DSC_6176

Dia Nacional do Livro: 29 de outubro

Data celebra o surgimento da Biblioteca Nacional em 1810

DSC_6265

O Dia Nacional do Livro, comemorado em 29 de outubro, nos remete aos tempos do Brasil colonial. Com a vinda da corte portuguesa ao País em 1808, a cidade do Rio de Janeiro recebeu um rico acervo da Real Biblioteca de Portugal, com mais de 60 mil itens. Em princípio, todo o material foi instalado das dependências do Hospital da Ordem Terceira do Carmo.

Mas, no dia 29 de outubro de 1810, a coroa portuguesa fundou a Biblioteca Nacional, com a transferência do acervo para um novo local. Um decreto estabelecia que “nas catacumbas do Hospital do Carmo se erija e acomode a Real Biblioteca e instrumentos de física e matemática, fazendo-se à custa da Fazenda Real toda a despesa conducente ao arranjo e manutenção do referido estabelecimento”. Este fato histórico inspirou a criação do “Dia Nacional do Livro”.

Com o retorno da família real à Portugal, parte do acervo também voltou ao país de origem. Mesmo assim, com a passagem dos anos e a aquisição de coleções valiosas, a Biblioteca Nacional só cresceu. A instituição é considerada pela UNESCO uma das dez maiores bibliotecas nacionais do mundo e é a maior da América Latina, com atualmente cerca de 10 milhões de itens.

Mais leitores – o hábito de leitura no Brasil cresce lentamente. Em 2015, 50% da população havia lido livros em 12 meses e no ano passado, este percentual subiu para 56%, de acordo com uma pesquisa feita pelo Ibope (Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística) a pedido do Instituto Pró-Livro.

De acordo com a pesquisa, 67% dos entrevistados afirmaram que não houve estímulo de pessoas próximas para que lessem mais. Ciente do papel da leitura para o desenvolvimento de crianças e jovens, o Instituto International Paper investe em iniciativas para ampliar o acesso à leitura. O projeto Cidade do Livro, por exemplo, beneficiou cerca de 50 mil crianças em sete anos de atuação.

GRI_foto

Relatório de Sustentabilidade da IP revela avanços na preservação ambiental

Empresa mantém o foco na agenda 2020 e reduz a emissão de poluentes em 13% em dois anos 

GRI_foto

A International Paper divulgou em outubro o seu Relatório de Sustentabilidade. O documento revela as boas práticas da empresa em diferentes indicadores, como: preservação e economia de recursos naturais, segurança do trabalho, gestão de pessoas, ações na comunidade, entre outros.

Anualmente, empresas de grande porte prestam contas à sociedade sobre as iniciativas realizadas para redução dos impactos ambientais decorrentes de sua atividade.  Em uma demonstração de transparência, todas essas informações são compiladas em um documento, que torna públicas as iniciativas de responsabilidade social de uma organização.

Transformando a vida das pessoas – A IP estabelece como base de sua sustentabilidade os chamados 4P: Performance, Pessoas, Planetas e Produtos. Na prática, esses quatro pilares mostram como a empresa deve atuar de forma ética, para o alcance dos resultados financeiros, com o menor impacto ambiental possível, gerando empregos com a criação produtos renováveis e recicláveis.

Na IP, transformar a vida das pessoas é uma missão. Um trabalho desenvolvido em múltiplas frentes, com profissionais, parceiros, clientes e também com a comunidade. É aí que entra o Instituto International Paper, responsável pelos projetos socioeducativos desenvolvidos pela empresa. Somente em 2016 foram mais de 28.500 beneficiados em projetos, como: Apicultura Solidária, ESA, Guardiões das Águas, PEA, Natureza e Corpo, entre outros.

Inovação em prol do meio ambiente – Nos últimos anos, a IP reduziu em 13% a emissão de gases de efeito estufa, dentro da meta estabelecida para o ano de 2020. De toda a água utilizada em seus processos industriais, 95% é devolvida tratada para a natureza e 90% da energia utilizada nas fábricas são provenientes de fontes renováveis.

Para mais detalhes acesse: http://relatorio.institutoip.com.br/2016/index.html

 

08-guardioes-das-aguas

Escolas vencedoras do Projeto Guardiões das Águas reforçam a importância da água

De julho a setemshutterstock_347798567bro, educadores da rede pública de Luís Antônio (SP) e região trabalharam a conscientização dos alunos para a preservação dos recursos hídricos, no projeto “Guardiões das Águas”, coordenado pelo Instituto International Paper.

