DSC_0158

Ex-aluno do Formare IP conquista certificado Yellow Belt

Jediel Sabino fez parte da primeira turma do Projeto, em 2010 e hoje é engenheiro químico 

DSC_0166_

Aos 24 anos de idade, sete deles como profissional da IP, Jediel Sabino é um exemplo para as novas turmas do Formare. Contratado pela IP em 2010, após a conclusão do Fomare, ele começou sua trajetória na empresa como auxiliar de laboratório e foi técnico I e II, antes de se tornar operador de Painel da Caustificação e do forno de cal.

Nestes sete anos, Jediel formou-se em engenharia química na Faculdade Municipal Professor Franco Montoro, em Mogi Guaçu, e aperfeiçoou-se na carreira. Este ano, ele obteve o certificado Yellow Belt, concedidos a profissionais que realizam treinamento da metodologia “Seis Sigma”, para melhoria dos processos dentro de uma empresa.

A certificação – Obter um Yellow Belt exige um treinamento específico e a entrega de um projeto. Para conseguir a certificação, Jediel propôs um projeto de economia de químicos no processo de recuperação, com a redução do PH do grits (resíduo da fabricação do papel e da celulose).

“A ideia surgiu de uma necessidade ambiental de controlar o PH nos subprodutos gerados no processo de caustificação. Com a implantação do plano de melhoria, tivemos uma economia de R$16.000,00 mensais em perdas de produtos químicos, além de melhorar as metas ambientais”, explica.

A importância do Formare – Como aluno da primeira turma do Formare IP, o operador conta que, ter participado das aulas, foi fundamental para que pudesse construir sua carreira com mais clareza. Aproveitou, principalmente, as orientações que recebia dos profissionais mais experientes. “O Formare me mostrou como seria minha vida dentro de uma empresa. Isso realmente me ajudou a definir um plano de carreira, a decidir sobre a minha formação”, conta ele, que já participou como Educador Voluntário nas turmas do Projeto.

Para fazer acontecer – Com sua experiência de ter passado pelo Formare e ter se tornado um profissional IP, Jediel reforça a importância do aprendizado contínuo para a construção da vida profissional, com espaço para novas conquistas e crescimento. “É preciso ter vontade de aprender, ser curioso e aproveitar as oportunidades para tirar todas as dúvidas. Todo conhecimento, por mais simples que seja, quando aplicado traz grandes ganhos”, diz.

Alunos do Formare se apresentam em instituição de ensino superior

Convite feito por Educador Voluntário deu aos jovens a oportunidade de conversar com universitários

No dia 8 de junho, os alunos do Formare de Três Lagoas (MS) se apresentaram na 1º Semana Acadêmica, Cultural e Esportiva de Administração e Ciências Contábeis da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. O evento, realizado no anfiteatro do Campus II da instituição, abordou temas sobre inovação, motivação e mercado de trabalho.

Os alunos foram convidados por Otávio Rodrigues, estudante de Administração de Empresas da UFMS e Educador Voluntário do Formare. “O evento precisava de algo incomum, que se diferenciasse dos projetos de startups dos universitários. Inicialmente, a minha ideia era levar os alunos para prestigiar as palestras, mas depois sugeri que eles tivessem uma participação mais efetiva na Semana Acadêmica”, explica.

Os estudantes do Formare fizeram uma apresentação sobre “A História das Startups”, seguindo o tema escolhido para os debates do dia. Foi a primeira vez que se apresentaram para uma quantidade maior de pessoas.

Para embasar o conteúdo que seria ministrado, Rodrigues conta que, no primeiro módulo do projeto, os assuntos abordados foram sobre “Relacionamento e Trabalho em Equipe”, com o intuito de orientá-los a respeito da postura e da comunicação verbal durante apresentações.

Os universitários acharam incrível a organização e a disposição que os alunos tiveram, incluindo conceitos novos sobre o tema. “Houve muita participação dos estudantes e os jovens do Formare conseguiram lidar muito bem com essas situações”, comenta Otávio.

