdiçada nem poluída, nem envenenada;
8- A utilização da água implica respeito à lei;
9- A gestão da água impõe um equilíbrio entre os imperativos de sua proteção e as necessidades de ordem econômica, sanitária e social;
10- O planejamento da gestão da água deve levar em conta a solidariedade e o consenso em razão de sua distribuição desigual sobre a Terra.

Embora o planeta Terra tenha 2/3 de sua superfície coberta por água, menos de 1% é apropriado para o consumo humano. Soma-se a isso a insuficiência na distribuição e no tratamento para abastecer toda a população mundial. De acordo com informações das Nações Unidas, mais de 80% do esgoto produzido por seres humanos volta à natureza sem qualquer tipo de tratamento. A perspectiva é que a demanda de água potável aumente em 50% até o ano de 2030.

Diante de um cenário como este, a participação de todos é fundamental. A consciência ambiental pode ser disseminada em todos os setores da sociedade, por exemplo, por meio de ações sustentáveis, que aproveitem a água em seu máximo potencial.

O papel da indústria

Além da mudança de hábito por parte da população, o “Dia Mundial da Água” reforça a importância da adoção de boas práticas nas indústrias para a produção sustentável. De acordo com o “Relatório sobre o desenvolvimento mundial da Água” da ONU, o ano de 2017 terá a temática da “Água Residual”. Com isso, as soluções e aplicações para a água de reuso, imprópria para consumo, mas fundamental nos processos produtivos e nas operações fabris ganham mais destaque no debate sobre o consumo consciente.

Na IP, 95% da água utilizada no processo de fabricação de papel volta tratada à natureza ou é reutilizada. A empresa tem um compromisso não só com a produção sustentável, mas também entende sua função social de contribuir para a educação socioambiental de crianças e jovens por meio dos Projetos do Instituto International Paper.

guardioesdasaguas

Participe do Prêmio Guardiões das Águas 2017

guardioesdasaguasEste ano, atividades acontecem na região de Luiz Antônio (SP)

 Após a passagem por Rio Verde (GO) em 2016, a próxima edição do projeto Guardiões das Águas será realizada no interior do Estado de São Paulo, abrangendo as escolas municipais de Ensino Fundamental dos municípios de Luiz Antônio, Guatapará, São Simão e Altinópolis. A equipe do Instituto International Paper (IIP) responsável pela iniciativa já concluiu as etapas de divulgação e agora as Escolas devem se preparar para submeter seus projetos no edital.

O Guardiões das Águas acontece em etapas, ao longo de todo o ano letivo e propõe à comunidade escolar a reflexão sobre o uso consciente dos recursos hídricos. Mais do que discutir a teoria, os alunos e seus professores são estimulados a desenvolver propostas de economia de água, que possam ser colocadas em prática. As instituições de ensino vencedoras ganharão um prêmio de R$ 7 mil cada para tirar suas ideias do papel e transformá-las em benfeitorias para todos.

As escolas participantes deverão preencher o formulário de inscrição e encaminhar por e-mail para sabrina.tenello@ipaper.com até o dia 28/04.

Abaixo os links com os materiais do edital:

1 – Edital de Abertura

2 –Formulário de Inscrição

3 – Dúvidas e Perguntas Frequentes (FAQ)

4 – Roteiro para preenchimento da ficha de inscrição

Em caso de dúvidas, entre em contato:

Sabrina Tenello: (16) 3986-9073 / sabrina.tenello@ipaper.com
Julia Valadares: (16) 3986-9076 / julia.valadares@ipaper.com

05-formare1

Formare 2017 começa no pique total

05-formare1Desde o dia 7 de março, os alunos do Formare estão frequentando as aulas do projeto nas unidades de Mogi Guaçu (SP), Luiz Antônio (SP) e Três Lagoas (MS). Os 50 jovens estão empenhados em saber tudo o que precisam para fazer a escolha certa na carreira, além descobrir as particularidades dos processos produtivos e a rotina dentro das unidades da IP.

A primeira semana de aula é sempre acompanhada de muita curiosidade e sede de aprendizado. Para começar, a equipe de Instituto IP faz um trabalho de integração, especialmente desenvolvido para receber os alunos.

No primeiro dia de aula, os jovens têm um panorama geral da empresa e suas unidades de negócio em todo o mundo. Eles também ficam por dentro dos benefícios oferecidos pelo programa e da carga horária de estudos.

No dia seguinte, os estudantes conversam com os coordenadores do Projeto Escola Formare IP de suas respectivas unidades. Na ocasião, são abordados as disciplinas, a grade curricular e o processo de avaliação ao longo do curso.

As aulas regulares são ministradas pelos profissionais da International Paper que atuam como Educadores Voluntários (EVs). O grupo também desenvolve projetos especiais durante os dez meses de capacitação e os apresenta às equipes de profissionais em eventos internos.

No Formare, os jovens aprendem um pouco mais sobre a prática do voluntariado, bastante valorizada na empresa.

01_APICULTURA-baixa

Instituto convida apicultores clandestinos para projeto

Cultivo de mel fora das normas põe em risco a segurança nas florestas plantadas

01_APICULTURA-baixa

O Instituto International Paper iniciou, recentemente, um mapeamento de suas áreas florestais. Esse levantamento identifica a atuação de apicultores que atuam clandestinamente nas florestas plantadas ou nas Áreas de Proteção Permanente (APP), mantidas pela IP.

O intuito, além de levantar o número de pessoas que trabalham fora das regras estipuladas pelo Apicultura Solidária, é convidá-las para participar do projeto. Desta forma, estabelecem um diálogo para a partilha do conhecimento sobre o cultivo do mel.

A apicultura é uma atividade de baixo impacto ambiental por depender da natureza e do tempo de florada das espécies. Mas o trabalho clandestino não obedece às normas de segurança, que são essenciais em todas as atividades das áreas da International Paper.

“O que pretendemos é chamar essas pessoas para que façam parte do Apicultura Solidária. A segurança para a IP é um valor e a atividade irregular põe em risco a saúde das pessoas e a manutenção das áreas nativas, que preservamos”, conta Gabriel Lima, analista de Responsabilidade Social e Sustentabilidade da IP.

Os cooperados que fazem parte do Apicultura Solidária, projeto mantido pela empresa há sete anos, trabalham amparados pelas normas de segurança estipuladas pela IP, dentro da legislação vigente. Com isso, todos ganham! Não só na produção e na qualidade do mel, mas também em conhecimento técnico ao compartilhar experiências com os demais apicultores.

 

 

novo

Formare 2017 recebe mais de 170 inscrições de Educadores Voluntários

Projeto coordenado pelo Instituto International Paper envolve profissionais da IP na capacitação de jovens para o mercado de trabalho.

BAT5766

Encerradas em 17 de fevereiro, as inscrições para Educador Voluntário (EV) na próxima turma do Formare foram um sucesso. 174 profissionais decidiram compartilhar seus conhecimentos com os alunos selecionados para a edição 2017 da ação nas unidades de Mogi Guaçu (SP), Luiz Antonio (SP) e Três Lagoas (MS).

A expressiva adesão ao projeto mostra o compromisso da International Paper com o voluntariado. Por meio das iniciativas do Instituto IP, a empresa já beneficiou mais de 28 mil pessoas no ano passado.

Formare 2017 – as aulas nas três unidades do Projeto Escola Formare começaram no dia 7 de março e já estão a todo vapor. Este ano, serão oferecidas mais de 20 disciplinas, abrangendo áreas de conhecimento geral, como física, química, língua inglesa e matemática. Estão na grade curricular também, disciplinas ligadas ao processo de fabricação de papel e celulose, ministradas por profissionais das áreas técnicas, que vivem o dia a dia dos processos na indústria.

A Técnica de Qualidade e Processos de Três Lagoas, Paula Rocha, acredita que o trabalho como EV ensina tanto os alunos como também os próprios profissionais, que aprendem um pouco mais sobre a dinâmica de sala de aula e no próprio convívio com os estudantes. “Sempre surge uma pergunta nova, um questionamento e isso me instiga a aprender mais, para levar respostas para eles. Afinal, todos nós somos eternos aprendizes. ”, declara a profissional que está na IP há nove anos e será responsável pela disciplina de inglês.

O Formare já capacitou cerca de 350 jovens, desde sua implantação na IP no ano de 2010. Além das aulas com os Educadores Voluntários, os alunos recebem o acompanhamento de líderes da International Paper, que atuam como tutores, na orientação e no aconselhamento para questões relacionadas a estudos e carreira.

 

 

baled at source 2

Logística reversa: uma aliada da sustentabilidade

baled at source ip

Desde 2015, o Brasil tem um Acordo Setorial firmado entre o poder público e fabricantes, importadores, distribuidores ou comerciantes, para a implantação da responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida do produto. Nele, empresas privadas se comprometeram em reduzir em 22% a quantidade de embalagens destinadas a aterros até o fim deste ano.

Este grupo de organizações, que é ligado ao “Compromisso Empresarial para Reciclagem” (CEMPRE), conta com o processo de logística reversa para cumprir essa meta. Desta forma, ao mesmo tempo em que estimula o trabalho de cooperativas, a inciativa colabora com a Política Nacional de Resíduos Sólidos, implementada na forma de lei pelo Governo Federal em 2010.

Em fevereiro deste ano, o relatório com os primeiros resultados do Acordo Setorial de Embalagens revelou que o sistema de logística reversa chega a mais de 50% da população, por meio de ações realizadas em 422 municípios em 25 estados brasileiros. Elaborado pelo grupo “Coalizão Embalagens”, que reúne 28 associações empresariais, os dados mostram que isso só foi possível graças a ampliação da capacidade produtiva das cooperativas.

Na International Paper – A redução de resíduos é uma preocupação constante na IP. Uma das alternativas implantadas pela empresa, desde 2013, é o projeto Baled at Source, ou B@S. Ele consiste na compra de aparas (fardos de papelão ondulado) diretamente de supermercados, hospitais e indústrias.

A IP estabelece uma parceria com estas grandes empresas e oferece os recursos necessários, como transporte e prensa enfardadeira, para que as embalagens retornem e possam ser recicladas.  As aparas são utilizadas na fabricação de novas caixas de papelão e, ao comprar diretamente da fonte, ganha-se na relação custo-benefício e no produto final, que é de mais qualidade por conta da matéria-prima.

shutterstock_347798567

Plataforma on-line permite troca de conhecimento entre escolas de todo o País

shutterstock_347798567Compartilhar nunca esteve tão em alta. É o caso da Edukatu, uma rede que promete aproximar alunos e professores do Ensino Fundamental para o compartilhamento de projetos voltados para o consumo consciente e o uso racional dos recursos naturais. Graças a uma parceria com a Secretaria de Estado da Educação, Sabesp e o Instituto Akatu, 42 projetos, que envolvem diferentes estratégias para economia de água, estão em andamento.

Para participar, basta fazer um cadastro gratuito no site edukatu.org.br. A plataforma oferece diversas atividades para instrumentalizar os educadores para a abordagem do tema da sustentabilidade ambiental em sala de aula, além de viabilizar a troca de boas práticas. A iniciativa já conta com a participação de mais de 300 escolas de 64 municípios paulistas, 1.606 professores inscritos e 1.694 alunos.

Economia de Água: uma preocupação antiga do IIP

Uma das causas apoiadas pelo Instituto International Paper (IIP) é a educação socioambiental de crianças e adolescentes. E o uso consciente dos recursos naturais é um tema trabalhado há oito anos pelo projeto Guardiões das Águas, que anualmente mobiliza escolas públicas próximas de unidades da IP para a elaboração de projetos focados na redução do consumo no ambiente escolar.

A cada ano, uma região é escolhida e, em 2017 será a vez dos alunos e professores dos municípios de Luiz Antônio, Guatapará, Altinópolis e São Simão, no interior de São Paulo, a colocarem suas ideias em prática, contribuindo assim para a preservação desse recurso tão valioso para nossa sociedade.

25-10-06_0906

Apicultura Solidária estuda cultivo de mel em mata nativa

Instituto avalia a possibilidade de estender a produção sustentável em áreas protegidas pela International Paper

25-10-06_0908

O Apicultura Solidária, projeto coordenado pelo Instituto International Paper (IIP), prepara-se para ganhar novos horizontes. Além do cultivo de mel nas florestas plantadas, este ano, os profissionais da área florestal, ao lado dos apicultores cooperados, estudam a viabilidade de estender a instalação das caixas-iscas para o cultivo de mel nas áreas de Reservas Legais (RL), mantidas pela International Paper (IP).

A intenção é implantar o projeto ainda em 2017, caso os estudos mostrem a viabilidade da extensão dos apiários, dentro dos padrões de segurança e sustentabilidade requeridos pelas RL, como já ocorre nas florestas plantadas de eucalipto.

Baixo impacto ambiental – A apicultura é considerada uma atividade agrícola sustentável, pois depende da natureza para existir e, ao contrário de outras culturas, não causa grandes alterações no ambiente, aproveitando-se da flora existente em cada localidade e dos momentos de florada de cada espécie.

Com a autorização para cultivo nas áreas de Reserva Legal, produção ganhará mais espaço e diversidade para a polinização das mais variadas espécies. Atualmente, a International Paper mantém aproximadamente 26 mil hectares de florestas nativas.

O PROJETO - Desde 2011, o Apicultura Solidária contribui para a manutenção das atividades da Cooperativa de Apicultores da Região de Ribeirão Preto (Cooperapis) e da Associação de Apicultores de Leme e Região (AAPILEME), que utiliza as florestas de eucalipto da IP para a produção de mel. Grande parte dos cooperados e associados vivem exclusivamente da prática apícola enquanto outros ganham uma renda extra com a atividade.

05-formare1

Educadores Voluntários preparam-se para o Formare

Antes do início do curso, os EVs participaram de treinamento com técnicas e metodologias de ensino para aproveitar ao máximo o horário das aulas

Formare

Nos dias 22, 23 e 24 de fevereiro, os Educadores Voluntários da edição de 2017 do Projeto Escola Formare IP, nas unidades de Três Lagoas, Luiz Antônio e Mogi Guaçu, passaram por um dia de treinamento prático. Ministrado pela Fundação Iochpe, o curso foi elaborado para instrumentalizar os profissionais da International Paper com técnicas pedagógicas para o trabalho em classe e melhor aproveitamento das aulas, além de trazer dicas de apoio para pesquisa de temas, preparo de conteúdo, propostas de trabalhos e dinâmicas em sala de aula, atribuições extraclasse de cada um dos Educadores Voluntários.

A ideia é fazer com que os EVs possam extrair o seu máximo potencial como educadores e estimular os alunos a fazerem o mesmo, desenvolvendo um pensamento crítico e analítico às mais diversas situações.  O treinamento, que também apresentou um panorama da educação no Brasil, explicou ainda a melhor forma de organizar a agenda de trabalho do profissional IP, conciliando-a com as atividades das aulas.

 Formando jovens para o futuro

 Ao longo de sete anos na International Paper, com a coordenação do Instituto IP, o Projeto Escola Formare IP já capacitou cerca de 350 jovens, preparando-os para o mercado de trabalho. Ao longo de 10 meses, eles participam de diversas aulas e desenvolvem habilidades e competências, com disciplinas que trabalham a comunicação e o relacionamento interpessoal, além de temas específicos relacionados à produção de celulose e papel. Os jovens aprendem a elaborar e a executar projetos, que são apresentados às demais áreas da empresa, e dão suporte à organização e divulgação de eventos do IIP, como as campanhas de voluntariado, entre outras iniciativas.

Ao final da capacitação, os alunos recebem um diploma reconhecido pelo Ministério da Educação e emitido pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

 

shutterstock_447240640

Aplicativos gratuitos ajudam na rotina de sala de aula

Projeto da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) cataloga softwares livres com conteúdos para a Educação Básica e Ensino Superior

shutterstock_447240640

Os alunos e os Educadores Voluntários do Formare 2017 podem contar com mais uma fonte de pesquisa gratuita para auxiliar as aulas e as pesquisas: o projeto “Software Educacional Livre para Dispositivos Móveis”.

Desenvolvido pelo professor universitário Paulo Francisco Slomp e seu aluno André Machado, ambos da UFRGS, o projeto consiste em uma tabela com mais de 300 aplicativos gratuitos para Android, com conteúdos de apoio em diversas áreas do conhecimento. Uma alternativa que pode ajudar educadores e estudantes no dia a dia da sala de aula, com materiais gratuitos e abertos a quem quiser aprender mais.

Confira as categorias e o número de aplicativos por nível de ensino.

– 78 para Educação Infantil;
– 154 para os anos iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano);
– 173 para os anos finais do Ensino Fundamental (6º ao 9º ano);
– 181 para o Ensino Médio;
– 203 para o Ensino Superior.

O material está dividido por área do conhecimento e reúne conteúdos sobre Biologia, Educação Física, Educação Artística, Física, Geografia, Informática, Matemática, Medicina, Música, Química e Sociologia. Há também material sobre acessibilidade, ensino religioso, idiomas e jogos.

Treinando o inglês – A lista reúne aplicativos em português, inglês, francês, espanhol e catalão. A maioria dos conteúdos está na língua inglesa, o que possibilita a prática do idioma ao incluí-lo nas atividades do dia a dia, além do estudo das próprias disciplinas que integram o currículo escolar.

Conteúdo aberto – A tabela criada por Paulo Slomp e André Machado está aberta a inserções de novos aplicativos, o que possibilita a atualização da listagem a qualquer momento.

