IMG_4692

PEA beneficia mais de três mil pessoas em 2016

IMG_4698

O Programa Educação Ambiental (PEA), do Instituto International Paper tem muito a comemorar este ano.  As atividades envolveram um total de 3.161 pessoas, entre estudantes da Educação Básica e professores em sete municípios: Luiz Antônio, São Simão, Santa Rosa de Viterbo, Guatapará, Mogi Guaçu, Mogi Mirim, Aguaí e Altinópolis.

Este ano, o IIP trabalhou o PEA em duas formas: itinerante, em que as atividades vão até os estudantes nas escolas localizadas nas regiões onde a IP atua, e fixa, em que as ações acontecem nas dependências da International Paper, em Luiz Antonio e Mogi Guaçu, proporcionando uma vivência diferente aos alunos, que deixam o ambiente escolar para ver mais de perto como funciona uma indústria de papel.

No primeiro semestre, o PEA foi até as escolas. Já no segundo, alunos e professores excursionaram, de ônibus, pelas unidades e participaram das atividades na carreta interativa, que mostra os detalhes sobre a fabricação do papel, desmistificando alguns conceitos do processo produtivo, além de mostrar as ações da empresa para a preservação do meio ambiente.

Com a premissa de educar para transformar, o PEA traz não só informações sobre as florestas plantadas e a origem do papel, mas também aborda questões gerais de preservação ambiental, em um ambiente lúdico e atividades educativas em todos os momentos.

O programa de Educação Ambiental (PEA) é realizado desde 1993 nos municípios da região Luiz Antônio e Mogi Guaçu, tendo mais de 89 mil crianças e jovens nas regiões em que a empresa atua.

IMG_4699

05-formare1

Formare 2017: Confira os aprovados para entrevista em Luiz Antônio

05-formareRESULTADO DO PROCESSO SELETIVO – LUIZ ANTONIO

APROVADOS PARA ENTREVISTA

 Confira abaixo os candidatos aprovados para a próxima fase do processo seletivo do Formare International Paper – unidade Luiz Antônio/SP

Os candidatos aprovados farão um tour monitorado pelo processo de produção de celulose e na sequência serão submetidos às entrevistas pessoais.

Vestimenta obrigatória para visitar a fábrica:

  • calçado fechado sem salto;
  • camisa/camiseta;
  • calça jeans.

Não é  permitido o uso de sapatos com salto, sapatilhas, chinelos, sandálias de dedo ou tiras, camisetas regata, blusas de alcinha ou transparente, saias, vestidos, shorts ou bermudas.

Os candidatos deverão dirigir-se à entrada da Portaria 1 (Estacionamento) da International Paper.

TURMA 1: Candidatos convocados para participar no dia 02/12 (sexta-feira) às 8h.

1 Alex Gonçalves dos santo
2 Állan Gabriel dos Santos Bortolozzo
3 Allan Kennedy Alves
4 Ana Beatriz Ferreira
5 Ana Carla da Costa
6 Beatriz Ramos Gaspar
7 Caio Vinicius Tavares Costa Claro
8 Carolina Barcellos Coimbra
9 Celso Aparecido Silva Junior
10 Crisele Aparecida dos Santos Costa
11 Daiane Dos Santos Azevedo
12 Daniely Cristina Graciute Araújo
13 Gabriel Ribeiro Junqueira
14 Gabriela Pires Melo da Silva
15 Geani da Silva Dos Santos
16 Isabella Damasceno da Cruz
17 Isabelle Santos Gonçalves
18 Jenifer Cristina Justino Oliveira
19 Jéssica Caroline Balsan
20 Jéssica Mara de Jesus Oliveira
21 João Victor Lima Galiane
22 João Vitor Beluti da Silva
23 José Henrique dos Santos Belchior

 

TURMA 2: Candidatos convocados para participar no dia 02/12 (sexta-feira) às 13h.

1 Jose Mauro Querido Correia
2 Julia da Silva Souza
3 Juliana Teixeira Pimenta
4 Karen Maria Garcia
5 Kenedy da Silva Camargo
6 Letícia Beatriz Moreira
7 Luana Gabriele De Figueiredo
8 Luiz Felipe Souza schimidt
9 Luiz Henrique Gomes Pauferro
10 Marcelo Junior Meira Alves
11 Maria Vitoria Januario
12 Mileny Hatsue Nomura
13 Othon Omar Balthazar
14 Pâmela Priscila Baldissarelli Bibiano
15 Paulo Henrique Oliveira da Silva Santos
16 Pérola Nicole Gonçalves
17 Rafaela Gonçalves Duarte
18 Raila da Silva Santos
19 Rita de Cássia Ribeiro
20 Rodrigo Augusto Moreira
21 Suellen Santana Guedes
22 Verônica Bernardes Souza
23 Vitoria Natalia Ignacio Gonçalves

 A empresa ofertará transporte gratuito aos candidatos, confira o trajeto e os pontos de embarque abaixo:

 SELECIONADOS NO PERÍODO DA MANHÃ

 Trajeto: Santa Rosa de Viterbo – São Simão – Luiz Antônio – Fábrica IP (ônibus Transanti)      

Parada 1 – Santa Rosa de Viterbo:
Local: EE Conde Francisco Matarazzo
Horário de embarque: 6h

Local: EE Salustiano Lemos
Horário de embarque: 6h05

Parada 2 – São Simão
Local: EE Agenor Medeiros
Horário: 6h40

Local: EE Capitão Virgílio Garcia
Horário: 6h55

Parada 3 – Luiz Antônio
Local: Rodoviária Municipal
Horário: 7h15

Trajeto: Guatapará – Fábrica IP (Táxi Coopcar)

Local: EE Gavino Virdes
Horário: 7h20

Local: Ponto de ônibus Mombuca
Horário: 7h30

SELECIONADOS NO PERÍODO DA TARDE

 Trajeto: Santa Rosa de Viterbo – São Simão – Luiz Antônio – Fábrica IP (ônibus Transanti)      

Parada 1 – Santa Rosa de Viterbo:
Local: EE Conde Francisco Matarazzo
Horário de embarque: 11h

Local: EE Salustiano Lemos
Horário de embarque: 11h05

Parada 2 – São Simão
Local: EE Agenor Medeiros
Horário: 11h40

Local: EE Capitão Virgílio Garcia
Horário: 11h55

Parada 3 – Luiz Antônio
Local: Rodoviária Municipal
Horário: 12h15

Trajeto: Guatapará – Fábrica IP (táxi Coopcar)

Local: EE Gavino Virdes
Horário: 12h20

Local: Ponto de ônibus Mombuca
Horário: 12h30

Alunos da Escola Municipal Joaquim Marques de Souza (2)

Natureza e Corpo encerra o ano com alimentação saudável na escola

Alunos da Escola Municipal Joaquim Marques de Souza (3)

Educar para um estilo de vida mais saudável. Com este propósito, o Instituto International Paper promove anualmente o “Natureza e Corpo”, projeto que propõe às escolas do município de Três Lagoas (MS) uma reflexão sobre qualidade de vida por meio da implantação de hortas comunitárias. A edição deste ano, que teve início no primeiro semestre, terminou em 21 de novembro, na escola Joaquim Marques de Souza, e no dia 22, na Escola Parque São Carlos. Mais de 1.600 alunos foram beneficiados.

Os professores desenvolveram as atividades relacionando-as ao contato com as mudas. Assim, os estudantes aprenderam não só técnicas de cultivo de vegetais, como também aplicaram a teoria da sala de aula ao dia a dia na horta, em uma prática interdisciplinar.

O encerramento do projeto foi marcado por um evento, no qual foi feito um balanço dos conceitos ensinados aos jovens, os principais pontos de aprendizado e troca. Os alunos puderam também participar de um workshop, quando assistiram a um espetáculo teatral, que trouxe dois temas trabalhados no projeto: alimentação saudável e a história do café. Além das atividades expositivas, os alunos foram estimulados a propor melhorias para a horta no próximo ano. Após votação, as melhores propostas serão colocadas em prática em 2017.

De 2013 a 2015, o foco do “Natureza e Corpo” era o resgate dos costumes populares da região de Mato Grosso do Sul, por meio do cultivo de ervas aromáticas, mostrando como a saúde, a natureza e as tradições estão interligadas e fazem parte da cultura de um povo. Este ano, porém, o projeto deu um passo à frente e levou o plantio de verduras e legumes para a escola, visando ao estímulo de uma alimentação mais variada e nutritiva, por meio dessa aproximação de crianças e adolescentes ao contato com a terra.

A escolha do tema vem em um momento em que entidades internacionais discutem estratégias para uma alimentação ambientalmente sustentável e economicamente viável. Tanto que o ano de 2016 foi eleito pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o Ano Internacional das Leguminosas. Trata-se de uma forma de chamar a atenção do mundo para a criação de políticas públicas que estimulem o consumo destes alimentos.

Ciente da importância da discussão desta temática no âmbito escolar, o Instituto International Paper trabalhou em seus projetos a questão da alimentação saudável em outras vertentes, como nos concursos Literário e de redação do ESA (Projeto Educação Socioambiental), levando alunos e educadores a refletirem sobre os próprios hábitos alimentares.

 

 

IMG-20161110-WA0050

Alunos do Formare desenvolvem foguete de garrafa PET

IMG-20161118-WA0031O Projeto Escola Formare do Instituto International Paper realizou, de fevereiro a outubro deste ano, atividades multidisciplinares orientadas pelo educador voluntário Joselir Cassuti, que consistia na montagem de um foguete com garrafas PET.

A iniciativa apresentada pelo educador, que trabalha há 22 na International Paper, envolvia todas as disciplinas. Mas foi em suas aulas de Química, que Joselir falou a respeito do projeto para os alunos, dividindo-os em grupos de quatro a cinco integrantes para produzirem o foguete.

O professor propôs o desafio quando entregou duas garrafas PET para os alunos. “Ao receberem o material, ficaram confusos. Mas quando começamos a recortar as garrafas e as peças surgiram, eles ficaram impressionados e empolgados com a ideia”, comenta o educador.

Os alunos desenharam individualmente as peças e depois entenderam mais sobre a base do foguete e suas funções, levando em conta que não poderia ser pesado por causa do voo. “Aprender sobre todo o processo foi fundamental para a estabilidade do objeto”, explica o professor.

Após concluírem o projeto, os alunos tiveram uma semana de apresentação. Uma bancada foi montada em frente à saída do restaurante da IP de Luiz Antônio e ali receberam perguntas dos profissionais da fábrica. “Os alunos foram questionados sobre temas que envolviam Química, segurança e processo de criação do foguete”, afirma Joselir.

Lançamento de Foguete – No dia 18 de novembro, os alunos participaram de uma competição no gramado da fábrica e ficaram muito impressionados com a estrutura montada para a realização da atividade.

Bandeirinhas no chão demarcavam a distância de dez metros para indicar o espaço que os foguetes atingiriam, o que fosse mais longe receberia a maior nota. Houve empate do primeiro lugar entre os foguetes Quimicopet Turbo F6 e Newton nas Estrelas.

Além da prova de lançamento de foguete, a competição incluía a categoria de nome mais criativo. Quatro foguetes concorriam: Blue Bird, Ácmon, Quimicopet Turbo F6 e Newton nas Estrelas, que recebeu o maior número de votos dos profissionais da fábrica.

“Todo esse projeto foi um desafio para os alunos. Eles não realizaram somente a produção do foguete, mas também as apresentações e avaliações. Fiquei impressionado com o empenho que tiveram ao longo do curso. É incrível ver que eles chegam aqui uma estrelinha apagada e no fim saem todos brilhantes”, diz Joselir.

Segundo o professor, os estudantes receberam nota pelo empenho e dedicação demonstrados do início ao fim do trabalho, além de terem ficado surpresos e contentes com o projeto e todas as atividades das quais participaram. A formatura e a colação de grau dos alunos do Formare serão no dia 16 de dezembro, na unidade Luiz Antônio da International Paper.

shutterstock_224404624

OMS propõe aumento de impostos para alimentos e bebidas prejudiciais à saúde

shutterstock_224404624A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou neste ano uma proposta de estabelecer medidas a fim de reduzir a obesidade no mundo. A estratégia é reorientar a alimentação por meio de políticas de incentivo a alimentos saudáveis e aumento de impostos em alimentos não saudáveis.

Entidades, como a OMS, estão em busca de ações que tragam políticas tributárias para reduzir a compra de alimentos e bebidas que colocam a saúde em risco, para diminuir a incidência de doenças crônicas, como diabetes, hipertensão e doenças cardiovasculares, e combater um problema mundial: a obesidade.

Se as políticas fiscais fossem adotadas no Brasil e pelo restante do mundo, o valor das bebidas açucaradas aumentaria em 20%. A prova de que a implantação seria eficaz, é a experiência no México, que sobretaxou em 10% esses produtos, reduzindo sua compra em 12%.

Na análise da OMS, o aumento dos impostos não seria somente em bebidas açucaradas, mas sobre praticamente todos os alimentos e bebidas que contém gorduras saturadas, gorduras trans e produtos derivados de tabaco.

A medida também busca atribuir subsídios de frutas e vegetais frescos entre 10 e 30%, com o intuito de aumentar o consumo desses alimentos ricos em nutrientes.

A estimativa é que um a cada três adultos da população mundial (39%) está acima do peso, por essa razão ter conhecimento sobre uma alimentação saudável e refletir sobre os aspectos ambientais que isso causa ao planeta é muito importante. Uma vez que 51% da população brasileira é obesa.

Estimulando a alimentação saudável - A Organização das Nações Unidas (ONU) elegeu 2016 como o Ano Internacional das Leguminosas, por isso a International Paper escolheu a Alimentação Saudável como tema para os projetos Educação Ambiental (ESA) e Natureza e Corpo.

Durante os meses de agosto e outubro, os dois projetos do IIP realizaram atividades com alunos dos ensinos fundamental e do médio abordando temas de muita relevância, mas pouco discutidos nas escolas: as práticas saudáveis de alimentação e a contribuição para um planeta mais sustentável e econômico.

O projeto Natureza e Corpo do IIP propôs que alunos de escolas municipais visitassem hortas, aprendendo sobre o cultivo de verduras e legumes e os cuidados necessários com a terra, para que refletissem a respeito de uma vida mais saudável e a preservação do meio ambiente. O projeto geralmente já tem como princípio trabalhar a educação alimentar por meio de hortas comunitárias.

Além disso, a importância das leguminosas, de uma dieta equilibrada e das ações sustentáveis foram estabelecidas como temática de duas tradicionais iniciativas do Instituto da Internacional Paper: o Concurso de Redação e Concurso Literário, que estão respectivamente na 41ª e 11ª edições.

O documento divulgado pela OMS, está disponível em inglês aqui
.

 

05-formare1

Mogi Guaçu: confira a lista de aprovados para a entrevista

05-formare

Confira abaixo os candidatos aprovados para a próxima fase do processo seletivo do Formare International Paper – unidade Mogi Guaçu/SP

Os aprovados farão um tour monitorado pelo processo de produção de celulose e na sequência serão submetidos às entrevistas pessoais.

Vestimenta obrigatória para visitar a fábrica:

  • calçado fechado sem salto;
  • camisa/camiseta com manga;
  • calça jeans.

Não é  permitido o uso de sapatos com salto, sapatilhas, chinelos, sandálias de dedo ou tiras, camisetas regata, blusas de alcinha ou transparente, saias e vestidos, shorts e bermudas.

Os candidatos deverão dirigir-se à entrada da Portaria 1 (Estacionamento) da International Paper.

TURMA 1: Candidatos convocados para participar no dia 24/11 (quinta-feira) às 8h.

1 Alan Henrique de Oliveira Menezes
2 Aldrey Mariane da Silva Ferreira
3 Aline Aparecida Scanavachia
4 Amanda Cardoso da Costa
5 Amanda Caroline Domingos
6 Amanda Penaforte de Lima
7 Ana Beatriz de Faria
8 Ana Beatríz Garcia Pereira
9 Anderson Antonio da Silva
10 Arthur Marlon Acencio
11 Brenda Tuany Moreira Gonçalves
12 Bruno Felipe Ferreira da Silva
13 Bruno Henrique Vieira
14 Bruno Richard Oliveira da Silva
15 Camila Negli Panseri
16 Carlos Felipe Landucci da Silva
17 Eduardo Henrique Dos Santos
18 Éllen Gonçalves Catine
19 Flavio Scomparin Gomes
20 Gabriele Bigaram Rosalino
21 Giovanna Gabrielly Silva Costa
22 Graziele Caroline Borges
23 Guilherme Brandão Martins de Sousa

 

TURMA 2: Candidatos convocados para participar no dia 24/11 (quinta-feira) às 13h.

