01_APICULTURA-baixa

2016: ano de expectativas para o Apicultura Solidária

Volume de chuvas do início do ano favorece a produção de mel entre os apicultores participantes do Projeto

foto_apicultura“A expectativa é ótima!” É com este entusiasmo que José Antônio Monteiro, Presidente da COOPERAPIS (Cooperativa dos Apicultores da Região de Ribeirão Preto) e outros 20 cooperados iniciaram o ano de 2016. O motivo vem do céu. “O volume de chuvas dos últimos meses vai impulsionar a nossa produção de mel este ano”, comemora.

Além dos diversos impactos no fornecimento de água, a estiagem de 2015 afetou também a produção de mel entre os apicultores do país. “Sem a chuva o eucalipto não floresce, e sem flores para polinização as abelhas não produzem o mel”, explica Arnaldo Maurício Correa Neto, Consultor em Apicultura, que deu suporte à AAPILEME (Associação de Apicultores de Leme e Região), nova parceira do Instituto International Paper no programa Apicultura Solidária.

No entanto, o consultor alerta. “Chuva em excesso também pode atrapalhar a produção. O clima ideal é a mescla de chuvas moderadas e sol, favorecendo a floração das plantas, a produção de néctar das flores e a polinização das abelhas.”

Os prejuízos pela falta de chuva os apicultores do projeto do IIP conhecem bem. Enquanto em 2014 a produção foi de 40,523 toneladas de mel, 2015 fechou o ano com apenas 8,4 toneladas, mesmo contando com o dobro de caixas-isca instaladas. “Foi um ano preocupante para nós. Mas acreditamos que em 2016 vamos alcançar ótimos resultados”, afirma Monteiro. E não é para menos. Este ano, cerca de 1000 colmeias foram instaladas na floresta de eucalipto que atende à unidade de Luiz Antônio. “Como o período de florada do eucalipto é de dezembro a maio, vamos conseguir fazer entre duas e três ‘colheitas’”, estima.

Fora deste período de florada do eucalipto, os apicultores sobrevivem da colheita de mel silvestre, onde as caixas-isca são instaladas em mata nativa ou em outros tipos de cultura, como o da laranja, por exemplo. Neste ponto, a International Paper também consegue contribuir, já que mantém preservada 20% da mata nativa em suas florestas de eucalipto. “Sem a parceria da IP, nós não sobreviveríamos na região”, destaca José Antônio Monteiro.

Segundo Arnaldo Maurício Correa Neto, essas parcerias com grandes empresas são fundamentais para estes grupos de apicultores. “Poucas companhias têm programas de apicultura já consolidados como a IP. Estas parcerias com grandes empresas estimulam a formação de associações e cooperativas entre os apicultores locais, que ganham força e incentivos do governo. No estado de São Paulo, os apicultores que não fizerem parte destes grupos não vão sobreviver”, ressalta Arnaldo.

Atualmente, o Projeto Apicultura Solidária mantém parceria com dois grupos de apicultores que atuam nas florestas das regiões de Mogi Guaçu e Luiz Antônio, beneficiando cerca de 25 pessoas, entre cooperados e colaboradores.

Copenhagen

O que as cidades ecologicamente corretas têm em comum?

Morar em uma “cidade verde” tem se tornado, cada vez mais, o sonho de muita gente. Quem é que não gostaria de andar por ruas arborizadas, respirar ar puro e passear à beira de rios despoluídos?

Pode parecer cenário de conto de fadas, mas o relatório Green City Index (Índice Verde de Cidades, em português), realizado pela Siemens com a Economist Intelligence Unit, aponta, em todo o mundo as cidades que mais se encaixam neste perfil. E tem mais notícia boa! No último levantamento, divulgado em 2015, uma cidade brasileira está entre esse grupo.

A pesquisa considera e pontua oito pontos de sustentabilidade: energia e emissões de CO2, opções de transporte, água, gestão de resíduos, qualidade do ar, saneamento, construções verdes e governança ambiental global.

san_franciscoSan Francisco (Estados Unidos)

Foi considerada pela pesquisa a cidade mais ecológica da América do Norte. Tem uma longa história de consciência ambiental, com uma taxa de reciclagem de 77%, uma das mais altas do mundo, possibilitada pela obrigatoriedade de se separar o lixo comum do reciclável. Uma ótima ideia, não é? Além disso, a cidade americana prioriza o consumo de ingredientes produzidos localmente e utiliza a bicicleta como meio de transporte.

