DSC_0175

Alunos do Formare participam da SIPAT 2016

Estudantes elaboram maquete e mostram como são os processos da IP

DSC_0175

Segurança para a International Paper é um valor. E para reforçar todas as medidas que a empresa faz para tornar todos os ambientes de trabalho mais seguros, a CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) da International Paper, contou com uma ajuda extra na Semana Interna de Prevenção aos Acidentes de Trabalho (SIPAT) deste ano: dos alunos do Formare. A turma de Mogi Guaçu participou ativamente do evento, que aconteceu entre os dias 04 e 14 de outubro. Além de acompanharem as palestras, os alunos construíram uma maquete detalhada da unidade, com as diferentes áreas que envolvem o processo de fabricação de papel e celulose.

Além desta atividade, eles fizeram apresentações aos profissionais, colocando em prática todos os ensinamentos das diversas aulas ministradas pelos EVs (educadores voluntários) ao longo da formação profissionalizante, como comunicação oral e escrita e processos de fabricação de papel e celulose, por exemplo.

Em Luiz Antonio, não foi diferente. Os alunos ficaram responsáveis pela apresentação do estande de “Sustentabilidade” aos participantes da SIPAT. De 03 a 11 de outubro, os alunos se organizaram em grupos para fazer o revezamento da apresentação do stand, que buscou informar os funcionários sobre as principais ações de sustentabilidade da IP e tirar dúvidas sobre o Relatório GRI.

Com a ajuda de EVs, cipeiros, familiares, colaboradores da IP e provedores de serviços, os alunos idealizaram e construíram três maquetes representando o tripé de sustentabilidade corporativa (financeiro, social e ambiental) e a sua relação com as metas da companhia para o ano de 2020. Na maquete “Financeiro” os alunos fizeram a representação das metas de eficiência energética e eficiência de fibras; na maquete “Social” os tópicos foram os programas de segurança e as ações do Instituto IP junto às comunidades vizinhas; com relação ao “Meio Ambiente” os alunos apresentaram as metas de reciclagem de aparas e melhoria da qualidade da água.

Ao final das exposições os participantes eram convidados a fazer uma recapitulação da explicação e testar seus conhecimentos no game de sustentabilidade.

capa relatorio

International Paper supera metas de redução na emissão de poluentes antes do previsto

capa relatorioInternational Paper supera metas de redução na emissão de poluentes antes do previstoA multinacional reduziu, globalmente, 18% suas emissões de poluentes e 17% das substâncias destruidoras de oxigênio nas águas residuais das fábricas

A International Paper, líder mundial em fabricação de papéis para imprimir e escrever e embalagens, acaba de divulgar o andamento de suas metas globais de sustentabilidade para 2020, firmadas espontaneamente pela companhia em 2011. Até 2015, a companhia reduziu 18% nas emissões de poluentes (SOx, NOx, MP), 8% acima da meta, e a diminuiu 17% das substâncias destruidoras de oxigênio (DBO) nas águas residuais das fábricas, 2% acima do esperado para o final do período. Os dados são do Relatório de Sustentabilidade 2015, que reúne as principais realizações, desafios e iniciativas da companhia entre 1º de janeiro e 31 de dezembro do ano passado.

O documento, que considera todas as unidades da companhia na América Latina, é produzido em linha com as diretrizes da Global Reporting Initiative (GRI), reconhecida mundialmente por estabelecer princípios e indicadores de desempenho econômico, ambiental e social. “O balanço é uma ferramenta da IP que permite mostrar seu compromisso com a sustentabilidade e com os recursos renováveis”, ressalta Glenn Landau, presidente de International Paper Latinoamérica.

O relatório ressalta também, a expansão dos projetos e ações do Instituto International Paper, que, em 2015, recebeu um investimento de mais de R$ 2,5 milhões e impactou diretamente mais de 39 mil pessoas, por meio de 27 ações.

05-formare1

IIP abre inscrições para o Formare 2017

05-formareDe 11/10 a 04/11 estarão abertas as inscrições para o processo seletivo do FORMARE International Paper nas regiões de Mogi Guaçu, Luiz Antônio e Três Lagoas. Pela primeira vez, o processo seletivo das três unidades da IP será integrado e com várias novidades.

