Foto Eurípedes Valadao

Alunos do Formare recebem Gerente de Operações Industriais

Foto Eurípedes ValadaoAos 37 anos de idade, o Gerente de Operações Industriais da unidade Luiz Antônio, Eurípedes Valadão Jr., tem mais da metade de sua vida dedicada à International Paper. São 19 anos de trabalho, o que o torna um expert quando o assunto é a produção de papel e celulose. Nestas quase duas décadas, há pelo menos cinco anos ele se dedica a atividades com os alunos do Formare, compartilhando experiências e orientações. No final de julho, Valadão, como é chamado pelos colegas na IP, participou de mais uma edição do Papo Formare.

Engenheiro de formação, Valadão entrou na IP aos 18 anos, traçando uma trajetória duradoura de crescimento profissional. E foi sobre essa caminhada que ele conversou com os alunos do Formare, que estão em processo de decisão de carreira. “Procurei mostrar a eles, por meio da minha história, alguns caminhos para que eles entendam como funciona a dinâmica da vida profissional”, explica.

DÚVIDAS DE TODOS OS TIPOS - As escolhas pessoais e de carreira são um tema recorrente nos encontros dos executivos com os alunos, que aproveitam a oportunidade para esclarecer suas dúvidas, aproveitando ao máximo os exemplos e as orientações transmitidas com base na vivência de quem já aprendeu muito com os erros e acertos ao longo da vida. “Os estudantes me perguntaram sobre as minhas dificuldades de carreira e as minhas escolhas pessoais. Percebo que eles trazem para a conversa essa dúvida sobre qual caminho devem trilhar para dar um rumo certo para o futuro”.

Ao final da conversa, os executivos que participam do Papo Formare sempre deixam uma mensagem aos alunos para que continuem seus estudos e tenham sucesso em sua jornada. E, com Valadão, não foi diferente. “Não desistam de sonhar, se os seus sonhos atuais estão muito distantes, mude de sonho e readapte para que possam ser buscados aos poucos. Ao alcançar um sonho, busque outro e lembrem-se que desta vida não levamos nada além das experiências”, diz.

Anuncio das escolas vencedoras - editada

Guardiões das Águas premia escolas em Rio Verde (GO)

Projetos vencedores incluem hortas e captação de água para reuso no ambiente escolar

Anuncio das escolas vencedoras- editada2

Representantes das escolas acompanham anúncio dos vencedores do “Guardiões das Águas”

No dia 22 de agosto, três escolas de Rio Verde (GO) celebraram o recebimento do prêmio “Guardiões das Águas”, iniciativa do Instituto International Paper para reconhecer os melhores projetos relacionados ao uso racional dos recursos hídricos. Este ano, foi a vez do município goiano participar ativamente das ações, envolvendo educadores do Ensino Fundamental. Os autores dos projetos premiados receberam respectivamente R$ 2 mil, R$ 1,5 mil e R$ 1 mil. E cada escola ficou com R$ 8 mil.

As grandes vencedoras de 2016 foram a EMEF Monte Alegre, com o projeto Água: conscientizar para preservar; em segundo lugar, ficou a EMEFTI Professor Waldyr Emrich Portilho, com Gota D’ Água; e o terceiro lugar foi para a EMEF Professor Francisco Joaquim de Paiva, com Água: joia cristalina. Em comum, essas escolas pretendem construir hortas e investir em sistemas de armazenagem de água para reuso, como cisternas. Um benefício para toda a comunidade, além de trabalhar a conscientização por meio de palestras, boletins informativos, entre outras ações com o foco ações educativas, como a economia de água (veja abaixo).

PRÊMIO SERÁ REVERTIDO EM MELHORIAS – A EMEF Monte Alegre, cujo projeto prevê o reconhecimento de nascentes próximas à escola e o reflorestamento de manancial, investirá parte da verba recebida para a compra de mudas. A EMEFTI Waldyr Emrich Portilho pretende expandir o projeto para fora da escola, incentivando pais e alunos para que pratiquem economia de água doméstica. A instituição também premiará o aluno que economizar mais água com uma bicicleta. A EMEF Professor Joaquim Francisco de Paiva planeja uma série de ações de conscientização dentro da escola. E o resultado irá compor uma exposição ao final do ano letivo.

O anúncio dos vencedores foi feito pela Gerente de Responsabilidade Social e Sustentabilidade da International Paper, Gláucia Faria, na Secretaria de Educação de Rio Verde. A premiação dos projetos encerra um ciclo de conscientização iniciada no primeiro semestre na cidade, com a exposição Linha d’ Água e com o espetáculo teatral Espaço Mundi. “Cada uma dessas ações buscou envolver a comunidade escolar para refletir sobre a utilização correta da água, tornando alunos e professores multiplicadores de ações mais sustentáveis quanto aos nossos recursos naturais”, declarou Gláucia.