1 Guilherme Elander da Silva Benati Batista
2 Gustavo Borges De Lima
3 Gustavo de Sousa Silva
4 Hebert Willam da Rosa
5 Ivana Renata Zavoski
6 Jenifer Kauany de Souza dos Reis
7 João Otavio Lucio Della Torre
8 Juliano Setin Feriato
9 Lúcia Regina da Cruz
10 Marcos Abreu de Souza
11 Marcos Gabriel dos Santos Carvalho
12 Maria Luiza Clemente de Abreu Sampaio Cyrino
13 Mateus Henrique Gonçalves
14 Matheus Felipe Casagrande
15 Matheus Guimarães Justino
16 Nathália da Costa
17 Paloma Coraini de Souza
18 Rafael Luiz de Moura Borges
19 Renata Idalina de Souza
20 Sarah da Rocha Porfírio
21 Sarah Ferreira Alves Silva
22 Sarah Ribeiro da Silva
23 Stefany Nunes do Amaral
24 Thainá Ferreira de Sousa
05-formare1

Aprovados no Formare 2017 de Luiz Antônio

05-formare

Confira a lista de aprovados na primeira fase do processo seletivo do Formare International Paper, na unidade Luiz Antônio/SP

A dinâmica de grupo acontecerá na fábrica da International Paper – Rodovia SP 255, km 41,2 – Luiz Antônio/SP e a empresa ofertará transporte gratuito aos candidatos. Veja ao final os itinerários, os horários de partida  e os pontos de embarque.

TURMA 1: Candidatos convocados para participar da dinâmica de grupo no dia 28/11 (segunda-feira), às 9h.

1 Adriane de Almeida Câmara
2 Alex Gonçalves dos Santos
3 Aliane Mamud de Oliveira
4 Állan Gabriel dos Santos Bortolozzo
5 Allan Kennedy Alves
6 Ana Beatriz Ferreira
7 Ana Carla da Costa
8 Ana Carolina Maximiano da Silva
9 Ana Rosa Geraldo dos Santos
10 Andreza Grazielli Assunção Souza
11 Beatriz Ramos Gaspar
12 Caio Vinicius Tavares Costa Claro
13 Carolina Barcellos Coimbra
14 Celso Aparecido Silva Junior
15 Crisele Aparecida dos Santos Costa
16 Daiane Dos Santos Azevedo
17 Daniely Cristina Graciute Araújo
18 Dauto Jorge Rosa
19 Eduardo Alves dos Santos
20 Eliézer Samuel Gomes Isidoro
21 Emili Cristina da Silva Ataliba
22 Esthefani Bianca da Silva Pereira
23 Esther Léa Neves Campos
24 Gabriel Ribeiro Junqueira

TURMA 2: Candidatos convocados para participar da dinâmica de grupo no dia 28/11 (segunda-feira), às 14h.

1 Gabriela Pires Melo da Silva
2 Gabrielle Araújo Camargo
3 Geani da Silva Dos Santos
4 Graziela Flausino da Silva
5 Henrique Vitorio de Souza
6 Isabella Damasceno da Cruz
7 Isabelle Santos Gonçalves
8 Jenifer Cristina Justino Oliveira
9 Jéssica Caroline Balsan
10 Jessica Gonçalves
11 Jéssica Maiara dos Santos
12 Jéssica Mara de Jesus Oliveira
13 João Matheus Martins
14 João Victor Lima Galiane
15 João Vitor Beluti da Silva
16 José Henrique dos Santos Belchior
17 Jose Mauro Querido Correia
18 Julia da Silva Souza
19 Júlia de Fátima Plez dos Reis
20 Juliana Teixeira Pimenta
21 Karen Maria Garcia
22 Kenedy da Silva Camargo
23 Leonardo Rafael Bertanholi Viana
24 Letícia Beatriz Moreira

TURMA 3: Candidatos convocados para participar da dinâmica de grupo no dia 01/12 (quinta-feira), às 9h.

1 Leticia Vitoria da Silva
2 Luana Gabriele De Figueiredo
3 Luiz Felipe Souza Schimidt
4 Luiz Henrique Gomes Pauferro
5 Marcelo Junior Meira Alves
6 Maria Eduarda de Lima Contato
7 Maria Leticia dos Santos
8 Maria Vitoria Januario
9 Mileny Hatsue Nomura
10 Nadiane Aparecida Candido
11 Othon Omar Balthazar
12 Pâmela Priscila Baldissarelli Bibiano
13 Paulo Henrique Oliveira da Silva Santos
14 Pérola Nicole Gonçalves
15 Rafaela Gonçalves Duarte
16 Raila da Silva Santos
17 Ricardo Moreira dos Santos
18 Rita de Cássia Ribeiro
19 Rodrigo Augusto Moreira
20 Suellen Santana Guedes
21 Tauana dos santos batista
22 Taynara Rosa Goveia Amorim
23 Verônica Bernardes Souza
24 Vitoria Natalia Ignacio Gonçalves

Confira o trajeto e os pontos de embarque do transporte gratuito:

SELECIONADOS NO PERÍODO DA MANHÃ (28/11 e 01/12 – Turma 1 e 3)

 

Trajeto: Santa Rosa de Viterbo – São Simão – Luiz Antônio – Fábrica IP (ônibus Trans Santi)      

Parada 1 – Santa Rosa de Viterbo:
Local: EE Conde Francisco Matarazzo
Horário de embarque: 07h00

Local: EE Salustiano Lemos
Horário de embarque: 07h05

Parada 2 – São Simão
Local: EE Agenor Medeiros
Horário: 07h40

Local: EE Capitão Virgílio Garcia
Horário: 07h55

Parada 3 – Luiz Antônio
Local: Rodoviária Municipal
Horário: 08h15

 

Trajeto: Guatapará – Fábrica IP (Táxi Coopcar)
Local: EE Gavino Virdes
Horário: 08h20

Local: Ponto de ônibus Mombuca
Horário: 08h30

SELECIONADOS NO PERÍODO DA TARDE (28/11 – Turma 2)

 

Trajeto: Santa Rosa de Viterbo – São Simão – Luiz Antônio – Fábrica IP (ônibus Tran Santi)      

Parada 1 – Santa Rosa de Viterbo:
Local: EE Conde Francisco Matarazzo
Horário de embarque: 12h00

Local: EE Salustiano Lemos
Horário de embarque: 12h05

Parada 2 – São Simão
Local: EE Agenor Medeiros
Horário: 12h40

Local: EE Capitão Virgílio Garcia
Horário: 12h55

Parada 3 – Luiz Antônio
Local: Rodoviária Municipal
Horário: 13h15

 

Trajeto: Guatapará – Fábrica IP (táxi Coopcar)
Local: Praça da Igreja
Horário: 13h20

Local: Ponto de ônibus Mombuca
Horário: 13h30

05-formare1

Aprovados no Formare 2017 de Mogi Guaçu

05-formare

Confira a lista de aprovados na primeira fase do processo seletivo do Formare International Paper na unidade Mogi Guaçu/SP

A dinâmica de grupo acontecerá no Horto Florestal - Centro de Treinamento da International Paper – Rodovia SP 340, Km 171 – Mogi Guaçu/SP)

TURMA 1: Candidatos convocados para participar da dinâmica de grupo no dia 21/11 (segunda-feira), às 9h.

1 Alan Henrique de Oliveira Menezes
2 Aldrey Mariane da Silva Ferreira
3 Aline Aparecida Scanavachia
4 Amanda Cardoso da Costa
5 AMANDA CAROLINE DOMINGOS
6 Amanda Penaforte de Lima
7 Ana Beatriz de Faria
8 Ana Beatríz Garcia Pereira
9 Ana Brenda Almeida de Vaz
10 Ana Carolina Coelho Bassichetti
11 Ana Flavia Barbosa Da Silva
12 Anderson Antonio da Silva
13 Arthur Marlon Acencio
14 Brenda Gabriely de Oliveira
15 Brenda Tuany Moreira Gonçalves
16 BRUNO FELIPE FERREIRA DA SILVA
17 Bruno Henrique Vieira
18 Bruno Richard Oliveira da Silva
19 Camila Negli Panseri
20 Camila Roberta Marsal
21 Carlos Felipe Landucci da Silva
22 Eduardo Henrique Dos Santos
23 Éllen Gonçalves Catine
24 Flavio Scomparin Gomes

 

TURMA 2: Candidatos convocados para participar da dinâmica de grupo no dia 21/11 (segunda-feira) às 14h.

1 Gabriele Bigaram Rosalino
2 Giovanna Gabrielly Silva Costa
3 Graziele Caroline Borges
4 Guilherme Brandão Martins de Sousa
5 Guilherme Elander da Silva Benati Batista
6 Gustavo Borges De Lima
7 Gustavo de Sousa Silva
8 Hebert Willam da Rosa
9 Hugo Yuji takakua
10 Ingrid de Jesus Augusto
11 Ivana Renata Zavoski
12 Jenifer Kauany de Souza dos Reis
13 João Otavio Lucio Della Torre
14 Julia Scarabello Serafim
15 Juliana da Silva de Araújo
16 Juliano Setin Feriato
17 Leandro Marcelino de Paula Garbi
18 LEONARDO VINICIUS GONÇALVES DE OLIVEIRA
19 Lilieny Karoline Gonçalves
20 Lucas Rodrigo Liel
21 Lúcia Regina da Cruz
22 Marcos Abreu de Souza
23 Marcos Gabriel dos Santos Carvalho
24 Maria Luiza Clemente de Abreu Sampaio Cyrino

 

TURMA 3: Candidatos convocados para participar da dinâmica de grupo no dia 22/11 (terça-feira) às 14h.

1 Mateus Henrique Gonçalves
2 Matheus Felipe Casagrande
3 Matheus Guimarães Justino
4 Mayra Martins De Freitas
5 Natália Cristina Francisco
6 Nathália da Costa
7 NICOLE AZEVEDO
8 Paloma Coraini de Souza
9 Patrick de Araujo Neves
10 Patrik Marlon de Almeida Silva
11 Paulo Ricardo De Oliveira
12 Rafael Luiz de Moura Borges
13 Renata Idalina de Souza
14 Sarah da Rocha Porfírio
15 Sarah Ferreira Alves Silva
16 Sarah Ribeiro da Silva
17 Stefany Nunes do Amaral
18 Thainá Ferreira de Sousa

 

05-formare1

Aprovados no Formare 2017 de Três Lagoas

05-formare

Confira a lista dos aprovados na primeira fase do processo seletivo do Formare em Três Lagoas. Os nomes estão em ordem alfabética.

A segunda fase acontece no dia 16/11 (quarta-feira), às 13h no Colégio Objetivo  – Rua Urías Ribeiro, 2327 – Alto da Boa Vista.

APROVADOS PARA 2 ª FASE (DINÂMICA)  PROCESSO SELETIVO FORMARE 2017 – TRÊS LAGOAS/MS
NOME
1 Abner Loureiro Santana
2 Alisson Torres Moreira
3 Ana Luiza Oliveira Bazan
4 Ane Caroline Rodrigues dos Santos
5 Beatriz Soares de oliveira
6 Bianca Pereira Catania
7 Bruna Maria Almeida e Santos
8 Bruna Pereira Queiroz de Almeida
9 Bruno Barbosa de Oliveira
10 Carlos Henrique Damião dos Santos Filho
11 Cassiane da Silva Domingues
12 Cleisla Martins da Silva
13 Danatielly Peixoto Uchôa
14 Dayane de Oliveira Araujo da Silva
15 Débora Gomes De Lima
16 Eduardo Borges Lopes
17 Eliziane Gabrielli dos Santos Ramos
18 Êmily Aparecida Gomes da Silva
19 Felipe Alexandre Alcantara
20 Felipe da Silva Campos
21 Felipe Henrique Medeiros de Lima
22 Gelson Rosa Cardoso Junior
23 Gisele Vitoria da Cunha Oliveira
24 Guilherme Pereira Calixto Gomes
25 Higor vieira brambilla
26 Isabella Saloah Valentim da Silva
27 João Augusto dos Santos
28 juliane Ribeiro Teixeira
29 Karen Moreira dos Santos Cavanha
30 Karina da Costa Conceição
31 Karina da Silva Souza
32 Kerolyn Barreto Barbosa
33 Ketlin Franco Faria
34 lavínia ferreira bispo
35 Leticia da Silva Moreira
36 Letícia Vasques Lucena
37 Lincoln Batista Melchior
38 Luana Regina Dias Ribeiro
39 Lucas Emanoel Witter de Souza
40 Mari Ellen Costa Romero
41 Maria Aparecida Fernandes dos Santos da Silva
42 MARIA EDUARDA
43 Maria Eduarda Ribeiro Martins
44 Mateus dos Santos
45 Natálya Moreira da Silva
46 Pâmela Feitosa Dos Santos
47 Paulo Ricardo Gonçalves Gama Monteiro
48 Rafaela Maurilha Alves Da Silva
49 Rhaislla Aleixo Dos Reis
50 Stéfany de Souza Felix
51 Stephanie Karoline Angelini Tavares Seara
52 Suze Eliane Ferreira da Silva
53 Tainara Batista Godinho
54 VICTOR FERNANDO GARCIA MEIRA
55 Vitória Maria de Oliveira Damaceno
25-10-06_0906

Apicultura Solidária: apicultores realizam curso de capacitação no SEBRAE

fotos sebrae 1_2

Os apicultores do projeto “Apicultura Solidária”, do Instituto International Paper, participaram de oficinas para aprimorar as técnicas e também expandir os pontos de vendas. A ideia é que a Cooperativa tenha mais autonomia e, assim, amplie sua participação no mercado.

O projeto envolve os profissionais da Cooperativa dos Apicultores da Região de Ribeirão Preto (COOPERAPIS), que atuam nas cidades de Luiz Antônio, Brotas e Altinópolis, que, entre outras áreas de cultivo, utilizam para a produção de mel as florestas de eucalipto da International Paper.

A Cooperativa, juntamente com o SEBRAE, (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), promoveu cursos para os cooperados. A capacitação chega para ampliar os conhecimentos, uma vez que o processo de envase de mel atualmente é todo terceirizado. Com essa capacitação, os apicultores poderão realizar o envase e a distribuição sem a necessidade de entreposto.

Por meio do projeto “Apicultura Solidária”, os apicultores são beneficiados pelo Instituto IP por meio da geração de renda proporcionada pela produção proveniente das florestas plantadas, sendo este o ganho principal para o sustento das famílias dos cooperados.

Para ter maior domínio do trabalho e expandir os negócios, foram ministradas oficinas sobre o Relacionamento da Cadeia de alimentação entre abril e junho deste ano, com os seguintes temas:

  • Exigências Legais de Formalização e Comercialização
  • Produtos Agroindustriais Como Forma de Agregação de Valor – Apicultura
  • Canais de Distribuição

Em outubro, houve outra capacitação, desta vez no Senac de Ribeirão Preto, em que os apicultores assistiram mais oficinas e colocaram seus produtos à mostra.

Apesar da terceirização do envasamento, o mel é todo produzido pela Cooperativa: “Nós acompanhamos as empresas quando estão no processo de envase, para que no dia a dia possamos aplicar as normas que aprendemos”, explica José Antônio Monteiro, líder da COOPERAPIS.

Segundo Monteiro, a Cooperativa pretende expandir a participação nas oficinas e consequentemente os pontos de venda a partir do envase e da distribuição do mel no mercado. Além da parte logística, estes profissionais estão sempre em busca de diferentes soluções para qualquer problema que possa surgir na produção.

De olho no calendário – Em janeiro, o SEBRAE disponibiliza o calendário de cursos e já no início do ano, os apicultores verificam quais são interessantes para o grupo se aperfeiçoar. Os processos de capacitação são para todos, inclusive iniciantes. “Para o pessoal novo as oficinas são muito importantes, até porque eles estão aprendendo a trabalhar e a desenvolver o processo de apicultura”, diz Monteiro.

Com a capacitação, os apicultores obtiveram conhecimento sobre o sistema de gestão e também para que acompanhem o processo em toda a cadeia produtiva. Além disso, passam a ter uma visão mais ampla de sua atividade: da instalação das caixas-iscas, colheita ao envase e distribuição do produto final nos pontos de venda. “Os apicultores admiraram a organização das empresas durante os testes de envase. Dessa forma, eles valorizam ainda mais seus trabalhos”, conta Monteiro.

Para que o envase seja possível dentro da COOPERAPIS, a empresa precisa de um espaço adequado, e esse é o próximo passo da Cooperativa. Para isso, é necessário a aprovação do SIF – Serviço de Inspeção Federal ligado ao Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal – DIPOA.

A COOPERAPIS reconhece que faz um bom trabalho no mercado e que estar mais envolvida em todas as etapas do processo produtivo de mel é muito importante para conquistar mais espaço no mercado. E a parceria com parceria com o IIP é fundamental para que todas essas melhorias aconteçam.  “Se não fosse a International Paper, por meio do Instituto, nós não conseguiríamos evoluir em conhecimento técnico e aprimoramento de todos os processos produtivos. Parte do nosso sucesso é fruto desta parceria”, reitera Monteiro.