 

Copenhague (Dinamarca)

Na Europa, o destaque vai para a cidade dinamarquesa que apresenta índices de emissões de poluentes Copenhagenextremamente baixos, considerando seu tamanho e população, de cerca de 1,2 milhão de habitantes. Sabe como isso é possível? Com a utilização da bicicleta como meio de locomoção para mais de 50% da população e transporte público de qualidade e acessível. Outras características que se destacam: a preocupação com a reciclagem e a fabricação de adubo orgânico, além, é claro, do empenho para encontrar maneiras de economizar eletricidade e calor.

 

Vancouver

Vancouver (Canadá)
Quer ar puro? Vancouver teve ótima classificação no quesito emissões de gás carbônico e qualidade do ar. A solução? O incentivo ao uso de energias limpas. A cidade se comprometeu ainda em reduzir suas emissões em 33% até 2020. Enquanto as grandes cidades do mundo continuaram abrindo avenidas, priorizando o trânsito de veículos, a cidade voltou sua atenção para oferecer aos cidadãos opções ecológicas de transporte, investindo em ciclovias e espaço aos pedestres. Ponto positivo para eles! 

 

Cidade do Cabo (África do Sul)Cape Town

A segunda cidade mais populosa da África do Sul está na dianteira do movimento ambiental no continente africano. O caminho para alcançar estelugar foi apostar na economia de energia e no uso de recursos renováveis, como a energia eólica. E a meta é ir além: até 2020, obter 10% de sua energia por meio de fontes renováveis. Outro movimento que começa a tomar força é o incentivo pelo uso da bicicleta como meio de transporte. Apesar de ainda não possuir muitas ciclovias, as bikes podem ser levadas nos ônibus, estimulando a população a deixar o carro em casa.

 Curitiba (Brasil)

curitibaRepresentante latino-americana, a capital do Paraná se destaca pelo eficiente sistema de corredores de ônibus, que contribui para a adesão da população ao transporte público e, consequentemente, para a classificação de Curitiba como uma das cidades com os melhores índices de qualidade do ar do ranking. Olha que exemplo bacana! Além disso, a cidade ainda conta com um programa de reciclagem pioneiro, pensado lá nos anos 80. As metas futuras incluem planejamento para construção de metrô e mais de 300 km de ciclovia.

Em um mundo cada vez mais urbano, ser ecologicamente correto é um desafio. Mas acabamos de ver que, com a articulação de um governo ambientalmente responsável e com o apoio de uma população engajada, isso é possível.

Ser uma cidade ecológica representa buscar um equilíbrio entre a administração das necessidades e o comprometimento da cidade com a preservação do meio ambiente. Significa ser sustentável! E essa transformação deve começar com a gente, nas pequenas ações. Você está fazendo a sua parte?

 

 

Instagram_612x612px

Instituto IP leva projeto “Guardiões das Águas” para Rio Verde

Cidade recebe o navegador Amyr Klink para uma palestra, além da exposição “Linha d’Água”, que mostra o registro fotográfico das expedições de Klink e ressalta o uso consciente dos recursos hídricos.

guardioesdasaguasA edição 2016 do “Guardiões das Águas” está chegando pela primeira vez em Rio Verde – GO e traz para o evento inaugural uma palestra sobre consumo responsável com o navegador Amyr Klink, que contabiliza mais de 40 viagens oceânicas, 15 delas pela Antártica em 30 anos de alto-mar. O evento acontece no dia 26 de fevereiro (sexta-feira), às 19h no Senac Rio Verde.

O projeto “Guardiões das Águas” é uma iniciativa do Instituto International Paper para a conscientização das comunidades que vivem próximas às unidades da empresa quanto ao uso responsável dos recursos hídricos. O projeto envolve as escolas de educação básica da região com o objetivo de formar multiplicadores para atitudes ecologicamente sustentáveis.

Klink foi o primeiro e único a fazer a travessia solitária do Atlântico Sul a remo, em 1984 a bordo do barco I.A.T. No retorno à terra firme, registrou a experiência no livro “Cem dias entre o Céu e o mar”, a primeira de suas cinco publicações.

amyr_klinkEm 2006, lançou “Linha d’ Água – entre estaleiros e homens do mar”, livro que este ano comemora uma década e nomeia a exposição de fotos itinerante que chega a Rio Verde e exibe a trajetória do navegador em suas expedições. Além das fotografias, a mostra gratuita também apresenta ao público, o I.A.T, barco utilizado pelo navegador no seu trajeto solitário pelo Atlântico há 30 anos.

Nestas três décadas de alto-mar, Amyr Klink virou referência em consumo consciente de recursos hídricos, uma vez que as longas jornadas pelos oceanos exigem um planejamento preciso da quantidade de água doce embarcada e o controle na utilização para que não haja desperdício.