PROJETOS VENCEDORES

ouro1º EMEF Monte Alegre

Projeto: Água: Conscientizar para preservar
Responsável pelo projeto:Aline Bilbio Peres (Coordenadora Pedagógica)
Iniciativas: Reconhecimento de nascentes próximas à escola, reflorestamento de manancial, cavalgada ecológica e construção de cisterna para reaproveitamento de água. Visitas, palestras, teatro para comunidade e horta na escola.
Uso do Prêmio: Construção da cisterna e horta, materiais para campanhas de conscientização  e mudas para reflorestamento.

 

prata2º EMEFTI Professor Waldyr Emrich Portilho

Projeto: Gota D’Água
Responsável pelo projeto: Andrea Cristina Cabral Guimarães(Coordenadora de atividades artísticas e desportivas).
Iniciativas: Passeata, música, boletim informativo, jornalzinho para divulgar as ações do projeto, visitas, palestras, horta na escola e premiação de uma bicicleta para o aluno que que mais economizar água e doação de bombonas para armazenamento de água potável.
Uso do Prêmio: Construção de horta, compra de bicicleta, bombonas para armazenamento de água, e adequação de torneiras e descarga dos banheiros da escola

 

bronze3º EMEF Prof. Francisco Joaquim de Paiva

Projeto: Água Joia Cristalina
Responsável pelo projeto: Neusa Amélia Oliveira Cabral (Professora)
Iniciativas: Construção de cisterna para reaproveitamento de água, construção e manutenção de jardim com pneus, além de atividades trabalhadas na escola para conscientização e encerramento das atividades ao final do ano com a exposição do que foi realizado.
Uso do Prêmio: Construção de horta e cisterna.

 

 

 

 

shutterstock_87899098

Problemas ambientais: brasileiros apostam na tecnologia como solução

Poluição do ar e das águas são as principais preocupações; governo não é considerado o principal agente de transformação

shutterstock_91957046A preocupação com o ambiente e a recuperação dos recursos naturais têm sido o grande desafio deste século. A tônica do debate é unir governo e população para ações concretas que promovam o desenvolvimento sustentável, e também estimulem a conscientização, por meio da educação, sobre a responsabilidade socioambiental. Diante do muito a se fazer, o que mais aflige os brasileiros quando se fala em problemas ambientais?

O Instituto Market Analysis foi em busca dessas respostas e constatou que a poluição do ar, das águas, as emissões de gases dos automóveis e a escassez de água potável estão entre as principais preocupações. Mas, se de um lado, os líderes mundiais discutem uma agenda ambiental, é exatamente o setor governamental, no Brasil, que detém o menor índice de confiabilidade – apenas 10% – na execução de ações que modifiquem esse cenário. Para os ouvidos pela pesquisa, as ONGs, entidades do terceiro setor e os grupos econômicos são os principais agentes de medidas de articulação, conscientização e transformação em benefício da sociedade. Em cada um destes setores, o índice de confiabilidade supera os 50%.

Os dados da pesquisa apontam, ainda, que as mudanças climáticas/aquecimento global e a diminuição dos recursos naturais também figuram entre as principais causas a serem tratadas para a recuperação ambiental.

Quando perguntados sobre as responsabilidades individuais com relação às mudanças climáticas, há uma pequena margem de diferença no reconhecimento de culpa do cidadão por atitudes que impactam negativamente no ambiente. Do total, 52% concordam totalmente (19%) ou parcialmente (33%) que suas atitudes são destrutivas, enquanto 47% discordam totalmente (25%) ou em parte (22%) de que causam impacto ao ambiente.

Para reverter a situação, a tecnologia é citada por 60% dos entrevistados como a grande aliada das ações para promover mudanças climáticas. As soluções tecnológicas são vistas, no entanto, como facilitadoras das mudanças comportamentais de forma que não se exijam grandes esforços individuais.

A conclusão dos entrevistados vem ao encontro da linha adotada pelo Brasil, a partir dos acordos firmados na COP21, de investir em tecnologias limpas para vencer os desafios climático-ambientais.

Para saber mais sobre a pesquisa, clique aqui.

 

 

DCIM100GOPROGOPR1240.