Em 2016, o tema foi "Alimentação Saudável"

ESA premia as melhores redações sobre alimentação saudável

Tema da ONU leva comunidade escolar a refletir sobre sustentabilidade alimentar nos concursos do Projeto Educação Socioambiental

_MG_5684

O Instituto International Paper (IIP) premiou, no dia 20 de outubro, alunos e professores vencedores do 41º Concurso de Redação e do 11º Concurso Literário do Projeto Educação Socioambiental (ESA). A cerimônia aconteceu no Espaço Genesis Eventos, em Mogi Guaçu e foi marcada por muita emoção.

Nesta edição, a temática_MG_5627 foi alinhada com o Ano Internacional das Leguminosas, proposto pela Organização das Nações Unidas (ONU) para 2016.  E, sabendo da importância desse assunto, o IIP adaptou esse tema para “Alimentação Saudável” a ideia foi leva-lo em pauta para que os participantes do projeto pudessem discutir e refletir sobre essa temática tão importante em nosso dia-a-dia. Desta forma, o IIP levou o tema à comunidade escolar dos municípios paulistas Mogi Guaçu, Mogi Mirim e Estiva Gerbi, propondo a reflexão por meio das redações. O projeto também ofereceu aos professores workshops aos professores sobre técnicas de escrita e revisão gramatical.

Fazer parte de um evento que contribui para a formação de crianças e jovens há quatro décadas é mais do que motivo de orgulho para os profissionais do IIP.  É um trabalho encarado como uma missão. “É muito gratificante poder contribuir para um projeto tão tradicional, que faz parte do calendário escolar da região”, diz a Gerente de Responsabilidade Social e Sustentabilidade da International Paper, Gláucia Faria.

O Concurso de Redação do projeto EducAção Socioambiental é voltado para alunos do 5º e 9º anos do Ensino Fundamental e 3º ano do Ensino Médio. Já o Concurso Literário é destinado a professores, e traz sempre temas da atualidade para reflexão e prática em sala de aula. Para as finais, foram selecionados 304 alunos: 130 do 5º ano do Ensino Fundamental, 107 estudantes do 9º ano do Ensino Fundamental e 67 alunos do último ano do Ensino Médio. O número de finalistas foi semelhante ao de 2015, com 306 alunos.

Conheça os vencedores

41º Concurso de Redação

Categoria 5º ano – Ensino Fundamental

1º lugar: Ana Flávia S. Pereira – EMEF Prof° Antonio Carnevalle – Mogi Guaçu
2º lugar: Gabriel L. Magrini – EMEF Prof° Antonio Carnevalle – Mogi Guaçu
3º lugar: Sofia C. do Amaral – Colégio Seletivo – Mogi Guaçu

Categoria 9º ano – Ensino Fundamental

1º lugar: Letícia Silva Magalhães – Colégio Delta Nobre – Mogi Mirim
2º lugar: Adriana J. Plínio – EMEB Jorge Bertolaso Stella – Mogi Mirim
3º lugar: Júlya Gabrielle Godoi – EMEB Prof° Cleusa M.V. de Mello – Mogi Mirim

Categoria 3º ano – Ensino Médio

1º lugar: Milena Lima De Falco – Anglo – Mogi Guaçu
2º lugar: Mariana P. da Silva – FEG – Mogi Guaçu
3º lugar: Ágata Bruna N.M. Pimentel – EE Monsenhor Nora – Mogi Mirim

Vencedores do 11º Concurso Literário

1° Jair Dias – Mogi Mirim
2° Doralice dos Santos Scafi – Mogi Mirim
3° Lilian Mirelly Oliveira Silva Faria – Mogi Guaçu

DSC_0175

Alunos do Formare participam da SIPAT 2016

Estudantes elaboram maquete e mostram como são os processos da IP

DSC_0175

Segurança para a International Paper é um valor. E para reforçar todas as medidas que a empresa faz para tornar todos os ambientes de trabalho mais seguros, a CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) da International Paper, contou com uma ajuda extra na Semana Interna de Prevenção aos Acidentes de Trabalho (SIPAT) deste ano: dos alunos do Formare. A turma de Mogi Guaçu participou ativamente do evento, que aconteceu entre os dias 04 e 14 de outubro. Além de acompanharem as palestras, os alunos construíram uma maquete detalhada da unidade, com as diferentes áreas que envolvem o processo de fabricação de papel e celulose.

Além desta atividade, eles fizeram apresentações aos profissionais, colocando em prática todos os ensinamentos das diversas aulas ministradas pelos EVs (educadores voluntários) ao longo da formação profissionalizante, como comunicação oral e escrita e processos de fabricação de papel e celulose, por exemplo.

Em Luiz Antonio, não foi diferente. Os alunos ficaram responsáveis pela apresentação do estande de “Sustentabilidade” aos participantes da SIPAT. De 03 a 11 de outubro, os alunos se organizaram em grupos para fazer o revezamento da apresentação do stand, que buscou informar os funcionários sobre as principais ações de sustentabilidade da IP e tirar dúvidas sobre o Relatório GRI.

Com a ajuda de EVs, cipeiros, familiares, colaboradores da IP e provedores de serviços, os alunos idealizaram e construíram três maquetes representando o tripé de sustentabilidade corporativa (financeiro, social e ambiental) e a sua relação com as metas da companhia para o ano de 2020. Na maquete “Financeiro” os alunos fizeram a representação das metas de eficiência energética e eficiência de fibras; na maquete “Social” os tópicos foram os programas de segurança e as ações do Instituto IP junto às comunidades vizinhas; com relação ao “Meio Ambiente” os alunos apresentaram as metas de reciclagem de aparas e melhoria da qualidade da água.

Ao final das exposições os participantes eram convidados a fazer uma recapitulação da explicação e testar seus conhecimentos no game de sustentabilidade.

capa relatorio

International Paper supera metas de redução na emissão de poluentes antes do previsto

capa relatorioInternational Paper supera metas de redução na emissão de poluentes antes do previstoA multinacional reduziu, globalmente, 18% suas emissões de poluentes e 17% das substâncias destruidoras de oxigênio nas águas residuais das fábricas

A International Paper, líder mundial em fabricação de papéis para imprimir e escrever e embalagens, acaba de divulgar o andamento de suas metas globais de sustentabilidade para 2020, firmadas espontaneamente pela companhia em 2011. Até 2015, a companhia reduziu 18% nas emissões de poluentes (SOx, NOx, MP), 8% acima da meta, e a diminuiu 17% das substâncias destruidoras de oxigênio (DBO) nas águas residuais das fábricas, 2% acima do esperado para o final do período. Os dados são do Relatório de Sustentabilidade 2015, que reúne as principais realizações, desafios e iniciativas da companhia entre 1º de janeiro e 31 de dezembro do ano passado.

O documento, que considera todas as unidades da companhia na América Latina, é produzido em linha com as diretrizes da Global Reporting Initiative (GRI), reconhecida mundialmente por estabelecer princípios e indicadores de desempenho econômico, ambiental e social. “O balanço é uma ferramenta da IP que permite mostrar seu compromisso com a sustentabilidade e com os recursos renováveis”, ressalta Glenn Landau, presidente de International Paper Latinoamérica.

O relatório ressalta também, a expansão dos projetos e ações do Instituto International Paper, que, em 2015, recebeu um investimento de mais de R$ 2,5 milhões e impactou diretamente mais de 39 mil pessoas, por meio de 27 ações.

05-formare1

IIP abre inscrições para o Formare 2017

05-formareDe 11/10 a 04/11 estarão abertas as inscrições para o processo seletivo do FORMARE International Paper nas regiões de Mogi Guaçu, Luiz Antônio e Três Lagoas. Pela primeira vez, o processo seletivo das três unidades da IP será integrado e com várias novidades.

O curso de iniciação profissional é um complemento ao ensino regular, sendo as aulas ministradas de segunda a sexta-feira, durante o dia, nas fábricas da International Paper. No total, serão disponibilizadas 50 vagas (20 vagas para as unidades de celulose e papel de Luiz Antônio e Mogi Guaçu/SP e 10 para a unidade de papel em Três Lagoas/MS)

FORMARE: Como funciona

Lançado na International Paper em 2010, o Projeto Escola Formare, desenvolvido pela Fundação Iochpe, oferece cursos de educação profissional para jovens de famílias de baixa renda, com certificado reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC) e emitido pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). Os professores são profissionais da International Paper que, pela troca de experiências, ajudam a capacitar os alunos e prepará-los para os desafios de conseguir o primeiro emprego.

Para entender melhor, assista ao vídeo.

Confira abaixo, os requisitos dos candidatos e o dia da prova para cada unidade:

TRÊS LAGOAS/MS – NOVO LOCAL 

  • Jovens nascidos entre 01/01/1999 e 31/12/2000;
  • Cursando o 2º ou 3º ano do Ensino Médio na rede pública de ensino em 2016;
  • Com renda familiar média de um salário mínimo para cada pessoa da família;
  • Não ser irmã(o), filha(o), enteada(o), neta(o) ou dependente direto de profissional IP;
  • Residir na cidade de Três Lagoas.

 Prova: Dia 10/11 às 13h30 no COLÉGIO OBJETIVO (UNITRÊS) (Rua Urias Ribeiro, nº 2327 – Alto da Boa Vista – Três Lagoas/MS).

MOGI GUAÇU/SP

  • Jovens nascidos entre 01/01/1998 e 31/12/1999;
  • Cursando o 3º ano do Ensino Médio na rede pública de ensino em 2016;
  • Com renda familiar média de um salário mínimo para cada pessoa da família;
  • Não ser irmã(o), filha(o), enteada(o), neta(o) ou dependente direto de profissional IP;
  • Residir na cidade de Mogi Guaçu.

Prova: Dia 10/11 às 13h30 nas Faculdades Integradas Maria Imaculada (Rua Paula Bueno, 240 – Centro – Mogi Guaçu/SP).

LUIZ ANTÔNIO/SP

  • Jovens nascidos entre 01/01/1998 e 31/12/1999;
  • Cursando o 3º ano do Ensino Médio na rede pública de ensino em 2016;
  • Com renda familiar média de um salário mínimo para cada pessoa da família;
  • Não ser irmã(o), filha(o), enteada(o), neta(o) ou dependente direto de profissional IP;
  • Residir nas cidades de Guatapará, Luiz Antônio, São Simão ou Santa Rosa de Viterbo.

Prova em Guatapará: Dia 10/11 às 08h30 na EE “Jornalista Gavino Virdes” (Rua Valdemar Stoque, 258 – Jd. Alvorada)

Prova em Luiz Antônio: Dia 10/11 às 13h30 na EE “Cel. Arthur Pires” (Rua Nilo Peçanha, 132 – Nova Guatapará)

Prova em São Simão: Dia 10/11 às 19h30 na EE “Prof. Agenor Medeiros” (Rua José Silveira, 954 – Bento Quirino)

Prova em Santa Rosa de Viterbo: Dia 11/11 às 13h30 na EE “Conde Francisco Matarazzo” (Rua Sete de Setembro, 250 – Centro)

O conteúdo das provas serão língua portuguesa, matemática e uma redação. Os candidatos deverão apresentar-se com 15 minutos de antecedência portando documento com foto (RG ou CNH); lápis; borracha e caneta azul ou preta. Não é permitido uso de celular ou calculadora.

No total, o processo seletivo do Formare ocorre em 5 fases

  • Inscrições online;
  • Prova;
  • Dinâmica de grupo;
  • Entrevista pessoal e tour na fábrica da International Paper;
  • Visita domiciliar.

O processo seletivo começa com as inscrições em outubro e seguem fases eliminatórias até o início do mês de dezembro, quando será divulgado a lista dos candidatos aprovados. O início das aulas está previsto para março de 2017.

Ficou interessado? Clique AQUI para fazer a sua inscrição.

 

floresta ip mogi guaçu

Biomassa de Eucalipto: energia limpa na produção de papel

Bianca_Bricio ipUma das preocupações da International Paper é com a redução de impactos ambientais, por isso a empresa trabalha constantemente para a melhoria dos processos industriais, com foco na sustentabilidade e no uso racional dos recursos na fabricação de papel e celulose. Entre as inúmeras iniciativas da empresa está o uso da biomassa de eucalipto na geração de energia para algumas de suas unidades. Quem explica um pouco mais sobre este processo e as aplicações do eucalipto no dia a dia é a Coordenadora de Sustentabilidade da IP, Bianca Brício.

Engenheira química, Bianca está na International Paper desde 2010. Como trainee, passou pelas áreas Florestal e pelo escritório corporativo de São Paulo, antes de ir para a unidade Mogi Guaçu, onde trabalha atualmente. Nesta entrevista, ela detalha o passo a passo da geração de energia pela biomassa e conta também o que é feito com as “sobras” do eucalipto, que são reutilizadas no plantio de novas mudas.

Como é o processo de geração de energia por meio da biomassa de eucalipto?

A biomassa de eucalipto tem sido utilizada como fonte de combustível para as fábricas de papel e celulose no Brasil em diversas unidades. Recentemente, este processo migrou do uso da casca e resíduos de madeira e passou para a queima de troncos inteiros.  A queima da biomassa gera a energia utilizada para aquecer a água, que passa por tubos dentro da própria caldeira. O aquecimento da água gera vapor, que é utilizado para movimentar turbinas, produzindo energia elétrica. As condições da queima da biomassa, assim como a temperatura e a pressão do vapor são controladas para que tenham máxima eficiência. Os gases resultantes da queima também passam por equipamentos de controle ambiental para minimizar possíveis impactos ao meio ambiente.

A energia gerada pela biomassa de eucalipto é capaz de tornar a indústria autossuficiente? O quanto essa energia gerada corresponde ao consumo da indústria?

No caso das unidades da IP, fontes renováveis de energia são responsáveis por aproximadamente metade da energia utilizada.

Todas as unidades da IP, de Papel e Embalagens utilizam a biomassa?

Na verdade, as unidades que utilizam a energia da biomassa de eucalipto são as de Luiz Antônio, Mogi Guaçu e Nova Campina, pois usam madeira como insumo na produção de celulose. Nas unidades em que não temos esse processo integrado, ou seja, não se produz celulose, a energia provém de outras fontes.

Quais as vantagens da utilização da biomassa de eucalipto para a indústria, do ponto de vista dos impactos ambientais?

O eucalipto tem grande potencial para ser usado para geração de energia, pois é um combustível de origem renovável e seu crescimento tem uma velocidade acelerada em regiões de clima tropical, como o Brasil, onde a colheita é feita com idade média de 7 anos. A IP possui aproximadamente 72 mil hectares de cultivo de eucalipto certificado. Vale ressaltar que as áreas de florestas plantadas da International Paper são certificadas pelos selos FSC/PEFC e Cerflor.  Além do cultivo de eucalipto, a IP mantém 26 hectares destinados a conservação da biodiversidade e preservação de florestas nativas.

Além das vantagens competitivas do eucalipto, do ponto de vista florestal, ao utilizar a biomassa como fonte de energia, deixamos de consumir combustíveis fósseis nas fábricas. Esta substituição deixa a matriz energética da unidade mais limpa e reduz as emissões de Gases do Efeito Estufa (GEE).

A biomassa produzida pela IP é utilizada somente pela empresa, ou é comercializada? E a energia elétrica produzida? A indústria absorve ou há a comercialização com concessionárias de energia?

A biomassa produzida pela IP é utilizada apenas para consumo próprio, bem como a energia elétrica. A IP também compra parte da energia elétrica consumida do grid nacional.

Pode-se dizer que do eucalipto tudo se aproveita? O que ele gera, além de madeira, papel, celulose, energia? Há mais algum subproduto que queira mencionar?

São inúmeras as possibilidades de uso do eucalipto, mas os produtos mais comuns são, além da matéria prima para a produção de celulose e da biomassa que gera energia, há a produção de pallets, de carvão vegetal, caixas para embalagem de produtos, móveis e pisos como assoalho e laminados.

No campo, galhos e folhas dos eucaliptos colhidos ficam sobre o solo para sua proteção. Nas fábricas da IP, partes do eucalipto que não podem ser aproveitadas para a obtenção de madeira ou para a geração de energia, como cascas muito impregnadas com terra ou areia, são utilizadas para a produção de composto orgânico, utilizado na adubação das árvores da floresta.

Compostagem:

compostagem

Newton_Scavone

Papo-Formare une filosofia e cultura pop para falar de escolhas

Newton_Scavone

O famoso aforismo grego atribuído ao filósofo Sócrates na Grécia Antiga, “Conhece-te a ti mesmo”, serviu de base para o bate-papo do Gerente de Segurança da IP, Newton Scavone, com os alunos do Projeto Escola Formare, na unidade Luiz Antônio no dia 28 de agosto. Mais do que retomar uma frase clássica, o profissional mostrou como ela se mantém atual e pode ser uma lição de vida, uma vez que o autoconhecimento é uma busca constante do ser humano e essa consciência é essencial para o amadurecimento. “Nós só podemos traçar um plano de reforma íntima, quando nos conhecemos e queremos melhorar”, disse ele no encontro.