As escolas dos municípios paulistas de Luís Antonio, Altinópolis, Guatapará e São Simão enviaram seus projetos para a redução do desperdício de água e as vencedoras, receberam um prêmio em dinheiro para tirar a ideia do papel e colocá-la em prática.

Mão na massa – A Escola Marcílio Bondesan, vencedora em São Simão, realizou a construção de uma minicisterna para a captação e o reaproveitamento da água da chuva, gerando economia.

Já a Escola Profª Andréia Sertori Sandrin, em Guatapará, incluiu em seu projeto dinâmicas de conscientização para a conservação da água, além da montagem de um espaço verde na escola, algo que não existia. Para isso, construiu um telhado verde com eucalipto tratado. O intuito foi mostrar aos alunos que mesmo com pouco espaço é possível respeitar a natureza e trazer mais vida para a área.

Em Altinópolis, uma palestra sobre sustentabilidade, realizada na Escola Profª Carmem Miguel Vicari pelo engenheiro civil Wadje de Mello Sobiesiak, abordou o papel das pessoas na preservação do meio ambiente. O profissional mostrou que é dever de cada um de nós colaborar para a redução da poluição, poupando os recursos naturais. Na ocasião, o engenheiro mostrou para os alunos a planta do projeto de implementação de dois reservatórios de água.

Na Escola Helena Maria Luiz de Mello, em Luiz Antônio, o projeto incluiu a construção de uma cisterna no pátio, que irrigará com água da chuva uma horta feita pelos próprios alunos com garrafas PET e pneus.

IIP – O envolvimento das escolas com o Projeto Guardiões das Águas promove a mudança do comportamento dos indivíduos para o uso sustentável dos recursos hídricos. Preservar a natureza é garantir a nossa própria existência.

A economia da água é um assunto que sempre renderá reflexão e conscientização. É por isso que, desde 2008, o Instituto International Paper atua em prol desta causa, unindo toda a comunidade escolar, para que se possa, de fato, transformar a vida das pessoas.

Natureza e Corpo realiza sua primeira colheita

Alimentos cultivados em projeto do Instituto IP beneficiarão centros de apoio a pessoas em vulnerabilidade (Centros POP) de Três Lagoas (MS)

_DSC3946

Com o empenho de alunos e professores, as escolas Joaquim Marques de Souza e Parque São Carlos, participantes do Projeto Natureza e Corpo, realizaram sua primeira colheita no dia 6 de outubro. As doações foram entregues à Secretaria Municipal de Assistência Social de Três Lagoas, que direcionará os vegetais aos Centros Pop, que atendem pessoas em situação de rua.

No total, foram colhidos cerca de sete quilos de verduras, incluindo: alface, rúcula, almeirão e cebolinha, que alimentarão pessoas atendidas em programas da Secretaria Assistência Social do município.

Os alimentos foram recebidos pela secretária de Assistência Social, Vera Helena, em um evento especial na Escola Joaquim Marques de Souza, acompanhado de perto pelos alunos responsáveis pelo sucesso da colheita.

O projeto existe desde 2013 e começou com o cultivo de ervas conhecidas na cultura popular por suas propriedades terapêuticas. Em 2016, o projeto evoluiu para a implantação das hortas em ambiente escolar. Desde o início, o IIP dá todo o suporte para a implementação dos canteiros.

_MG_9468

Instituto IP comemora 10 anos com premiação em concursos do ESA

_MG_9468

 No dia 29 de setembro ocorreu a premiação do concurso de redação e do concurso literário do projeto Educação Socioambiental, o ESA. Foram reconhecidos os alunos e os professores das cidades Mogi Guaçu, Mogi Mirim e Estiva Gerbi, todas localizadas no estado de São Paulo.

Em 2017, o concurso de redação, que chegou à sua 42ª edição, foi aberto para jovens do 5º e 9º ano do ensino fundamental e 3º ano do ensino médio de escolas da rede pública e privada. Já o concurso literário, que ocorre há 12 anos, contou com a participação de professores de todas as séries e disciplinas das instituições de ensino dos três municípios.

Neste ano, o assunto principal das duas iniciativas foram os 10 anos do Instituto IP e seus impactos positivos para as comunidades, com o tema: “Transformar a vida das pessoas é o nosso papel”. Como apoio, o Instituto ofereceu um workshop (http://institutoip.com.br/home/10-anos-do-instituto-e-tema-em-workshop-para-participantes-do-esa-2/) aos educadores com a finalidade de orientá-los no desenvolvimento da proposta com os alunos.