”Natureza e Corpo” leva alunos a assentamento agrícola

Projeto do IIP abraça a produção de verduras e leva a horta para a escola

DCIM100GOPROGOPR1240. Alunos de Três Lagoas (MS) conhecem técnicas agrícolas no assentamento “20 de março”

Os alunos das escolas municipais Joaquim Marques e Parque São Carlos, em Três Lagoas (MS), visitaram nos dias 08 e 09 de agosto o assentamento de agricultores “20 de março” e puderam conhecer de perto o cultivo de verduras e legumes para a edição 2016 do “Natureza e Corpo”.

Desde 2013, o projeto promove um trabalho de conscientização para a sustentabilidade, com enfoque na preservação ambiental e na promoção de uma vida mais saudável, com alunos da educação básica do município, por meio do cultivo de ervas medicinais dentro da escola. Mas, este ano o projeto dá mais um passo ao abranger o cultivo de verduras e legumes, levando a horta e os cuidados com a terra para o ambiente escolar.

“A ideia é inserir na proposta pedagógica das escolas todos estes temas transversais da sustentabilidade, saúde e preservação, desenvolvendo um trabalho continuado que agregue informações aos alunos para além do currículo escolar básico”, explica Gabriel Lima, Analista de Responsabilidade Social e Sustentabilidade da International Paper, que promove as ações do “Natureza e Corpo”, por meio do Instituto International Paper (IIP).

E é com o objetivo de trazer as discussões da escola para a prática cotidiana que o projeto mergulha no universo da agricultura familiar e na produção de hortaliças. Para isso, a aproximação dos alunos com os agricultores foi fundamental para a reprodução das técnicas agrícolas nas escolas. “A visita ao assentamento foi fantástica e ensinou não apenas a importância dos cuidados com a terra, mas questões como perseverança e persistência, uma vez que os agricultores contaram sobre os desafios para conseguir a área e deixar a plantação como está hoje”, relata a professora de matemática da Escola Parque São Carlos, Lívia Ferreira.

As ervas medicinais continuarão a fazer parte do “Natureza e Corpo”, mas com a entrada dos alimentos, as possibilidades de temas discutidos nas aulas aumentam. “Ao implantar os canteiros, responsabilizando-se pela irrigação e plantio, os alunos não apenas colhem os vegetais, mas também o conhecimento trazido pelo contato com a terra”, conta Gabriel.

Matemática na horta – A professora Lívia, que acompanhou a visita dos alunos ao assentamento “20 de março”, levou a matemática até os canteiros, mostrando, na prática, os conceitos trabalhados em aula. “Os alunos mediram o tamanho da horta, calcularam área, perímetro, quantas mudas os canteiros comportam, além do sistema de medidas, trabalhando metros e centímetros”, conta ela, que, desde o ano passado, acompanha o envolvimento da escola no Projeto e vê uma evolução na participação dos estudantes. “Logo, eles vão começar a colher os resultados”.

Além das atividades na horta, que já beneficiam diretamente cerca de 400 alunos e chegam a impactar mil alunos em Três Lagoas, a edição 2016 do “Natureza e Corpo” pretende envolver os estudantes na colheita e na realização de saladas coletivas, que funcionam como eventos multiplicadores do conceito de alimentação saudável para toda a comunidade escolar.

Em um país que tem atualmente 51% de sua população obesa, de acordo com o Ministério da Saúde, trabalhar a alimentação saudável na prática, dentro das escolas, é mais do que uma questão de educação, é cuidar da saúde das futuras gerações, transformando a vida das pessoas – o papel do IIP.

 

criança_alimentaçao saudavel

 “Alimentação Saudável” norteia os concursos do ESA

criança_alimentaçao saudavel

A edição de 2016 do ESA (Projeto de Educação Socioambiental) do Instituto International Paper leva para as escolas um tema muito discutido em diversos âmbitos, inclusivo pela Organização das Nações Unidas: a alimentação saudável.

O 41º Concurso de Redação levará os alunos dos últimos anos do Ensino Fundamental (5º e 9º) e os alunos do 3º ano do Ensino Médio a refletirem sobre como a alimentação saudável pode contribuir para um mundo mais sustentável.

Workshops para educadores e alunos

Aos gestores de escolas e professores, o Instituto reserva o 11º Concurso Literário, que traz o mesmo tema para os profissionais, que passaram por workshops para atuarem como multiplicadores dentro e fora da sala de aula, afinal, uma alimentação adequada contribui para a longevidade das pessoas, algo que se aprende em casa, na escola e nos acompanha ao longo da vida.

O conteúdo dos workshops será ministrado aos alunos, que terão subsídios para escrever suas redações, aliando o conhecimento aprendido sobre o uso da norma culta da língua portuguesa à estruturação de ideias e argumentos na forma de texto. Desta forma, o Concurso de Redação do ESA auxilia os estudantes a estruturarem um pensamento crítico e analítico acerca de assuntos que fazem parte do cotidiano.