Outros Educadores Voluntários puderam assistir à apresentação dos alunos e ficaram orgulhos com essa experiência. “Tivemos nossas expectativas superadas, visto que sempre depositamos uma confiança muito grande neles”, finaliza o EV.

cidadão sustentável

Alunos do Formare visitam Feira do Livro de Ribeirão Preto

Jovens expandem conhecimentos sobre sustentabilidade e qualificação profissional

cidadão sustentávelNo dia 6 de junho, a turma de Luiz Antônio do Projeto Escola Formare marcou presença na 17ª edição da Feira Nacional do Livro de Ribeirão Preto, promovida pela Fundação do Livro e da Leitura. O evento, que aconteceu entre os dias 4 a 11 de junho no Theatro Pedro II e na Tenda Sesc, teve como tema “Do conhecimento que liberta ao amor que educa” e propôs o debate e a reflexão sobre o papel do livro na educação.

Este ano, a Feira priorizou discorrer sobre o desenvolvimento educacional, que tende a beneficiar crianças, adolescentes e comunidades em geral. As atividades incluíram uma homenagem a Portugal, país mãe da Língua Portuguesa, o oitavo idioma mais falado pelo mundo.

cidadão sustentável 2Os alunos do Formare, visitaram o estande do jogo “Cidadão Sustentável”, que abordou sobre a relação das questões ambientais e de cidadania, com o objetivo de refletir sobre a responsabilidade de cuidar do ambiente natural e da cidade. Na dinâmica, os alunos tiveram acesso a informações, que poderão ser utilizadas nas aulas de Meio Ambiente do programa do Instituto International Paper.

O estande da Escola Técnica Estadual – Centro Paula Souza também foi visitado pelos alunos, que puderam esclarecer dúvidas a respeito de processo seletivo e cursos técnicos gratuitos. Além dessas atividades, a Feira abriu espaço para palestras e exposições, apresentações culturais e oficinas.

Para Sabrina Tenello, da Responsabilidade Social Corporativa e Sustentabilidade da IP, a importância de atividades extracurriculares são uma oportunidade para os alunos não só refletirem sobre a vida profissional, mas também sobre seu papel na cidadania. “Queremos contribuir fortemente para formação de bons cidadãos”, finaliza Sabrina.

shutterstock_380464495

Brasil sobe em ranking de sustentabilidade

De acordo com o Environmental Performance Index de 2016, Brasil evolui na categoria qualidade do ar

shutterstock_380464495

Divulgado a cada dois anos, o “Environmental Performance Index” avalia o desempenho de 180 países em relação às políticas voltadas à sustentabilidade e bem-estar. Na última edição (2016), o Brasil saltou da 77ª posição para a 46ª, alavancado pela melhoria da qualidade do ar.

O relatório é fruto de uma parceria entre as universidades americanas Yale e Columbia e analisa os países em nove critérios macro: agricultura, saúde, qualidade do ar, água e saneamento básico, recursos hídricos, recursos florestais, clima e energia, recursos pesqueiros e biodiversidade. Os países que melhor se posicionam no ranking têm notas próximas a 100, indicador máximo de pontuação.

Os 10 países mais bem posicionados no ranking de 2016 foram: Finlândia (90.68 pontos), Islândia (90.51 pontos), Suécia (90.43 pontos), Dinamarca (89.21 pontos), Eslovênia (88.98 pontos), Espanha (88.91 pontos), Portugal (88.63 pontos), Estônia (88.59 pontos), Malta (88.48 pontos) e França (88.20 pontos).

Cada um dos nove indicadores tem pesos diferentes. Mas uma das curiosidades trazidas nesta última edição, em relação ao ranking divulgado em 2014, diz respeito à qualidade do ar: em 2013, as mortes em decorrência da qualidade da água foram maiores do que as mortes ocasionadas por problemas ligados à qualidade do ar. Situação que se inverteu dois anos depois.

De acordo com o relatório, o desenvolvimento industrial urbano, somado à maior exposição da população ao transporte motorizado, trouxe mais impactos para a saúde respiratória, configurando-se em um fenômeno global, que não está restrito a determinados países. E é justamente na categoria qualidade do ar, que o Brasil mais se destacou. No entanto, o documento aponta que um dos principais desafios mundiais hoje é equilibrar o desenvolvimento econômico com as metas globais de redução na emissão de gases, que contribuem para o efeito estufa.