Aos 63 anos de idade, Scavone levou aos adolescentes toda a sua experiência de vida, rememorando sua trajetória profissional e o início na empresa, há quase 35 anos. Participante ativo das atividades do Formare, desde o início do Projeto em Luiz Antonio, o Gerente de Segurança falou sobre os valores pessoais e orientou para que os alunos façam boas escolhas no futuro.  “Elas acontecem quando plantamos e a colheita é obrigatória em qualquer situação”, ressaltou.

Perdas e ganhos – Scavone teve que lidar com a perda desde muito cedo. Aos oito anos de idade, seu pai faleceu, fazendo com que ele e os seus dois irmãos, à época com 9 anos e com seis meses de idade buscassem outras referências ao longo da vida, que se encarregou de mostrar caminhos, a partir de muito esforço, dedicação e da consciência de que o cumprimento dos deveres gera resultados e abre portas. “Sempre tive pessoas com carreiras já consolidadas que me inspiraram a seguir nos meus ideais. Eu acredito no exemplo a ser seguido. ”

E foi por meio destas referências e da busca por se aprimorar constantemente, que muitas oportunidades surgiram, o que também pode acontecer com cada um dos alunos do Formare, quando utilizarem todo o seu potencial na carreira que escolherem.  “Eles precisam desejar e vibrar para que as coisas aconteçam, a grande questão não é o que eles estão tendo agora no Formare, mas o que vão fazer com todo esse aprendizado no futuro e isso é algo que converso muito com meu tutorado, também”, disse.

Da filosofia à cultura pop – Além de levar a referência de Sócrates para a conversa, Scavone conectou o passado e o presente com uma passagem da série americana Glee, em que alunos surdos, ao lado do elenco da série, cantam Imagine, de John Lennon, misturando voz e linguagem de sinais. Com esse recurso, ele mostrou que da Grécia Antiga ao clássico dos anos 1970, reinterpretado nos anos 2000, há lições e ensinamentos que perpassam gerações. “Os alunos se emocionaram, um deles me procurou no final dizendo que queria mudar o jeito de ser e este foi o estímulo mais bonito e gratificante que tive”, revelou o profissional, que recomendou ao jovem a seguir sua intuição, algo que “sempre nos traz grandes aprendizados.”

IMG_2137

Bienal é palco de encontro entre os alunos do Formare

IMG_2137O encontro entre os alunos do Formare IP das unidades de Mogi Guaçu e Luiz Antônio já faz parte do calendário de atividades do Instituto International Paper. Para este ano, a empresa proporcionou uma oportunidade de troca de conhecimento entre os alunos e também de diversão e cultura, com uma visita à Bienal Internacional do Livro, em São Paulo.

Uma das patrocinadoras do evento, a IP conseguiu levar os alunos para São Paulo e oferecer um momento diferente, descontraído e em um espaço inspirador, que valoriza a troca de ideias, afinal, quem é que não gosta de boas indicações de leitura?

Na rota da literatura – os alunos saíram das unidades de Luiz Antônio e Mogi Guaçu e tiveram uma primeira parada na cidade de Limeira, quando se reuniram para o café da manhã e seguiram viagem em um único ônibus, onde participaram de algumas dinâmicas, que favoreceram a troca de experiências e de conhecimento.

 Um livro e um desafio – a viagem à Bienal do Livro foi acompanhada pela equipe de RSC e Sustentabilidade da IP e pelo Executivo de Marketing da Solenis, Elídio Frias, parceiro das ações do Instituto. O executivo conversou com os alunos sobre carreira e futuro e os presenteou com um livro e um desafio: terminar a leitura até o final do ano. Meta que para alguns pode ser fácil, e que para outros é apenas o início da construção de um novo hábito: o de viajar pelas páginas de um livro.

 

 

shutterstock_108092945

Inovações transformam resíduos em energia

shutterstock_108092945

Uma vida mais sustentável requer um novo olhar para tudo o que os seres humanos produzem, inclusive o lixo. Para se ter uma ideia, o lixo gerado no País aumentou 29% entre os anos de 2003 e 2014, enquanto o crescimento populacional deste período foi de 6%, de acordo com um levantamento da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), divulgado em 2015.

Diante de um cenário como este, é mais do que urgente repensar as práticas do dia a dia para minimizar o desperdício, além de dar o destino correto aos resíduos. E é aí que a inovação entra em cena, transformando “lixo” em energia elétrica, um luxo para cerca de 1,5 bilhão de pessoas que vivem sem eletricidade, de acordo com dados da ONU, Organização das Nações Unidas.

De olho no desenvolvimento sustentável, algumas indústrias já investiram na produção de eletricidade a partir de fontes alternativas, confira:

 

shutterstock_285916715 Convertendo restos de comida em gás de cozinha – esta é a proposta da HomeBiogas, empresa israelense que criou um sistema que converte restos de alimentos orgânicos em gás de cozinha. Os resíduos deste processo são transformados em adubo líquido para o jardim. E o gás produzido com os alimentos descartados chega a ser suficiente para manter um fogão ligado por três horas.

 

shutterstock_156256430 Lixo de aterro gera energia elétrica – em setembro deste ano, foi inaugurada no município de Caieiras (SP), a maior usina de energia termelétrica no Brasil a partir de gás metano, proveniente de lixo de aterro sanitário, a Termoverde Caieiras. A energia gerada a partir do lixo é suficiente para abastecer uma cidade com cerca de 300 mil habitantes, como Limeira, Guarujá ou Taubaté. Em 2014, o aterro sanitário de Guatapará foi o primeiro no Estado a gerar energia elétrica a partir do lixo de 20 municípios.

madeiraNa International Paper – a madeira residual dos processos industriais (cavaco) também gera energia para as unidades e isso significa uma economia significativa para a IP, além de ganhos em sustentabilidade a partir da utilização de uma fonte renovável de energia: a biomassa do eucalipto.

 

 

shutterstock_262905011

“Dia Mundial Sem Carro” pede um novo olhar para a vida na cidade

shutterstock_262905011

Em 22 de setembro, cidades ao redor do mundo se unem para o “Dia Mundial Sem Carro”, uma in“Dia Mundial Sem Carro” pede um novo olhar para a vida na cidadeiciativa que visa despertar a reflexão da população sobre a emissão de gases poluentes na atmosfera gerada pelos automóveis. A intenção é alertar para questões ambientais como o efeito estufa, além de mobilizar as pessoas para que utilizem mais o transporte coletivo em suas rotinas, meios alternativos como a bicicleta e que passem a participar de caronas compartilhadas, como forma de contribuir para melhorar a qualidade do ar.

Originalmente, o “Dia Mundial Sem Carro” começou na França em 1997 e se espalhou pelo mundo com diversas ações pelas cidades, que, na data, reduzem a velocidade máxima em algumas vias ou mesmo proíbem a passagem de veículos em algumas áreas para que as pessoas utilizem outros meios de transporte. O que mais importa é que a população pense sobre o uso excessivo do automóvel, quando se descarta outras possibilidades de locomoção nas cidades.

As ações do dia 22 de setembro fazem parte de um movimento chamado “Semana da Mobilidade”, adotado por diversos países para propor novas alternativas para aprimorar o transporte urbano, olhando também para questões como melhoria da qualidade de vida, chamando a atenção para formas mais sustentáveis e eficientes de se locomover.

As iniciativas da “Semana da Mobilidade”, além do “Dia Mundial Sem Carro”, incluem caminhadas, passeios ciclísticos e desafios intermodais, com o objetivo de mostrar que a cidade pode ser vivenciada de outras maneiras e que, embora os automóveis sejam importantes para o deslocamento, eles não são essenciais para a vida nos grandes centros urbanos.

Confira algumas iniciativas para uma mobilidade mais sustentável, organizadas em algumas capitais brasileiras.

- Manaus

Durante a Semana da Mobilidade, a ONG “Pedala Manaus” organiza uma série de atividades para estimular o uso de bicicleta entre os manauaras, como o passeio ciclístico e  o  desafio intermodal,  em que os participantes devem concluir um determinado trajeto utilizando diferentes meios de transporte e, ao final verifica-se qual deles é mais eficiente.

- Maceió

No dia 23/9 (sexta-feira), haverá a corrida “Por um Trânsito + Seguro” e no domingo (25/09), um passeio ciclístico, que tem a expectativa de receber até 7 mil participantes.

- São Paulo

Além do Desafio Intermodal, que ocorreu no último dia 17, haverá também caminhadas noturnas e debates sobre mobilidade urbana durante a “Virada da Mobilidade”.

- Porto Alegre

No “Dia Mundial Sem Carro”, a capital gaúcha promove seu segundo Seminário de Mobilidade Urbana – Porto Alegre para Pessoas.

shutterstock_73827871

21 de setembro: “Dia da Árvore”

Data celebra a importância das mudas para o equilíbrio do planeta

shutterstock_73827871
Responsáveis pela qualidade do ar, pelo equilíbrio da temperatura e pela firmeza do solo, além de servir de moradia para inúmeras espécies e fornecer alimento, as árvores são indispensáveis para a sobrevivência na Terra.

O papel das árvores na existência da vida é celebrado de diversas formas por diferentes povos e nações. No Brasil, o “Dia da Árvore” é comemorado no dia 21 de setembro, às vésperas da chegada da primavera, e foi criado para despertar a reflexão sobre a preservação deste recurso natural tão importante para a manutenção dos ecossistemas. Ao redor do mundo, as comemorações acontecem em épocas do ano distintas, mas com este mesmo intuito de abordar o equilíbrio ambiental, unindo esforços para combater práticas de desmatamento e comércio ilegais de espécies ameaçadas.

As florestas plantadas e a indústria– a data é amplamente celebrada pela indústria de papel e celulose, que leva às comunidades informações precisas sobre a importância do manejo florestal do eucalipto florestas plantadas, e as florestas renováveis, planejadas dentro de especificações técnicas e ambientais que garantem o uso racional da terra e dos recursos de maneira sustentável, evitando o desperdício e auxiliando na preservação da mata nativa.

Na International Paper, as ações voltadas para as localidades onde a empresa mantém operações são organizadas pelo Instituto International Paper, que realiza uma série de iniciativas educativas para crianças e adolescentes. A mais antiga e tradicional da empresa surgiu exatamente no “Dia da Árvore”, há mais de 40 anos: o ESA (Educação Socioambiental), que este ano completa seu 41º aniversário com o Concurso de Redação voltado a estudantes dos últimos anos da Educação Básica (5º ano do Ensino Fundamental I, 9º ano do Ensino Fundamental II e 3º ano do Ensino Médio) e o Concurso Literário, em sua 11ª edição, voltado a educadores (professores e gestores escolares do Sistema Básico de Ensino).

O tema escolhido para o ESA este ano foi “Alimentação Saudável” e teve como base a diretriz da ONU (Organização das Nações Unidas), que elegeu 2016 o “ano das leguminosas”, pois a produção de grãos proporciona uma alimentação mais nutritiva e também é responsável por garantir um manejo mais sustentável da terra e dos recursos naturais.

Curiosidade: “Dia da Árvore” ao redor do mundo

As celebrações do “Dia da Árvore” acontecem ao longo do ano de acordo com a cultura de cada país:

australia Austrália: celebra o “Dia Nacional da Árvore” na última semana de julho

 

 

barbados

Barbados: 22 de setembro

 

 

bulgaria

 

Bulgária: celebra o “Dia Nacional da Floresta” na primeira semana de abril

 

 

canadaCanadá: Celebra a folha de sua árvore símbolo, o bordo (Maple) durante a Semana Nacional da Floresta, na última quarta-feira de setembro. Há também diferentes celebrações regionais do “Dia da Árvore”.

 

 

china

China: 12 de março

 

 

 

alemanhaAlemanha: 25 de abril

 

 

 

holandaHolanda: 22 de março

 

 

 

japaoJapão: celebra o Midori Noni no final de abril

 

 

 

jordania
Jordânia:  15 de janeiro

 

 

nova_zelandia

Nova Zelândia: 5 de junho

 

 

africa do sul

África do Sul: celebra a semana da árvore de 1º a 7 de setembro

 

 

 

espanhaEspanha: 26 de março

 

 

 

tunisiaTunísia: 9 de novembro

 

 

 

estados unidosEstados Unidos: celebra o “Dia Nacional da Árvore” na última sexta-feira de abril. Os estados também promovem diferentes celebrações das espécies regionais ao longo do ano, conforme época de plantio.

 

 

Foto Eurípedes Valadao

Alunos do Formare recebem Gerente de Operações Industriais

Foto Eurípedes ValadaoAos 37 anos de idade, o Gerente de Operações Industriais da unidade Luiz Antônio, Eurípedes Valadão Jr., tem mais da metade de sua vida dedicada à International Paper. São 19 anos de trabalho, o que o torna um expert quando o assunto é a produção de papel e celulose. Nestas quase duas décadas, há pelo menos cinco anos ele se dedica a atividades com os alunos do Formare, compartilhando experiências e orientações. No final de julho, Valadão, como é chamado pelos colegas na IP, participou de mais uma edição do Papo Formare.

Engenheiro de formação, Valadão entrou na IP aos 18 anos, traçando uma trajetória duradoura de crescimento profissional. E foi sobre essa caminhada que ele conversou com os alunos do Formare, que estão em processo de decisão de carreira. “Procurei mostrar a eles, por meio da minha história, alguns caminhos para que eles entendam como funciona a dinâmica da vida profissional”, explica.

DÚVIDAS DE TODOS OS TIPOS - As escolhas pessoais e de carreira são um tema recorrente nos encontros dos executivos com os alunos, que aproveitam a oportunidade para esclarecer suas dúvidas, aproveitando ao máximo os exemplos e as orientações transmitidas com base na vivência de quem já aprendeu muito com os erros e acertos ao longo da vida. “Os estudantes me perguntaram sobre as minhas dificuldades de carreira e as minhas escolhas pessoais. Percebo que eles trazem para a conversa essa dúvida sobre qual caminho devem trilhar para dar um rumo certo para o futuro”.

Ao final da conversa, os executivos que participam do Papo Formare sempre deixam uma mensagem aos alunos para que continuem seus estudos e tenham sucesso em sua jornada. E, com Valadão, não foi diferente. “Não desistam de sonhar, se os seus sonhos atuais estão muito distantes, mude de sonho e readapte para que possam ser buscados aos poucos. Ao alcançar um sonho, busque outro e lembrem-se que desta vida não levamos nada além das experiências”, diz.

Anuncio das escolas vencedoras - editada

Guardiões das Águas premia escolas em Rio Verde (GO)

Projetos vencedores incluem hortas e captação de água para reuso no ambiente escolar

Anuncio das escolas vencedoras- editada2

Representantes das escolas acompanham anúncio dos vencedores do “Guardiões das Águas”

No dia 22 de agosto, três escolas de Rio Verde (GO) celebraram o recebimento do prêmio “Guardiões das Águas”, iniciativa do Instituto International Paper para reconhecer os melhores projetos relacionados ao uso racional dos recursos hídricos. Este ano, foi a vez do município goiano participar ativamente das ações, envolvendo educadores do Ensino Fundamental. Os autores dos projetos premiados receberam respectivamente R$ 2 mil, R$ 1,5 mil e R$ 1 mil. E cada escola ficou com R$ 8 mil.

As grandes vencedoras de 2016 foram a EMEF Monte Alegre, com o projeto Água: conscientizar para preservar; em segundo lugar, ficou a EMEFTI Professor Waldyr Emrich Portilho, com Gota D’ Água; e o terceiro lugar foi para a EMEF Professor Francisco Joaquim de Paiva, com Água: joia cristalina. Em comum, essas escolas pretendem construir hortas e investir em sistemas de armazenagem de água para reuso, como cisternas. Um benefício para toda a comunidade, além de trabalhar a conscientização por meio de palestras, boletins informativos, entre outras ações com o foco ações educativas, como a economia de água (veja abaixo).

PRÊMIO SERÁ REVERTIDO EM MELHORIAS – A EMEF Monte Alegre, cujo projeto prevê o reconhecimento de nascentes próximas à escola e o reflorestamento de manancial, investirá parte da verba recebida para a compra de mudas. A EMEFTI Waldyr Emrich Portilho pretende expandir o projeto para fora da escola, incentivando pais e alunos para que pratiquem economia de água doméstica. A instituição também premiará o aluno que economizar mais água com uma bicicleta. A EMEF Professor Joaquim Francisco de Paiva planeja uma série de ações de conscientização dentro da escola. E o resultado irá compor uma exposição ao final do ano letivo.

O anúncio dos vencedores foi feito pela Gerente de Responsabilidade Social e Sustentabilidade da International Paper, Gláucia Faria, na Secretaria de Educação de Rio Verde. A premiação dos projetos encerra um ciclo de conscientização iniciada no primeiro semestre na cidade, com a exposição Linha d’ Água e com o espetáculo teatral Espaço Mundi. “Cada uma dessas ações buscou envolver a comunidade escolar para refletir sobre a utilização correta da água, tornando alunos e professores multiplicadores de ações mais sustentáveis quanto aos nossos recursos naturais”, declarou Gláucia.