Ficou curioso? Acesse a lista aqui.

novo

Formare IP abre inscrições para Educadores Voluntários em 2017

Até o dia 17 de fevereiro, qualquer profissional da IP pode escolher uma disciplina para ministrar aulas para as próximas turmas em Mogi Guaçu, Luiz Antônio e Três Lagoas

BAT5766

As inscrições para o próximo time de Educadores Voluntários da turma 2017 do Projeto Escola Formare já estão abertas. Para participar, basta apenas o pré-requisito do voluntariado: ter vontade.

No ano passado cerca de 150 profissionais se inscreveram para dar aulas aos alunos do projeto nas unidades de papel e celulose, localizadas em Mogi Guaçu (SP), Luiz Antônio (SP) e Três Lagoas (MS).  Este ano, a expectativa é termos ainda mais voluntários no Formare, mostrando o compromisso dos profissionais da IP com a capacitação de jovens.

Vontade de ensinar e de aprender – cada profissional pode escolher até três disciplinas para ministrar aulas, de acordo com seus conhecimentos e área de atuação. Desta forma, eles contribuem para o desenvolvimento de jovens que estão em fase de decisão de carreira. “A experiência de atuar como EV é bastante enriquecedora, pois aprendi a lidar com diferentes opiniões e a ouvir mais. É um treinamento de liderança”, diz Gláuber Sales, educador voluntário em Mogi Guaçu.

Para Wagner Cortez, educador voluntário em Luiz Antônio, participar do Formare também ajudou a achar soluções para o seu dia a dia. “A busca por materiais para preparar as aulas, me mostrou que há muitas semelhanças entre os assuntos trabalhados no curso e o que se discute no dia a dia profissional. Eu não só encontrei soluções, como consegui captar ideias dos alunos para serem implementadas no meu trabalho”, revela.

Em Três Lagoas, a educadora voluntária Bruna Locatelli, vê o Formare como uma via de mão dupla na construção de conhecimento, capaz de transformar quem se propõe a ensinar e quem chega para aprender. “É um trabalho que me ensinou a ser melhor em todos os aspectos. É muito gratificante”, conta.

Início das aulas – o Projeto Escola Formare IP inicia o ano letivo no dia 3 de março. Em 2017, os 50 alunos aprovados seguem o mesmo calendário, com o final do curso previsto para novembro. Nos próximos dez meses, as turmas terão a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre o processo de fabricação de papel e celulose, além de aprender conceitos de comunicação oral e escrita, língua inglesa, sustentabilidade, segurança, entre outros temas.

O intuito é combinar algumas disciplinas teóricas, que ajudarão os alunos na conquista de uma vaga no mercado de trabalho, com a parte prática voltada aos processos industriais. “A ideia é instrumentalizarmos os alunos para que eles consigam participar de futuras entrevistas de emprego, mostrando todo o seu potencial, com um bom currículo e uma boa vivência, por conta das interações que eles têm ao longo do curso”, explica a Gerente de Responsabilidade Social e Sustentabilidade da IP, Gláucia Faria.

Este ano, mais de 500 candidatos das três regiões participaram do processo seletivo na disputa por uma vaga no Formare IP.

testeira-quadrinhos2

30 de janeiro é Dia do Quadrinho Nacional

Considerados a porta de entrada de muitas crianças para o universo da leitura, os quadrinhos acompanham leitores por várias gerações. Saiba mais sobre esta data.

testeira-quadrinhos

Maurício de Sousa, Laerte, Ziraldo, Angeli, Glauco e Jaguar.  Esses são alguns dos nomes de artistas brasileiros a serem lembrados em 30 de janeiro, data que celebra a criatividade do quadrinho nacional. A primeira história em quadrinhos brasileira foi publicada em 30 de janeiro de 1869, pelo cartunista de origem italiana Angelo Agostini: “As Aventuras de Nhô-Quim ou Impressões de Uma Viagem à Corte”.  A publicação narra as peripécias de Nhô-Quim, que sai de Minas Gerais em direção ao Rio de Janeiro.

Foi somente em 1984, 115 anos após a primeira história de Nhô-Quim ter sido publicada, que o Dia do Quadrinho Nacional passou a ser celebrado. Ao longo deste período, o Brasil revelou grandes quadrinistas. Artistas que ganharam destaque especial entre as décadas de 50 e 70, com a publicação dos quadrinhos em jornais e revistas, estabelecendo um diálogo com crianças e jovens ou marcando posição em relação à política vigente no País.

A linguagem também ganhou força com o surgimento da internet, que se consolidou como canal para a revelação de cartunistas e gibis independentes. Além disso, eventos como a Comic Con Experience (SP), o Festival Guia dos Quadrinhos (SP) e a Bienal de Quadrinhos de Curitiba (PR) tornaram-se garantia de espaço e de projeção para diferentes gerações de talentosos quadrinistas brasileiros.

Prova de que os quadrinhos são uma linguagem que agrada a todas as idades é um artigo na publicação “Economia Criativa”, do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). De acordo com o texto divulgado em 2014, estima-se que o Brasil tenha aproximadamente 18 milhões de leitores de quadrinhos, englobando de colecionadores a leitores eventuais dos HQs.

 Incentivo à leitura, uma bandeira do IIP

Os quadrinhos não são sinônimo apenas de entretenimento. Também são uma importante ferramenta para estimular crianças a lerem. Inclusive, o trabalho com HQs em sala de aula é defendido por muitos educadores. Por sua linguagem ágil e capaz de expressar facilmente traços da cultura e comportamento de um povo, os gibis são também apontados como instrumento para a formação do pensamento crítico.

Uma posição adotada oficialmente até mesmo pelo Ministério da Educação (MEC), pois integra os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN), que estabelecem diretrizes para os conteúdos utilizados na Educação Básica, que engloba a Educação Infantil e os Ensinos Fundamental e Médio.

Neste caminho, uma das causas abraçadas pelo Instituto International Paper (IIP), por meio dos projetos que apoia, é a educação de crianças e adolescentes com o incentivo à leitura. Exemplo é a “Cidade do Livro”, que já beneficiou mais de 50 mil crianças de dez municípios, entre 2009 e 2016.

 

Formare

Disputa do Formare IP supera dez candidatos por vaga

Ao todo foram 546 inscritos para as 50 vagas oferecidas. Concorrência foi maior em Três Lagoas (MS).

Formare

Desde 2010, jovens de baixa renda que concluíram o Ensino Médio na rede pública da região de Mogi Guaçu e Luiz Antônio (SP) ou de Três Lagoas (MS) podem se inscrever no processo seletivo do Projeto Escola Formare da International Paper. O programa de educação profissional, coordenado pelo Instituto International Paper, chega à sua oitava edição com uma concorrência de vestibular. No total, a relação foi de 10,92 candidatos por vaga.

Neste ano, a localidade mais concorrida foi Três Lagoas (MS). O número de inscritos para uma das dez vagas oferecidas no município sul-mato-grossense foi de 185, gerando a maior relação candidato/vaga, com mais de 18 jovens na disputa por uma mesma colocação.

Mogi Guaçu foi a segunda localidade mais concorrida. Com 215 inscritos e uma oferta de 20 vagas no curso, a relação foi de 10,75 candidatos/vaga. Além do próprio município, Luiz Antônio abre inscrições para moradores de Guatapará, São Simão e Santa Rosa de Viterbo. Nesta unidade, a relação de candidatos por vaga foi de 7,3, com 146 estudantes disputando as 20 vagas oferecidas.

Processo seletivo –  Após se inscreverem no processo seletivo pelo site do IIP, os candidatos partiram para a realização das provas de Língua Portuguesa, Matemática e Redação. Os aprovados, seguiram para a terceira fase, quando participaram de uma dinâmica de grupo,  momento em que foram expostos a situações que possibilitassem aos recrutadores começar a conhecer e identificar o perfil dos candidatos.

Na fase seguinte, os candidatos selecionados participaram de uma entrevista individual e, pela primeira vez, tiveram a oportunidade de fazer um tour pela fábrica na localidade em que disputam a vaga. A última rodada do processo seletivo foi a visita domiciliar realizada pela equipe do IIP com objetivo de conhecer a família do candidato, verificar os requisitos socioeconômicos e confirmar informações prestadas ao longo da seleção.

Agora, os 50 jovens aprovados passam por uma formação profissional com duração de dez meses, em que aprendem sobre a dinâmica do mercado de trabalho e as particularidades do processo de fabricação de papel e celulose. As atividades Projeto Escola Formare são realizadas por educadores voluntários (EVs), profissionais da International Paper que se dedicam a compartilhar conhecimento e reservam um tempo da agenda para a elaboração de aulas para os alunos do programa.

A grade curricular inclui disciplinas da grade curricular comum ao Ensino Médio, como matemática, física, química e inglês; mas o foco principal é na formação profissional, abrangendo disciplinas como comunicação e relacionamento, organização industrial, manutenção eletromecânica, produção de celulose e papel, além das práticas profissionais que visam a atender as demandas práticas de formação dos alunos.

Este ano, as três turmas do Formare IP seguirão o mesmo cronograma e as aulas estão previstas para iniciarem no dia 7 de março. Ao final do curso, além da bagagem de conhecimento, os alunos já saem com um diferencial no currículo: o diploma de formação profissional, emitido pela UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná) e reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC).

shutterstock_87899098

Países emergentes na liderança da energia limpa

Estudo revela que a geração de energia renovável por países em desenvolvimento equivale a capacidade total de energia da Austrália.

shutterstock_87899098

O grupo de 58 países emergentes analisado pelo Climatescope, índice anual de competitividade em energia renovável, que verifica o setor energético na África, América Latina e Caribe, superou em 18% a capacidade de geração de energia limpa demonstrada pelos países ricos.  O estudo, divulgado em dezembro de 2016 pela Blomberg New Energy Finance, considera informações sobre a geração de energia eólica, solar, geotérmica, entre outras fontes renováveis no ano de 2015.

O grupo de países analisados inclui China, Índia, Brasil, Chile, México, Egito e África do Sul. Enquanto as nações em desenvolvimento geraram 69,8 gigawatts de energia limpa no período analisado, o equivalente à capacidade de energética instalada na Austrália, a geração dos países ricos ficou em 59,2 gigawatts.

Atração de Investimentos – Na análise do Climatescope, o país que mais se destacou na capacidade de atração de investimentos para geração de energia renovável foi o Chile, cujos investimentos foram de US$, 1,3 bilhão em 2014 para US$ 3,2 bilhões em 2015.

O Brasil, que perdeu a liderança das edições anteriores do estudo, vem em segundo lugar como principal destino de investimentos. O País recebeu investimentos de US$ 121 bilhões (cerca de R$ 251,3 bi), no período de 2006 a 2015 e US$11 bi (R$ 39, 5 bilhões) somente em 2015.

Os critérios de atratividade consideraram as políticas de investimento em energia limpa em cada país, as condições de mercado e infraestrutura no fornecimento de energia elétrica, as atividades das empresas do setor em cada país e os esforços na redução da emissão de gases de efeito estufa (GEE).

O estudo destacou ainda o aumento dos investimentos em energia solar nos países analisados e a atuação de start ups financiadas por fundos privados que levam energia renovável a localidades distantes.

 

Fonte: Portal Exame

Logo-Instituto

Iniciativas do Instituto beneficiam mais de 28 mil pessoas em 2016

Logo-Instituto

Transformar a vida das pessoas. Com este objetivo, o Instituto International Paper (IIP) realizou em 2016 uma série de iniciativas para a promoção da educação socioambiental de crianças e adolescentes, impactando mais de 28 mil pessoas por meio dos programas: Projeto Escola Formare, Programa de Educação Ambiental (PEA), Cidade do Livro Itinerante, Educação Socioambiental (ESA), Guardiões das Águas, Guardiões em Ação, Apicultura Solidária e Natureza e Corpo.

Por trás destes projetos, temas como voluntariado, preservação ambiental, educação profissional, incentivo à leitura e alimentação saudável foram levados às comunidades onde a IP atua.

Projeto Escola Formare: em 2016, o Formare completou seis anos na IP05-formare1, totalizando a formação de 350 jovens. Pelo programa, os alunos realizam um curso de formação profissional inicial dentro da própria empresa; os profissionais atuam como educadores voluntários e compartilham seus conhecimentos técnicos e experiências profissionais, possibilitando a esses jovens uma visão mais clara sobre a escolha da futura carreira e a dinâmica do mercado de trabalho. Todos os anos, o Formare IP abre 20 vagas para jovens residentes em Mogi Guaçu (SP), 20 vagas para a região de Luiz Antônio (SP) e 10 vagas para Três Lagoas (MS), cidades em que a International Paper (IP) mantém operações para a produção de papel e celulose.

 

11-peaPrograma de Educação Ambiental (PEA) – O Programa de Educação Ambiental existe desde 1993, com o objetivo de conscientizar alunos e professores da educação básica sobre a importância das florestas plantadas na manutenção dos recursos naturais, colaborando para a preservação da mata nativa. Em 2016, mais de três mil pessoas passaram pelo programa, nas unidades de Luiz Antônio e Mogi Guaçu (SP) e também nos municípios paulistas de São Simão, Santa Rosa de Viterbo, Guatapará, Mogi Mirim, Aguaí e Altinópolis.

 

08-guardioes-das-aguasGuardiões das Águas – O projeto foi a Rio Verde (GO) para reforçar à comunidade a importância da preservação dos recursos hídricos. Dividido em três fases, o projeto aconteceu em março de 2016 e apresentou a exposição Linha D’ Água, com fotos das expedições do navegador Amyr Klink. A mostra ficou em cartaz no Shopping Buriti. Em um segundo momento, alunos do 4º e 5 º ano da rede municipal puderam assistir ao espetáculo teatral Espaço Mundi, no Parque de Exposições de Rio Verde. A ação foi encerrada com um concurso que premiou os melhores projetos para redução do consumo de água, elaborados pelas escolas participantes.

 

01_APICULTURA-baixaApicultura Solidária – O destaque de 2016 no Apicultura Solidária, projeto que aproxima as florestas plantadas da IP de uma cooperativa de produtores de mel, foi a capacitação dos apicultores para o envase do mel produzido na área florestal da IP. Um trabalho que garantiu mais autonomia e conhecimento aos cooperados, que contribuiu para o alcance da produção de 15 toneladas de mel.

 

03-cidade-dolivro

Cidade do Livro Itinerante – Em 2016, o projeto esteve nas cidades de Manaus (AM) e Rio Verde (GO), onde mais de 12 mil crianças puderam rir e aprender com as peripécias da Tracinha, uma traça muito esperta que prefere devorar os livros pela leitura. Com isso, o projeto encerrou um ciclo de sete anos de trabalho, período no qual a Cidade do Livro Itinerante também passou pelas cidades de Mogi Guaçu (SP), Três Lagoas (MS), Ribeirão Preto (SP), Suzano (SP), Paulínia (SP), Franco da Rocha (SP) e Itapeva (SP). Graças ao projeto, mais de 50 mil crianças puderam embarcar nesse mundo mágico da literatura.

 

ESA_logoEducAção Socioambiental (ESA) – Os concursos do ESA já são uma tradição na região de Mogi Guaçu. Realizado há 41 edições, o concurso de redação é voltado para alunos do 5º e 9º anos do Ensino Fundamental e para alunos do 3º ano do Ensino Médio. Aos professores da rede pública, o ESA oferece o concurso literário, que passou da 11ª edição. A cada ano, a proposta é sempre ampliar as discussões de um tema da atualidade na comunidade escolar. Em 2016, o tema escolhido para ambos os concursos foi Alimentação Saudável, seguindo a temática da ONU, que elegeu o período como o Ano Internacional das Leguminosas.

 

10-natureza-corpoNatureza e Corpo - Em 2016, o projeto avançou ao começar a trabalhar com o plantio de verduras e legumes. Nos anos anteriores, era priorizado o cultivo de ervas e temperos. Com o novo foco, somado à temática da alimentação saudável trabalhada no ESA, o IIP levou mais um tema para discussão na comunidade escolar: a sustentabilidade alimentar, que foi trabalhado por professores de diferentes disciplinas. Em 2017, as atividades continuam acompanhando o calendário escolar e os temas relacionados à sustentabilidade, educação e meio ambiente.

 

guardioes-em-acaoGuardiões em Ação – Com o objetivo de possibilitar o trabalho voluntário para os profissionais do escritório de São Paulo, desde de 2012 o projeto Guardiões em Ação marca presença em datas comemorativas levando muita alegria e a interação entre crianças e adolescentes de comunidades carentes da capital paulista e os guardiões (voluntários da IP). Em 2016 os guardiões agiram em duas missões, a primeira foi na Páscoa e a segunda no Natal.

 

05-formare1

Aprovados no Formare 2017

05-formare

RESULTADO PROCESSO SELETIVO FORMARE – INTERNATIONAL PAPER 2017

Confira abaixo a lista de aprovados no processo seletivo do Formare para unidades da International Paper em Três Lagoas, Luiz Antônio e Mogi Guaçu.