Cuidado com as florestas: um longo trabalho para o Brasil

Se a categoria qualidade do ar fez com que o País subisse 31 posições no ranking, a categoria preservação de recursos florestais coloca o Brasil na 83º posição. Isso mostra que há ainda muito trabalho a ser feito nesta área, mobilizando poder público e iniciativa privada em ações voltadas à mitigação dos impactos ambientais e à preservação dos recursos florestais.

Na International Paper, as iniciativas voltadas à sustentabilidade incluem a preservação de um hectare de mata nativa para cada três hectares de florestas plantadas de eucalipto. Aliás, são as florestas plantadas que originam a madeira e o papel certificado pelo FSC e Cerflor, instituições independentes que avaliam a sustentabilidade do setor de papel e celulose.  Além disso, 95% da água utilizada na produção volta tratada ao meio ambiente. Este trabalho mostra a preocupação da empresa em reduzir ao máximo os impactos ambientais.

Fonte: http://epi.yale.edu/sites/default/files/2016EPI_Full_Report_opt.pdf

leguminosas

A importância da nutrição e hábitos alimentares saudáveis no Brasil

leguminosas

Em Brasília, no início de maio, o Centro de Excelência contra a Fome – uma parceria do Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas com o governo brasileiro – realizou uma oficina sobre nutrição.

Os pesquisadores convidados debaterem sobre os padrões alimentares e o aumento excessivo de alimentos ultraprocessados no Brasil. De acordo com a representante do Ministério da Saúde presente no evento, Michele Lessa, o tema é hoje o principal desafio de saúde pública no país, pois está relacionado ao aumento da obesidade e das doenças crônicas não-transmissíveis, como o diabetes e a hipertensão.

Na conferência, foi dito que os danos de uma alimentação não balanceada tem um impacto muito grande, principalmente, em comunidades de baixa renda, no entanto, regiões com alto índice de desenvolvimento também não estão imunes ao problema.

Doenças cardíacas, câncer e diabetes acredita-se que correspondam por mais da metade das mortes no país e hábitos alimentares não saudáveis são as principais causas para o crescimento dessas enfermidades na sociedade.

O intuito do debate não foi somente refletir sobre a qualidade da alimentação, mas também os resultados significativos que a nutrição brasileira está apresentando no combate à desnutrição e outros desafios atuais, como a obesidade e o sobrepeso.

Durante o evento, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) abordou as pesquisas no Brasil a respeito da biofortificação – técnica de evolução genética natural que eleva o teor de micronutrientes da abóbora, arroz, feijão, feijão-caupi, mandioca, milho, batata-doce e trigo, que pode melhorar a qualidade da dieta dos brasileiros

Na oficina, o diretor do Centro de Excelência contra a Fome, Daniel Balaban, destacou a relevância de compartilhar experiências e aprendizados com outros países, para assim buscar soluções a esses problemas que o país está vivendo.

Instituto pautado em temas atuais – Um dos programas do Instituto International Paper que aborda a temática dos hábitos alimentares, é o Natureza e Corpo. Com início em 2013 na cidade de Três Lagoas (MS), o programa visa a resgatar padrões culturais a fim de conscientizar e engajar jovens a respeito de práticas saudáveis e sustentáveis.

O programa realiza atividades com alunos do 6º ao 9º do ensino fundamental, que descobrem a importância de uma alimentação balanceada e desfrutam de uma horta comunitária instalada na escola. Desta forma, esses jovens tornam-se protagonistas na conservação e no cultivo das plantações.

A expectativa do projeto para 2017 é a ampliação das hortas instaladas nas instituições participantes para expansão da produção e distribuição a comunidade local e outras escolas da região.

O programa trabalha com propostas que visam a refletir sobre o meio ambiente e sobre sustentabilidade alimentar pelo mundo. Um trabalho que contribui para a educação de jovens e também, para a conservação ambiental do planeta.

Dados extraídos do artigo da ONU: https://nacoesunidas.org/oficina-em-brasilia-discute-aumento-de-habitos-alimentares-nao-saudaveis-no-brasil/

08-guardioes-das-aguas

Confira as Escolas vencedoras do Guardiões das Águas 2017

Projetos vencedores incluem construção de cisternas, plantio de mudas e passeatas informativas sobre o tema

08-guardioes-das-aguas

O prêmio “Guardiões das Águas” é uma iniciativa do Instituto International Paper, que propõe aos participantes criarem projetos pedagógicos relacionados ao uso racional dos recursos hídricos dentro e fora da escola.