PROJETOS VENCEDORES

ouro1º EMEF Monte Alegre

Projeto: Água: Conscientizar para preservar
Responsável pelo projeto:Aline Bilbio Peres (Coordenadora Pedagógica)
Iniciativas: Reconhecimento de nascentes próximas à escola, reflorestamento de manancial, cavalgada ecológica e construção de cisterna para reaproveitamento de água. Visitas, palestras, teatro para comunidade e horta na escola.
Uso do Prêmio: Construção da cisterna e horta, materiais para campanhas de conscientização  e mudas para reflorestamento.

 

prata2º EMEFTI Professor Waldyr Emrich Portilho

Projeto: Gota D’Água
Responsável pelo projeto: Andrea Cristina Cabral Guimarães(Coordenadora de atividades artísticas e desportivas).
Iniciativas: Passeata, música, boletim informativo, jornalzinho para divulgar as ações do projeto, visitas, palestras, horta na escola e premiação de uma bicicleta para o aluno que que mais economizar água e doação de bombonas para armazenamento de água potável.
Uso do Prêmio: Construção de horta, compra de bicicleta, bombonas para armazenamento de água, e adequação de torneiras e descarga dos banheiros da escola

 

bronze3º EMEF Prof. Francisco Joaquim de Paiva

Projeto: Água Joia Cristalina
Responsável pelo projeto: Neusa Amélia Oliveira Cabral (Professora)
Iniciativas: Construção de cisterna para reaproveitamento de água, construção e manutenção de jardim com pneus, além de atividades trabalhadas na escola para conscientização e encerramento das atividades ao final do ano com a exposição do que foi realizado.
Uso do Prêmio: Construção de horta e cisterna.

 

 

 

 

shutterstock_87899098

Problemas ambientais: brasileiros apostam na tecnologia como solução

Poluição do ar e das águas são as principais preocupações; governo não é considerado o principal agente de transformação

shutterstock_91957046A preocupação com o ambiente e a recuperação dos recursos naturais têm sido o grande desafio deste século. A tônica do debate é unir governo e população para ações concretas que promovam o desenvolvimento sustentável, e também estimulem a conscientização, por meio da educação, sobre a responsabilidade socioambiental. Diante do muito a se fazer, o que mais aflige os brasileiros quando se fala em problemas ambientais?

O Instituto Market Analysis foi em busca dessas respostas e constatou que a poluição do ar, das águas, as emissões de gases dos automóveis e a escassez de água potável estão entre as principais preocupações. Mas, se de um lado, os líderes mundiais discutem uma agenda ambiental, é exatamente o setor governamental, no Brasil, que detém o menor índice de confiabilidade – apenas 10% – na execução de ações que modifiquem esse cenário. Para os ouvidos pela pesquisa, as ONGs, entidades do terceiro setor e os grupos econômicos são os principais agentes de medidas de articulação, conscientização e transformação em benefício da sociedade. Em cada um destes setores, o índice de confiabilidade supera os 50%.

Os dados da pesquisa apontam, ainda, que as mudanças climáticas/aquecimento global e a diminuição dos recursos naturais também figuram entre as principais causas a serem tratadas para a recuperação ambiental.

Quando perguntados sobre as responsabilidades individuais com relação às mudanças climáticas, há uma pequena margem de diferença no reconhecimento de culpa do cidadão por atitudes que impactam negativamente no ambiente. Do total, 52% concordam totalmente (19%) ou parcialmente (33%) que suas atitudes são destrutivas, enquanto 47% discordam totalmente (25%) ou em parte (22%) de que causam impacto ao ambiente.

Para reverter a situação, a tecnologia é citada por 60% dos entrevistados como a grande aliada das ações para promover mudanças climáticas. As soluções tecnológicas são vistas, no entanto, como facilitadoras das mudanças comportamentais de forma que não se exijam grandes esforços individuais.

A conclusão dos entrevistados vem ao encontro da linha adotada pelo Brasil, a partir dos acordos firmados na COP21, de investir em tecnologias limpas para vencer os desafios climático-ambientais.

Para saber mais sobre a pesquisa, clique aqui.

 

 

DCIM100GOPROGOPR1240.

”Natureza e Corpo” leva alunos a assentamento agrícola

Projeto do IIP abraça a produção de verduras e leva a horta para a escola

DCIM100GOPROGOPR1240. Alunos de Três Lagoas (MS) conhecem técnicas agrícolas no assentamento “20 de março”

Os alunos das escolas municipais Joaquim Marques e Parque São Carlos, em Três Lagoas (MS), visitaram nos dias 08 e 09 de agosto o assentamento de agricultores “20 de março” e puderam conhecer de perto o cultivo de verduras e legumes para a edição 2016 do “Natureza e Corpo”.

Desde 2013, o projeto promove um trabalho de conscientização para a sustentabilidade, com enfoque na preservação ambiental e na promoção de uma vida mais saudável, com alunos da educação básica do município, por meio do cultivo de ervas medicinais dentro da escola. Mas, este ano o projeto dá mais um passo ao abranger o cultivo de verduras e legumes, levando a horta e os cuidados com a terra para o ambiente escolar.

“A ideia é inserir na proposta pedagógica das escolas todos estes temas transversais da sustentabilidade, saúde e preservação, desenvolvendo um trabalho continuado que agregue informações aos alunos para além do currículo escolar básico”, explica Gabriel Lima, Analista de Responsabilidade Social e Sustentabilidade da International Paper, que promove as ações do “Natureza e Corpo”, por meio do Instituto International Paper (IIP).

E é com o objetivo de trazer as discussões da escola para a prática cotidiana que o projeto mergulha no universo da agricultura familiar e na produção de hortaliças. Para isso, a aproximação dos alunos com os agricultores foi fundamental para a reprodução das técnicas agrícolas nas escolas. “A visita ao assentamento foi fantástica e ensinou não apenas a importância dos cuidados com a terra, mas questões como perseverança e persistência, uma vez que os agricultores contaram sobre os desafios para conseguir a área e deixar a plantação como está hoje”, relata a professora de matemática da Escola Parque São Carlos, Lívia Ferreira.

As ervas medicinais continuarão a fazer parte do “Natureza e Corpo”, mas com a entrada dos alimentos, as possibilidades de temas discutidos nas aulas aumentam. “Ao implantar os canteiros, responsabilizando-se pela irrigação e plantio, os alunos não apenas colhem os vegetais, mas também o conhecimento trazido pelo contato com a terra”, conta Gabriel.

Matemática na horta – A professora Lívia, que acompanhou a visita dos alunos ao assentamento “20 de março”, levou a matemática até os canteiros, mostrando, na prática, os conceitos trabalhados em aula. “Os alunos mediram o tamanho da horta, calcularam área, perímetro, quantas mudas os canteiros comportam, além do sistema de medidas, trabalhando metros e centímetros”, conta ela, que, desde o ano passado, acompanha o envolvimento da escola no Projeto e vê uma evolução na participação dos estudantes. “Logo, eles vão começar a colher os resultados”.

Além das atividades na horta, que já beneficiam diretamente cerca de 400 alunos e chegam a impactar mil alunos em Três Lagoas, a edição 2016 do “Natureza e Corpo” pretende envolver os estudantes na colheita e na realização de saladas coletivas, que funcionam como eventos multiplicadores do conceito de alimentação saudável para toda a comunidade escolar.

Em um país que tem atualmente 51% de sua população obesa, de acordo com o Ministério da Saúde, trabalhar a alimentação saudável na prática, dentro das escolas, é mais do que uma questão de educação, é cuidar da saúde das futuras gerações, transformando a vida das pessoas – o papel do IIP.

 

criança_alimentaçao saudavel

 “Alimentação Saudável” norteia os concursos do ESA

criança_alimentaçao saudavel

A edição de 2016 do ESA (Projeto de Educação Socioambiental) do Instituto International Paper leva para as escolas um tema muito discutido em diversos âmbitos, inclusivo pela Organização das Nações Unidas: a alimentação saudável.

O 41º Concurso de Redação levará os alunos dos últimos anos do Ensino Fundamental (5º e 9º) e os alunos do 3º ano do Ensino Médio a refletirem sobre como a alimentação saudável pode contribuir para um mundo mais sustentável.

Workshops para educadores e alunos

Aos gestores de escolas e professores, o Instituto reserva o 11º Concurso Literário, que traz o mesmo tema para os profissionais, que passaram por workshops para atuarem como multiplicadores dentro e fora da sala de aula, afinal, uma alimentação adequada contribui para a longevidade das pessoas, algo que se aprende em casa, na escola e nos acompanha ao longo da vida.

O conteúdo dos workshops será ministrado aos alunos, que terão subsídios para escrever suas redações, aliando o conhecimento aprendido sobre o uso da norma culta da língua portuguesa à estruturação de ideias e argumentos na forma de texto. Desta forma, o Concurso de Redação do ESA auxilia os estudantes a estruturarem um pensamento crítico e analítico acerca de assuntos que fazem parte do cotidiano.

Alimentação saudável na pauta da ONU

leguminosasAo eleger 2016 como o “Ano Internacional das Leguminosas”, a ONU traz à tona a questão da sustentabilidade alimentar em todo o planeta. Como trazer qualidade de vida e saúde para mais de seis bilhões de pessoas, reduzindo impactos ambientais na produção de alimentos, garantindo refeições de alto valor nutricional e baixo custo?  Este um dos desafios que as Nações Unidas levam aos governos.

“Todos os anos, procuramos temas atuais para levar às escolas, pois entendemos que uma boa educação combina os assuntos já tratados na grade escolar com assuntos que fazem parte do cotidiano. Quando temos um cenário crescente de obesidade no País e a ONU traz a discussão para o âmbito governamental, era essencial trabalharmos esta proposta”, avalia Gláucia Faria, Gerente de Responsabilidade Social da International Paper.

DSC_6580

Cidade do Livro fecha o ciclo na IP e espera atender 51 mil crianças

DSC_6593

Desde 2009 na IP, projeto inicia sua última etapa em Rio Verde (GO), com expectativa de beneficiar mais de seis mil alunos, de 6 a 10 anos de idade

Depois de passar pelas cidades de Mogi Guaçu (SP), Luiz Antônio (SP), Três Lagoas (MS), Ribeirão Preto (SP), Suzano (SP), Paulínia (SP), Franco da Rocha (SP), Itapeva (SP) e Manaus (AM), chega a vez de Rio Verde (GO) receber a Cidade do Livro Itinerante, projeto coordenado pelo Instituto International Paper que percorreu as unidades da IP nos últimos sete anos, mostrando a crianças do Ensino Fundamental o mundo mágico da literatura. A cidade goiana será o último destino do projeto pelo IIP e a expectativa é atender cerca de seis mil crianças somente no município.

A Cidade do Livro Itinerante desembarca em Rio Verde no dia 22 de agosto (segunda-feira) e fica por lá até o dia 2 de setembro (sexta-feira). No dia 28/08 (domingo), haverá uma sessão exclusiva para os filhos de profissionais da IP.

Nestes sete anos em que percorreu as unidades da International Paper, o projeto beneficiou 45.994 crianças em nove municípios, em três estados diferentes. Ao chegar em Rio Verde, além de somar mais um estado atendido, a Cidade do Livro Itinerante tem um grande objetivo: “encerrar com mais de 51 mil crianças beneficiadas”, revela Sabrina Tenello, Analista de Responsabilidade Social e Sustentabilidade da International Paper.

Uma viagem pela literatura – As crianças que visitarem a Cidade do Livro em Rio Verde encontrarão um lugar que deixa a imaginação voar mais longe. Ao atravessar o portal, formado por livros gigantes, elas conhecerão o Sr. Prefeito e sua secretária, D. Maricota, que apresentarão a cidade e falarão sobre o universo dos livros.

As crianças também participam de atividades relacionadas a reciclagem e ouvem as histórias da Vó Cotinha, em um ambiente cercado de diversão e conhecimento, além de aprenderem mais sobre a importância da alimentação saudável e da higiene de maneira lúdica e interativa.

“Para nós, é recompensador poder colaborar de alguma forma para o incentivo da literatura na infância, pois a formação de leitores deve acontecer desde cedo, de maneira prazerosa, para além das obrigações escolares”, finaliza Gláucia Faria, Gerente de Responsabilidade Social Corporativa e Sustentabilidade da International Paper.

 

FullSizeRender

Campanha do Agasalho une profissionais na doação de cobertores

FullSizeRender

Alunos do Formare organizam a coleta para o Fundo Social de Solidariedade de Guatapará

 Todos os anos, o Instituto International Paper (IIP) realiza a Campanha do Agasalho com a participação direta dos alunos do Formare. Em 2016, a turma escolhida para ajudar na organização foi a de Luiz Antônio, que cuidou também da coleta de doações. A cada edição da campanha, é escolhida uma instituição para receber as peças arrecadadas.

Para atender ao pedido do Fundo Social de Guatapará, entidade que atende 150 famílias no município e oferece cursos de corte e costura, artesanato, manicure, além de prestar atendimento psicossocial, os profissionais da IP se uniram para juntar quantias em dinheiro para a compra de mantas para doação.  “Normalmente, recebemos doações de roupas, mas neste ano fomos informados que havia a necessidade de arrecadarmos cobertores”, conta Sabrina Tenello, analista de Responsabilidade Social e Sustentabilidade do Instituto IP.

Tendo em vista que mantas e cobertores são itens menos doados do que peças de roupa, esse ano a campanha mostrou uma abordagem diferente e vários grupos de profissionais da unidade se organizaram para arrecadar dinheiro para comprar e doar esses itens, no entanto, quem também tinha peças em bom estado para doar não ficou de fora da campanha. Além dos cobertores doados, o IIP arrecadou 90 peças de roupa, entre agasalhos, calças e roupas infantis.

De acordo com Secretário Municipal de Assistência Social de Guatapará, Nelson Cardoso, as doações chegaram em boa hora. “Em uma Campanha do Agasalho, cobertores são um dos itens de mais importância e aqui no Fundo Social temos um psicólogo e um assistente social que realizam visitas e mapeiam as necessidades da comunidade de Guatapará”, explica.

As doações foram recolhidas no dia 21 de julho na unidade de Luiz Antônio e as famílias agradecem. “Ações que unem voluntários e órgãos públicos para ajudar a quem se encontra em extrema vulnerabilidade social são de suma importância”, declara o Secretário. Agora, as doações passarão por uma triagem para serem distribuídas às famílias atendidas.

 

eduardo fonseca 0012

Eduardo Fonseca participa do Papo Formare

Gerente de Assuntos Corporativos da IP compartilha sua trajetória profissional com alunos do Formare

eduardo fonseca 0012

Participando pela primeira vez do Papo Formare, série de encontros que o Instituto International Paper (IIP) promove entre os alunos do Formare IP com executivos, o Gerente de Assuntos Corporativos da International Paper, Eduardo Fonseca, compartilhou com os jovens sua diversificada história profissional. “Os alunos estão dando um passo muito importante no caminho deles e a escolha da direção desse caminho cabe a cada um”, destaca. Formado em Direito, Fonseca começou como trainee na Câmara de Comércio, onde aprendeu sobre comércio exterior e trabalhou na área de conteúdo institucional e em relações com governo, área que se tornou sua expertise e o trouxe para a IP há quatro anos e meio.

Ao falar sobre sua carreira, o Gerente de Assuntos Corporativos exemplificou que uma escolha pode ser redirecionada em algum momento de nossa vida profissional, e que não há problema algum nisto. Pelo contrário, é possível apostar em novos rumos independentemente da formação acadêmica e encontrar a realização profissional em uma área completamente diferente da inicialmente planejada. Sobre o encontro com os alunos, o executivo diz ter ficado impressionado com a curiosidade dos alunos, não só em saber sobre as dicas profissionais, mas, especialmente, sobre as decisões pessoais que nortearam suas escolhas de carreira. “A curiosidade deles é encantadora, e a atenção que eles dão a cada resposta mostra que eles realmente refletem sobre o que a gente fala, fazendo paralelos sobre como as situações de vida podiam se repetir”, conta.

Natural em jovens que vivenciam o momento de decisão profissional, o receio de errar, aparece entre as várias perguntas que os alunos fizeram a Fonseca. “Eles me perguntaram muito sobre as escolhas que fiz na minha profissão e quiseram saber o que eu reconsideraria hoje, olhando para trás. ” Para Fonseca, saber aproveitar as oportunidades que aparecem na carreira foi essencial para que ele assumisse o atual cargo, com a reunião das áreas de sustentabilidade e RSC, Comunicação Corporativa e Relações Governamentais. E esta visão de que a vida pode abrir muitas portas, ele também percebeu no encontro que teve com os alunos no dia 28 de junho. “Eles captaram muito bem a importância do programa, e as portas que eles podem abrir se aproveitarem o que vivenciam no dia a dia aqui. ”

Aprendizado – Toda troca de ideias traz algum tipo de aprendizado. Para Fonseca, só o fato de poder dividir sua trajetória com alunos cheios de vontade de aprender já lhe deixa uma lição. “Eu me senti privilegiado de poder compartilhar um pouco da minha história e ver que, de repente, mesmo sem perceber, posso ter feito a diferença na vida de algum deles”, destaca.