Alimentação saudável na pauta da ONU

leguminosasAo eleger 2016 como o “Ano Internacional das Leguminosas”, a ONU traz à tona a questão da sustentabilidade alimentar em todo o planeta. Como trazer qualidade de vida e saúde para mais de seis bilhões de pessoas, reduzindo impactos ambientais na produção de alimentos, garantindo refeições de alto valor nutricional e baixo custo?  Este um dos desafios que as Nações Unidas levam aos governos.

“Todos os anos, procuramos temas atuais para levar às escolas, pois entendemos que uma boa educação combina os assuntos já tratados na grade escolar com assuntos que fazem parte do cotidiano. Quando temos um cenário crescente de obesidade no País e a ONU traz a discussão para o âmbito governamental, era essencial trabalharmos esta proposta”, avalia Gláucia Faria, Gerente de Responsabilidade Social da International Paper.

DSC_6580

Cidade do Livro fecha o ciclo na IP e espera atender 51 mil crianças

DSC_6593

Desde 2009 na IP, projeto inicia sua última etapa em Rio Verde (GO), com expectativa de beneficiar mais de seis mil alunos, de 6 a 10 anos de idade

Depois de passar pelas cidades de Mogi Guaçu (SP), Luiz Antônio (SP), Três Lagoas (MS), Ribeirão Preto (SP), Suzano (SP), Paulínia (SP), Franco da Rocha (SP), Itapeva (SP) e Manaus (AM), chega a vez de Rio Verde (GO) receber a Cidade do Livro Itinerante, projeto coordenado pelo Instituto International Paper que percorreu as unidades da IP nos últimos sete anos, mostrando a crianças do Ensino Fundamental o mundo mágico da literatura. A cidade goiana será o último destino do projeto pelo IIP e a expectativa é atender cerca de seis mil crianças somente no município.

A Cidade do Livro Itinerante desembarca em Rio Verde no dia 22 de agosto (segunda-feira) e fica por lá até o dia 2 de setembro (sexta-feira). No dia 28/08 (domingo), haverá uma sessão exclusiva para os filhos de profissionais da IP.

Nestes sete anos em que percorreu as unidades da International Paper, o projeto beneficiou 45.994 crianças em nove municípios, em três estados diferentes. Ao chegar em Rio Verde, além de somar mais um estado atendido, a Cidade do Livro Itinerante tem um grande objetivo: “encerrar com mais de 51 mil crianças beneficiadas”, revela Sabrina Tenello, Analista de Responsabilidade Social e Sustentabilidade da International Paper.

Uma viagem pela literatura – As crianças que visitarem a Cidade do Livro em Rio Verde encontrarão um lugar que deixa a imaginação voar mais longe. Ao atravessar o portal, formado por livros gigantes, elas conhecerão o Sr. Prefeito e sua secretária, D. Maricota, que apresentarão a cidade e falarão sobre o universo dos livros.

As crianças também participam de atividades relacionadas a reciclagem e ouvem as histórias da Vó Cotinha, em um ambiente cercado de diversão e conhecimento, além de aprenderem mais sobre a importância da alimentação saudável e da higiene de maneira lúdica e interativa.

“Para nós, é recompensador poder colaborar de alguma forma para o incentivo da literatura na infância, pois a formação de leitores deve acontecer desde cedo, de maneira prazerosa, para além das obrigações escolares”, finaliza Gláucia Faria, Gerente de Responsabilidade Social Corporativa e Sustentabilidade da International Paper.

 

FullSizeRender

Campanha do Agasalho une profissionais na doação de cobertores

FullSizeRender

Alunos do Formare organizam a coleta para o Fundo Social de Solidariedade de Guatapará

 Todos os anos, o Instituto International Paper (IIP) realiza a Campanha do Agasalho com a participação direta dos alunos do Formare. Em 2016, a turma escolhida para ajudar na organização foi a de Luiz Antônio, que cuidou também da coleta de doações. A cada edição da campanha, é escolhida uma instituição para receber as peças arrecadadas.

Para atender ao pedido do Fundo Social de Guatapará, entidade que atende 150 famílias no município e oferece cursos de corte e costura, artesanato, manicure, além de prestar atendimento psicossocial, os profissionais da IP se uniram para juntar quantias em dinheiro para a compra de mantas para doação.  “Normalmente, recebemos doações de roupas, mas neste ano fomos informados que havia a necessidade de arrecadarmos cobertores”, conta Sabrina Tenello, analista de Responsabilidade Social e Sustentabilidade do Instituto IP.