LISTA DE APROVADOS PARA O FORMARE IP 2017

Unidade: Três Lagoas/MS

Aprovado
1 Abner Loureiro Santana
2 Cleisla Martins da Silva
3 Eduardo Borges Lopes
4 Felipe da Silva Campos
5 Felipe Henrique Medeiros de Lima
6 Juliane Ribeiro Teixeira
7 Letícia Vasques Lucena
8 Lincoln Batista Melchior
9 Natálya Moreira da Silva
10 Pâmela Feitosa Dos Santos

 

Unidade: Luiz Antônio/SP

Aprovados de Luiz Antônio
1 Alex Gonçalves dos Santos
2 Állan Gabriel dos Santos Bortolozzo
3 Ana Beatriz Ferreira
4 Caio Vinicius Tavares Costa Claro
5 Celso Aparecido Silva Junior
6 Crisele Aparecida dos Santos Costa
7 Gabriel Ribeiro Junqueira
8 João Vitor Beluti da Silva
9 José Henrique dos Santos Belchior
10 Julia da Silva Souza
11 Juliana Teixeira Pimenta
12 Karen Maria Garcia
13 Mileny Hatsue Nomura
14 Othon Omar Balthazar
15 Pâmela Priscila Baldissarelli Bibiano
16 Paulo Henrique Oliveira da Silva Santos
17 Pérola Nicole Gonçalves
18 Rafaela Gonçalves Duarte
19 Raila da Silva Santos
20 Rita de Cássia Ribeiro

 

Unidade: Mogi Guaçu/SP

Aprovado
1 Alan Henrique de Oliveira Menezes
2 Aline Aparecida Scanavachia
3 Ana Beatriz de Faria
4 Anderson Antonio da Silva
5 Camila Negli Panseri
6 Eduardo Henrique Dos Santos
7 Flavio Scomparin Gomes
8 Giovanna Gabrielly Silva Costa
9 Guilherme Brandão Martins de Sousa
10 Hebert Willam da Rosa
11 Ivana Renata Zavoski
12 Jenifer Kauany de Souza dos Reis
13 Marcos Abreu de Souza
14 Marcos Gabriel dos Santos Carvalho
15 Matheus Guimarães Justino
16 Rafael Luiz de Moura Borges
17 Sarah da Rocha Porfírio
18 Sarah Ribeiro da Silva
19 Stefany Nunes do Amaral
20 Thainá Ferreira de Sousa

 

Documentos que deverão ser providenciados para admissão dos alunos Formare:

Todos os aprovados:

1 foto ¾, recente;

1 cópia do RG;

1 cópia do CPF;

1 cópia da Certidão de Nascimento;

1 cópia de Comprovante de endereço (conta de luz, água ou telefone);

1 cópia do cartão do SUS;

Declaração original de conclusão do Ensino Médio ou declaração de matrícula no 3º ano do Ensino Médio;

Carteira de vacinação original.

Apenas aprovados menores de idade:

1 cópia do RG dos Pais e/ou Responsável;

1 cópia do CPF dos Pais e/ou Responsável;

1 Comprovante de endereço dos Pais e/ou Responsável (apenas se o aluno não residir na mesma casa);

OBS: Os documentos deverão ser entregues na data do exame admissional.

Em breve entraremos em contato para marcar a data do exame médico e entrega dos documentos pessoais. Fique atento e caso tenha alguma dúvida entre em contato com o Coordenador Formare da sua unidade.

TRES LAGOAS
Gabriel Lima
gabriel.lima@ipaper.com
(67) 2105-6124
LUIZ ANTÔNIO
Sabrina Tenello
sabrina.tenello@ipaper.com
(16) 3986-9073/ (16) 99781-7695
MOGI GUAÇU
Tomás Fernandes
tomas.fernandes@ipaper.com
(19) 3861-8955/ (19) 99818-8245

 

floresta ip mogi guaçu

Quanto custa a melhoria da qualidade do ar?  

Estudo revela que investimento de R$ 13 por habitante em plantio de árvores é suficiente para melhorar a saúde em áreas urbanas

Trecho da floresta IP em Mogi Guaçu (SP)

Trecho da floresta IP em Mogi Guaçu (SP)

A poluição do ar e o aumento da temperatura global fazem parte dos 17 Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável (ODS), instituídos pela Organização da Nações Unidas (ONU). De olho na redução dos impactos ambientais nas próximas décadas, diversas instituições, além da ONU, debatem soluções viáveis para melhorar a qualidade de vida das pessoas.

É o caso da The Nature Conservancy, que divulgou em novembro de 2016 um estudo que mostra que, com o investimento de US$ 4 por habitante (cerca de R$ 13) no plantio de árvores é possível a redução de até um quarto das partículas suspensas no ar, gerada nos grandes centros urbanos pela queima de combustíveis fósseis.

De acordo com os autores do estudo “Plantando Ar Puro”, a limpeza do ar e manutenção da temperatura trazida pelas árvores trariam grandes benefícios para a saúde das populações nas grandes cidades. Todos os anos, estima-se que morrem mundialmente cerca de três milhões pessoas em decorrência de complicações respiratórias, cardíacas ou derrame, ocasionadas pela inalação de micropartículas de poluentes, que entram na corrente sanguínea.

As árvores, quando corretamente plantadas em áreas estratégicas, funcionam como um filtro, garantindo a limpeza do ar e o conforto térmico. Um sopro de ar fresco, considerando que a temperatura de ambientes arborizados pode ser até 2°C mais baixa, sem falar que as árvores também contribuem para a manutenção da umidade do ar.

Nas áreas florestais da International Paper, por exemplo, são mais de 102 mil hectares de terras plantadas, sendo 70% destinado à plantação de eucalipto e 25% à conservação de vegetação nativa. O cultivo de eucalipto da IP captura cerca de 6 toneladas de CO² a cada tonelada de papel produzido, deixando o ar mais limpo para a comunidade e reforçando nosso compromisso com o planeta e com as futuras gerações.

Formatura MG_2016

Emoção marca formatura dos alunos do Projeto Escola Formare 2016

Formatura LAN_2016

Em clima de despedida, mas com um gosto de “quero mais”, alunos encerram ciclo de dez meses com diploma nas mãos e maturidade para os próximos desafios

Dezembro foi um mês de muita emoção e expectativa para os alunos do Projeto Escola Formare IP, coordenado pelo Instituto International Paper (IIP). Após 09 meses de muito aprendizado e troca de experiências, os alunos de Mogi Guaçu e Luiz Antônio oficialmente encerraram o curso e conseguiram a certificação no curso profissionalizante de Assistente de Produção da Indústria de Processos. Mas essa conquista não seria possível sem toda a dedicação dos Educadores Voluntários (EVs), que dedicaram parte de sua agenda para ensinar o que sabem e transmitir um pouco de suas experiências profissionais.

Formatura MG_2016Mogi Guaçu – A formatura dos alunos de Mogi Guaçu aconteceu no dia 15 de dezembro, no Espaço Gênesis, no Jardim Parque Real, em Mogi Guaçu (SP). Emocionados, os alunos homenagearam os EVs, Gláuber Correa Sales, engenheiro trainee da área Industrial, responsável pela disciplina de Fundamentação Numérica, e José Carlos Alexandre Barbosa, que ministrou a disciplina de Medição e Desenho Mecânico.

Ao longo do curso, os profissionais acompanharam de perto o desenvolvimento dos alunos, respondendo às perguntas e esclarecendo dúvidas sobre carreira, formação acadêmica, escolha da faculdade, bem como questões relacionadas ao dia a dia do processo de fabricação de papel e celulose.

Formatura LAN_2016Luiz Antônio – No dia seguinte à formatura dos alunos de Mogi Guaçu, foi a vez da turma de Luiz Antônio. Os 19 jovens selecionados para o Projeto em 2016 reconheceram e agradeceram o trabalho dos Tutores e EVs por tudo o que aprenderam nas aulas e pelo amadurecimento para enfrentar o mercado de trabalho. Durante a cerimônia, que aconteceu na própria unidade da International Paper (IP), os jovens relembraram os bons momentos que passaram na empresa e reforçaram a importância de cada voluntário para essa conquista.

Os homenageados deste ano em Luiz Antônio foram: o EV e executivo de marketing da Solenis, Elídio Frias, que também é parceiro das ações do IIP, e Joselir Cassucci, responsável pela disciplina de Química, que promoveu uma atividade multidispliclinar envolvendo a construção e o lançamento de um foguete feito com garrafas PET. O sucesso foi tão grande que houve até um pequeno evento para exposição dos projetos antes do lançamento. Os nomes mais criativos foram premiados e o foguete que foi mais longe, também.

“É muito gratificante poder contribuir de alguma maneira para o desenvolvimento destes jovens, mostrando que, com garra e dedicação, é possível alcançar todos os objetivos na vida e realizar sonhos”, diz a gerente de Responsabilidade Social Corporativa e Sustentabilidade, Gláucia Faria, que coordena as atividades do IIP.

Todos os profissionais que fizeram parte do Formare 2016, agora, ficam na torcida para o sucesso dos jovens formandos. A eles, desejamos muito boa sorte e uma linda carreira pela frente.

Mas o Formare não para. Já está quase tudo pronto para as próximas turmas de 2017. Aos “novatos”, o IIP deseja boas-vindas!

 

caminhão

No interior paulista, coleta de lixo fica mais sustentável

Caminhão elétrico torna a coleta de lixo ainda mais “limpa”

Divulgação BYD

Divulgação BYD

A coleta de lixo nas cidades paulistas de Paulínia, Indaiatuba, Tietê, Salto e Valinhos ganha um forte aliado para a boa qualidade do ar em áreas urbanas: um caminhão 100% elétrico, que começou a circular no segundo semestre de 2016. Com autonomia para percorrer mais de 200 quilômetros ou até oito horas sem recarga, o veículo é capaz de compactar até 16 toneladas por turno.

O processo poupa significativamente a atmosfera de poluição, uma vez que não há emissão dos gases poluentes dos caminhões movidos a diesel e pelo uso de uma bateria de fosfato de lítio, que é reciclável e tem vida útil de até 40 anos. Também contribui para a redução de poluição sonora, uma vez que o motor é muito mais silencioso do que nos veículos tradicionais.

A chinesa BYD juntamente com a Corpus Saneamento são as responsáveis pela fabricação do caminhão elétrico. Uma parceria que prevê mais avanços: expansão da frota, com utilização de energia gerada em aterro sanitário para a recarga dos caminhões. O meio ambiente agradece!

 

Curiosidades

»Se a coleta de lixo fosse feita em 100% dos cinco municípios citados (Paulínia, Indaiatuba, Tietê, Salto e Valinhos), seriam beneficiados mais de 530 mil habitantes, de acordo com a soma da população de cada uma das cidades, conforme dados do IBGE.

 »Se houvesse coleta de lixo por caminhão elétrico nas cidades de Mogi Guaçu, Luiz Antônio e Três Lagoas em 100% das residências, seriam beneficiadas cerca de 250 mil pessoas.

 

 

 

 

DSC_0094

Alunos do Formare Mogi Guaçu organizam doação de alimentos

DSC_0048As famílias atendidas pelas instituições que fazem parte da Federação das Entidades Assistenciais Guaçuanas (FEAG) terão uma mesa mais farta neste Natal. Isso porque os alunos do Projeto Escola Formare da Internacional Paper trabalharam desde outubro na organização de uma campanha de doação de alimentos para tornar o fim de ano de muita gente mais saboroso.

As doações foram feitas voluntariamente pelos profissionais da IP de Mogi Guaçu, que tiveram de 31 de outubro a 25 de novembro para fazer sua contribuição, doando alimentos não perecíveis. Aos alunos coube toda a parte operacional da organização de uma campanha: da distribuição dos panfletos de divulgação, à contagem dos itens para a montagem das cestas básicas.

Ao todo, foram arrecadados 205 itens, superando a marca de 150 kg de alimentos não perecíveis do ano anterior. Os produtos foram entregues no dia 5 de dezembro na FEAG, que reúne 23 instituições assistenciais de Mogi Guaçu, que trabalham em diferentes segmentos: atendimento e apoio a crianças e adolescentes, suporte a famílias carentes, a pessoas com deficiência, acolhimento a migrantes e pessoas em situação de rua, e na assistência a idosos.

A participação dos alunos do Formare em campanhas em datas comemorativas reforça o compromisso da IP com ações de voluntariado, mostrando aos jovens participantes do projeto que qualquer tipo de contribuição para transformar a vida das pessoas é válida, tanto para quem ajuda, como para quem recebe apoio.

 

prevent
Formare_mg_leandra_iip2

Papo Formare: unindo experiência e juventude em um aprendizado mútuo

Abrir um diálogo leve e descontraído sobre carreira e objetivos profissionais: este é o principal objetivo do Papo Formare, que aproximou os 39 jovens do Projeto Escola Formare IP de executivos da International Paper (IP), nas unidades de Mogi Guaçu e Luiz Antônio, ao longo das quase 70 edições dos encontros que ocorreram 2016. Confira uma retrospectiva dos bate-papos, com algumas das lições e dos ensinamentos transmitidos ao longo do ano.

eidio_frias_solenis_formare2Para começar bem o ano – Em fevereiro, quem abriu o ciclo de conversas com os alunos foi o executivo de Marketing da Solenis, Elídio Frias. Parceiro de longa data do IIP e do Projeto Formare, Elídio compartilhou experiências pessoais e profissionais, mostrando a importância de manter os pés no chão e estabelecer metas realistas. “Sempre procuro mostrar que todos têm potencial, mas é preciso conhecer a si mesmo, pois se você tem medo de ver sangue, tem que reconsiderar a ideia de se tornar médico”, disse ele aos alunos.

 

Formare_mg_leandra_iip2

Estudar sempre – Em março, a presidente do Instituto International Paper (IIP) e diretora Jurídica da IP, Leandra Ferreira Leite, falou aos alunos que para o sucesso na carreira é fundamental estar bem preparado para os desafios do caminho. “Os estudos podem ser um diferencial e isso é muito importante, mas também faço questão de dizer aos alunos que é preciso acreditar em um futuro melhor para alcançar os sonhos. E nunca desistir deles”, ressaltou.

“É muito gratificante poder contribuir para o crescimento desses futuros profissionais”

Experiência que transforma – O gerente-geral da unidade Mogi Guaçu, César Assin, foi um dos tutores da turma de 2016. Há 27 anos na IP, ele contou que, mesmo com toda a experiência como gestor, é possível aprender sempre mais. Também aproveitou para compartilhar sua vivência profissional. “É muito gratificante poder contribuir para o crescimento desses futuros profissionais e ver que a mudança acontece para todos nós (tutores, educadores voluntários e coordenação), além da vontade de vê-los vencer.”

 

eduardo fonseca 0012Sabor da conquista – No segundo semestre, o gerente de Assuntos Corporativos, Eduardo Fonseca, falou aos alunos sobre perseverança e persistência para que as coisas aconteçam.  “Nada vem fácil na vida, mas o prazer das conquistas é enorme, justamente por batalharmos por elas”, disse. Ele reforçou a importância do aprendizado que os alunos constroem na interação uns com os outros e também com os profissionais da IP. Este foi caso do gerente de Operações Industriais, Eurípedes Valadão “ Nesta vida, o que sempre se leva são as experiências”, salientou.

Newton_Scavone

“Conhece-te a ti mesmo” – Assim como Elídio Frias frisou no início do ano aos alunos, o gerente de Segurança do Trabalho e Meio Ambiente Newton Scavone, retomou a importância do autoconhecimento para as boas escolhas na vida, já na fase final do ciclo de 10 meses do Formare. Durante o encontro com os alunos, ele retomou o clássico aforismo grego atribuído a Sócrates: “Conhece-te a ti mesmo”, para falar de futuro. “Nós só podemos traçar um plano de reforma íntima, quando nos conhecemos e queremos melhorar”, disse ele.

IMG_4692

PEA beneficia mais de três mil pessoas em 2016

IMG_4698

O Programa Educação Ambiental (PEA), do Instituto International Paper tem muito a comemorar este ano.  As atividades envolveram um total de 3.161 pessoas, entre estudantes da Educação Básica e professores em sete municípios: Luiz Antônio, São Simão, Santa Rosa de Viterbo, Guatapará, Mogi Guaçu, Mogi Mirim, Aguaí e Altinópolis.

Este ano, o IIP trabalhou o PEA em duas formas: itinerante, em que as atividades vão até os estudantes nas escolas localizadas nas regiões onde a IP atua, e fixa, em que as ações acontecem nas dependências da International Paper, em Luiz Antonio e Mogi Guaçu, proporcionando uma vivência diferente aos alunos, que deixam o ambiente escolar para ver mais de perto como funciona uma indústria de papel.

No primeiro semestre, o PEA foi até as escolas. Já no segundo, alunos e professores excursionaram, de ônibus, pelas unidades e participaram das atividades na carreta interativa, que mostra os detalhes sobre a fabricação do papel, desmistificando alguns conceitos do processo produtivo, além de mostrar as ações da empresa para a preservação do meio ambiente.

Com a premissa de educar para transformar, o PEA traz não só informações sobre as florestas plantadas e a origem do papel, mas também aborda questões gerais de preservação ambiental, em um ambiente lúdico e atividades educativas em todos os momentos.

O programa de Educação Ambiental (PEA) é realizado desde 1993 nos municípios da região Luiz Antônio e Mogi Guaçu, tendo mais de 89 mil crianças e jovens nas regiões em que a empresa atua.

IMG_4699

05-formare1

Formare 2017: Confira os aprovados para entrevista em Luiz Antônio

05-formareRESULTADO DO PROCESSO SELETIVO – LUIZ ANTONIO

APROVADOS PARA ENTREVISTA

 Confira abaixo os candidatos aprovados para a próxima fase do processo seletivo do Formare International Paper – unidade Luiz Antônio/SP

Os candidatos aprovados farão um tour monitorado pelo processo de produção de celulose e na sequência serão submetidos às entrevistas pessoais.

Vestimenta obrigatória para visitar a fábrica:

  • calçado fechado sem salto;
  • camisa/camiseta;
  • calça jeans.