E como em todas as edições do Papo Formare, os profissionais procuram passar uma mensagem para os alunos refletirem durante este momento tão importante. Mostrar que é preciso lutar para fazer com que as coisas aconteçam. “Nada vem fácil na vida, mas o prazer das conquistas é enorme, justamente por batalharmos por elas. Se eles aprenderem uns com os outros, e com os convidados que passam por lá, tenho certeza de que terão as melhores condições de escolher a direção certa”, finaliza.

prevent
EducacaoSocioambiental_ (8)

ESA 2016: fique por dentro dos Concursos de Redação e Literário

Educação socioambiental trará a Alimentação Saudável como tema de 2016

EducacaoSocioambiental_-81Vencedores dos ESA 2015, durante a cerimônia de premiação e recebimento de certificado


Neste ano, o Projeto Educação Socioambiental do Instituto International Paper acontecerá nos meses de agosto e setembro com a 41ª edição do Concurso de Redação e a 11ª edição do Concurso Literário. Os concursos são voltados para alunos do 5º e 9º anos do Ensino Fundamental e 3º ano do Ensino Médio e para professores e diretores das escolas públicas e particulares, respectivamente.

Para o Instituto, é uma conquista manter esse programa e trazer conhecimento de redação para alunos e professores, abordando temas tão importantes. Para ambos os concursos, o IIP trouxe um assunto bastante discutido nos dias atuais: a alimentação saudável. Uma preocupação e um cuidado que têm despertado o interesse e a atenção das pessoas, principalmente pelo fato de o País ter aproximadamente 50% da população com sobrepeso.

Estima-se que em 2025, cerca de 2,3 bilhões de adultos no mundo estejam acima do peso.
“Trazer essa temática para que os jovens se inteirem sobre o tema é mais do que relevante. Queremos que eles pesquisem o tema e percebam a importância de se alimentar bem, podendo repassar essas boas práticas para seus familiares e para a comunidade. Além disso, os concursos são uma excelente oportunidade de aprendizado de redação e estilo, além de trazer o reconhecimento, com o prêmio”, afirma Tomás Alexandre Fernandes, Analista de Responsabilidade Social e Sustentabilidade da International Paper.

E não apenas conhecimento sobre o tema será compartilhado. Neste ano, o IIP oferecerá um workshop diferenciado: os professores e diretores participarão do workshop com profissionais do Instituto para direções de redação e estilo e eles serão os responsáveis por repassar esse conhecimento em sala de aula aos alunos selecionados para o Concurso de Redação. É um momento de troca de conhecimento, em que todos aprendem.

Os dois concursos premiam as melhores redações e o IIP realiza uma cerimônia de premiação, que acontecerá no mês de Outubro. “O IIP acredita que oficializar esse reconhecimento com o prêmio e também com a cerimônia é mais do que fazer com que essas pessoas vejam sua importância e seu destaque. É também engajar mais alunos e professores a participar no próximo ano. É um projeto tradicional na região, no qual todos esperam para participar, concorrer e vencer!”, explica Gláucia Dias de Faria, Gerente de Responsabilidade Social e Sustentabilidade  da International Paper.

INDICADORES

Saiba mais sobre os Indicadores de Desenvolvimento Sustentável do IBGE

ids-2015-ibgeHoje, é praticamente consenso que o desenvolvimento sustentável é um processo que se traduz na combinação de três pilares para benefício das gerações presente e futura de um país: crescimento da economia, conservação do meio ambiente e melhoria na qualidade de vida da sociedade.

Com base nessa premissa, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) elabora periodicamente a publicação “Indicadores de Desenvolvimento Sustentável” (IDS), que está em sua 6ª edição e reúne 63 indicadores, que procuram traçar um panorama do país em quatro dimensões: ambiental, social, econômica e institucional. A construção desses indicadores teve como base as pesquisas do próprio Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e também de ministérios, secretarias estaduais e municipais, Iphan e Unesco, entre outras instituições.

O estudo do IBGE dá continuidade à divulgação, que foi iniciada em 2012, com objetivo de disponibilizar um sistema de informações para o acompanhamento da sustentabilidade do padrão de desenvolvimento do país. Assim como as demais edições, a publicação é orientada por diretrizes da CDS (Comissão de Desenvolvimento Sustentável) da ONU – Organização das Nações Unidas.

Pela primeira vez, a publicação traz informações sobre a diversidade cultural e ambiental do País, por meio do Indicador de Patrimônio Cultural Brasileiro, formado por bens culturais e naturais reconhecidos pela Unesco, como o Samba de Roda no Recôncavo Baiano e o Centro Histórico de Olinda.

A construção de indicadores de desenvolvimento sustentável no Brasil integra-se ao conjunto de esforços internacionais para concretização das ideias e princípios formulados na Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, realizada no Rio de Janeiro, em 1992. Eles possibilitam mensurar as qualidades ambiental e de vida da população, o desempenho macroeconômico do País, os padrões de produção e consumo e a formulação de políticas públicas para o desenvolvimento sustentável.

Para saber mais sobre o assunto, acesse: www.ibge.gov.br

_PDT6718

Três Lagoas forma mais uma turma do Projeto Escola Formare

Em cerimônia cheia de surpresas, alunos discursaram e homenagearam o trabalho dos Educadores Voluntários

foto Formare TL2

Mais um ciclo termina e uma nova etapa se inicia para os recém-formados do Projeto Escola Formare de Três Lagoas. A solenidade de formatura aconteceu no dia 7 de julho, no salão Vieira Festas e contou com a presença dos familiares dos jovens diplomados e também dos profissionais da IP que fizeram parte da formação dos alunos durante os 10 meses de curso, atuando como Educadores Voluntários (EVs) ou Tutores.

Em uma solenidade cheia de surpresas, a paraninfa da noite, escolhida pelos alunos, foi a Assistente Administrativa da IP, Bruna Locatelli (na foto, ao centro de branco). Há cinco anos na empresa, a EV da disciplina de Comunicação Oral e Escrita conta que ficou muito feliz pelas homenagens, revelando que a cerimônia de formatura teve a data alterada para não coincidir com as suas férias. “Eu havia dito em uma das aulas que talvez não estivesse presente na formatura porque estaria de férias. Depois a data mudou, e eu nem desconfiei de nada. Soube no dia, que seria a paraninfa e fiquei sem palavras. Foi uma turma muito especial”, conta.

Mas as surpresas da noite não pararam por aí. A formanda Ana Lívia Ribeiro, de 17 anos, conta que ficou muito emocionada ao descobrir que faria o discurso para as famílias. “Foi muito emocionante. Na hora de receber o diploma, passou um filme na minha cabeça com os flashes destes 10 meses”, diz a técnica em química que se inscreveu no Formare por conta da parte prática oferecida pelo curso e que se prepara para concorrer a uma vaga de jovem aprendiz na IP, assim que houver oportunidade.

Para Augusto Lino dos Santos, 17 anos, formando de Três Lagoas, o Formare mudou a forma como ele vê o mercado de trabalho. “É difícil citar o que foi melhor, mas o curso me deu uma visão de futuro, me mostrou que o importante é não ficar parado e estar sempre preparado”. Para ele, foi muito importante ver sua tutora, Gláucia Faria, Gerente de Responsabilidade Social e Sustentabilidade da IP, na cerimônia de graduação. “Eu sei que a agenda dela é muito ocupada, mas fiquei muito feliz e surpreso por conseguir vê-la”, afirma.

Ele também ressalta o trabalho da EV Bruna Locatelli. “Os alunos criaram um vínculo muito forte com ela, porque as aulas eram depois do almoço e não era fácil. Mas ela sempre trouxe aulas dinâmicas, que envolviam”, revela Augusto, que pretende agora estudar para o Enem e tentar uma vaga na área de Sistemas da Informação na UFMS.

Para todos os EVs, fica a sensação de missão cumprida e a expectativa para a próxima turma, prevista para o primeiro semestre de 2017. Para os jovens formandos, o começo de uma nova trajetória. Boa sorte a todos!

engenharia-florestal-2

12 de julho: dia do Engenheiro Florestal

Conheça o trabalho desse protetor do meio ambiente, profissional fundamental nos negócios da International Paper

Símbolo da Engenharia Florestal

Símbolo da Engenharia Florestal

Hoje é o dia do Engenheiro Florestal. Uma data que surgiu em homenagem a São João Gualberto, um monge conhecido por dedicar-se à preservação das florestas e ao cultivo da fauna e da flora. Ele faleceu nesta data no ano de 1703 e desde então foi nomeado como protetor dos Engenheiros Florestais.

Hoje é o dia do Engenheiro Florestal. Uma data que surgiu em homenagem a São João Gualberto, um monge conhecido por dedicar-se à preservação das florestas e ao cultivo da fauna e da flora. Ele faleceu nesta data no ano de 1703 e desde então foi nomeado como protetor dos Engenheiros Florestais.

Para o campo de atuação da International Paper e principalmente pelo papel do Instituto International Paper em todas as ações de manejo florestal e de produção de papel, esse dia é de grande importância para nós. Por isso, conversamos com o especialista em abastecimento de Fibras da planta de Mogi Guaçu, Bruno Mariani Piana, de 28 anos, engenheiro florestal formado pela Universidade de Göttingen, na Alemanha.

Para Bruno, comemorar o dia do Engenheiro Florestal é amar o meio ambiente e todas as questões que garantam sua preservação.

Para Bruno, comemorar o dia do Engenheiro Florestal é amar o meio ambiente e todas as questões que garantam sua preservação.
Como é o trabalho do engenheiro florestal na International Paper?
O trabalho do engenheiro florestal começa na área de conservação do meio ambiente, ou seja, garantindo que todas as ações estejam de acordo com as legislações e normas que as certificadoras exigem. Temos o controle de toda produção de muda, irrigação, combate de pragas e doenças para que o plantio cresça saudável.

Na parte estratégica, é preciso entender qual a melhor maneira de plantar, cuidar, colher e todo o processo de desenvolvimento para a adaptação da muda ao ambiente. Voltada a engenharia florestal, na parte científica, temos o “manejo”, a forma de tratar a árvore: espaço entre as mudas, quantidade de adubo, nutrientes e água. É preciso extrair a maior parte de madeira naquele espaço de terra.

Na parte cerebral: qual o investimento, quanto de retorno em madeira poderei ter, como consigo trazer essas madeiras para a fábrica, custo x benefício, o que você gasta durante sete anos para produzir uma floresta, aumento de 30% no custo operacional para trazer a madeira para a fábrica, e outros. O engenheiro florestal faz toda a parte analítica do processo, desde o início ao reflorestamento.

E como funciona a parte de Certificação? É um quesito fundamental para a IP, certo?

Sim, é uma parte extremamente sensível, porque são selos e certificações que garantem que a nossa operação esteja alinhada com as melhores práticas de manejo e conservacionistas. Temos que seguir isso a rigor, ter um produto de qualidade, ganhar os selos e as certificações que permitam vender papel em mercados desenvolvidos, como o europeu. O engenheiro florestal precisa ser um cara
extremamente minucioso, ter a capacidade de traduzir as exigências em práticas internas da empresa e precisa ter um conhecimento político e operacional muito grande.

O que te motiva nessa profissão?

Todo jovem que está terminando o ensino médio passa por essa crise existencial de qual será sua famosa vocação. A minha decisão foi feita com base na empregabilidade. Entrei na faculdade em 2006 e gostava muito de lidar com o meio ambiente. Eu imaginava que quando me formasse existiria um mercado muito voltado às questões ambientais. Isso tudo por causa do tratado de Kyoto que saiu em 2005.
Me encantei pela parte mais business da engenharia, pela essência e pela gestão de negócios florestais, sempre no corporativo. É impressionante como o setor industrial bem gerenciado, como na International Paper, consegue fazer trabalhos brilhantes na sociedade, institutos sociais e ambientais.

E quais os principais desafios em ser um Engenheiro Florestal?
Acredito que um deles seja conseguir uma produção de monocultura atrelado a práticas sustentáveis que não agridem o meio ambiente e nem a produtividade. Hoje as florestas deixam de produzir por causa das mudanças climáticas. Precisamos nos adaptar a essa mudança. O Engenheiro Florestal é contratado por sua capacidade de solucionar problemas e por superar determinadas barreiras com mais facilidade.

E o que mais te encanta na área?
Eu gosto de estar envolvido em várias transformações, ou seja, do produto, do meio ambiente ou da sociedade. Em determinados momentos o seu escritório parece ser uma floresta, não tem aquele caos de trânsito e tem ar puro.

 

 

fsc

FSC e Cerflor: garantia de produtos sustentáveis

Conheça um pouco mais sobre as certificações FSC e Cerflor, que estampam as embalagens dos produtos IP, e descubra o trabalho que está por trás de cada um destes selos

fsc

Pensar no desenvolvimento sustentável faz parte da rotina da International Paper, cujos produtos seguem rigorosas normas de sustentabilidade, reconhecidas internacionalmente, como a Forest Stewardship Council, que traz o selo FSC, e a Cerflor, Certificação Florestal, que segue os padrões do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia Qualidade e Tecnologia).

Os selos são bem conhecidos e estampam os diversos produtos fabricados pela International Paper, mas qual o significado deles? Por que é tão importante obtê-los?

FSC – Forest Stewardship Council (Conselho de Manejo Florestal) é uma organização independente, não governamental, responsável por promover ações relacionadas ao manejo florestal no âmbito global. Na prática, o FSC estabelece os parâmetros internacionais para certificação e credita às certificadoras, habilitando-as para as auditorias. As empresas interessadas em obter a certificação precisam contratar uma certificadora, que irá a campo para uma verificação, orientando para que o contratante se adeque aos requisitos exigidos.

“As auditorias verificam o jeito que a empresa planta, a maneira como se cuida do eucalipto durante o crescimento, a colheita, todos os processos que envolvem a floresta. Esta certificação é diferente da certificação da fábrica, que avalia o momento em que eu recebo a madeira já certificada para que o papel produzido receba o selo”, explica Priscila Zahn, Coordenadora de Excelência de Manufatura, área responsável também por outras certificações da IP, como a ISO 9001 (qualidade) e a ISO 14001 (meio ambiente).

Após a primeira avalição da certificadora, a empresa faz as adequações cabíveis para receber a certificação em suas operações. O FSC não emite o certificado, que fica por conta da certificadora contratada pela empresa. A vistoria, após o recebimento do selo, é feita anualmente para a manutenção do certificado. “A cada cinco anos é necessário fazer a renovação em um novo processo de auditoria, que verificará se a empresa continua cumprindo todos os requisitos necessários”, conta Priscila Zahn.

Quando uma empresa comercializa produtos certificados, é necessário também obter a Certificação de Cadeias de Custódia (CoC), que assegura que a produção é feita em condições socialmente responsáveis, mitigando danos ambientais em todo o processo produtivo, do recebimento da matéria-prima ao produto final. É a certificação de Cadeia de Custódia que mostra ao consumidor final que o material posto à venda seguiu parâmetros sustentáveis do começo ao fim.

“A gente vende papel para gráficas que imprimem livros. Se a gráfica quiser os livros certificados, ela pode comprar o nosso papel. Então, ela vai certificar a cadeia de custódia dela, que verifica a produção do momento em que a matéria-prima entra até o momento em que o produto final sai. Aqui na IP, minha matéria-prima é a madeira, que é transformada em papel. Na gráfica, a matéria-prima é o papel, que vira livro”, explica Priscila, ressaltando que são duas cadeias de custódia diferentes e a empresa certificadora avaliará cada uma delas, separadamente.

Os requisitos para a certificação são os mesmos: tanto para a indústria, que transforma madeira em papel, como para a gráfica, que utiliza o papel para a impressão de livros, ou para uma indústria de móveis, que precisa comprar matéria-prima certificada, caso queira ter os selos FSC ou Cerflor em seus produtos.

Saiba mais sobre o Cerflor, clicando aqui.

cerflor

Cerflor segue padrões internacionais de sustentabilidade

Além do FSC, os produtos IP seguem as normas brasileiras do Cerflor. Conheça

cerflor

Ligado ao Inmetro, o Programa Brasileiro de Certificação Florestal (Cerflor) é o resultado de um trabalho de diversas instituições nacionais que se uniram para estabelecer critérios para um manejo florestal sustentável. A mobilização em torno de uma certificação nacional que seguisse os parâmetros da sustentabilidade de maneira ecologicamente correta, socialmente justa e economicamente viável, começou em 1996 a partir de uma parceria da SBS – Sociedade Brasileira de Silvicultura –  com entidades do setor, instituições de ensino e fomento à pesquisa, além de organizações não-governamentais.