Este ano, foi a vez da região de Luiz Antônio participar ativamente das ações, envolvendo educadores do Ensino Fundamental I e II, sendo que cada escola vencedora receberá até R$ 7 mil reais para tirar suas propostas do papel e já no próximo dia 14 de junho os vencedores serão recebidos na sede da fábrica da International Paper em Luiz Antônio para um café de confraternização e início da implantação dos projetos vencedores.

Confira abaixo quais são as Escolas Guardiãs das Águas de 2017 vencedoras de cada município:

ALTINÓPOLIS/SP

EMEF Professora Carmem Miguel Vicari

Responsável pelo projeto: Gilmara Alves Arantes do Nascimento (Coordenadora Pedagógica)

Principais iniciativas: Construção de cisterna para captação da água da chuva e conscientização dos participantes por meio de atividades pedagógicas realizadas na escola, como apresentações musicais, palestras, maquetes além da confecção de folders e cartazes pelos alunos.

GUATAPARÁ/SP

EMEF Andrea Sertori Sandrin

Responsável pelo projeto: Rita de Cássia Azevedo (Professora do Ensino Fundamental I)

Principais iniciativas: Troca de válvulas hídricas e torneiras para redução do consumo de água na escola, construção de um sistema de reaproveitamento de água do bebedouro para irrigação da horta escolas, divulgação de informações para comunidade por meio de passeata e a revitalização de áreas verdes na Avenida Jacarandás e plantio de mudas nativas no bairro Nossa Senhora Aparecida.

LUIZ ANTÔNIO/SP

EMEF Professora Helena Maria Luiz de Mello

Responsável pelo projeto: Margarete Carvalhaes de Jesus Janini (Professora do Ensino Fundamental II)

Principais iniciativas: Construção de cisterna para captação da água da chuva que será utilizada para regar uma horta comunitária já existente na escola. Além dessa ação a escola também propõe trabalhar o tema com os alunos ao longo do ano e fazer o reparo de alguns espaços públicos da escola.

SÃO SIMÃO/SP

EMEF Marcílio Bondesan

Responsável pelo projeto: Ana Paula Baldini Vieira de Souza (Assessora Pedagógica)

Principais iniciativas: Construção de cisterna para captação de água da chuva para ser implantada na escola e a demonstração para a comunidade de como construir uma mini cisterna doméstica. Também será feito a apresentação pelos alunos do texto “Carta do Futuro” e cada sala de aula desenvolverá um projeto relacionado ao tema para ser apresentado no final do ano.

shutterstock_410383780

Dia Mundial do Meio Ambiente é comemorado em 5 de junho

shutterstock_410383780

Em 1972, a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano foi realizada em 5 de junho, em Estocolmo, Suécia. Na ocasião, a data foi instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o “Dia Mundial do Meio Ambiente”, com o objetivo de promover a preservação ambiental em todo o mundo.

“A proteção e o melhoramento do meio ambiente humano é uma questão fundamental que afeta o bem-estar dos povos e o desenvolvimento econômico do mundo inteiro, um desejo urgente dos povos de todo o mundo e um dever de todos os governos.” Declaração de Estocolmo sobre o ambiente humano 1972

 Na mesma conferência, foi criado o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), que alerta povos e nações para o uso racional dos recursos naturais, dentro de uma proposta de desenvolvimento sustentável. A entidade tem sede em Nairóbi, no Quênia. No Brasil, a instituição tem um escritório em Brasília (DF) desde 2004 com o objetivo de atender as demandas locais, além de disseminar os temas relevantes da agenda global e regional.

Conheça as iniciativas do Instituto International Paper que estão relacionadas com o meio ambiente:

- Programa de Educação Ambiental (PEA): o objetivo é promover um diálogo aberto, com alunos e professores do Ensino Fundamental das comunidades onde a International Paper atua. Os assuntos abordados são: os mitos e verdades relacionados à produção de papel e celulose, à fauna e flora local, florestas plantadas, papel reciclado, entre outras questões.