Não é  permitido o uso de sapatos com salto, sapatilhas, chinelos, sandálias de dedo ou tiras, camisetas regata, blusas de alcinha ou transparente, saias, vestidos, shorts ou bermudas.

Os candidatos deverão dirigir-se à entrada da Portaria 1 (Estacionamento) da International Paper.

TURMA 1: Candidatos convocados para participar no dia 02/12 (sexta-feira) às 8h.

1 Alex Gonçalves dos santo
2 Állan Gabriel dos Santos Bortolozzo
3 Allan Kennedy Alves
4 Ana Beatriz Ferreira
5 Ana Carla da Costa
6 Beatriz Ramos Gaspar
7 Caio Vinicius Tavares Costa Claro
8 Carolina Barcellos Coimbra
9 Celso Aparecido Silva Junior
10 Crisele Aparecida dos Santos Costa
11 Daiane Dos Santos Azevedo
12 Daniely Cristina Graciute Araújo
13 Gabriel Ribeiro Junqueira
14 Gabriela Pires Melo da Silva
15 Geani da Silva Dos Santos
16 Isabella Damasceno da Cruz
17 Isabelle Santos Gonçalves
18 Jenifer Cristina Justino Oliveira
19 Jéssica Caroline Balsan
20 Jéssica Mara de Jesus Oliveira
21 João Victor Lima Galiane
22 João Vitor Beluti da Silva
23 José Henrique dos Santos Belchior

 

TURMA 2: Candidatos convocados para participar no dia 02/12 (sexta-feira) às 13h.

1 Jose Mauro Querido Correia
2 Julia da Silva Souza
3 Juliana Teixeira Pimenta
4 Karen Maria Garcia
5 Kenedy da Silva Camargo
6 Letícia Beatriz Moreira
7 Luana Gabriele De Figueiredo
8 Luiz Felipe Souza schimidt
9 Luiz Henrique Gomes Pauferro
10 Marcelo Junior Meira Alves
11 Maria Vitoria Januario
12 Mileny Hatsue Nomura
13 Othon Omar Balthazar
14 Pâmela Priscila Baldissarelli Bibiano
15 Paulo Henrique Oliveira da Silva Santos
16 Pérola Nicole Gonçalves
17 Rafaela Gonçalves Duarte
18 Raila da Silva Santos
19 Rita de Cássia Ribeiro
20 Rodrigo Augusto Moreira
21 Suellen Santana Guedes
22 Verônica Bernardes Souza
23 Vitoria Natalia Ignacio Gonçalves

 A empresa ofertará transporte gratuito aos candidatos, confira o trajeto e os pontos de embarque abaixo:

 SELECIONADOS NO PERÍODO DA MANHÃ

 Trajeto: Santa Rosa de Viterbo – São Simão – Luiz Antônio – Fábrica IP (ônibus Transanti)      

Parada 1 – Santa Rosa de Viterbo:
Local: EE Conde Francisco Matarazzo
Horário de embarque: 6h

Local: EE Salustiano Lemos
Horário de embarque: 6h05

Parada 2 – São Simão
Local: EE Agenor Medeiros
Horário: 6h40

Local: EE Capitão Virgílio Garcia
Horário: 6h55

Parada 3 – Luiz Antônio
Local: Rodoviária Municipal
Horário: 7h15

Trajeto: Guatapará – Fábrica IP (Táxi Coopcar)

Local: EE Gavino Virdes
Horário: 7h20

Local: Ponto de ônibus Mombuca
Horário: 7h30

SELECIONADOS NO PERÍODO DA TARDE

 Trajeto: Santa Rosa de Viterbo – São Simão – Luiz Antônio – Fábrica IP (ônibus Transanti)      

Parada 1 – Santa Rosa de Viterbo:
Local: EE Conde Francisco Matarazzo
Horário de embarque: 11h

Local: EE Salustiano Lemos
Horário de embarque: 11h05

Parada 2 – São Simão
Local: EE Agenor Medeiros
Horário: 11h40

Local: EE Capitão Virgílio Garcia
Horário: 11h55

Parada 3 – Luiz Antônio
Local: Rodoviária Municipal
Horário: 12h15

Trajeto: Guatapará – Fábrica IP (táxi Coopcar)

Local: EE Gavino Virdes
Horário: 12h20

Local: Ponto de ônibus Mombuca
Horário: 12h30

Alunos da Escola Municipal Joaquim Marques de Souza (2)

Natureza e Corpo encerra o ano com alimentação saudável na escola

Alunos da Escola Municipal Joaquim Marques de Souza (3)

Educar para um estilo de vida mais saudável. Com este propósito, o Instituto International Paper promove anualmente o “Natureza e Corpo”, projeto que propõe às escolas do município de Três Lagoas (MS) uma reflexão sobre qualidade de vida por meio da implantação de hortas comunitárias. A edição deste ano, que teve início no primeiro semestre, terminou em 21 de novembro, na escola Joaquim Marques de Souza, e no dia 22, na Escola Parque São Carlos. Mais de 1.600 alunos foram beneficiados.

Os professores desenvolveram as atividades relacionando-as ao contato com as mudas. Assim, os estudantes aprenderam não só técnicas de cultivo de vegetais, como também aplicaram a teoria da sala de aula ao dia a dia na horta, em uma prática interdisciplinar.

O encerramento do projeto foi marcado por um evento, no qual foi feito um balanço dos conceitos ensinados aos jovens, os principais pontos de aprendizado e troca. Os alunos puderam também participar de um workshop, quando assistiram a um espetáculo teatral, que trouxe dois temas trabalhados no projeto: alimentação saudável e a história do café. Além das atividades expositivas, os alunos foram estimulados a propor melhorias para a horta no próximo ano. Após votação, as melhores propostas serão colocadas em prática em 2017.

De 2013 a 2015, o foco do “Natureza e Corpo” era o resgate dos costumes populares da região de Mato Grosso do Sul, por meio do cultivo de ervas aromáticas, mostrando como a saúde, a natureza e as tradições estão interligadas e fazem parte da cultura de um povo. Este ano, porém, o projeto deu um passo à frente e levou o plantio de verduras e legumes para a escola, visando ao estímulo de uma alimentação mais variada e nutritiva, por meio dessa aproximação de crianças e adolescentes ao contato com a terra.

A escolha do tema vem em um momento em que entidades internacionais discutem estratégias para uma alimentação ambientalmente sustentável e economicamente viável. Tanto que o ano de 2016 foi eleito pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o Ano Internacional das Leguminosas. Trata-se de uma forma de chamar a atenção do mundo para a criação de políticas públicas que estimulem o consumo destes alimentos.

Ciente da importância da discussão desta temática no âmbito escolar, o Instituto International Paper trabalhou em seus projetos a questão da alimentação saudável em outras vertentes, como nos concursos Literário e de redação do ESA (Projeto Educação Socioambiental), levando alunos e educadores a refletirem sobre os próprios hábitos alimentares.

 

 

IMG-20161110-WA0050

Alunos do Formare desenvolvem foguete de garrafa PET

IMG-20161118-WA0031O Projeto Escola Formare do Instituto International Paper realizou, de fevereiro a outubro deste ano, atividades multidisciplinares orientadas pelo educador voluntário Joselir Cassuti, que consistia na montagem de um foguete com garrafas PET.

A iniciativa apresentada pelo educador, que trabalha há 22 na International Paper, envolvia todas as disciplinas. Mas foi em suas aulas de Química, que Joselir falou a respeito do projeto para os alunos, dividindo-os em grupos de quatro a cinco integrantes para produzirem o foguete.

O professor propôs o desafio quando entregou duas garrafas PET para os alunos. “Ao receberem o material, ficaram confusos. Mas quando começamos a recortar as garrafas e as peças surgiram, eles ficaram impressionados e empolgados com a ideia”, comenta o educador.

Os alunos desenharam individualmente as peças e depois entenderam mais sobre a base do foguete e suas funções, levando em conta que não poderia ser pesado por causa do voo. “Aprender sobre todo o processo foi fundamental para a estabilidade do objeto”, explica o professor.

Após concluírem o projeto, os alunos tiveram uma semana de apresentação. Uma bancada foi montada em frente à saída do restaurante da IP de Luiz Antônio e ali receberam perguntas dos profissionais da fábrica. “Os alunos foram questionados sobre temas que envolviam Química, segurança e processo de criação do foguete”, afirma Joselir.

Lançamento de Foguete – No dia 18 de novembro, os alunos participaram de uma competição no gramado da fábrica e ficaram muito impressionados com a estrutura montada para a realização da atividade.

Bandeirinhas no chão demarcavam a distância de dez metros para indicar o espaço que os foguetes atingiriam, o que fosse mais longe receberia a maior nota. Houve empate do primeiro lugar entre os foguetes Quimicopet Turbo F6 e Newton nas Estrelas.

Além da prova de lançamento de foguete, a competição incluía a categoria de nome mais criativo. Quatro foguetes concorriam: Blue Bird, Ácmon, Quimicopet Turbo F6 e Newton nas Estrelas, que recebeu o maior número de votos dos profissionais da fábrica.

“Todo esse projeto foi um desafio para os alunos. Eles não realizaram somente a produção do foguete, mas também as apresentações e avaliações. Fiquei impressionado com o empenho que tiveram ao longo do curso. É incrível ver que eles chegam aqui uma estrelinha apagada e no fim saem todos brilhantes”, diz Joselir.

Segundo o professor, os estudantes receberam nota pelo empenho e dedicação demonstrados do início ao fim do trabalho, além de terem ficado surpresos e contentes com o projeto e todas as atividades das quais participaram. A formatura e a colação de grau dos alunos do Formare serão no dia 16 de dezembro, na unidade Luiz Antônio da International Paper.

shutterstock_224404624

OMS propõe aumento de impostos para alimentos e bebidas prejudiciais à saúde

shutterstock_224404624A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou neste ano uma proposta de estabelecer medidas a fim de reduzir a obesidade no mundo. A estratégia é reorientar a alimentação por meio de políticas de incentivo a alimentos saudáveis e aumento de impostos em alimentos não saudáveis.

Entidades, como a OMS, estão em busca de ações que tragam políticas tributárias para reduzir a compra de alimentos e bebidas que colocam a saúde em risco, para diminuir a incidência de doenças crônicas, como diabetes, hipertensão e doenças cardiovasculares, e combater um problema mundial: a obesidade.

Se as políticas fiscais fossem adotadas no Brasil e pelo restante do mundo, o valor das bebidas açucaradas aumentaria em 20%. A prova de que a implantação seria eficaz, é a experiência no México, que sobretaxou em 10% esses produtos, reduzindo sua compra em 12%.

Na análise da OMS, o aumento dos impostos não seria somente em bebidas açucaradas, mas sobre praticamente todos os alimentos e bebidas que contém gorduras saturadas, gorduras trans e produtos derivados de tabaco.

A medida também busca atribuir subsídios de frutas e vegetais frescos entre 10 e 30%, com o intuito de aumentar o consumo desses alimentos ricos em nutrientes.

A estimativa é que um a cada três adultos da população mundial (39%) está acima do peso, por essa razão ter conhecimento sobre uma alimentação saudável e refletir sobre os aspectos ambientais que isso causa ao planeta é muito importante. Uma vez que 51% da população brasileira é obesa.

Estimulando a alimentação saudável - A Organização das Nações Unidas (ONU) elegeu 2016 como o Ano Internacional das Leguminosas, por isso a International Paper escolheu a Alimentação Saudável como tema para os projetos Educação Ambiental (ESA) e Natureza e Corpo.

Durante os meses de agosto e outubro, os dois projetos do IIP realizaram atividades com alunos dos ensinos fundamental e do médio abordando temas de muita relevância, mas pouco discutidos nas escolas: as práticas saudáveis de alimentação e a contribuição para um planeta mais sustentável e econômico.

O projeto Natureza e Corpo do IIP propôs que alunos de escolas municipais visitassem hortas, aprendendo sobre o cultivo de verduras e legumes e os cuidados necessários com a terra, para que refletissem a respeito de uma vida mais saudável e a preservação do meio ambiente. O projeto geralmente já tem como princípio trabalhar a educação alimentar por meio de hortas comunitárias.

Além disso, a importância das leguminosas, de uma dieta equilibrada e das ações sustentáveis foram estabelecidas como temática de duas tradicionais iniciativas do Instituto da Internacional Paper: o Concurso de Redação e Concurso Literário, que estão respectivamente na 41ª e 11ª edições.

O documento divulgado pela OMS, está disponível em inglês aqui
.

 

05-formare1

Mogi Guaçu: confira a lista de aprovados para a entrevista

05-formare

Confira abaixo os candidatos aprovados para a próxima fase do processo seletivo do Formare International Paper – unidade Mogi Guaçu/SP

Os aprovados farão um tour monitorado pelo processo de produção de celulose e na sequência serão submetidos às entrevistas pessoais.

Vestimenta obrigatória para visitar a fábrica:

  • calçado fechado sem salto;
  • camisa/camiseta com manga;
  • calça jeans.

Não é  permitido o uso de sapatos com salto, sapatilhas, chinelos, sandálias de dedo ou tiras, camisetas regata, blusas de alcinha ou transparente, saias e vestidos, shorts e bermudas.

Os candidatos deverão dirigir-se à entrada da Portaria 1 (Estacionamento) da International Paper.

TURMA 1: Candidatos convocados para participar no dia 24/11 (quinta-feira) às 8h.

1 Alan Henrique de Oliveira Menezes
2 Aldrey Mariane da Silva Ferreira
3 Aline Aparecida Scanavachia
4 Amanda Cardoso da Costa
5 Amanda Caroline Domingos
6 Amanda Penaforte de Lima
7 Ana Beatriz de Faria
8 Ana Beatríz Garcia Pereira
9 Anderson Antonio da Silva
10 Arthur Marlon Acencio
11 Brenda Tuany Moreira Gonçalves
12 Bruno Felipe Ferreira da Silva
13 Bruno Henrique Vieira
14 Bruno Richard Oliveira da Silva
15 Camila Negli Panseri
16 Carlos Felipe Landucci da Silva
17 Eduardo Henrique Dos Santos
18 Éllen Gonçalves Catine
19 Flavio Scomparin Gomes
20 Gabriele Bigaram Rosalino
21 Giovanna Gabrielly Silva Costa
22 Graziele Caroline Borges
23 Guilherme Brandão Martins de Sousa

 

TURMA 2: Candidatos convocados para participar no dia 24/11 (quinta-feira) às 13h.

1 Guilherme Elander da Silva Benati Batista
2 Gustavo Borges De Lima
3 Gustavo de Sousa Silva
4 Hebert Willam da Rosa
5 Ivana Renata Zavoski
6 Jenifer Kauany de Souza dos Reis
7 João Otavio Lucio Della Torre
8 Juliano Setin Feriato
9 Lúcia Regina da Cruz
10 Marcos Abreu de Souza
11 Marcos Gabriel dos Santos Carvalho
12 Maria Luiza Clemente de Abreu Sampaio Cyrino
13 Mateus Henrique Gonçalves
14 Matheus Felipe Casagrande
15 Matheus Guimarães Justino
16 Nathália da Costa
17 Paloma Coraini de Souza
18 Rafael Luiz de Moura Borges
19 Renata Idalina de Souza
20 Sarah da Rocha Porfírio
21 Sarah Ferreira Alves Silva
22 Sarah Ribeiro da Silva
23 Stefany Nunes do Amaral
24 Thainá Ferreira de Sousa
05-formare1

Aprovados no Formare 2017 de Luiz Antônio

05-formare

Confira a lista de aprovados na primeira fase do processo seletivo do Formare International Paper, na unidade Luiz Antônio/SP

A dinâmica de grupo acontecerá na fábrica da International Paper – Rodovia SP 255, km 41,2 – Luiz Antônio/SP e a empresa ofertará transporte gratuito aos candidatos. Veja ao final os itinerários, os horários de partida  e os pontos de embarque.

TURMA 1: Candidatos convocados para participar da dinâmica de grupo no dia 28/11 (segunda-feira), às 9h.

1 Adriane de Almeida Câmara
2 Alex Gonçalves dos Santos
3 Aliane Mamud de Oliveira
4 Állan Gabriel dos Santos Bortolozzo
5 Allan Kennedy Alves
6 Ana Beatriz Ferreira
7 Ana Carla da Costa
8 Ana Carolina Maximiano da Silva
9 Ana Rosa Geraldo dos Santos
10 Andreza Grazielli Assunção Souza
11 Beatriz Ramos Gaspar
12 Caio Vinicius Tavares Costa Claro
13 Carolina Barcellos Coimbra
14 Celso Aparecido Silva Junior
15 Crisele Aparecida dos Santos Costa
16 Daiane Dos Santos Azevedo
17 Daniely Cristina Graciute Araújo
18 Dauto Jorge Rosa
19 Eduardo Alves dos Santos
20 Eliézer Samuel Gomes Isidoro
21 Emili Cristina da Silva Ataliba
22 Esthefani Bianca da Silva Pereira
23 Esther Léa Neves Campos
24 Gabriel Ribeiro Junqueira

TURMA 2: Candidatos convocados para participar da dinâmica de grupo no dia 28/11 (segunda-feira), às 14h.