A exposição “Linha d’Água” é um evento gratuito que acontece de 27 de fevereiro a 04 de março no Buriti Shopping, localizado na Rua O, 1044 – Jardim Campestre.

Aberta ao público das 10h às 22h, de segunda a sábado. Aos domingos, das 14h às 20h.

guardioesdasaguas

Seja um Guardião das Águas!

Com ações simples, você também pode se tornar um defensor desse recurso natural tão precioso
A economia de água tem sido um assunto bastante debatido nos últimos anos, devido a disponibilidade hídrica e os impactos da falta de chuva em diversas regiões do País.

Ciente de sua responsabilidade social, o Instituto International Paper promove anualmente o projeto Guardiões das Águas”, que chega em 2016 em sua 9º edição tendo como objetivo envolver alunos e professores de escolas municipais e também profissionais da IP em um movimento para a conscientização sobre o uso racional dos recursos hídricos e a conservação ambiental.

Mais do que proporcionar um momento de reflexão, a ideia é formar agentes multiplicadores de atitudes ecologicamente sustentáveis nas comunidades onde vivem.  Por isso, a mobilização de crianças em idade escolar é muito importante para que elas tenham a consciência de que a preservação acontece nas ações do dia a dia e a água precisa de guardiões em todos os lugares!

Guia rápido para se tornar um Guardião das Águas:

  • No banho:feche o chuveiro ao se ensaboar e depois abra para se enxaguar. Não fique com o chuveiro aberto. O consumo poderá cair de 180 para 48 litros.
  • Ao escovar os dentes:feche a torneira e utilize um copo de água para enxaguar a boca. Essa atitude economiza até três litros de água.
  • Na descarga:verifique se a válvula não está com defeito, aperte-a uma única vez e não jogue lixo no vaso sanitário.
  • Na torneira:uma torneira aberta gasta de 12 a 20 litros por minuto. Pingando pode gastar até 46 litros por dia. Isto significa 1.380 litros por mês.
  • Na lavagem de louças:lavar louças com a torneira aberta, o tempo todo, desperdiça até 105 litros de água. Ensaboe a louça com a torneira fechada e depois enxágue tudo de uma vez. Na máquina de lavar são gastos 40 litros. Utilize-a somente quando estiver cheia.
  • Lavar carro:reduza o número de lavagens no mês. Ao lavar em casa, prefira o balde à mangueira, que chega a gastar cerca de 600 litros de água em uma única lavagem.
  • Na limpeza de quintal e calçadas: use vassoura e, se precisar, utilize a água que sai do enxágue da máquina de lavar.

Apesar dos índices de chuva  no final de 2015 e começo de 2016 estarem superando as expectativas, abastecendo as represas e estabilizando o fornecimento de água em várias cidades, precisamos continuar alertas para evitar o desperdício.

A crise hídrica que vivemos recentemente deve servir como um lembrete de que a água é um recurso finito e que, se não cuidarmos dele agora, vai acabar no futuro. Pense nisso!

 

Formare

Alunos do Formare participam de bate-papo sobre carreira

Turma de Três Lagoas recebe o executivo de marketing Elídio Frias para uma troca de ideias
sobre planejamento e carreira

Os alunos do Formare Três Lagoas receberam no dia 3 de fevereiro, quarta-feira, o executivo de marketing da Solenis Especialidades Químicas, Elídio Frias, para uma conversa descontraída sobre trajetória e carreira.

Parceiro do Instituto International Paper, em ações ligadas ao Formare, o executivo teve a oportunidade de compartilhar com os jovens suas experiências profissionais, além de falar um pouco sobre ética, sobre as dificuldades de tomar decisões e a importância de conquistar os sonhos, mas com o pé na realidade.  “Sempre procuro mostrar que todos têm potencial, mas é preciso conhecer a si mesmo e estabelecer metas compatíveis. Se você tem medo de ver sangue, tem que reconsiderar a ideia de se tornar médico”, diz.

O encontro marca o início de uma iniciativa do IIP de promover periodicamente reuniões dos alunos do Formare com profissionais de diferentes áreas para uma troca de experiências sobre trabalho e carreira em um espaço que favoreça o diálogo e tire dúvidas dos estudantes.

Elídio (foto) é químico e construiu sua carreira na área de marketing e vendas em grandes indústrias do setor. É a sexta vez que participa de atividades com os alunos do Formare e cada encontro sempre parece ser o primeiro.  “No início dá um frio na barriga quando começo a conversar com os alunos. Parece que a minha responsabilidade aumenta quando estou na frente deles, depois os temas fluem e a conversa acaba num clima bem agradável”, conta.