O Cerflor se conspapel-sulfite-1000-folhas-brancas-a4-marca-chamex-office-188911-MLB20678011465_042016-Folidou anos mais tarde, em 2002, e é reconhecido internacionalmente pelo Program For the Endorsement Of Forest Certification (PEFC). Assim como o FSC, o Cerflor tem duas vertentes: o manejo florestal e a cadeia de custódia, responsável pelo monitoramento da cadeia produtiva em todas as suas etapas, para garantir os parâmetros de sustentabilidade estabelecidos pelas certificações.

“Os requisitos do FSC e do Cerflor não são muito diferentes um do outro. E aqui na IP temos as duas certificações, tanto para a área de manejo florestal, como para a cadeia de custódia”, diz a Coordenadora de Excelência em Manufatura.  Toda empresa que trabalha com qualquer tipo de produto de origem florestal pode obter as certificações FSC e Cerflor, desde que cumpra os requisitos exigidos. Isso vale para produtos como lápis, papel, mobiliário, entre outros.

O Papel do Instituto International Paper – Embora as certificações estejam no âmbito técnico dos negócios, é possível mostrar à comunidade os esforços das empresas no desenvolvimento sustentável. Prova disso são as ações socioeducativas mantidas pelo Instituto International Paper, como o PEA – Programa de Educação Socioambiental, que tem como objetivo mobilizar as escolas das regiões próximas às unidades da IP para desmistificar algumas questões relacionadas à produção de papel e às florestas plantadas. Durante o PEA, monitores abordam a questão da produção sustentável de papel e promovem dinâmicas para mostrar a importância do reflorestamento. Neste dia, as crianças ficam por dentro das ações de sustentabilidade desenvolvidas pela empresa dentro de suas florestas plantadas.

Além do PEA, outro projeto desenvolvido pelo Instituto International Paper que envolve o manejo florestal é o Apicultura Solidária, realizado em parceria com cooperativas de apicultores das regiões de Mogi Guaçu e Luiz Antonio, responsáveis pela instalação de caixas-iscas dentro da floresta no período de florada. Todo o mel produzido é comercializado e a renda é revertida aos apicultores locais destas cooperativas. “Trabalhar a sustentabilidade, com foco na promoção de ações educacionais, favorecendo também as comunidades locais, faz parte da missão do Instituto. Por isso, é muito importante conscientizar as pessoas sobre o retorno que as empresas podem trazer para a sociedade ao trabalhar de maneira socialmente responsável, transformado a vida das pessoas”, explica Gláucia Faria, Coordenadora de Responsabilidade Social e Sustentabilidade da IP.

Conheça as etapas para obtenção do selo FSC – Forert Stewardship Council, clicando aqui.

 

 

Turma 2016 - Formare IP Luiz Antônio (SP)

“Papo Formare” aproxima os jovens de profissionais das áreas de Manufatura e Recursos Humanos

Em junho, os alunos conversaram com profissionais de diversas áreas da IP e puderam esclarecer suas dúvidas de carreira em um bate-papo aberto e descontraído.

Turma 2016 - Formare IP Luiz Antônio (SP)

Turma 2016 – Formare IP Luiz Antônio (SP)

Aproximar jovens que estão em um momento de decisão profissional de executivos experientes do mercado. Este é o conceito do “Papo Formare”, iniciativa do Instituto International Paper, que a cada mês reúne os alunos com os tutores do ciclo para que eles tenham a oportunidade de saber um pouco mais sobre as profissões, além das aulas e das visitas promovidas durante o curso.

No mês de junho, os alunos da unidade de Luiz Antonio tiveram a oportunidade de conversar com a Coordenadora de Excelência de Manufatura, Priscila Zahn, que é engenheira química e ingressou na IP pelo programa de Trainees em 2010, em Três Lagoas, e trabalhou na unidade até 2015, onde atuou como EV, antes de ocupar o atual cargo em Luiz Antônio.

Atualmente, Priscila é tutora no Formare e foi a primeira vez que participou de um bate-papo com os alunos da unidade. “Eles tinham muitas dúvidas sobre carreira e me perguntaram como fiz as minhas escolhas profissionais e se eu tinha me arrependido de alguma decisão”, conta ela, que se reuniu com os jovens no dia 6 de junho.

Além de Priscila, o Gerente de Recursos Humanos Thiago Bernabé, dividiu experiências com os alunos. Há cinco anos e meio na IP, Thiago trabalhou nas unidades de Mogi Guaçu, São Paulo, Três Lagoas e passou dez meses na Rússia, trabalhando para a IP em Svetogorsk, cidade que faz fronteira com a Finlândia.

De volta ao Brasil, trabalhou na unidade de Paulínia, antes de chegar em Luiz Antônio, onde está há quatro meses. “Os alunos ficaram muito curiosos para saber como fiz para conciliar a distância da família, uma vez que passei por todos estes lugares e precisei ficar longe da minha esposa”, diz. O bate-papo com os alunos abordou as renúncias que vêm com as escolhas. “Falei para eles que é preciso ter visão de longo prazo, entendendo que nossas escolhas devem ser feitas pensando em um bem maior e que no futuro essas escolhas farão sentido”, relata, explicando as razões de suas mudanças.

Para Priscila, os alunos perguntaram também sobre o programa 5S, que aborda a organização e a limpeza da área de trabalho, tema abordado durante as aulas do Formare. O encontro também falou sobre a dificuldade da escolha. “Eles queriam saber a minha opinião sobre desistir de uma área e trocar de curso na faculdade. Fiz questão de reforçar que eles precisam escolher algo que gostem, porque fazer algo que não gostem os fará infelizes”. Por isso, Priscila tranquilizou os alunos ao dizer que o mais importante é encontrar uma área que os motive e que não há nada de errado em mudar de opinião e trocar de curso. “É importante a gente se encontrar na profissão”, explica.

Thiago conta que ficou bastante surpreso com o interesse dos alunos pela área de Recursos Humanos e por isso, procurou um aluno tutorado que buscasse aprender mais sobre a área, para que pudesse contribuir com sua experiência. “Além de lidar com pessoas, o RH deve ser estratégico e trazer resultados para a companhia. É preciso ter uma visão de negócios para os melhores resultados”, explica ele, que considera muito boa a iniciativa do Papo Formare pelo fato de aproximar a realidade de mercado dos jovens alunos.

shutterstock_130556993

Alunos do Formare Luiz Antônio organizam Campanha do Agasalho para profissionais da unidade

shutterstock_130556993

Campanha interna arrecada peças até 1º de julho.  Doações beneficiarão Fundo de Solidariedade de Guatapará. Profissionais devem deixar as peças nos pontos de coleta

É hora de abrir o guarda-roupa e ver o que não serve mais, mas está em bom estado e pode ser doado. A Campanha do Agasalho 2016 já começou na unidade de Luiz Antônio e a meta para este ano é arrecadar o maior número de peças possível, em especial, cobertores e mantas, para serem doados às famílias inscritas no Fundo Social de Solidariedade de Guatapará.

Os alunos do Formare Luiz Antônio foram os responsáveis por toda a organização da campanha, sob a coordenação do Instituto International Paper. Os pontos de coleta estão localizados nas portarias 1 e 2, e as doações serão aceitas até o dia 1º de julho. Todas as roupas arrecadadas serão enviadas ao Fundo Social de Solidariedade do Município de Guatapará, a 50 km de Luiz Antônio.

O que doar?

– Casacos, camisas, agasalhos, moletons, camisetas, calças e outras peças adulto e infantil, além de calçados, mantas e cobertores em bom estado de conservação.

- Como escolher as peças?

Ao abrir o armário, selecione as roupas que já não usa mais ou aquelas que você quase não usa e avalie se realmente faz sentido mantê-las paradas no armário ou se as peças selecionadas seriam mais bem utilizadas se fossem para doação. Se você tem alguma roupa que não usa há mais de dois invernos, ou que não te serve mais, é hora de ajudar a quem precisa.

- Roupas Infantis

Criança cresce rápido e perde muita roupa. Faça uma limpeza no armário dos pequenos e retire das gavetas aquelas peças que ficaram pequenas e estão como novas. As crianças agradecem.

- Verifique as costuras

Ao separar roupas para doação, verifique se costuras estão firmes e se a peça não está puída. Dê uma olhada no acabamento dos cobertores e das mantas.

No ano passado, a Campanha do Agasalho arrecadou mais de 230 peças, beneficiando famílias carentes inscritas no Fundo Social de Solidariedade de São Simão/SP. Desta vez, o Fundo Social de Solidariedade de Guatapará foi escolhido para receber as doações. “Todos os anos, os alunos do Formare se engajam na organização da Campanha do Agasalho, reforçando a importância que o trabalho voluntário tem, não só para a IP, mas para toda a sociedade”, afirma Gláucia Faria, Gerente de Responsabilidade Social Corporativa e Sustentabilidade do Instituto International Paper. “Com pequenas ações, podemos ajudar a quem precisa. ”

PEA_Brotas 2016

PEA FAZ SUCESSO EM ESCOLAS DE BROTAS E ALTINÓPOLIS

Programa de Educação Ambiental envolve alunos do 3º ao 5º ano do Ensino Fundamental

Teatro_PEA BrotasNos dias 08 e 09 de junho, o Programa de Educação Ambiental do Instituto International Paper (PEA), no modelo itinerante, percorreu os municípios de Brotas e Altinópolis no Estado de São Paulo. As atividades, voltadas aos alunos do 3º ao 5º ano do Ensino Fundamental, incluíram dinâmicas de socialização e circuitos em que se explicou o processo de fabricação do papel, desde as mudas de eucalipto ao processo industrial.

No primeiro dia, as atividades foram realizadas no Parque de Exposições – Expoal em Altinópolis, cidade de 16 mil habitantes na Região de Ribeirão Preto. Os alunos da rede municipal, na faixa etária dos 8 a 11 anos de idade, puderam ficar por dentro das etapas que envolvem o processo de fabricação de papel e participaram de atividades que reforçaram a importância da preservação do meio ambiente.

No dia 09, foi a vez dos alunos da Escola D. Francisca Ribeiro dos Reis, em Brotas (SP). Após a dinâmica de socialização, os alunos se revezaram nos diferentes circuitos propostos e tiveram contato com plantas, aprenderam sobre a fauna local e práticas de reflorestamento, que são utilizadas para a sustentabilidade da produção de papel.

lanche_PEA BrotasAlém disso, os alunos assistiram a uma peça de teatro sobre a importância da preservação ambiental, participaram de uma gincana com perguntas e respostas sobre os assuntos trabalhados durante os circuitos e finalizaram o período com um saboroso lanche, que enfatizou a importância de uma alimentação saudável, rica em legumes e verduras.

“Foi um dia muito interessante para os alunos e ajudou a fechar o conteúdo que os professores estão trabalhando no momento: o Dia do Meio Ambiente e a preservação da água”, contou a Coordenadora do Ensino Fundamental I da Escola D. Francisca Ribeiro dos Reis, Viviani Marques Moreira. Além de Viviani, os professores aprovaram a iniciativa, especialmente pelo fato de o conteúdo ser direcionado. “É sempre muito gratificante poder contribuir para a educação socioambiental de crianças, para além da nossa região. Acreditamos que elas sejam grandes multiplicadoras de práticas mais sustentáveis para o futuro”, declara a Gerente de Responsabilidade Social e Sustentabilidade do Instituto International Paper, Gláucia Faria.

Sobre o PEA – Iniciativa do Instituto International Paper (IIP), que visa a desmistificar o processo de fabricação de papel. Além de desenvolver ações com escolas dos municípios de Luiz Antônio e Mogi Guaçu, onde a International Paper (IP) mantém operações, o Instituto leva o projeto para escolas públicas de outras cidades e desenvolve atividades também para os filhos de funcionários da IP.

arara_azul

Luta contra comércio de animais silvestres marca o Dia Mundial do Meio Ambiente 2016

arara_azulAngola é o país sede das celebrações este ano e, assim como o Brasil, trava uma batalha contra o tráfico de animais, terceira maior atividade ilegal no mundo. 

Dia 5 de junho é celebrado o Dia Mundial do Meio Ambiente. A cada ano, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, PNUMA, elege um país e um tema para centralizar as discussões. Este ano, a Angola trará a questão da luta contra o comércio ilegal de animais silvestres, um problema sério enfrentado pelo país, que teve uma população de elefantes dizimada por uma guerra civil que começou em 1975. Além disso, o país e todo o continente africano lutam contra o comércio ilegal de marfim e de chifre de rinoceronte, que ameaça a biodiversidade local.

No Brasil, os principais alvos do comércio ilegal de animais silvestres, segundo o Portal Brasil, do Governo Federal, são os psitacídeos (papagaios e periquitos), os passeriformes (passarinhos), rãs coloridas e venenosas, borboletas e primatas.

De acordo com o IBAMA, em 2015 foram resgatados mais de 20 mil animais silvestres e as maiores apreensões aconteceram no Nordeste brasileiro, nos estados do Ceará, Bahia e Rio Grande do Norte.

O tráfico de animais está entre maiores atividades ilegais no mundo e movimenta cerca de US$ 10 bilhões de acordo com uma pesquisa do Global Financial Integrity (GFI), um centro de estudos norte-americano. De acordo com o GFI, o tráfico de animais figura entre as cinco maiores práticas do crime organizado, ao lado de crimes como o narcotráfico, a falsificação, o tráfico humano e o comércio ilegal de petróleo.

No Brasil, estima-se que o comércio ilegal de animais silvestres movimente aproximadamente US$ 2,5 bi ao ano, de acordo com um estudo divulgado pelo Ibama. Este estudo posiciona o tráfico de animais na terceira posição entre as práticas ilegais mais rentáveis no mundo, atrás apenas do narcotráfico e do tráfico de armas, este último não é mencionado pelo levantamento do GFI.

Histórico da data – Criado em 1972, durante a conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente, realizada em Estocolmo, o Dia Mundial do Meio Ambiente é uma iniciativa que visa a chamar atenção dos governos e de demais membros da sociedade civil para a importância da preservação dos recursos naturais e para o cuidado com o equilíbrio ambiental em todo o mundo. Todos os anos, um tema é escolhido para debate.

A proteção e o melhoramento do meio ambiente humano é uma questão fundamental que afeta o bem-estar dos povos e o desenvolvimento econômico do mundo inteiro, um desejo urgente dos povos de todo o mundo e um dever de todos os governos. ”

(Declaração de Estocolmo sobre o ambiente humano – 1972)

Iportas Abertas

IPortas Abertas marca reta final do Formare em Três Lagoas

Iportas AbertasIP abre as portas ao público e recebe a visita dos familiares dos alunos do Formare, que estão em fase de conclusão de curso

Os familiares e alunos do Formare puderam acompanhar de perto as etapas da fabricação de papel na última edição do Iportas Abertas, que aconteceu no dia 7 de maio.  A visita monitorada coincidiu com a chegada da fase final do Projeto Escola Formare, programa de capacitação profissional coordenado pelo Instituto International Paper.

Durante o IPortas Abertas, as famílias participaram de atividades de integração, viram o funcionamento da máquina de papel, passaram pela área de acabamento e pelo escritório administrativo, conhecendo a diversidade de profissionais que atuam em uma grande indústria. A visita foi acompanhada pelo Gerente de Produção da unidade de Três Lagoas, Cláudio Giachetto, por sua Assistente, Bruna Locatelli e pelo Assistente de Processos Sr., Mauro Borges, que apresentaram cada uma das áreas da empresa,

De acordo com Bruna Locatelli, Assistente da gerência de Produção que participa pela terceira vez do IPortas Abertas, a ação é importante para aproximar as famílias e os alunos do dia a dia dos profissionais. “Eles têm a oportunidade de entender a realidade que todos vivem dentro da fábrica, em todos os conceitos, como a cultura e a rotina”, conta. Bruna diz ainda que os visitantes se impressionam com a automatização do processo fabril e que gosta de mostrar como funciona a máquina de papel, do início e até o término do rolo jumbo. “As famílias normalmente imaginam um lugar com muitas pessoas trabalhando e se surpreendem ao ver uma fábrica moderna e automatizada”.

Também chama a atenção dos visitantes o volume de produção em Três Lagoas: “a máquina tem uma velocidade de 1320 m/min e produz um rolo com aproximadamente 120 km de papel e 40 toneladas”, conta o Assistente de Produção Sênior, Mauro Borges, que está há 12 anos na IP e é Educador Voluntário do Formare desde a implantação do projeto na unidade de Mogi Guaçu, onde trabalhava.

O IPortas Abertas é uma ação planejada pela Comunicação da IP e acontece há sete anos, desde o início das operações da unidade em Três Lagoas. Normalmente dirigida aos familiares  de profissionais, esta edição foi elaborada com o apoio do IIP especialmente para os familiares dos alunos.  “A visita tem a duração de aproximadamente quatro horas e também possui atividades de interação com os participantes, com caráter extrovertido e lúdico, incluindo brincadeiras, peças de teatro, mágica e mensagens de motivação, dependendo do público”, conta Gabriel Lima, Analista de Responsabilidade Social Corporativa e Sustentabilidade do IIP.