1 Gabriela Pires Melo da Silva
2 Gabrielle Araújo Camargo
3 Geani da Silva Dos Santos
4 Graziela Flausino da Silva
5 Henrique Vitorio de Souza
6 Isabella Damasceno da Cruz
7 Isabelle Santos Gonçalves
8 Jenifer Cristina Justino Oliveira
9 Jéssica Caroline Balsan
10 Jessica Gonçalves
11 Jéssica Maiara dos Santos
12 Jéssica Mara de Jesus Oliveira
13 João Matheus Martins
14 João Victor Lima Galiane
15 João Vitor Beluti da Silva
16 José Henrique dos Santos Belchior
17 Jose Mauro Querido Correia
18 Julia da Silva Souza
19 Júlia de Fátima Plez dos Reis
20 Juliana Teixeira Pimenta
21 Karen Maria Garcia
22 Kenedy da Silva Camargo
23 Leonardo Rafael Bertanholi Viana
24 Letícia Beatriz Moreira

TURMA 3: Candidatos convocados para participar da dinâmica de grupo no dia 01/12 (quinta-feira), às 9h.

1 Leticia Vitoria da Silva
2 Luana Gabriele De Figueiredo
3 Luiz Felipe Souza Schimidt
4 Luiz Henrique Gomes Pauferro
5 Marcelo Junior Meira Alves
6 Maria Eduarda de Lima Contato
7 Maria Leticia dos Santos
8 Maria Vitoria Januario
9 Mileny Hatsue Nomura
10 Nadiane Aparecida Candido
11 Othon Omar Balthazar
12 Pâmela Priscila Baldissarelli Bibiano
13 Paulo Henrique Oliveira da Silva Santos
14 Pérola Nicole Gonçalves
15 Rafaela Gonçalves Duarte
16 Raila da Silva Santos
17 Ricardo Moreira dos Santos
18 Rita de Cássia Ribeiro
19 Rodrigo Augusto Moreira
20 Suellen Santana Guedes
21 Tauana dos santos batista
22 Taynara Rosa Goveia Amorim
23 Verônica Bernardes Souza
24 Vitoria Natalia Ignacio Gonçalves

Confira o trajeto e os pontos de embarque do transporte gratuito:

SELECIONADOS NO PERÍODO DA MANHÃ (28/11 e 01/12 – Turma 1 e 3)

 

Trajeto: Santa Rosa de Viterbo – São Simão – Luiz Antônio – Fábrica IP (ônibus Trans Santi)      

Parada 1 – Santa Rosa de Viterbo:
Local: EE Conde Francisco Matarazzo
Horário de embarque: 07h00

Local: EE Salustiano Lemos
Horário de embarque: 07h05

Parada 2 – São Simão
Local: EE Agenor Medeiros
Horário: 07h40

Local: EE Capitão Virgílio Garcia
Horário: 07h55

Parada 3 – Luiz Antônio
Local: Rodoviária Municipal
Horário: 08h15

 

Trajeto: Guatapará – Fábrica IP (Táxi Coopcar)
Local: EE Gavino Virdes
Horário: 08h20

Local: Ponto de ônibus Mombuca
Horário: 08h30

SELECIONADOS NO PERÍODO DA TARDE (28/11 – Turma 2)

 

Trajeto: Santa Rosa de Viterbo – São Simão – Luiz Antônio – Fábrica IP (ônibus Tran Santi)      

Parada 1 – Santa Rosa de Viterbo:
Local: EE Conde Francisco Matarazzo
Horário de embarque: 12h00

Local: EE Salustiano Lemos
Horário de embarque: 12h05

Parada 2 – São Simão
Local: EE Agenor Medeiros
Horário: 12h40

Local: EE Capitão Virgílio Garcia
Horário: 12h55

Parada 3 – Luiz Antônio
Local: Rodoviária Municipal
Horário: 13h15

 

Trajeto: Guatapará – Fábrica IP (táxi Coopcar)
Local: Praça da Igreja
Horário: 13h20

Local: Ponto de ônibus Mombuca
Horário: 13h30

05-formare1

Aprovados no Formare 2017 de Mogi Guaçu

05-formare

Confira a lista de aprovados na primeira fase do processo seletivo do Formare International Paper na unidade Mogi Guaçu/SP

A dinâmica de grupo acontecerá no Horto Florestal - Centro de Treinamento da International Paper – Rodovia SP 340, Km 171 – Mogi Guaçu/SP)

TURMA 1: Candidatos convocados para participar da dinâmica de grupo no dia 21/11 (segunda-feira), às 9h.

1 Alan Henrique de Oliveira Menezes
2 Aldrey Mariane da Silva Ferreira
3 Aline Aparecida Scanavachia
4 Amanda Cardoso da Costa
5 AMANDA CAROLINE DOMINGOS
6 Amanda Penaforte de Lima
7 Ana Beatriz de Faria
8 Ana Beatríz Garcia Pereira
9 Ana Brenda Almeida de Vaz
10 Ana Carolina Coelho Bassichetti
11 Ana Flavia Barbosa Da Silva
12 Anderson Antonio da Silva
13 Arthur Marlon Acencio
14 Brenda Gabriely de Oliveira
15 Brenda Tuany Moreira Gonçalves
16 BRUNO FELIPE FERREIRA DA SILVA
17 Bruno Henrique Vieira
18 Bruno Richard Oliveira da Silva
19 Camila Negli Panseri
20 Camila Roberta Marsal
21 Carlos Felipe Landucci da Silva
22 Eduardo Henrique Dos Santos
23 Éllen Gonçalves Catine
24 Flavio Scomparin Gomes

 

TURMA 2: Candidatos convocados para participar da dinâmica de grupo no dia 21/11 (segunda-feira) às 14h.

1 Gabriele Bigaram Rosalino
2 Giovanna Gabrielly Silva Costa
3 Graziele Caroline Borges
4 Guilherme Brandão Martins de Sousa
5 Guilherme Elander da Silva Benati Batista
6 Gustavo Borges De Lima
7 Gustavo de Sousa Silva
8 Hebert Willam da Rosa
9 Hugo Yuji takakua
10 Ingrid de Jesus Augusto
11 Ivana Renata Zavoski
12 Jenifer Kauany de Souza dos Reis
13 João Otavio Lucio Della Torre
14 Julia Scarabello Serafim
15 Juliana da Silva de Araújo
16 Juliano Setin Feriato
17 Leandro Marcelino de Paula Garbi
18 LEONARDO VINICIUS GONÇALVES DE OLIVEIRA
19 Lilieny Karoline Gonçalves
20 Lucas Rodrigo Liel
21 Lúcia Regina da Cruz
22 Marcos Abreu de Souza
23 Marcos Gabriel dos Santos Carvalho
24 Maria Luiza Clemente de Abreu Sampaio Cyrino

 

TURMA 3: Candidatos convocados para participar da dinâmica de grupo no dia 22/11 (terça-feira) às 14h.

1 Mateus Henrique Gonçalves
2 Matheus Felipe Casagrande
3 Matheus Guimarães Justino
4 Mayra Martins De Freitas
5 Natália Cristina Francisco
6 Nathália da Costa
7 NICOLE AZEVEDO
8 Paloma Coraini de Souza
9 Patrick de Araujo Neves
10 Patrik Marlon de Almeida Silva
11 Paulo Ricardo De Oliveira
12 Rafael Luiz de Moura Borges
13 Renata Idalina de Souza
14 Sarah da Rocha Porfírio
15 Sarah Ferreira Alves Silva
16 Sarah Ribeiro da Silva
17 Stefany Nunes do Amaral
18 Thainá Ferreira de Sousa

 

05-formare1

Aprovados no Formare 2017 de Três Lagoas

05-formare

Confira a lista dos aprovados na primeira fase do processo seletivo do Formare em Três Lagoas. Os nomes estão em ordem alfabética.

A segunda fase acontece no dia 16/11 (quarta-feira), às 13h no Colégio Objetivo  – Rua Urías Ribeiro, 2327 – Alto da Boa Vista.

APROVADOS PARA 2 ª FASE (DINÂMICA)  PROCESSO SELETIVO FORMARE 2017 – TRÊS LAGOAS/MS
NOME
1 Abner Loureiro Santana
2 Alisson Torres Moreira
3 Ana Luiza Oliveira Bazan
4 Ane Caroline Rodrigues dos Santos
5 Beatriz Soares de oliveira
6 Bianca Pereira Catania
7 Bruna Maria Almeida e Santos
8 Bruna Pereira Queiroz de Almeida
9 Bruno Barbosa de Oliveira
10 Carlos Henrique Damião dos Santos Filho
11 Cassiane da Silva Domingues
12 Cleisla Martins da Silva
13 Danatielly Peixoto Uchôa
14 Dayane de Oliveira Araujo da Silva
15 Débora Gomes De Lima
16 Eduardo Borges Lopes
17 Eliziane Gabrielli dos Santos Ramos
18 Êmily Aparecida Gomes da Silva
19 Felipe Alexandre Alcantara
20 Felipe da Silva Campos
21 Felipe Henrique Medeiros de Lima
22 Gelson Rosa Cardoso Junior
23 Gisele Vitoria da Cunha Oliveira
24 Guilherme Pereira Calixto Gomes
25 Higor vieira brambilla
26 Isabella Saloah Valentim da Silva
27 João Augusto dos Santos
28 juliane Ribeiro Teixeira
29 Karen Moreira dos Santos Cavanha
30 Karina da Costa Conceição
31 Karina da Silva Souza
32 Kerolyn Barreto Barbosa
33 Ketlin Franco Faria
34 lavínia ferreira bispo
35 Leticia da Silva Moreira
36 Letícia Vasques Lucena
37 Lincoln Batista Melchior
38 Luana Regina Dias Ribeiro
39 Lucas Emanoel Witter de Souza
40 Mari Ellen Costa Romero
41 Maria Aparecida Fernandes dos Santos da Silva
42 MARIA EDUARDA
43 Maria Eduarda Ribeiro Martins
44 Mateus dos Santos
45 Natálya Moreira da Silva
46 Pâmela Feitosa Dos Santos
47 Paulo Ricardo Gonçalves Gama Monteiro
48 Rafaela Maurilha Alves Da Silva
49 Rhaislla Aleixo Dos Reis
50 Stéfany de Souza Felix
51 Stephanie Karoline Angelini Tavares Seara
52 Suze Eliane Ferreira da Silva
53 Tainara Batista Godinho
54 VICTOR FERNANDO GARCIA MEIRA
55 Vitória Maria de Oliveira Damaceno
25-10-06_0906

Apicultura Solidária: apicultores realizam curso de capacitação no SEBRAE

fotos sebrae 1_2

Os apicultores do projeto “Apicultura Solidária”, do Instituto International Paper, participaram de oficinas para aprimorar as técnicas e também expandir os pontos de vendas. A ideia é que a Cooperativa tenha mais autonomia e, assim, amplie sua participação no mercado.

O projeto envolve os profissionais da Cooperativa dos Apicultores da Região de Ribeirão Preto (COOPERAPIS), que atuam nas cidades de Luiz Antônio, Brotas e Altinópolis, que, entre outras áreas de cultivo, utilizam para a produção de mel as florestas de eucalipto da International Paper.

A Cooperativa, juntamente com o SEBRAE, (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), promoveu cursos para os cooperados. A capacitação chega para ampliar os conhecimentos, uma vez que o processo de envase de mel atualmente é todo terceirizado. Com essa capacitação, os apicultores poderão realizar o envase e a distribuição sem a necessidade de entreposto.

Por meio do projeto “Apicultura Solidária”, os apicultores são beneficiados pelo Instituto IP por meio da geração de renda proporcionada pela produção proveniente das florestas plantadas, sendo este o ganho principal para o sustento das famílias dos cooperados.

Para ter maior domínio do trabalho e expandir os negócios, foram ministradas oficinas sobre o Relacionamento da Cadeia de alimentação entre abril e junho deste ano, com os seguintes temas:

  • Exigências Legais de Formalização e Comercialização
  • Produtos Agroindustriais Como Forma de Agregação de Valor – Apicultura
  • Canais de Distribuição

Em outubro, houve outra capacitação, desta vez no Senac de Ribeirão Preto, em que os apicultores assistiram mais oficinas e colocaram seus produtos à mostra.

Apesar da terceirização do envasamento, o mel é todo produzido pela Cooperativa: “Nós acompanhamos as empresas quando estão no processo de envase, para que no dia a dia possamos aplicar as normas que aprendemos”, explica José Antônio Monteiro, líder da COOPERAPIS.

Segundo Monteiro, a Cooperativa pretende expandir a participação nas oficinas e consequentemente os pontos de venda a partir do envase e da distribuição do mel no mercado. Além da parte logística, estes profissionais estão sempre em busca de diferentes soluções para qualquer problema que possa surgir na produção.

De olho no calendário – Em janeiro, o SEBRAE disponibiliza o calendário de cursos e já no início do ano, os apicultores verificam quais são interessantes para o grupo se aperfeiçoar. Os processos de capacitação são para todos, inclusive iniciantes. “Para o pessoal novo as oficinas são muito importantes, até porque eles estão aprendendo a trabalhar e a desenvolver o processo de apicultura”, diz Monteiro.

Com a capacitação, os apicultores obtiveram conhecimento sobre o sistema de gestão e também para que acompanhem o processo em toda a cadeia produtiva. Além disso, passam a ter uma visão mais ampla de sua atividade: da instalação das caixas-iscas, colheita ao envase e distribuição do produto final nos pontos de venda. “Os apicultores admiraram a organização das empresas durante os testes de envase. Dessa forma, eles valorizam ainda mais seus trabalhos”, conta Monteiro.

Para que o envase seja possível dentro da COOPERAPIS, a empresa precisa de um espaço adequado, e esse é o próximo passo da Cooperativa. Para isso, é necessário a aprovação do SIF – Serviço de Inspeção Federal ligado ao Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal – DIPOA.

A COOPERAPIS reconhece que faz um bom trabalho no mercado e que estar mais envolvida em todas as etapas do processo produtivo de mel é muito importante para conquistar mais espaço no mercado. E a parceria com parceria com o IIP é fundamental para que todas essas melhorias aconteçam.  “Se não fosse a International Paper, por meio do Instituto, nós não conseguiríamos evoluir em conhecimento técnico e aprimoramento de todos os processos produtivos. Parte do nosso sucesso é fruto desta parceria”, reitera Monteiro.

Em 2016, o tema foi "Alimentação Saudável"

ESA premia as melhores redações sobre alimentação saudável

Tema da ONU leva comunidade escolar a refletir sobre sustentabilidade alimentar nos concursos do Projeto Educação Socioambiental

_MG_5684

O Instituto International Paper (IIP) premiou, no dia 20 de outubro, alunos e professores vencedores do 41º Concurso de Redação e do 11º Concurso Literário do Projeto Educação Socioambiental (ESA). A cerimônia aconteceu no Espaço Genesis Eventos, em Mogi Guaçu e foi marcada por muita emoção.

Nesta edição, a temática_MG_5627 foi alinhada com o Ano Internacional das Leguminosas, proposto pela Organização das Nações Unidas (ONU) para 2016.  E, sabendo da importância desse assunto, o IIP adaptou esse tema para “Alimentação Saudável” a ideia foi leva-lo em pauta para que os participantes do projeto pudessem discutir e refletir sobre essa temática tão importante em nosso dia-a-dia. Desta forma, o IIP levou o tema à comunidade escolar dos municípios paulistas Mogi Guaçu, Mogi Mirim e Estiva Gerbi, propondo a reflexão por meio das redações. O projeto também ofereceu aos professores workshops aos professores sobre técnicas de escrita e revisão gramatical.

Fazer parte de um evento que contribui para a formação de crianças e jovens há quatro décadas é mais do que motivo de orgulho para os profissionais do IIP.  É um trabalho encarado como uma missão. “É muito gratificante poder contribuir para um projeto tão tradicional, que faz parte do calendário escolar da região”, diz a Gerente de Responsabilidade Social e Sustentabilidade da International Paper, Gláucia Faria.

O Concurso de Redação do projeto EducAção Socioambiental é voltado para alunos do 5º e 9º anos do Ensino Fundamental e 3º ano do Ensino Médio. Já o Concurso Literário é destinado a professores, e traz sempre temas da atualidade para reflexão e prática em sala de aula. Para as finais, foram selecionados 304 alunos: 130 do 5º ano do Ensino Fundamental, 107 estudantes do 9º ano do Ensino Fundamental e 67 alunos do último ano do Ensino Médio. O número de finalistas foi semelhante ao de 2015, com 306 alunos.

Conheça os vencedores

41º Concurso de Redação

Categoria 5º ano – Ensino Fundamental

1º lugar: Ana Flávia S. Pereira – EMEF Prof° Antonio Carnevalle – Mogi Guaçu
2º lugar: Gabriel L. Magrini – EMEF Prof° Antonio Carnevalle – Mogi Guaçu
3º lugar: Sofia C. do Amaral – Colégio Seletivo – Mogi Guaçu

Categoria 9º ano – Ensino Fundamental

1º lugar: Letícia Silva Magalhães – Colégio Delta Nobre – Mogi Mirim
2º lugar: Adriana J. Plínio – EMEB Jorge Bertolaso Stella – Mogi Mirim
3º lugar: Júlya Gabrielle Godoi – EMEB Prof° Cleusa M.V. de Mello – Mogi Mirim

Categoria 3º ano – Ensino Médio

1º lugar: Milena Lima De Falco – Anglo – Mogi Guaçu
2º lugar: Mariana P. da Silva – FEG – Mogi Guaçu
3º lugar: Ágata Bruna N.M. Pimentel – EE Monsenhor Nora – Mogi Mirim

Vencedores do 11º Concurso Literário

1° Jair Dias – Mogi Mirim
2° Doralice dos Santos Scafi – Mogi Mirim
3° Lilian Mirelly Oliveira Silva Faria – Mogi Guaçu

DSC_0175

Alunos do Formare participam da SIPAT 2016

Estudantes elaboram maquete e mostram como são os processos da IP

DSC_0175

Segurança para a International Paper é um valor. E para reforçar todas as medidas que a empresa faz para tornar todos os ambientes de trabalho mais seguros, a CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) da International Paper, contou com uma ajuda extra na Semana Interna de Prevenção aos Acidentes de Trabalho (SIPAT) deste ano: dos alunos do Formare. A turma de Mogi Guaçu participou ativamente do evento, que aconteceu entre os dias 04 e 14 de outubro. Além de acompanharem as palestras, os alunos construíram uma maquete detalhada da unidade, com as diferentes áreas que envolvem o processo de fabricação de papel e celulose.