O curso de iniciação profissional é um complemento ao ensino regular, sendo as aulas ministradas de segunda a sexta-feira, durante o dia, nas fábricas da International Paper. No total, serão disponibilizadas 50 vagas (20 vagas para as unidades de celulose e papel de Luiz Antônio e Mogi Guaçu/SP e 10 para a unidade de papel em Três Lagoas/MS)

FORMARE: Como funciona

Lançado na International Paper em 2010, o Projeto Escola Formare, desenvolvido pela Fundação Iochpe, oferece cursos de educação profissional para jovens de famílias de baixa renda, com certificado reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC) e emitido pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). Os professores são profissionais da International Paper que, pela troca de experiências, ajudam a capacitar os alunos e prepará-los para os desafios de conseguir o primeiro emprego.

Para entender melhor, assista ao vídeo.

Confira abaixo, os requisitos dos candidatos e o dia da prova para cada unidade:

TRÊS LAGOAS/MS – NOVO LOCAL 

  • Jovens nascidos entre 01/01/1999 e 31/12/2000;
  • Cursando o 2º ou 3º ano do Ensino Médio na rede pública de ensino em 2016;
  • Com renda familiar média de um salário mínimo para cada pessoa da família;
  • Não ser irmã(o), filha(o), enteada(o), neta(o) ou dependente direto de profissional IP;
  • Residir na cidade de Três Lagoas.

 Prova: Dia 10/11 às 13h30 no COLÉGIO OBJETIVO (UNITRÊS) (Rua Urias Ribeiro, nº 2327 – Alto da Boa Vista – Três Lagoas/MS).

MOGI GUAÇU/SP

  • Jovens nascidos entre 01/01/1998 e 31/12/1999;
  • Cursando o 3º ano do Ensino Médio na rede pública de ensino em 2016;
  • Com renda familiar média de um salário mínimo para cada pessoa da família;
  • Não ser irmã(o), filha(o), enteada(o), neta(o) ou dependente direto de profissional IP;
  • Residir na cidade de Mogi Guaçu.

Prova: Dia 10/11 às 13h30 nas Faculdades Integradas Maria Imaculada (Rua Paula Bueno, 240 – Centro – Mogi Guaçu/SP).

LUIZ ANTÔNIO/SP

  • Jovens nascidos entre 01/01/1998 e 31/12/1999;
  • Cursando o 3º ano do Ensino Médio na rede pública de ensino em 2016;
  • Com renda familiar média de um salário mínimo para cada pessoa da família;
  • Não ser irmã(o), filha(o), enteada(o), neta(o) ou dependente direto de profissional IP;
  • Residir nas cidades de Guatapará, Luiz Antônio, São Simão ou Santa Rosa de Viterbo.

Prova em Guatapará: Dia 10/11 às 08h30 na EE “Jornalista Gavino Virdes” (Rua Valdemar Stoque, 258 – Jd. Alvorada)

Prova em Luiz Antônio: Dia 10/11 às 13h30 na EE “Cel. Arthur Pires” (Rua Nilo Peçanha, 132 – Nova Guatapará)

Prova em São Simão: Dia 10/11 às 19h30 na EE “Prof. Agenor Medeiros” (Rua José Silveira, 954 – Bento Quirino)

Prova em Santa Rosa de Viterbo: Dia 11/11 às 13h30 na EE “Conde Francisco Matarazzo” (Rua Sete de Setembro, 250 – Centro)

O conteúdo das provas serão língua portuguesa, matemática e uma redação. Os candidatos deverão apresentar-se com 15 minutos de antecedência portando documento com foto (RG ou CNH); lápis; borracha e caneta azul ou preta. Não é permitido uso de celular ou calculadora.

No total, o processo seletivo do Formare ocorre em 5 fases

  • Inscrições online;
  • Prova;
  • Dinâmica de grupo;
  • Entrevista pessoal e tour na fábrica da International Paper;
  • Visita domiciliar.

O processo seletivo começa com as inscrições em outubro e seguem fases eliminatórias até o início do mês de dezembro, quando será divulgado a lista dos candidatos aprovados. O início das aulas está previsto para março de 2017.

Ficou interessado? Clique AQUI para fazer a sua inscrição.