Para Leandra Leite, presidente do Instituto International Paper, é uma satisfação celebrar mais uma premiação, desta vez com um tema que destaca os resultados da atuação do Instituto IP na comunidade. “Hoje colhemos frutos de um projeto que começou há mais de 40 anos, antes mesmo do instituto nascer. E, no ano em que celebramos 10 anos, é uma alegria receber textos tão especiais que abordam como um trabalho de transformação tem sido realizado em prol do desenvolvimento sustentável da comunidade”, comenta.

O evento de premiação foi realizado no Espaço Genesis, em Mogi Guaçu, e cada um dos três primeiros colocados foram contemplados com um prêmio em dinheiro. Confira a lista de vencedores:

Concurso de Redação

Alunos do 5º ano

1º Filipe Guilherme – Aqui se planta, aqui se colhe
2º Samuel Lazarini – O sonho do papel
3º Bianca Jesus – Desenhando o futuro

Alunos 9º ano

1º Camila Macedo – Saindo do papel para buscar o futuro
2º Ana Laura Depieri Filomeno – A empresa e o Instituto
3º Eduardo Rovigatti- Pequenas mudanças trazem grandes resultados

Alunos 3º ano

1º Julia Lanzi Ribeiro – O papel de todos
2º Ítalo Holanda – No caminho do bem: Uma década do Instituto International Paper
3º Julia Silva – Educar para transformar

Concurso Literário

1º Elaine Seco – Festa do Papel Picado
2º – Valéria Dipieri – Sobre tábuas, vãos e a vida que se transforma
3º Lidiane Pessota – Uma ideia sementeira

cidadão sustentável 2

Dia das Crianças e o Instituto IP

cidadão sustentável 2

 O Brasil comemora o Dia das Crianças em 12 de outubro. A celebração foi criada no país por meio de uma lei federal, proposta pelo deputado Galdino Filho e oficializada pelo presidente Arthur Bernardes em 1924. Inicialmente, a data designada pelo legislativo não ganhou popularidade.

Na década de 1960, a fábrica de brinquedos Estrela mudou o status dessa data. Para incentivar a venda da boneca “Bebê Robusto”, a empresa criou uma promoção que durou sete dias. Como a ação fez sucesso, a “Semana do Bebê Robusto” se tornou “Semana da Criança” no ano seguinte e, com o aumento das vendas no mês de outubro, todo o comércio aderiu à comemoração.

Celebração e conscientização o ano todo – Com dez anos de atuação, o IIP (Instituto International Paper) entende que a educação de crianças e jovens é uma das formas de transformar a vida das pessoas nas comunidades próximas de suas unidades fabris.  Conheça alguns projetos do Instituto IP que atuam diretamente para o público infantil.

No projeto Guardiões das Águas, ações pedagógicas são criadas para incentivar o uso racional dos recursos hídricos dentro e fora da escola. As iniciativas envolvem professores e alunos do Ensino Fundamental da rede pública de ensino da microrregião da unidade fabril e florestal de Luiz Antônio no Estado de São Paulo.

Com o PEA (Programa de Educação Ambiental), o Instituto desmistifica algumas questões relacionadas à utilização das florestas plantadas, combinando conhecimento e atividades lúdicas.  Idealizado para alunos e professores do Ensino Fundamental, o PEA recebe semanalmente cerca de 300 crianças, de 9 a 12 anos, nas unidades de Mogi Guaçu e Luiz Antônio para tratar de assuntos relevantes para a preservação ambiental.

O Natureza e Corpo desperta para consciência ambiental, dentro do conceito de sustentabilidade alimentar e alimentação saudável. O projeto é coordenado pelo Instituto International Paper no município de Três Lagoas (MS). Desde 2016 as escolas Joaquim Marques de Souza e Parque São Carlos trabalham com o cultivo de verduras e legumes, em hortas coletivas instaladas nas dependências das instituições de ensino.

Já o Cidade do Livro mostrou aos alunos do Ensino Fundamental o mundo mágico da literatura. Durante sete anos, mais de 51 mil crianças foram beneficiadas em nove cidades: Mogi Guaçu (SP), Três Lagoas (MS), Ribeirão Preto (SP), Suzano (SP), Paulínia (SP), Franco da Rocha (SP), Itapeva (SP) e Manaus (AM).