Além desta atividade, eles fizeram apresentações aos profissionais, colocando em prática todos os ensinamentos das diversas aulas ministradas pelos EVs (educadores voluntários) ao longo da formação profissionalizante, como comunicação oral e escrita e processos de fabricação de papel e celulose, por exemplo.

Em Luiz Antonio, não foi diferente. Os alunos ficaram responsáveis pela apresentação do estande de “Sustentabilidade” aos participantes da SIPAT. De 03 a 11 de outubro, os alunos se organizaram em grupos para fazer o revezamento da apresentação do stand, que buscou informar os funcionários sobre as principais ações de sustentabilidade da IP e tirar dúvidas sobre o Relatório GRI.

Com a ajuda de EVs, cipeiros, familiares, colaboradores da IP e provedores de serviços, os alunos idealizaram e construíram três maquetes representando o tripé de sustentabilidade corporativa (financeiro, social e ambiental) e a sua relação com as metas da companhia para o ano de 2020. Na maquete “Financeiro” os alunos fizeram a representação das metas de eficiência energética e eficiência de fibras; na maquete “Social” os tópicos foram os programas de segurança e as ações do Instituto IP junto às comunidades vizinhas; com relação ao “Meio Ambiente” os alunos apresentaram as metas de reciclagem de aparas e melhoria da qualidade da água.

Ao final das exposições os participantes eram convidados a fazer uma recapitulação da explicação e testar seus conhecimentos no game de sustentabilidade.

capa relatorio

International Paper supera metas de redução na emissão de poluentes antes do previsto

capa relatorioInternational Paper supera metas de redução na emissão de poluentes antes do previstoA multinacional reduziu, globalmente, 18% suas emissões de poluentes e 17% das substâncias destruidoras de oxigênio nas águas residuais das fábricas

A International Paper, líder mundial em fabricação de papéis para imprimir e escrever e embalagens, acaba de divulgar o andamento de suas metas globais de sustentabilidade para 2020, firmadas espontaneamente pela companhia em 2011. Até 2015, a companhia reduziu 18% nas emissões de poluentes (SOx, NOx, MP), 8% acima da meta, e a diminuiu 17% das substâncias destruidoras de oxigênio (DBO) nas águas residuais das fábricas, 2% acima do esperado para o final do período. Os dados são do Relatório de Sustentabilidade 2015, que reúne as principais realizações, desafios e iniciativas da companhia entre 1º de janeiro e 31 de dezembro do ano passado.

O documento, que considera todas as unidades da companhia na América Latina, é produzido em linha com as diretrizes da Global Reporting Initiative (GRI), reconhecida mundialmente por estabelecer princípios e indicadores de desempenho econômico, ambiental e social. “O balanço é uma ferramenta da IP que permite mostrar seu compromisso com a sustentabilidade e com os recursos renováveis”, ressalta Glenn Landau, presidente de International Paper Latinoamérica.

O relatório ressalta também, a expansão dos projetos e ações do Instituto International Paper, que, em 2015, recebeu um investimento de mais de R$ 2,5 milhões e impactou diretamente mais de 39 mil pessoas, por meio de 27 ações.

05-formare1

IIP abre inscrições para o Formare 2017

05-formareDe 11/10 a 04/11 estarão abertas as inscrições para o processo seletivo do FORMARE International Paper nas regiões de Mogi Guaçu, Luiz Antônio e Três Lagoas. Pela primeira vez, o processo seletivo das três unidades da IP será integrado e com várias novidades.

O curso de iniciação profissional é um complemento ao ensino regular, sendo as aulas ministradas de segunda a sexta-feira, durante o dia, nas fábricas da International Paper. No total, serão disponibilizadas 50 vagas (20 vagas para as unidades de celulose e papel de Luiz Antônio e Mogi Guaçu/SP e 10 para a unidade de papel em Três Lagoas/MS)

FORMARE: Como funciona

Lançado na International Paper em 2010, o Projeto Escola Formare, desenvolvido pela Fundação Iochpe, oferece cursos de educação profissional para jovens de famílias de baixa renda, com certificado reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC) e emitido pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). Os professores são profissionais da International Paper que, pela troca de experiências, ajudam a capacitar os alunos e prepará-los para os desafios de conseguir o primeiro emprego.

Para entender melhor, assista ao vídeo.

Confira abaixo, os requisitos dos candidatos e o dia da prova para cada unidade:

TRÊS LAGOAS/MS – NOVO LOCAL 

  • Jovens nascidos entre 01/01/1999 e 31/12/2000;
  • Cursando o 2º ou 3º ano do Ensino Médio na rede pública de ensino em 2016;
  • Com renda familiar média de um salário mínimo para cada pessoa da família;
  • Não ser irmã(o), filha(o), enteada(o), neta(o) ou dependente direto de profissional IP;
  • Residir na cidade de Três Lagoas.

 Prova: Dia 10/11 às 13h30 no COLÉGIO OBJETIVO (UNITRÊS) (Rua Urias Ribeiro, nº 2327 – Alto da Boa Vista – Três Lagoas/MS).

MOGI GUAÇU/SP

  • Jovens nascidos entre 01/01/1998 e 31/12/1999;
  • Cursando o 3º ano do Ensino Médio na rede pública de ensino em 2016;
  • Com renda familiar média de um salário mínimo para cada pessoa da família;
  • Não ser irmã(o), filha(o), enteada(o), neta(o) ou dependente direto de profissional IP;
  • Residir na cidade de Mogi Guaçu.

Prova: Dia 10/11 às 13h30 nas Faculdades Integradas Maria Imaculada (Rua Paula Bueno, 240 – Centro – Mogi Guaçu/SP).

LUIZ ANTÔNIO/SP

  • Jovens nascidos entre 01/01/1998 e 31/12/1999;
  • Cursando o 3º ano do Ensino Médio na rede pública de ensino em 2016;
  • Com renda familiar média de um salário mínimo para cada pessoa da família;
  • Não ser irmã(o), filha(o), enteada(o), neta(o) ou dependente direto de profissional IP;
  • Residir nas cidades de Guatapará, Luiz Antônio, São Simão ou Santa Rosa de Viterbo.

Prova em Guatapará: Dia 10/11 às 08h30 na EE “Jornalista Gavino Virdes” (Rua Valdemar Stoque, 258 – Jd. Alvorada)

Prova em Luiz Antônio: Dia 10/11 às 13h30 na EE “Cel. Arthur Pires” (Rua Nilo Peçanha, 132 – Nova Guatapará)

Prova em São Simão: Dia 10/11 às 19h30 na EE “Prof. Agenor Medeiros” (Rua José Silveira, 954 – Bento Quirino)

Prova em Santa Rosa de Viterbo: Dia 11/11 às 13h30 na EE “Conde Francisco Matarazzo” (Rua Sete de Setembro, 250 – Centro)

O conteúdo das provas serão língua portuguesa, matemática e uma redação. Os candidatos deverão apresentar-se com 15 minutos de antecedência portando documento com foto (RG ou CNH); lápis; borracha e caneta azul ou preta. Não é permitido uso de celular ou calculadora.

No total, o processo seletivo do Formare ocorre em 5 fases

  • Inscrições online;
  • Prova;
  • Dinâmica de grupo;
  • Entrevista pessoal e tour na fábrica da International Paper;
  • Visita domiciliar.

O processo seletivo começa com as inscrições em outubro e seguem fases eliminatórias até o início do mês de dezembro, quando será divulgado a lista dos candidatos aprovados. O início das aulas está previsto para março de 2017.

Ficou interessado? Clique AQUI para fazer a sua inscrição.

 

floresta ip mogi guaçu

Biomassa de Eucalipto: energia limpa na produção de papel

Bianca_Bricio ipUma das preocupações da International Paper é com a redução de impactos ambientais, por isso a empresa trabalha constantemente para a melhoria dos processos industriais, com foco na sustentabilidade e no uso racional dos recursos na fabricação de papel e celulose. Entre as inúmeras iniciativas da empresa está o uso da biomassa de eucalipto na geração de energia para algumas de suas unidades. Quem explica um pouco mais sobre este processo e as aplicações do eucalipto no dia a dia é a Coordenadora de Sustentabilidade da IP, Bianca Brício.

Engenheira química, Bianca está na International Paper desde 2010. Como trainee, passou pelas áreas Florestal e pelo escritório corporativo de São Paulo, antes de ir para a unidade Mogi Guaçu, onde trabalha atualmente. Nesta entrevista, ela detalha o passo a passo da geração de energia pela biomassa e conta também o que é feito com as “sobras” do eucalipto, que são reutilizadas no plantio de novas mudas.

Como é o processo de geração de energia por meio da biomassa de eucalipto?

A biomassa de eucalipto tem sido utilizada como fonte de combustível para as fábricas de papel e celulose no Brasil em diversas unidades. Recentemente, este processo migrou do uso da casca e resíduos de madeira e passou para a queima de troncos inteiros.  A queima da biomassa gera a energia utilizada para aquecer a água, que passa por tubos dentro da própria caldeira. O aquecimento da água gera vapor, que é utilizado para movimentar turbinas, produzindo energia elétrica. As condições da queima da biomassa, assim como a temperatura e a pressão do vapor são controladas para que tenham máxima eficiência. Os gases resultantes da queima também passam por equipamentos de controle ambiental para minimizar possíveis impactos ao meio ambiente.

A energia gerada pela biomassa de eucalipto é capaz de tornar a indústria autossuficiente? O quanto essa energia gerada corresponde ao consumo da indústria?

No caso das unidades da IP, fontes renováveis de energia são responsáveis por aproximadamente metade da energia utilizada.

Todas as unidades da IP, de Papel e Embalagens utilizam a biomassa?

Na verdade, as unidades que utilizam a energia da biomassa de eucalipto são as de Luiz Antônio, Mogi Guaçu e Nova Campina, pois usam madeira como insumo na produção de celulose. Nas unidades em que não temos esse processo integrado, ou seja, não se produz celulose, a energia provém de outras fontes.

Quais as vantagens da utilização da biomassa de eucalipto para a indústria, do ponto de vista dos impactos ambientais?

O eucalipto tem grande potencial para ser usado para geração de energia, pois é um combustível de origem renovável e seu crescimento tem uma velocidade acelerada em regiões de clima tropical, como o Brasil, onde a colheita é feita com idade média de 7 anos. A IP possui aproximadamente 72 mil hectares de cultivo de eucalipto certificado. Vale ressaltar que as áreas de florestas plantadas da International Paper são certificadas pelos selos FSC/PEFC e Cerflor.  Além do cultivo de eucalipto, a IP mantém 26 hectares destinados a conservação da biodiversidade e preservação de florestas nativas.

Além das vantagens competitivas do eucalipto, do ponto de vista florestal, ao utilizar a biomassa como fonte de energia, deixamos de consumir combustíveis fósseis nas fábricas. Esta substituição deixa a matriz energética da unidade mais limpa e reduz as emissões de Gases do Efeito Estufa (GEE).

A biomassa produzida pela IP é utilizada somente pela empresa, ou é comercializada? E a energia elétrica produzida? A indústria absorve ou há a comercialização com concessionárias de energia?

A biomassa produzida pela IP é utilizada apenas para consumo próprio, bem como a energia elétrica. A IP também compra parte da energia elétrica consumida do grid nacional.

Pode-se dizer que do eucalipto tudo se aproveita? O que ele gera, além de madeira, papel, celulose, energia? Há mais algum subproduto que queira mencionar?

São inúmeras as possibilidades de uso do eucalipto, mas os produtos mais comuns são, além da matéria prima para a produção de celulose e da biomassa que gera energia, há a produção de pallets, de carvão vegetal, caixas para embalagem de produtos, móveis e pisos como assoalho e laminados.

No campo, galhos e folhas dos eucaliptos colhidos ficam sobre o solo para sua proteção. Nas fábricas da IP, partes do eucalipto que não podem ser aproveitadas para a obtenção de madeira ou para a geração de energia, como cascas muito impregnadas com terra ou areia, são utilizadas para a produção de composto orgânico, utilizado na adubação das árvores da floresta.

Compostagem:

compostagem

Newton_Scavone

Papo-Formare une filosofia e cultura pop para falar de escolhas

Newton_Scavone

O famoso aforismo grego atribuído ao filósofo Sócrates na Grécia Antiga, “Conhece-te a ti mesmo”, serviu de base para o bate-papo do Gerente de Segurança da IP, Newton Scavone, com os alunos do Projeto Escola Formare, na unidade Luiz Antônio no dia 28 de agosto. Mais do que retomar uma frase clássica, o profissional mostrou como ela se mantém atual e pode ser uma lição de vida, uma vez que o autoconhecimento é uma busca constante do ser humano e essa consciência é essencial para o amadurecimento. “Nós só podemos traçar um plano de reforma íntima, quando nos conhecemos e queremos melhorar”, disse ele no encontro.

Aos 63 anos de idade, Scavone levou aos adolescentes toda a sua experiência de vida, rememorando sua trajetória profissional e o início na empresa, há quase 35 anos. Participante ativo das atividades do Formare, desde o início do Projeto em Luiz Antonio, o Gerente de Segurança falou sobre os valores pessoais e orientou para que os alunos façam boas escolhas no futuro.  “Elas acontecem quando plantamos e a colheita é obrigatória em qualquer situação”, ressaltou.

Perdas e ganhos – Scavone teve que lidar com a perda desde muito cedo. Aos oito anos de idade, seu pai faleceu, fazendo com que ele e os seus dois irmãos, à época com 9 anos e com seis meses de idade buscassem outras referências ao longo da vida, que se encarregou de mostrar caminhos, a partir de muito esforço, dedicação e da consciência de que o cumprimento dos deveres gera resultados e abre portas. “Sempre tive pessoas com carreiras já consolidadas que me inspiraram a seguir nos meus ideais. Eu acredito no exemplo a ser seguido. ”

E foi por meio destas referências e da busca por se aprimorar constantemente, que muitas oportunidades surgiram, o que também pode acontecer com cada um dos alunos do Formare, quando utilizarem todo o seu potencial na carreira que escolherem.  “Eles precisam desejar e vibrar para que as coisas aconteçam, a grande questão não é o que eles estão tendo agora no Formare, mas o que vão fazer com todo esse aprendizado no futuro e isso é algo que converso muito com meu tutorado, também”, disse.

Da filosofia à cultura pop – Além de levar a referência de Sócrates para a conversa, Scavone conectou o passado e o presente com uma passagem da série americana Glee, em que alunos surdos, ao lado do elenco da série, cantam Imagine, de John Lennon, misturando voz e linguagem de sinais. Com esse recurso, ele mostrou que da Grécia Antiga ao clássico dos anos 1970, reinterpretado nos anos 2000, há lições e ensinamentos que perpassam gerações. “Os alunos se emocionaram, um deles me procurou no final dizendo que queria mudar o jeito de ser e este foi o estímulo mais bonito e gratificante que tive”, revelou o profissional, que recomendou ao jovem a seguir sua intuição, algo que “sempre nos traz grandes aprendizados.”

IMG_2137

Bienal é palco de encontro entre os alunos do Formare

IMG_2137O encontro entre os alunos do Formare IP das unidades de Mogi Guaçu e Luiz Antônio já faz parte do calendário de atividades do Instituto International Paper. Para este ano, a empresa proporcionou uma oportunidade de troca de conhecimento entre os alunos e também de diversão e cultura, com uma visita à Bienal Internacional do Livro, em São Paulo.

Uma das patrocinadoras do evento, a IP conseguiu levar os alunos para São Paulo e oferecer um momento diferente, descontraído e em um espaço inspirador, que valoriza a troca de ideias, afinal, quem é que não gosta de boas indicações de leitura?

Na rota da literatura – os alunos saíram das unidades de Luiz Antônio e Mogi Guaçu e tiveram uma primeira parada na cidade de Limeira, quando se reuniram para o café da manhã e seguiram viagem em um único ônibus, onde participaram de algumas dinâmicas, que favoreceram a troca de experiências e de conhecimento.

 Um livro e um desafio – a viagem à Bienal do Livro foi acompanhada pela equipe de RSC e Sustentabilidade da IP e pelo Executivo de Marketing da Solenis, Elídio Frias, parceiro das ações do Instituto. O executivo conversou com os alunos sobre carreira e futuro e os presenteou com um livro e um desafio: terminar a leitura até o final do ano. Meta que para alguns pode ser fácil, e que para outros é apenas o início da construção de um novo hábito: o de viajar pelas páginas de um livro.

 

 

shutterstock_108092945

Inovações transformam resíduos em energia

shutterstock_108092945

Uma vida mais sustentável requer um novo olhar para tudo o que os seres humanos produzem, inclusive o lixo. Para se ter uma ideia, o lixo gerado no País aumentou 29% entre os anos de 2003 e 2014, enquanto o crescimento populacional deste período foi de 6%, de acordo com um levantamento da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), divulgado em 2015.