 

floresta ip mogi guaçu

Biomassa de Eucalipto: energia limpa na produção de papel

Bianca_Bricio ipUma das preocupações da International Paper é com a redução de impactos ambientais, por isso a empresa trabalha constantemente para a melhoria dos processos industriais, com foco na sustentabilidade e no uso racional dos recursos na fabricação de papel e celulose. Entre as inúmeras iniciativas da empresa está o uso da biomassa de eucalipto na geração de energia para algumas de suas unidades. Quem explica um pouco mais sobre este processo e as aplicações do eucalipto no dia a dia é a Coordenadora de Sustentabilidade da IP, Bianca Brício.

Engenheira química, Bianca está na International Paper desde 2010. Como trainee, passou pelas áreas Florestal e pelo escritório corporativo de São Paulo, antes de ir para a unidade Mogi Guaçu, onde trabalha atualmente. Nesta entrevista, ela detalha o passo a passo da geração de energia pela biomassa e conta também o que é feito com as “sobras” do eucalipto, que são reutilizadas no plantio de novas mudas.

Como é o processo de geração de energia por meio da biomassa de eucalipto?

A biomassa de eucalipto tem sido utilizada como fonte de combustível para as fábricas de papel e celulose no Brasil em diversas unidades. Recentemente, este processo migrou do uso da casca e resíduos de madeira e passou para a queima de troncos inteiros.  A queima da biomassa gera a energia utilizada para aquecer a água, que passa por tubos dentro da própria caldeira. O aquecimento da água gera vapor, que é utilizado para movimentar turbinas, produzindo energia elétrica. As condições da queima da biomassa, assim como a temperatura e a pressão do vapor são controladas para que tenham máxima eficiência. Os gases resultantes da queima também passam por equipamentos de controle ambiental para minimizar possíveis impactos ao meio ambiente.

A energia gerada pela biomassa de eucalipto é capaz de tornar a indústria autossuficiente? O quanto essa energia gerada corresponde ao consumo da indústria?

No caso das unidades da IP, fontes renováveis de energia são responsáveis por aproximadamente metade da energia utilizada.

Todas as unidades da IP, de Papel e Embalagens utilizam a biomassa?

Na verdade, as unidades que utilizam a energia da biomassa de eucalipto são as de Luiz Antônio, Mogi Guaçu e Nova Campina, pois usam madeira como insumo na produção de celulose. Nas unidades em que não temos esse processo integrado, ou seja, não se produz celulose, a energia provém de outras fontes.

Quais as vantagens da utilização da biomassa de eucalipto para a indústria, do ponto de vista dos impactos ambientais?

O eucalipto tem grande potencial para ser usado para geração de energia, pois é um combustível de origem renovável e seu crescimento tem uma velocidade acelerada em regiões de clima tropical, como o Brasil, onde a colheita é feita com idade média de 7 anos. A IP possui aproximadamente 72 mil hectares de cultivo de eucalipto certificado. Vale ressaltar que as áreas de florestas plantadas da International Paper são certificadas pelos selos FSC/PEFC e Cerflor.  Além do cultivo de eucalipto, a IP mantém 26 hectares destinados a conservação da biodiversidade e preservação de florestas nativas.

Além das vantagens competitivas do eucalipto, do ponto de vista florestal, ao utilizar a biomassa como fonte de energia, deixamos de consumir combustíveis fósseis nas fábricas. Esta substituição deixa a matriz energética da unidade mais limpa e reduz as emissões de Gases do Efeito Estufa (GEE).

A biomassa produzida pela IP é utilizada somente pela empresa, ou é comercializada? E a energia elétrica produzida? A indústria absorve ou há a comercialização com concessionárias de energia?

A biomassa produzida pela IP é utilizada apenas para consumo próprio, bem como a energia elétrica. A IP também compra parte da energia elétrica consumida do grid nacional.

Pode-se dizer que do eucalipto tudo se aproveita? O que ele gera, além de madeira, papel, celulose, energia? Há mais algum subproduto que queira mencionar?

São inúmeras as possibilidades de uso do eucalipto, mas os produtos mais comuns são, além da matéria prima para a produção de celulose e da biomassa que gera energia, há a produção de pallets, de carvão vegetal, caixas para embalagem de produtos, móveis e pisos como assoalho e laminados.

No campo, galhos e folhas dos eucaliptos colhidos ficam sobre o solo para sua proteção. Nas fábricas da IP, partes do eucalipto que não podem ser aproveitadas para a obtenção de madeira ou para a geração de energia, como cascas muito impregnadas com terra ou areia, são utilizadas para a produção de composto orgânico, utilizado na adubação das árvores da floresta.

Compostagem:

compostagem