- Formare IP: lançado no Instituto em 2010, o projeto oferece a jovens, preferencialmente em vulnerabilidade social, um curso de educação profissional, reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC) e emitido pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Por nove meses, os alunos participam de aulas práticas e teóricas realizadas nas unidades da International Paper em Mogi Guaçu (SP), Luiz Antônio (SP) e Três Lagoas (MS). As disciplinas são ministradas por Educadores Voluntários (EVs) e os jovens contam com o apoio de 50 tutores da liderança da IP.

 - Guardiões das Águas: a iniciativa começou em 2008 na região de Luiz Antônio (SP) e, desde então, tem a missão de informar e conscientizar os participantes sobre o uso racional da água, além de incentivar práticas de conservação.

 - Apicultura Solidária: é realizado desde 2011 nas regiões dos municípios de Mogi Guaçu e Luiz Antônio, ambos em São Paulo. O objetivo é estimular o uso múltiplo das florestas de eucalipto plantadas pela International Paper, permitindo que apicultores locais instalem suas colmeias e caixas de captura necessárias para a produção do mel e, assim, tenham uma geração de renda com a venda do que é produzido.

- Natureza e Corpo: tem o objetivo de resgatar e despertar, em jovens alunos do município de Três Lagoas (MS), alguns costumes culturais da região, como o plantio de hortas comunitárias. Além de melhorar o acesso dos participantes e seus familiares a uma alimentação saudável e balanceada, os jovens alunos se tornam multiplicadores de conceitos de conservação ambiental e do desenvolvimento sustentável da própria comunidade local.

- Educação Socioambiental (ESA): a iniciativa, que este ano completa 42 anos, de existência na região de Mogi Guaçu,  propõeum concurso de redação para alunos do 5º e 9º ano do Ensino Fundamental e 3º ano do Ensino Médio, e um concurso literário entre professores dos municípios de Estiva Gerbi (SP), Mogi Mirim (SP) e Mogi Guaçu (SP).

- Projeto Parceiro Guardiões do Verde: realizada, desde 2008, no viveiro Semeando o Futuro, localizado no município de Guatapará (SP), a iniciativa capacita jovens de 14 a 17 anos em situação de vulnerabilidade social a exercerem a atividade de viveirista.

11-pea

Participe do Programa de Educação Ambiental (PEA)

Estão abertas as inscrições para o PEA em Luiz Antônio e Mogi Guaçu para o 2º semestre de 2017.

11-pea

O objetivo do Programa de Educação Ambiental é trabalhar alguns mitos sobre a produção de Papel e Celulose. A capacidade máxima é de 60 alunos por visitação e eles conhecem mais sobre a IP e participam de brincadeiras descontraídas com o intuito de ensiná-los a respeito da fauna e da flora.

No ano passado, as atividades abordaram o processo produtivo e as ações de preservação ambiental, envolvendo um total de 3.161 pessoas.

Nesse conjunto, o PEA visa a conscientizar a comunidade escolar sobre o plantio e a fabricação da celulose e do papel, trazendo uma reflexão sobre a sustentabilidade do processo produtivo. O papel produzido pela IP segue as mais rigorosas normas de certificação ambiental, que exigem o manejo sustentável das florestas plantadas a fim de preservar os hectares de mata ativa.

O programa que iniciou em 1993, busca complementar a educação ambiental dada nas escolas, sendo seu público-alvo professores e alunos dos ensinos Fundamental I e II.

As visitas acontecem semanalmente nas unidades nas seguintes unidades da International Paper:

Unidade Mogi Guaçu

Local: Horto Mogi (Rodovia SP 340, Km 171 – Mogi Guaçu/SP)

Dias da semana: todas as segundas e terças-feiras

Horários: das 8h às 12h ou das 13h às 17h.

Para agendar sua visita entre em contato com Tomás Fernandes ou Maitê Silva.
Telefones:  (19) 3861-8955 e (19) 3861-8311
E-mail: tomas.fernandes@ipaper.com e maite.silva@ipaper.com

 

Unidade Luiz Antônio

Local: Centro de Educação Ambiental (Rodovia SP 255, Km 41.2 – Estrada Ribeirão Preto-Araraquara)

Dias da semana: todas as quartas-feiras

Horários: das 8h às 11h ou das 13h às 16h.

Para agendar sua visita entre em contato com Júlia Valadares ou Sabrina Tenello.
Telefones: (16) 3986-9076 e (16) 3986-9076
E-mail: julia.valadares@ipaper.com e sabrina.tenello@ipaper.com