Diante de um cenário como este, é mais do que urgente repensar as práticas do dia a dia para minimizar o desperdício, além de dar o destino correto aos resíduos. E é aí que a inovação entra em cena, transformando “lixo” em energia elétrica, um luxo para cerca de 1,5 bilhão de pessoas que vivem sem eletricidade, de acordo com dados da ONU, Organização das Nações Unidas.

De olho no desenvolvimento sustentável, algumas indústrias já investiram na produção de eletricidade a partir de fontes alternativas, confira:

 

shutterstock_285916715 Convertendo restos de comida em gás de cozinha – esta é a proposta da HomeBiogas, empresa israelense que criou um sistema que converte restos de alimentos orgânicos em gás de cozinha. Os resíduos deste processo são transformados em adubo líquido para o jardim. E o gás produzido com os alimentos descartados chega a ser suficiente para manter um fogão ligado por três horas.

 

shutterstock_156256430 Lixo de aterro gera energia elétrica – em setembro deste ano, foi inaugurada no município de Caieiras (SP), a maior usina de energia termelétrica no Brasil a partir de gás metano, proveniente de lixo de aterro sanitário, a Termoverde Caieiras. A energia gerada a partir do lixo é suficiente para abastecer uma cidade com cerca de 300 mil habitantes, como Limeira, Guarujá ou Taubaté. Em 2014, o aterro sanitário de Guatapará foi o primeiro no Estado a gerar energia elétrica a partir do lixo de 20 municípios.

madeiraNa International Paper – a madeira residual dos processos industriais (cavaco) também gera energia para as unidades e isso significa uma economia significativa para a IP, além de ganhos em sustentabilidade a partir da utilização de uma fonte renovável de energia: a biomassa do eucalipto.

 

 

shutterstock_262905011

“Dia Mundial Sem Carro” pede um novo olhar para a vida na cidade

shutterstock_262905011

Em 22 de setembro, cidades ao redor do mundo se unem para o “Dia Mundial Sem Carro”, uma in“Dia Mundial Sem Carro” pede um novo olhar para a vida na cidadeiciativa que visa despertar a reflexão da população sobre a emissão de gases poluentes na atmosfera gerada pelos automóveis. A intenção é alertar para questões ambientais como o efeito estufa, além de mobilizar as pessoas para que utilizem mais o transporte coletivo em suas rotinas, meios alternativos como a bicicleta e que passem a participar de caronas compartilhadas, como forma de contribuir para melhorar a qualidade do ar.

Originalmente, o “Dia Mundial Sem Carro” começou na França em 1997 e se espalhou pelo mundo com diversas ações pelas cidades, que, na data, reduzem a velocidade máxima em algumas vias ou mesmo proíbem a passagem de veículos em algumas áreas para que as pessoas utilizem outros meios de transporte. O que mais importa é que a população pense sobre o uso excessivo do automóvel, quando se descarta outras possibilidades de locomoção nas cidades.

As ações do dia 22 de setembro fazem parte de um movimento chamado “Semana da Mobilidade”, adotado por diversos países para propor novas alternativas para aprimorar o transporte urbano, olhando também para questões como melhoria da qualidade de vida, chamando a atenção para formas mais sustentáveis e eficientes de se locomover.

As iniciativas da “Semana da Mobilidade”, além do “Dia Mundial Sem Carro”, incluem caminhadas, passeios ciclísticos e desafios intermodais, com o objetivo de mostrar que a cidade pode ser vivenciada de outras maneiras e que, embora os automóveis sejam importantes para o deslocamento, eles não são essenciais para a vida nos grandes centros urbanos.

Confira algumas iniciativas para uma mobilidade mais sustentável, organizadas em algumas capitais brasileiras.

- Manaus

Durante a Semana da Mobilidade, a ONG “Pedala Manaus” organiza uma série de atividades para estimular o uso de bicicleta entre os manauaras, como o passeio ciclístico e  o  desafio intermodal,  em que os participantes devem concluir um determinado trajeto utilizando diferentes meios de transporte e, ao final verifica-se qual deles é mais eficiente.

- Maceió

No dia 23/9 (sexta-feira), haverá a corrida “Por um Trânsito + Seguro” e no domingo (25/09), um passeio ciclístico, que tem a expectativa de receber até 7 mil participantes.

- São Paulo

Além do Desafio Intermodal, que ocorreu no último dia 17, haverá também caminhadas noturnas e debates sobre mobilidade urbana durante a “Virada da Mobilidade”.

- Porto Alegre

No “Dia Mundial Sem Carro”, a capital gaúcha promove seu segundo Seminário de Mobilidade Urbana – Porto Alegre para Pessoas.

shutterstock_73827871

21 de setembro: “Dia da Árvore”

Data celebra a importância das mudas para o equilíbrio do planeta

shutterstock_73827871
Responsáveis pela qualidade do ar, pelo equilíbrio da temperatura e pela firmeza do solo, além de servir de moradia para inúmeras espécies e fornecer alimento, as árvores são indispensáveis para a sobrevivência na Terra.

O papel das árvores na existência da vida é celebrado de diversas formas por diferentes povos e nações. No Brasil, o “Dia da Árvore” é comemorado no dia 21 de setembro, às vésperas da chegada da primavera, e foi criado para despertar a reflexão sobre a preservação deste recurso natural tão importante para a manutenção dos ecossistemas. Ao redor do mundo, as comemorações acontecem em épocas do ano distintas, mas com este mesmo intuito de abordar o equilíbrio ambiental, unindo esforços para combater práticas de desmatamento e comércio ilegais de espécies ameaçadas.

As florestas plantadas e a indústria– a data é amplamente celebrada pela indústria de papel e celulose, que leva às comunidades informações precisas sobre a importância do manejo florestal do eucalipto florestas plantadas, e as florestas renováveis, planejadas dentro de especificações técnicas e ambientais que garantem o uso racional da terra e dos recursos de maneira sustentável, evitando o desperdício e auxiliando na preservação da mata nativa.

Na International Paper, as ações voltadas para as localidades onde a empresa mantém operações são organizadas pelo Instituto International Paper, que realiza uma série de iniciativas educativas para crianças e adolescentes. A mais antiga e tradicional da empresa surgiu exatamente no “Dia da Árvore”, há mais de 40 anos: o ESA (Educação Socioambiental), que este ano completa seu 41º aniversário com o Concurso de Redação voltado a estudantes dos últimos anos da Educação Básica (5º ano do Ensino Fundamental I, 9º ano do Ensino Fundamental II e 3º ano do Ensino Médio) e o Concurso Literário, em sua 11ª edição, voltado a educadores (professores e gestores escolares do Sistema Básico de Ensino).

O tema escolhido para o ESA este ano foi “Alimentação Saudável” e teve como base a diretriz da ONU (Organização das Nações Unidas), que elegeu 2016 o “ano das leguminosas”, pois a produção de grãos proporciona uma alimentação mais nutritiva e também é responsável por garantir um manejo mais sustentável da terra e dos recursos naturais.

Curiosidade: “Dia da Árvore” ao redor do mundo

As celebrações do “Dia da Árvore” acontecem ao longo do ano de acordo com a cultura de cada país:

australia Austrália: celebra o “Dia Nacional da Árvore” na última semana de julho

 

 

barbados

Barbados: 22 de setembro

 

 

bulgaria

 

Bulgária: celebra o “Dia Nacional da Floresta” na primeira semana de abril

 

 

canadaCanadá: Celebra a folha de sua árvore símbolo, o bordo (Maple) durante a Semana Nacional da Floresta, na última quarta-feira de setembro. Há também diferentes celebrações regionais do “Dia da Árvore”.

 

 

china

China: 12 de março

 

 

 

alemanhaAlemanha: 25 de abril

 

 

 

holandaHolanda: 22 de março

 

 

 

japaoJapão: celebra o Midori Noni no final de abril

 

 

 

jordania
Jordânia:  15 de janeiro

 

 

nova_zelandia

Nova Zelândia: 5 de junho

 

 

africa do sul

África do Sul: celebra a semana da árvore de 1º a 7 de setembro

 

 

 

espanhaEspanha: 26 de março

 

 

 

tunisiaTunísia: 9 de novembro

 

 

 

estados unidosEstados Unidos: celebra o “Dia Nacional da Árvore” na última sexta-feira de abril. Os estados também promovem diferentes celebrações das espécies regionais ao longo do ano, conforme época de plantio.

 

 

Foto Eurípedes Valadao

Alunos do Formare recebem Gerente de Operações Industriais

Foto Eurípedes ValadaoAos 37 anos de idade, o Gerente de Operações Industriais da unidade Luiz Antônio, Eurípedes Valadão Jr., tem mais da metade de sua vida dedicada à International Paper. São 19 anos de trabalho, o que o torna um expert quando o assunto é a produção de papel e celulose. Nestas quase duas décadas, há pelo menos cinco anos ele se dedica a atividades com os alunos do Formare, compartilhando experiências e orientações. No final de julho, Valadão, como é chamado pelos colegas na IP, participou de mais uma edição do Papo Formare.

Engenheiro de formação, Valadão entrou na IP aos 18 anos, traçando uma trajetória duradoura de crescimento profissional. E foi sobre essa caminhada que ele conversou com os alunos do Formare, que estão em processo de decisão de carreira. “Procurei mostrar a eles, por meio da minha história, alguns caminhos para que eles entendam como funciona a dinâmica da vida profissional”, explica.

DÚVIDAS DE TODOS OS TIPOS - As escolhas pessoais e de carreira são um tema recorrente nos encontros dos executivos com os alunos, que aproveitam a oportunidade para esclarecer suas dúvidas, aproveitando ao máximo os exemplos e as orientações transmitidas com base na vivência de quem já aprendeu muito com os erros e acertos ao longo da vida. “Os estudantes me perguntaram sobre as minhas dificuldades de carreira e as minhas escolhas pessoais. Percebo que eles trazem para a conversa essa dúvida sobre qual caminho devem trilhar para dar um rumo certo para o futuro”.

Ao final da conversa, os executivos que participam do Papo Formare sempre deixam uma mensagem aos alunos para que continuem seus estudos e tenham sucesso em sua jornada. E, com Valadão, não foi diferente. “Não desistam de sonhar, se os seus sonhos atuais estão muito distantes, mude de sonho e readapte para que possam ser buscados aos poucos. Ao alcançar um sonho, busque outro e lembrem-se que desta vida não levamos nada além das experiências”, diz.

Anuncio das escolas vencedoras - editada

Guardiões das Águas premia escolas em Rio Verde (GO)

Projetos vencedores incluem hortas e captação de água para reuso no ambiente escolar

Anuncio das escolas vencedoras- editada2

Representantes das escolas acompanham anúncio dos vencedores do “Guardiões das Águas”

No dia 22 de agosto, três escolas de Rio Verde (GO) celebraram o recebimento do prêmio “Guardiões das Águas”, iniciativa do Instituto International Paper para reconhecer os melhores projetos relacionados ao uso racional dos recursos hídricos. Este ano, foi a vez do município goiano participar ativamente das ações, envolvendo educadores do Ensino Fundamental. Os autores dos projetos premiados receberam respectivamente R$ 2 mil, R$ 1,5 mil e R$ 1 mil. E cada escola ficou com R$ 8 mil.

As grandes vencedoras de 2016 foram a EMEF Monte Alegre, com o projeto Água: conscientizar para preservar; em segundo lugar, ficou a EMEFTI Professor Waldyr Emrich Portilho, com Gota D’ Água; e o terceiro lugar foi para a EMEF Professor Francisco Joaquim de Paiva, com Água: joia cristalina. Em comum, essas escolas pretendem construir hortas e investir em sistemas de armazenagem de água para reuso, como cisternas. Um benefício para toda a comunidade, além de trabalhar a conscientização por meio de palestras, boletins informativos, entre outras ações com o foco ações educativas, como a economia de água (veja abaixo).

PRÊMIO SERÁ REVERTIDO EM MELHORIAS – A EMEF Monte Alegre, cujo projeto prevê o reconhecimento de nascentes próximas à escola e o reflorestamento de manancial, investirá parte da verba recebida para a compra de mudas. A EMEFTI Waldyr Emrich Portilho pretende expandir o projeto para fora da escola, incentivando pais e alunos para que pratiquem economia de água doméstica. A instituição também premiará o aluno que economizar mais água com uma bicicleta. A EMEF Professor Joaquim Francisco de Paiva planeja uma série de ações de conscientização dentro da escola. E o resultado irá compor uma exposição ao final do ano letivo.

O anúncio dos vencedores foi feito pela Gerente de Responsabilidade Social e Sustentabilidade da International Paper, Gláucia Faria, na Secretaria de Educação de Rio Verde. A premiação dos projetos encerra um ciclo de conscientização iniciada no primeiro semestre na cidade, com a exposição Linha d’ Água e com o espetáculo teatral Espaço Mundi. “Cada uma dessas ações buscou envolver a comunidade escolar para refletir sobre a utilização correta da água, tornando alunos e professores multiplicadores de ações mais sustentáveis quanto aos nossos recursos naturais”, declarou Gláucia.

PROJETOS VENCEDORES

ouro1º EMEF Monte Alegre

Projeto: Água: Conscientizar para preservar
Responsável pelo projeto:Aline Bilbio Peres (Coordenadora Pedagógica)
Iniciativas: Reconhecimento de nascentes próximas à escola, reflorestamento de manancial, cavalgada ecológica e construção de cisterna para reaproveitamento de água. Visitas, palestras, teatro para comunidade e horta na escola.
Uso do Prêmio: Construção da cisterna e horta, materiais para campanhas de conscientização  e mudas para reflorestamento.

 

prata2º EMEFTI Professor Waldyr Emrich Portilho

Projeto: Gota D’Água
Responsável pelo projeto: Andrea Cristina Cabral Guimarães(Coordenadora de atividades artísticas e desportivas).
Iniciativas: Passeata, música, boletim informativo, jornalzinho para divulgar as ações do projeto, visitas, palestras, horta na escola e premiação de uma bicicleta para o aluno que que mais economizar água e doação de bombonas para armazenamento de água potável.
Uso do Prêmio: Construção de horta, compra de bicicleta, bombonas para armazenamento de água, e adequação de torneiras e descarga dos banheiros da escola

 

bronze3º EMEF Prof. Francisco Joaquim de Paiva

Projeto: Água Joia Cristalina
Responsável pelo projeto: Neusa Amélia Oliveira Cabral (Professora)
Iniciativas: Construção de cisterna para reaproveitamento de água, construção e manutenção de jardim com pneus, além de atividades trabalhadas na escola para conscientização e encerramento das atividades ao final do ano com a exposição do que foi realizado.
Uso do Prêmio: Construção de horta e cisterna.

 

 

 

 

shutterstock_87899098

Problemas ambientais: brasileiros apostam na tecnologia como solução

Poluição do ar e das águas são as principais preocupações; governo não é considerado o principal agente de transformação

shutterstock_91957046A preocupação com o ambiente e a recuperação dos recursos naturais têm sido o grande desafio deste século. A tônica do debate é unir governo e população para ações concretas que promovam o desenvolvimento sustentável, e também estimulem a conscientização, por meio da educação, sobre a responsabilidade socioambiental. Diante do muito a se fazer, o que mais aflige os brasileiros quando se fala em problemas ambientais?

O Instituto Market Analysis foi em busca dessas respostas e constatou que a poluição do ar, das águas, as emissões de gases dos automóveis e a escassez de água potável estão entre as principais preocupações. Mas, se de um lado, os líderes mundiais discutem uma agenda ambiental, é exatamente o setor governamental, no Brasil, que detém o menor índice de confiabilidade – apenas 10% – na execução de ações que modifiquem esse cenário. Para os ouvidos pela pesquisa, as ONGs, entidades do terceiro setor e os grupos econômicos são os principais agentes de medidas de articulação, conscientização e transformação em benefício da sociedade. Em cada um destes setores, o índice de confiabilidade supera os 50%.

Os dados da pesquisa apontam, ainda, que as mudanças climáticas/aquecimento global e a diminuição dos recursos naturais também figuram entre as principais causas a serem tratadas para a recuperação ambiental.

Quando perguntados sobre as responsabilidades individuais com relação às mudanças climáticas, há uma pequena margem de diferença no reconhecimento de culpa do cidadão por atitudes que impactam negativamente no ambiente. Do total, 52% concordam totalmente (19%) ou parcialmente (33%) que suas atitudes são destrutivas, enquanto 47% discordam totalmente (25%) ou em parte (22%) de que causam impacto ao ambiente.

Para reverter a situação, a tecnologia é citada por 60% dos entrevistados como a grande aliada das ações para promover mudanças climáticas. As soluções tecnológicas são vistas, no entanto, como facilitadoras das mudanças comportamentais de forma que não se exijam grandes esforços individuais.

A conclusão dos entrevistados vem ao encontro da linha adotada pelo Brasil, a partir dos acordos firmados na COP21, de investir em tecnologias limpas para vencer os desafios climático-ambientais.

Para saber mais sobre a pesquisa, clique aqui.

 

 

DCIM100GOPROGOPR1240.

”Natureza e Corpo” leva alunos a assentamento agrícola

Projeto do IIP abraça a produção de verduras e leva a horta para a escola

DCIM100GOPROGOPR1240. Alunos de Três Lagoas (MS) conhecem técnicas agrícolas no assentamento “20 de março”

Os alunos das escolas municipais Joaquim Marques e Parque São Carlos, em Três Lagoas (MS), visitaram nos dias 08 e 09 de agosto o assentamento de agricultores “20 de março” e puderam conhecer de perto o cultivo de verduras e legumes para a edição 2016 do “Natureza e Corpo”.