Tendo em vista que mantas e cobertores são itens menos doados do que peças de roupa, esse ano a campanha mostrou uma abordagem diferente e vários grupos de profissionais da unidade se organizaram para arrecadar dinheiro para comprar e doar esses itens, no entanto, quem também tinha peças em bom estado para doar não ficou de fora da campanha. Além dos cobertores doados, o IIP arrecadou 90 peças de roupa, entre agasalhos, calças e roupas infantis.

De acordo com Secretário Municipal de Assistência Social de Guatapará, Nelson Cardoso, as doações chegaram em boa hora. “Em uma Campanha do Agasalho, cobertores são um dos itens de mais importância e aqui no Fundo Social temos um psicólogo e um assistente social que realizam visitas e mapeiam as necessidades da comunidade de Guatapará”, explica.

As doações foram recolhidas no dia 21 de julho na unidade de Luiz Antônio e as famílias agradecem. “Ações que unem voluntários e órgãos públicos para ajudar a quem se encontra em extrema vulnerabilidade social são de suma importância”, declara o Secretário. Agora, as doações passarão por uma triagem para serem distribuídas às famílias atendidas.

 

eduardo fonseca 0012

Eduardo Fonseca participa do Papo Formare

Gerente de Assuntos Corporativos da IP compartilha sua trajetória profissional com alunos do Formare

eduardo fonseca 0012

Participando pela primeira vez do Papo Formare, série de encontros que o Instituto International Paper (IIP) promove entre os alunos do Formare IP com executivos, o Gerente de Assuntos Corporativos da International Paper, Eduardo Fonseca, compartilhou com os jovens sua diversificada história profissional. “Os alunos estão dando um passo muito importante no caminho deles e a escolha da direção desse caminho cabe a cada um”, destaca. Formado em Direito, Fonseca começou como trainee na Câmara de Comércio, onde aprendeu sobre comércio exterior e trabalhou na área de conteúdo institucional e em relações com governo, área que se tornou sua expertise e o trouxe para a IP há quatro anos e meio.

Ao falar sobre sua carreira, o Gerente de Assuntos Corporativos exemplificou que uma escolha pode ser redirecionada em algum momento de nossa vida profissional, e que não há problema algum nisto. Pelo contrário, é possível apostar em novos rumos independentemente da formação acadêmica e encontrar a realização profissional em uma área completamente diferente da inicialmente planejada. Sobre o encontro com os alunos, o executivo diz ter ficado impressionado com a curiosidade dos alunos, não só em saber sobre as dicas profissionais, mas, especialmente, sobre as decisões pessoais que nortearam suas escolhas de carreira. “A curiosidade deles é encantadora, e a atenção que eles dão a cada resposta mostra que eles realmente refletem sobre o que a gente fala, fazendo paralelos sobre como as situações de vida podiam se repetir”, conta.

Natural em jovens que vivenciam o momento de decisão profissional, o receio de errar, aparece entre as várias perguntas que os alunos fizeram a Fonseca. “Eles me perguntaram muito sobre as escolhas que fiz na minha profissão e quiseram saber o que eu reconsideraria hoje, olhando para trás. ” Para Fonseca, saber aproveitar as oportunidades que aparecem na carreira foi essencial para que ele assumisse o atual cargo, com a reunião das áreas de sustentabilidade e RSC, Comunicação Corporativa e Relações Governamentais. E esta visão de que a vida pode abrir muitas portas, ele também percebeu no encontro que teve com os alunos no dia 28 de junho. “Eles captaram muito bem a importância do programa, e as portas que eles podem abrir se aproveitarem o que vivenciam no dia a dia aqui. ”

Aprendizado – Toda troca de ideias traz algum tipo de aprendizado. Para Fonseca, só o fato de poder dividir sua trajetória com alunos cheios de vontade de aprender já lhe deixa uma lição. “Eu me senti privilegiado de poder compartilhar um pouco da minha história e ver que, de repente, mesmo sem perceber, posso ter feito a diferença na vida de algum deles”, destaca.

E como em todas as edições do Papo Formare, os profissionais procuram passar uma mensagem para os alunos refletirem durante este momento tão importante. Mostrar que é preciso lutar para fazer com que as coisas aconteçam. “Nada vem fácil na vida, mas o prazer das conquistas é enorme, justamente por batalharmos por elas. Se eles aprenderem uns com os outros, e com os convidados que passam por lá, tenho certeza de que terão as melhores condições de escolher a direção certa”, finaliza.