Duplo aprendizado

Segundo Elídio, cada eeidio_frias_solenis_formarencontro com os alunos do Formare traz diferentes desafios e é preciso estar preparado para dar respostas inteligentes e atuais. “Essa dinâmica tem me ensinado muito sobre as dúvidas e os hábitos desta geração e eu aprendi que que devemos nos esforçar cada vez mais para contribuir de alguma forma com a educação dos nossos jovens.”

Outro assunto debatido com os alunos foi a importância de ter boas referências na vida, pessoas que são fontes de inspiração.  “Sempre mostro nas apresentações exemplos de profissionais que são símbolo de sucesso. Entre as imagens de pessoas famosas, como Pelé e Madonna intercalo uma foto do gerente da fábrica. Desta vez, foi o Amaury Malia, Gerente Geral da Fábrica de Três Lagoas.  Os alunos percebem que podemos ser referência dentro do nosso universo de atuação e é muito legal ver a reação deles”, conta Elídio, que sempre alerta os alunos para os cuidados com carreiras curtas, além da importância do “ser”, em detrimento do “ter”.

Autores da própria história

O diálogo entre o executivo e os jovens do Formare trouxe uma troca de ideias interessante entre as duas gerações e um ensinamento válido para muitos outros alunos e profissionais que passarem pelo projeto no futuro. “É nossa obrigação passar para esses jovens aquilo que sabemos, as superações de nossas dificuldades e incentivá-los a fazer o mesmo. É mostrar que eles são os autores das próprias histórias e têm potencial para escrever belas narrativas.”

 

Carnaval

Folia com saúde e segurança

ilustração_matéria carnavalCarnaval é uma das datas mais esperadas do ano, são quatro dias para viajar ou aproveitar a folia em algum bloco de rua ou trio elétrico. Entretanto, é também uma época em que as pessoas se esquecem de tomar cuidados essenciais, que se ignorados podem colocar em risco a saúde e bem-estar.

Cuidados com o corpo

Muitas pessoas desconsideram o fato de que pular carnaval em pleno verão requer atenção extra com o corpo. Como acontece nos períodos mais quentes do ano, durante a folia é necessário manter-se hidratado e beber mais água que o habitual. Principalmente se estiver consumindo bebidas alcoólicas, o que desidrata o organismo. O mais indicado é intercalar a bebida com água, ou, se preferir beber isotônicos, sucos naturais ou água de coco.

A alimentação também é negligenciada durante as festas, fase em que o corpo fica cansado e precisa de nutrientes para suportar a maratona carnavalesca. Se não for possível realizar as refeições em horários regulares, o melhor é dar preferência a alimentos leves e ricos em vitaminas e proteínas e tomar um café da manhã bem reforçado, que possa sustentar o corpo durante o resto do dia.

A vestimenta e proteção da pele também são cuidados que devem ser tomados na hora de se preparar para o carnaval. Para evitar o desconforto, prefira vestir roupas leves e sapatos confortáveis. Usar óculos, bonés e chapéus durante o dia também são uma boa dica. Por último o uso do protetor solar e labial são fundamentais em caso de exposição ao sol.

Preserve a sua segurança

Outro tópico que costuma ser recorrente durante o carnaval é a embriaguez no volante. É comum que nesses dias, centenas de pessoas sejam flagradas bêbadas enquanto dirigem, causando confusão e, muitas vezes, acidentes graves.

Uma boa opção para pessoas que planejam beber é alternar a direção com amigos do grupo. Eleger o motorista da vez em cada dia, que fique responsável por não consumir álcool e levar todo mundo para casa de forma segura. Caso queira aproveitar e beber mesmo assim, o ideal é deixar o carro de lado e utilizar o transporte público ou o serviço de táxi.

Além da responsabilidade no trânsito, algo que deve ser indispensável é o uso de preservativos. Além da AIDS, é possível evitar a contaminação pelo papilomavírus humano (HPV), outras doenças sexualmente transmissíveis e a gravidez indesejada.

Para curtir o carnaval de forma saudável, não deixe de verificar também se sua vacinação está em dia. Nessa época do ano, turistas lotam o país e a transmissão de doenças em locais de aglomeração se torna ainda mais recorrente, além de que existe o risco de se ferir com garrafas ou latas de bebida e pegar uma infecção. Aproveite ao máximo, mas de forma consciente.

Vai viajar?