Desde 2013, o projeto promove um trabalho de conscientização para a sustentabilidade, com enfoque na preservação ambiental e na promoção de uma vida mais saudável, com alunos da educação básica do município, por meio do cultivo de ervas medicinais dentro da escola. Mas, este ano o projeto dá mais um passo ao abranger o cultivo de verduras e legumes, levando a horta e os cuidados com a terra para o ambiente escolar.

“A ideia é inserir na proposta pedagógica das escolas todos estes temas transversais da sustentabilidade, saúde e preservação, desenvolvendo um trabalho continuado que agregue informações aos alunos para além do currículo escolar básico”, explica Gabriel Lima, Analista de Responsabilidade Social e Sustentabilidade da International Paper, que promove as ações do “Natureza e Corpo”, por meio do Instituto International Paper (IIP).

E é com o objetivo de trazer as discussões da escola para a prática cotidiana que o projeto mergulha no universo da agricultura familiar e na produção de hortaliças. Para isso, a aproximação dos alunos com os agricultores foi fundamental para a reprodução das técnicas agrícolas nas escolas. “A visita ao assentamento foi fantástica e ensinou não apenas a importância dos cuidados com a terra, mas questões como perseverança e persistência, uma vez que os agricultores contaram sobre os desafios para conseguir a área e deixar a plantação como está hoje”, relata a professora de matemática da Escola Parque São Carlos, Lívia Ferreira.

As ervas medicinais continuarão a fazer parte do “Natureza e Corpo”, mas com a entrada dos alimentos, as possibilidades de temas discutidos nas aulas aumentam. “Ao implantar os canteiros, responsabilizando-se pela irrigação e plantio, os alunos não apenas colhem os vegetais, mas também o conhecimento trazido pelo contato com a terra”, conta Gabriel.

Matemática na horta – A professora Lívia, que acompanhou a visita dos alunos ao assentamento “20 de março”, levou a matemática até os canteiros, mostrando, na prática, os conceitos trabalhados em aula. “Os alunos mediram o tamanho da horta, calcularam área, perímetro, quantas mudas os canteiros comportam, além do sistema de medidas, trabalhando metros e centímetros”, conta ela, que, desde o ano passado, acompanha o envolvimento da escola no Projeto e vê uma evolução na participação dos estudantes. “Logo, eles vão começar a colher os resultados”.

Além das atividades na horta, que já beneficiam diretamente cerca de 400 alunos e chegam a impactar mil alunos em Três Lagoas, a edição 2016 do “Natureza e Corpo” pretende envolver os estudantes na colheita e na realização de saladas coletivas, que funcionam como eventos multiplicadores do conceito de alimentação saudável para toda a comunidade escolar.

Em um país que tem atualmente 51% de sua população obesa, de acordo com o Ministério da Saúde, trabalhar a alimentação saudável na prática, dentro das escolas, é mais do que uma questão de educação, é cuidar da saúde das futuras gerações, transformando a vida das pessoas – o papel do IIP.

 

criança_alimentaçao saudavel

 “Alimentação Saudável” norteia os concursos do ESA

criança_alimentaçao saudavel

A edição de 2016 do ESA (Projeto de Educação Socioambiental) do Instituto International Paper leva para as escolas um tema muito discutido em diversos âmbitos, inclusivo pela Organização das Nações Unidas: a alimentação saudável.

O 41º Concurso de Redação levará os alunos dos últimos anos do Ensino Fundamental (5º e 9º) e os alunos do 3º ano do Ensino Médio a refletirem sobre como a alimentação saudável pode contribuir para um mundo mais sustentável.

Workshops para educadores e alunos

Aos gestores de escolas e professores, o Instituto reserva o 11º Concurso Literário, que traz o mesmo tema para os profissionais, que passaram por workshops para atuarem como multiplicadores dentro e fora da sala de aula, afinal, uma alimentação adequada contribui para a longevidade das pessoas, algo que se aprende em casa, na escola e nos acompanha ao longo da vida.

O conteúdo dos workshops será ministrado aos alunos, que terão subsídios para escrever suas redações, aliando o conhecimento aprendido sobre o uso da norma culta da língua portuguesa à estruturação de ideias e argumentos na forma de texto. Desta forma, o Concurso de Redação do ESA auxilia os estudantes a estruturarem um pensamento crítico e analítico acerca de assuntos que fazem parte do cotidiano.

Alimentação saudável na pauta da ONU

leguminosasAo eleger 2016 como o “Ano Internacional das Leguminosas”, a ONU traz à tona a questão da sustentabilidade alimentar em todo o planeta. Como trazer qualidade de vida e saúde para mais de seis bilhões de pessoas, reduzindo impactos ambientais na produção de alimentos, garantindo refeições de alto valor nutricional e baixo custo?  Este um dos desafios que as Nações Unidas levam aos governos.

“Todos os anos, procuramos temas atuais para levar às escolas, pois entendemos que uma boa educação combina os assuntos já tratados na grade escolar com assuntos que fazem parte do cotidiano. Quando temos um cenário crescente de obesidade no País e a ONU traz a discussão para o âmbito governamental, era essencial trabalharmos esta proposta”, avalia Gláucia Faria, Gerente de Responsabilidade Social da International Paper.

DSC_6580

Cidade do Livro fecha o ciclo na IP e espera atender 51 mil crianças

DSC_6593

Desde 2009 na IP, projeto inicia sua última etapa em Rio Verde (GO), com expectativa de beneficiar mais de seis mil alunos, de 6 a 10 anos de idade

Depois de passar pelas cidades de Mogi Guaçu (SP), Luiz Antônio (SP), Três Lagoas (MS), Ribeirão Preto (SP), Suzano (SP), Paulínia (SP), Franco da Rocha (SP), Itapeva (SP) e Manaus (AM), chega a vez de Rio Verde (GO) receber a Cidade do Livro Itinerante, projeto coordenado pelo Instituto International Paper que percorreu as unidades da IP nos últimos sete anos, mostrando a crianças do Ensino Fundamental o mundo mágico da literatura. A cidade goiana será o último destino do projeto pelo IIP e a expectativa é atender cerca de seis mil crianças somente no município.

A Cidade do Livro Itinerante desembarca em Rio Verde no dia 22 de agosto (segunda-feira) e fica por lá até o dia 2 de setembro (sexta-feira). No dia 28/08 (domingo), haverá uma sessão exclusiva para os filhos de profissionais da IP.

Nestes sete anos em que percorreu as unidades da International Paper, o projeto beneficiou 45.994 crianças em nove municípios, em três estados diferentes. Ao chegar em Rio Verde, além de somar mais um estado atendido, a Cidade do Livro Itinerante tem um grande objetivo: “encerrar com mais de 51 mil crianças beneficiadas”, revela Sabrina Tenello, Analista de Responsabilidade Social e Sustentabilidade da International Paper.

Uma viagem pela literatura – As crianças que visitarem a Cidade do Livro em Rio Verde encontrarão um lugar que deixa a imaginação voar mais longe. Ao atravessar o portal, formado por livros gigantes, elas conhecerão o Sr. Prefeito e sua secretária, D. Maricota, que apresentarão a cidade e falarão sobre o universo dos livros.

As crianças também participam de atividades relacionadas a reciclagem e ouvem as histórias da Vó Cotinha, em um ambiente cercado de diversão e conhecimento, além de aprenderem mais sobre a importância da alimentação saudável e da higiene de maneira lúdica e interativa.

“Para nós, é recompensador poder colaborar de alguma forma para o incentivo da literatura na infância, pois a formação de leitores deve acontecer desde cedo, de maneira prazerosa, para além das obrigações escolares”, finaliza Gláucia Faria, Gerente de Responsabilidade Social Corporativa e Sustentabilidade da International Paper.

 

FullSizeRender

Campanha do Agasalho une profissionais na doação de cobertores

FullSizeRender

Alunos do Formare organizam a coleta para o Fundo Social de Solidariedade de Guatapará

 Todos os anos, o Instituto International Paper (IIP) realiza a Campanha do Agasalho com a participação direta dos alunos do Formare. Em 2016, a turma escolhida para ajudar na organização foi a de Luiz Antônio, que cuidou também da coleta de doações. A cada edição da campanha, é escolhida uma instituição para receber as peças arrecadadas.

Para atender ao pedido do Fundo Social de Guatapará, entidade que atende 150 famílias no município e oferece cursos de corte e costura, artesanato, manicure, além de prestar atendimento psicossocial, os profissionais da IP se uniram para juntar quantias em dinheiro para a compra de mantas para doação.  “Normalmente, recebemos doações de roupas, mas neste ano fomos informados que havia a necessidade de arrecadarmos cobertores”, conta Sabrina Tenello, analista de Responsabilidade Social e Sustentabilidade do Instituto IP.

Tendo em vista que mantas e cobertores são itens menos doados do que peças de roupa, esse ano a campanha mostrou uma abordagem diferente e vários grupos de profissionais da unidade se organizaram para arrecadar dinheiro para comprar e doar esses itens, no entanto, quem também tinha peças em bom estado para doar não ficou de fora da campanha. Além dos cobertores doados, o IIP arrecadou 90 peças de roupa, entre agasalhos, calças e roupas infantis.

De acordo com Secretário Municipal de Assistência Social de Guatapará, Nelson Cardoso, as doações chegaram em boa hora. “Em uma Campanha do Agasalho, cobertores são um dos itens de mais importância e aqui no Fundo Social temos um psicólogo e um assistente social que realizam visitas e mapeiam as necessidades da comunidade de Guatapará”, explica.

As doações foram recolhidas no dia 21 de julho na unidade de Luiz Antônio e as famílias agradecem. “Ações que unem voluntários e órgãos públicos para ajudar a quem se encontra em extrema vulnerabilidade social são de suma importância”, declara o Secretário. Agora, as doações passarão por uma triagem para serem distribuídas às famílias atendidas.

 

eduardo fonseca 0012

Eduardo Fonseca participa do Papo Formare

Gerente de Assuntos Corporativos da IP compartilha sua trajetória profissional com alunos do Formare

eduardo fonseca 0012

Participando pela primeira vez do Papo Formare, série de encontros que o Instituto International Paper (IIP) promove entre os alunos do Formare IP com executivos, o Gerente de Assuntos Corporativos da International Paper, Eduardo Fonseca, compartilhou com os jovens sua diversificada história profissional. “Os alunos estão dando um passo muito importante no caminho deles e a escolha da direção desse caminho cabe a cada um”, destaca. Formado em Direito, Fonseca começou como trainee na Câmara de Comércio, onde aprendeu sobre comércio exterior e trabalhou na área de conteúdo institucional e em relações com governo, área que se tornou sua expertise e o trouxe para a IP há quatro anos e meio.

Ao falar sobre sua carreira, o Gerente de Assuntos Corporativos exemplificou que uma escolha pode ser redirecionada em algum momento de nossa vida profissional, e que não há problema algum nisto. Pelo contrário, é possível apostar em novos rumos independentemente da formação acadêmica e encontrar a realização profissional em uma área completamente diferente da inicialmente planejada. Sobre o encontro com os alunos, o executivo diz ter ficado impressionado com a curiosidade dos alunos, não só em saber sobre as dicas profissionais, mas, especialmente, sobre as decisões pessoais que nortearam suas escolhas de carreira. “A curiosidade deles é encantadora, e a atenção que eles dão a cada resposta mostra que eles realmente refletem sobre o que a gente fala, fazendo paralelos sobre como as situações de vida podiam se repetir”, conta.

Natural em jovens que vivenciam o momento de decisão profissional, o receio de errar, aparece entre as várias perguntas que os alunos fizeram a Fonseca. “Eles me perguntaram muito sobre as escolhas que fiz na minha profissão e quiseram saber o que eu reconsideraria hoje, olhando para trás. ” Para Fonseca, saber aproveitar as oportunidades que aparecem na carreira foi essencial para que ele assumisse o atual cargo, com a reunião das áreas de sustentabilidade e RSC, Comunicação Corporativa e Relações Governamentais. E esta visão de que a vida pode abrir muitas portas, ele também percebeu no encontro que teve com os alunos no dia 28 de junho. “Eles captaram muito bem a importância do programa, e as portas que eles podem abrir se aproveitarem o que vivenciam no dia a dia aqui. ”

Aprendizado – Toda troca de ideias traz algum tipo de aprendizado. Para Fonseca, só o fato de poder dividir sua trajetória com alunos cheios de vontade de aprender já lhe deixa uma lição. “Eu me senti privilegiado de poder compartilhar um pouco da minha história e ver que, de repente, mesmo sem perceber, posso ter feito a diferença na vida de algum deles”, destaca.

E como em todas as edições do Papo Formare, os profissionais procuram passar uma mensagem para os alunos refletirem durante este momento tão importante. Mostrar que é preciso lutar para fazer com que as coisas aconteçam. “Nada vem fácil na vida, mas o prazer das conquistas é enorme, justamente por batalharmos por elas. Se eles aprenderem uns com os outros, e com os convidados que passam por lá, tenho certeza de que terão as melhores condições de escolher a direção certa”, finaliza.

prevent
EducacaoSocioambiental_ (8)

ESA 2016: fique por dentro dos Concursos de Redação e Literário

Educação socioambiental trará a Alimentação Saudável como tema de 2016

EducacaoSocioambiental_-81Vencedores dos ESA 2015, durante a cerimônia de premiação e recebimento de certificado


Neste ano, o Projeto Educação Socioambiental do Instituto International Paper acontecerá nos meses de agosto e setembro com a 41ª edição do Concurso de Redação e a 11ª edição do Concurso Literário. Os concursos são voltados para alunos do 5º e 9º anos do Ensino Fundamental e 3º ano do Ensino Médio e para professores e diretores das escolas públicas e particulares, respectivamente.

Para o Instituto, é uma conquista manter esse programa e trazer conhecimento de redação para alunos e professores, abordando temas tão importantes. Para ambos os concursos, o IIP trouxe um assunto bastante discutido nos dias atuais: a alimentação saudável. Uma preocupação e um cuidado que têm despertado o interesse e a atenção das pessoas, principalmente pelo fato de o País ter aproximadamente 50% da população com sobrepeso.

Estima-se que em 2025, cerca de 2,3 bilhões de adultos no mundo estejam acima do peso.
“Trazer essa temática para que os jovens se inteirem sobre o tema é mais do que relevante. Queremos que eles pesquisem o tema e percebam a importância de se alimentar bem, podendo repassar essas boas práticas para seus familiares e para a comunidade. Além disso, os concursos são uma excelente oportunidade de aprendizado de redação e estilo, além de trazer o reconhecimento, com o prêmio”, afirma Tomás Alexandre Fernandes, Analista de Responsabilidade Social e Sustentabilidade da International Paper.

E não apenas conhecimento sobre o tema será compartilhado. Neste ano, o IIP oferecerá um workshop diferenciado: os professores e diretores participarão do workshop com profissionais do Instituto para direções de redação e estilo e eles serão os responsáveis por repassar esse conhecimento em sala de aula aos alunos selecionados para o Concurso de Redação. É um momento de troca de conhecimento, em que todos aprendem.

Os dois concursos premiam as melhores redações e o IIP realiza uma cerimônia de premiação, que acontecerá no mês de Outubro. “O IIP acredita que oficializar esse reconhecimento com o prêmio e também com a cerimônia é mais do que fazer com que essas pessoas vejam sua importância e seu destaque. É também engajar mais alunos e professores a participar no próximo ano. É um projeto tradicional na região, no qual todos esperam para participar, concorrer e vencer!”, explica Gláucia Dias de Faria, Gerente de Responsabilidade Social e Sustentabilidade  da International Paper.

INDICADORES

Saiba mais sobre os Indicadores de Desenvolvimento Sustentável do IBGE

ids-2015-ibgeHoje, é praticamente consenso que o desenvolvimento sustentável é um processo que se traduz na combinação de três pilares para benefício das gerações presente e futura de um país: crescimento da economia, conservação do meio ambiente e melhoria na qualidade de vida da sociedade.

Com base nessa premissa, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) elabora periodicamente a publicação “Indicadores de Desenvolvimento Sustentável” (IDS), que está em sua 6ª edição e reúne 63 indicadores, que procuram traçar um panorama do país em quatro dimensões: ambiental, social, econômica e institucional. A construção desses indicadores teve como base as pesquisas do próprio Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e também de ministérios, secretarias estaduais e municipais, Iphan e Unesco, entre outras instituições.

O estudo do IBGE dá continuidade à divulgação, que foi iniciada em 2012, com objetivo de disponibilizar um sistema de informações para o acompanhamento da sustentabilidade do padrão de desenvolvimento do país. Assim como as demais edições, a publicação é orientada por diretrizes da CDS (Comissão de Desenvolvimento Sustentável) da ONU – Organização das Nações Unidas.

Pela primeira vez, a publicação traz informações sobre a diversidade cultural e ambiental do País, por meio do Indicador de Patrimônio Cultural Brasileiro, formado por bens culturais e naturais reconhecidos pela Unesco, como o Samba de Roda no Recôncavo Baiano e o Centro Histórico de Olinda.

A construção de indicadores de desenvolvimento sustentável no Brasil integra-se ao conjunto de esforços internacionais para concretização das ideias e princípios formulados na Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, realizada no Rio de Janeiro, em 1992. Eles possibilitam mensurar as qualidades ambiental e de vida da população, o desempenho macroeconômico do País, os padrões de produção e consumo e a formulação de políticas públicas para o desenvolvimento sustentável.

Para saber mais sobre o assunto, acesse: www.ibge.gov.br