Com o ESA (Educação Socioambiental), a unidade de Mogi Guaçu tem o propósito de colaborar com a formação educacional e socioambiental de crianças e adolescentes. Para isso, são realizados um concurso de redação e também um concurso literário com temas relacionados ao meio ambiente e cidadania.

Leandra_e_Glaucia

Instituto International Paper comemora uma década de transformação e responsabilidade social

É um orgulho ver como esse projeto faz diferença na vida das pessoas”, diz Leandra Ferreira Leite, presidente do Instituto

Leandra Ferreira Leite, presidente do Instituto e Gláucia Faria, gerente de Responsabilidade Social e Sustentabilidade
Leandra Ferreira Leite, presidente do Instituto, e Gláucia Faria, gerente de Responsabilidade Social e Sustentabilidade

Há 10 anos, em setembro de 2007, foi criado o Instituto International Paper. Em uma década de responsabilidade social corporativa, desenvolvimento educacional e socioambiental, a instituição tornou-se referência em coordenar e executar ações que transformam a educação de milhares de jovens e crianças brasileiras.

Os primeiros preparativos para a criação do Instituto IP contaram com a participação voluntária de aproximadamente 200 profissionais, que assistiram a alguns workshops. O resultado dessas capacitações foi a criação da visão, missão e público alvo da instituição.

Para Gláucia Faria, gerente de responsabilidade social e sustentabilidade, foi um momento único todo o processo criativo, o que torna o Instituto um propagador de consciência ambiental e sustentabilidade para futuras gerações. Hoje, 11 projetos estão em andamento, buscando construir e investir em iniciativas alinhadas à preservação ambiental, ao voluntariado e ao compromisso social e educacional.

Confira, abaixo, a entrevista que fizemos com Gláucia Faria e com Leandra Leite, presidente do Instituto International Paper, desde maio de 2012. Elas contam sobre os momentos que marcaram a trajetória do IIP e quais são os planos futuros.

Instituto International Paper – Para vocês, quais foram os maiores obstáculos que enfrentaram?

Leandra Ferreira Leite – Manter os projetos e o número de pessoas influenciadas com os recursos que temos. Entender e cumprir a legislação da Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP). Por fim, o engajamento das pessoas e o interesse nos projetos, também é outro obstáculo que enfrentamos.

Gláucia Faria – Fazer com o que Instituto IP funcionasse uniformemente e que fosse reconhecido por todos. Foi um desafio ganharmos autonomia para que a instituição tivesse credibilidade e relevância entre as pessoas como nos dias de hoje.

IIPE quais foram as maiores conquistas que celebraram?

Leandra Ferreira Leite – A parceria com a Fundação Iochpe para o Projeto Formare; a mudança no Natureza e Corpo em Três Lagoas, que trouxe outro nível de envolvimento das escolas, alcançando novos benefícios. O sucesso da parceria com a Cidade do Livro e o crescimento do Apicultura Solidária.

Gláucia Faria – Sem dúvida, os 10 anos de existência do Instituto International Paper é a maior conquista que estamos celebrando.

IIP – O Instituto International Paper tem planos para o futuro? Quais são?

Leandra Ferreira Leite – Manter os projetos que são significativos para os beneficiários e trazer novos programas que atendam melhor as comunidades onde estamos, tanto no negócio de papel e embalagens. Este ano, realizamos um diagnóstico para identificar onde podemos atuar melhor e essa será nossa discussão daqui em diante.

Gláucia Faria – Dar continuidade com os projetos e trabalhar em novos para que possamos transformar cada vez mais a vida de jovens e adolescentes das comunidades que atuamos.

IIP – Qual é sua relação com o IIP?

Leandra Ferreira Leite – Parceria. Uma relação que se estabelece no auxílio, no desenvolvimento e no reconhecimento da instituição para todos os públicos. Participo do Formare como voluntária desde o primeiro ano, em 2010, e é um orgulho ver como esse projeto faz diferença na vida das pessoas.

Gláucia Faria – É além do profissional, o Instituto se tornou parte de mim. Os nossos projetos transformam a vida das pessoas e elas levam consigo uma sementinha da mensagem que plantamos durante esses 10 anos.

IIP – O Instituto International Paper é…

Leandra Ferreira Leite – Uma instituição focada na transformação social da vida das pessoas, atuando junto à comunidade com o objetivo de ser um diferencial na educação e responsabilidade socioambiental.

Gláucia Faria – Um propagador de consciência ambiental e sustentabilidade para as nossas futuras gerações.