Fique atento ao trânsito e procure pegar a estrada descansado. No Carnaval do ano passado, a Polícia Rodoviária Federal registrou queda de 22% do número de acidentes nas rodovias federais, o que é uma boa notícia. Ainda assim, a cada quatro minutos e meio a PRF retirou das estradas um motorista alcoolizado. Por isso, manter a atenção no trânsito e praticar a direção defensiva é fundamental.

Aproveite o Carnaval, mas sem exageros!

635876799318057060

O importante trabalho dos Educadores Voluntários no Projeto Formare

Adequar as aulas no projeto Formare com a rotina de trabalho faz parte da vida dos Educadores Voluntários (EV’s), profissionais de diferentes áreas que se dedicam a capacitar jovens e adolescentes por meio do projeto. Para que o resultado dê certo, os Educadores têm que organizar a agenda de forma que as aulas e as atividades do trabalho não conflitem entre si. “Separo os dias de aula já com os horários firmados na agenda do meu gerente. Busco realizar o conteúdo prévio no início do curso sobre o que ministrar em cada módulo. Isso torna rápido o preparo das aulas”, explica Bruna Locatelli Fernandes, EV e Assistente Administrativa na fábrica de Três Lagoas/ MS. Segundo a profissional, cada aula demanda de 30 a 40 minutos do seu dia.

Assim como Bruna, Joselir Cassuci, Técnico de Processo na IP de Luiz Antônio/ SP, tenta administrar sua agenda para que as atividades do dia a dia e o seu trabalho como educador voluntário possam ser cumpridos com sucesso. “Caso o horário de aula coincida com algum compromisso prioritário, procuro trocar o período com outra disciplina, pois não gosto de atrasar o conteúdo programático”, completa.  Para o Analista de Controles Internos da unidade de Mogi Guaçu/ SP, Jairo Lima, “compromisso é compromisso”, por isso ele procura organizar sua agenda antecipadamente para fugir de imprevistos.

O preparo prévio das aulas é fundamental para que os alunos recebam o conteúdo de forma prática e pertinente. Além de utilizar o material de apoio do Formare e livros didáticos, os EV’s buscam materiais de apoio na internet e no meio empresarial. “Procuro sempre temas que irão auxiliar os alunos por toda a vida e em qualquer profissão que optarem”, continua Joselir, EV desde a primeira turma da unidade de Luiz Antônio.

Outro fator essencial no desenvolvimento do conteúdo programático é a avaliação dos alunos. “É primordial o feedback deles. Sempre pergunto se estão conseguindo assimilar o assunto, caso contrário, preparo a mesma aula de forma mais didática, até que todos consigam absorver. Isso indica o quanto a matéria está ou não sendo proveitosa”, destaca Bruna, EV há quase dois anos.

Além de carregar a responsabilidade de auxiliar na capacitação de jovens e adolescentes, os EVs aprendem a enxergar as relações sociais de uma forma diferente, tanto no âmbito pessoal quanto profissional.

“Nesses cinco anos de Formare, conheci muitas histórias de vida. Com algumas me alegrei, com outras me entristeci, mas com todas aprendi o quanto é importante praticar o amor ao próximo. É gratificante contribuir com o crescimento desses jovens para uma nova oportunidade de vida. O ato de ensinar com empenho, respeito e dedicação restaura e transforma vidas”, conta Joselir, homenageado três vezes pelos alunos formados. “Eu me sinto honrado ao ver o reconhecimento e os frutos do meu trabalho. É a confirmação de dever cumprido e uma motivação para continuar”, finaliza.

O impacto do Formare na vida dos alunos é grande, mas tem um papel fundamental também na vida de quem se dedica a compartilhar seus ensinamentos. “Aprendi a ser um ser humano melhor em todos os aspectos. Não sabemos o quanto temos a agregar aos outros com o nosso conhecimento. Todos deveriam educar…. Não há nada mais gratificante quanto receber um obrigado apenas por repassar algo que você aprendeu. Com certeza o Formare transformou não só a eles, mas a mim também”, completa Bruna.  “Com os alunos, eu aprendo a aprender e ganho novas experiências ao ver as coisas por uma outra perspectiva”, conta Jairo, que já deu aulas de informática, física e fundamentação numérica.

Faça parte do time de voluntários do projeto Formare você também! Seja um Educador Voluntário na sua unidade, aprenda ensinando e ajude a transformar a história desses jovens e a sua também.

 

Inscrições abertas de 29/01 a 19/02.

 Luiz Antônio:

Sabrina Tenello – sabrina.tenello@ipaper.com ou 39073
Andreza Camacho – andreza.camacho@ipaper.com ou 39076

Mogi Guaçu

Tomás Fernandes – tomas.fernandes@ipaper.com ou 38955