Para Borges, a iniciativa do IPortas Abertas é importante para aproximar as famílias da empresa. “É importante estreitar essa relação e mostrar o que a empresa tem a oferecer para quem trabalha lá, as oportunidades de crescimento profissional e técnico em um lugar seguro, que valoriza o respeito ao meio ambiente”, conta ele, que a cada edição das visitas reforça as questões de segurança em todas as áreas por onde o grupo passa. “É gratificante apresentar a empresa na qual trabalho para os familiares pois tenho muito orgulho da empresa que faço parte. ”

Em clima de despedida

Nos últimos dez meses, os alunos do Formare tiveram a oportunidade de conhecer o processo industrial de produção de papel e participaram de aulas ministradas pelos profissionais da IP, que atuam como Educadores Voluntários, preparando os jovens para os desafios do mercado de trabalho. Estes Evs trabalham habilidades e competências essenciais para quem deseja trabalhar para uma empresa de grande porte. “É um dos projetos que eu mais tenho orgulho de participar e dizer que a empresa que eu trabalho apoia. De alguma maneira, estamos trazendo mudanças significativas e contínuas na vida de jovens, que muitas vezes, estão sem direcionamento nenhum para o mercado de trabalho”, conta Bruna Locatelli.

Mas não é só ela que se orgulha do projeto. João Marisi, 21 anos, Estagiário de Recursos Humanos sente que cresceu como profissional ao trabalhar como Educador Voluntário. “A gente aprende muito ensinando e tem contato com diferentes opiniões e realidades”. Ele, que está no 4º ano de Administração, disse que os alunos do Formare perguntam muito sobre a faculdade e sobre como é fazer estágio em uma grande empresa. Do ponto de vista de sua área, ele diz que se sente mais preparado ao acompanhar o projeto desde o processo seletivo dos alunos. “O Formare traz uma experiência de vida”.

Os alunos, que estão na última semana de aulas, já sentem o clima de despedida. “Estou triste e feliz ao mesmo tempo. Triste porque vamos sair. Mas feliz porque são muitas portas que se abrem e eu sei que eu vou arrumar um serviço logo”, conta Rithiele Soares, 18, que já trabalhou como Jovem Aprendiz no Banco do Brasil e em redes de fast-food. “Eu não imaginava que iria passar [no processo seletivo] e me sinto muito honrado por participar”, conta ele que enviará seu currículo para a IP logo que o curso terminar.

Para Dâmaris Moreira, 18, o Formare é uma segunda casa. Ela conta que o contato com seu tutor a ajudou na escolha da carreira e que pretende cursar a faculdade de Engenharia Química. “Estou há seis anos em Três Lagoas e nunca tinha visto uma fábrica. O Formare foi a oportunidade que eu encontrei de estudar mais”. A matéria que mais gostou foi a de oratória, que a ajudou a se expressar melhor. “Eu sempre fui muito tímida e as aulas me ajudaram a perder o medo de falar em público”.

A próxima etapa para Dâmaris e Rithiele é o mercado de trabalho. Para Bruna Locatelli e João Marisi, a próxima turma do Formare. A formatura dos alunos acontece no começo de junho e a próxima edição do Formare em Três Lagoas tem início em 2017.

semáforo_amarelo

Maio Amarelo: atenção para um trânsito mais seguro

semáforo_amarelo

Criado em 2011, o movimento Maio Amarelo tem como objetivo alertar para a prevenção de acidentes de trânsito, a maior causa de mortes de jovens entre 15 e 29 anos, segundo a OMS

No mês de maio, a questão da prevenção de acidentes de trânsito ganha atenção especial nas empresas e nos demais setores da sociedade civil. Trata-se do “Maio Amarelo”, movimento criado para alertar as pessoas para o alto índice de mortos e feridos em acidentes automotivos em todo o mundo. Na esteira de movimentos como “Outubro Rosa”, que chama a atenção para a prevenção do câncer de mama, e “Novembro Azul”, que alerta para a prevenção do câncer de próstata, o “Maio Amarelo” traz à tona estatísticas que, de fato, merecem atenção: de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 1,25 milhão de pessoas morrem todos os anos em decorrência de acidentes de trânsito. Essa é a principal causa de morte de jovens entre 15 e 29 anos, o que faz de maio o mês de atenção pela vida.


roberto_pupo_consultorDe acordo com o professor de direção defensiva do Curso de Formação de Condutores (CFC) da Autotrânsito de Campinas, Roberto Pupo, a questão da educação para o trânsito é fundamental para a redução do número de acidentes e a direção defensiva é protagonista desta ação. “Trata-se de uma reflexão sobre como participar do convívio social com comportamentos e atitudes antecipadas e preventivas. É a forma de se respeitar a própria vida e a de outras pessoas”, afirma.

Pupo é palestrante voluntário em diversas empresas e este mês participa do “Papo-Formare”, o encontro com os alunos do Projeto Formare coordenado pelo Instituto International Paper. Na ocasião, ele irá esclarecer as principais dúvidas dos alunos quanto ao curso para obtenção da carteira de habilitação (CNH), reforçando a importância da direção defensiva para um trânsito mais seguro e para a proteção da vida. Além destes temas, Pupo falará brevemente sobre aspectos da legislação de trânsito e sobre as estatísticas de acidentes.

 Os três “Es” da educação para o trânsito

Falar em prevenção de acidentes automotivos implica necessariamente em abordar a temática da educação para o trânsito, que se estrutura em três princípios, os 3 “Es”: Engenharia, Educação e Esforço Legal. Isso significa que o poder público tem o dever de manter as condições de circulação das vias, provendo a manutenção e a sinalização adequadas, além de elaborar o planejamento de tráfego, o que requer um profundo conhecimento urbano (Engenharia). Quanto ao pilar “Educação” compreende-se a adoção de boas práticas para a convivência no trânsito, priorizando a segurança e o bem-estar de todos. E o pilar “Esforço Legal” abrange as ações de fiscalização, prevenção e emergência. “Estas ações são voltadas para coibir atos ilícitos, sempre reforçando a importância da educação para o trânsito”, explica Roberto Pupo.

Década de Ação pela Segurança e a contribuição das Empresas

shutterstock_163453907O movimento “Maio Amarelo” nasceu dentro do contexto da Década de Ação pela Segurança, instituída em 2009 e que conta com a participação de 192 países. A meta é reduzir pela metade o número anual de 1,3 milhão de vítimas fatais e 50 milhões de feridos em acidentes de trânsito entre 2011 e 2020. “O foco das ações está nos principais riscos de acidentes automotivos: a combinação do uso de álcool e direção, a falta do uso do cinto de segurança e do capacete, além da alta velocidade ao volante”, diz Pupo.

Para auxiliar nas metas propostas, as empresas podem contribuir a partir de ações de conscientização com seu público interno, no sentido de reforçar a importância de agir preventivamente em todas as situações de trânsito e manter o foco na direção defensiva para evitar acidentes. “As empresas devem influenciar sempre as ações de prevenção, fazer campanhas, promover palestras e divulgar estatísticas. O que não pode ser medido, não pode ser avaliado. E o que não é avaliado, não pode ser gerenciado”, declara Roberto Pupo, que aposta no papel que as empresas, ao lado de instituições organizadas como escolas, igrejas e associações, têm de formar multiplicadores. Assim, as práticas preventivas podem ser disseminadas para o âmbito familiar e social. “O trânsito influi na vida de todos de forma pessoal, econômica e profissional, lembrando que o envolvimento em acidentes – que podem ser evitados – acarretam prejuízos emocionais, profissionais e financeiros para o colaborador”, finaliza.

Além do “Maio Amarelo”, é celebrada desde 1997, quando se instituiu o novo Código Brasileiro de Trânsito (CTB), a ‘Semana Nacional de Trânsito’, que acontece entre os dias 18 a 25 de setembro e é mais um momento de reflexão sobre o papel do motorista nas vias públicas. “Segurança em todos os momentos sempre foi um valor para nós e, por isso, apoiamos toda e qualquer tipo de ação que possa contribuir para auxiliar nossos profissionais a terem mais conhecimento colocando a prevenção em primeiro lugar”, diz Gláucia Faria, Gerente de Sustentabilidade e Responsabilidade Social do Instituto International Paper.

Formare no “Maio Amarelo”

Os alunos do Projeto Escola Formare participarão ativamente das ações do “Maio Amarelo”. Além do “Papo-Formare”, que os alunos de Mogi Guaçu terão com Roberto Pupo, os alunos de Luiz Antonio se preparam para apresentar um DDS (diálogos diários de segurança) sobre a temática. A apresentação será no dia 23/05 durante a reunião com os profissionais da unidade integrantes da CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes).

 

 

Cidade do Livro vai a Manaus mostrar o mundo mágico da literatura

 

Instituto IP leva pela primeira vez projeto de incentivo à leitura infantil para a capital amazonense

Imagine uma cidade em que o portal de entrada é feito por livros gigantes que se abrem para um lugar onde as crianças têm total liberdade para viajar no mundo das histórias. Este lugar existe e se chama “Cidade do Livro”, um projeto de incentivo à leitura voltado para crianças e adolescentes, que o Instituto International Paper levou para Manaus pela primeira vez agora em maio. As apresentações para alunos das escolas municipais da região acontecem entre os dias 9 e 20 de maio, na Escola Municipal Francisca Mendes e no dia 15 houve uma sessão especial para os filhos de funcionários da IP.

Ao chegarem na Cidade do Livro, as crianças de seis a dez anos de idade são recebidas pelo Sr. Prefeito e sua secretária, Dona Maricota, que faz questão de apresentar os lugares que eles visitarão. Os alunos assistem a um teatro de bonecos, conhecem a Tracinha, que diz não comer mais livros (mas tem uma recaída de vez em quando), participam de uma oficina de desenho e pintura na Praça do Papel, aprendem sobre alimentação, reciclagem e higiene bucal no Castelo das Delícias e ouvem as histórias da Vó Cotinha.

“A Cidade do Livro” existe desde 1997 e em quase 20 anos de atuação já superou a marca de 900 mil visitantes entre o projeto fixo, localizado em São Paulo, e o itinerante, que faz apresentações em escolas, empresas e shoppings centers desde 2003.

Há sete anos, a “Cidade do Livro” integra as ações do Instituto International Paper, que leva o projeto para diferentes unidades a cada ano.  “A educação de crianças e jovens faz parte dos pilares do Instituto International Paper e é por isso que levamos o projeto para diversas localidades, para que desde cedo, as crianças tenham contato e se identifiquem com o hábito da leitura”, diz a Gerente de Responsabilidade Social Corporativa e Sustentabilidade do IIP, Glaucia Faria.

De acordo com Claudio Amadio, idealizador do projeto, todos os anos, a “Cidade do Livro” trabalha um tema diferente. “Para 2016, escolhemos o escritor Monteiro Lobato e o tema da UNESCO, Entendimento do Mundo”, conta ele, que diz ainda que o grande desafio na formação de novos leitores é criar vivências prazerosas relacionadas a leitura, sem vinculá-las a algum tipo de cobrança. “Outro grande desafio é encontrar novos autores e obras que despertem o interesse dos jovens, além de evitar o pré-julgamento dos clássicos”, finaliza.

Desenvolvimento sustentavel_ONU

Os 50 anos do PNUD e o papel das empresas nas metas de sustentabilidade

Desenvolvimento sustentavel_ONU O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, o PNUD, traz metas ambiciosas em sustentabilidade global para 2030. E a International Paper, que também atua com foco no desenvolvimento sustentável com ações centralizadas no Instituto International Paper, consolida suas ações como empresa e trabalha metas muito próximas das levantadas pela ONU, visando à redução de gastos com energia e o desperdício de recursos.

No início do ano foi dada a largada para as celebrações dos 50 anos do PNUD, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, que visa propor ações globais para um mundo mais sustentável economicamente, mas sempre de olho nas questões socioambientais. Para marcar a data, a ONU estabeleceu uma agenda global de metas para 2030, baseada em 17 princípios fundamentais de desenvolvimento sustentável, garantindo um futuro melhor para as próximas gerações.

Estes 17 objetivos macro incluem ações que contribuem para a erradicação da pobreza, para a promoção da saúde e do bem-estar, para a equidade de gênero, para a educação inclusiva e outros itens como o manejo sustentável e racional dos recursos naturais, a adequação dos processos industriais e comerciais, para a produção e o consumo mais consciente e seguro, para a melhoria da eficiência energética, barateando custos e minimizando perdas.

Estas  últimas questões estão alinhadas às metas de Sustentabilidade da International Paper, que elaborou uma agenda para 2020 com metas de otimização de recursos em várias frentes de atuação. “Trabalhar a sustentabilidade é crucial para o sucesso dos negócios, uma vez que os clientes, acionistas e fornecedores estão mais preocupados em estabelecer relações comerciais com empresas conscientes de sua responsabilidade social”, pontua Gláucia Faria, Gerente de Sustentabilidade e RSC do Instituto International Paper.

Mas, dentro de princípios tão gerais como os do PNUD, qual o papel da sociedade civil, dos governos e do setor privado para garantir um mundo mais sustentável? Da parte dos governos, é necessária a formulação de políticas públicas que assegurem o desenvolvimento sustentável, priorizando a preservação dos recursos naturais e a adoção de condutas éticas e transparentes em suas ações. Da mesma forma, cabe às empresas a estruturação e o alinhamento de procedimentos afim de minimizar os impactos nas comunidades onde atuam, sejam eles de ordem ambiental, social e de saúde.

E qual a atuação da International Paper dentro deste contexto global? Na IP foram apresentadas metas que devem ser cumpridas por todas as unidades do mundo até 2020. Para a empresa, o compromisso com a sustentabilidade começa na floresta, mas não termina ali.  “As metas de sustentabilidade são globais e dão à empresa um direcionamento para onde queremos chegar, mantendo a produtividade, mas minimizando impactos e riscos ambientais e sociais. Por isso, cada ação desenvolvida representa um passo em direção ao cumprimento dessa grande meta”, explica Gláucia.

É por meio do trabalho do Instituto International Paper, que a empresa demonstra como pode dar retorno às comunidades locais, por meio de ações socioeducativas e ambientais, dois dos pilares escolhidos como principais para atuação do Instituto. Além disso, a empresa trabalha a questão da sustentabilidade em várias frentes, passando por todas as etapas da cadeia produtiva, incluindo o uso final, a reciclagem e o descarte correto.

Relembrando as 12 metas da Sustentabilidade da International Paper para 2020

As metas da IP em muito se assemelham às metas globais estabelecidas pelo PNUD, pois são um reflexo das necessidades do planeta e da sociedade em geral. Vejam:2020 Voluntary Goal overview (002)
1 – Melhorar a eficiência energética em 15%

2- Redução de 20% na emissão de gases doefeito estufa

3 – Priorizar um ambientede trabalho livre de acidentes.

4- Crescimento Global de 15% no volume de certificações de terceiros (fibra)

5 – Reduzir a perda de fibras no processo produtivo, ajustando-se aos níveis globais menores que 0,75%

6 – Reduzir a emissão de poluentes em 10%, alinhando as iniciativas de eficiência energética da companhia

7 – Reduzir em 15% o descarte de águas residuais do moinho

8- Redução no Consumo de Água: Mapeamento do uso de água na manufatura e planejamento estratégico para redução na utilização.

9 – Melhorar em 15% a recuperação de containers de papelão ondulado, explorando novos usos e minimizando o envio de peças reutilizáveis para os aterros

10 – Reduzir o desperdício geral nas fábricas

11 – Estabelecer um padrão de performance para a cadeia de suprimentos e implementar planos de melhoria.

12- Mensurar e registrar o retorno das ações sociais apoiadas pela IP nas áreas de educação, saúde e serviços nas comunidades onde a empresa atua.

“É importante notar que nós, como empresa, temos também a responsabilidade de utilizar os recursos naturais de maneira racional e sustentável e para isso não medimos esforços”, diz Gláucia, que alerta para a importância de cada um em fazer a sua parte, pois a transformação acontece desde as pequenas atitudes. “A empresa tem metas globais de responsabilidade social, mas nós também temos nossas responsabilidades, em casa, na família, na escola. A sustentabilidade está presente em todas as nossas ações”, finaliza.

Quer ver como as metas da IP se assemelham com as metas do PNUD? Acesse: http://www.pnud.org.br/ods.aspx

 

Apicultura: uma atividade regida pela natureza

Em comemoração ao “Dia do Apicultor”, celebrado no dia 22 de maio, IIP mostra as particularidades da produção de mel, um trabalho que depende do capricho da natureza

Além do sabor e aroma inconfundíveis, o mel é um alimento versátil com diversos benefícios para o corpo. A relação entre a iguaria e o ser humano remonta a Antiguidade e hoje a apicultura, importante atividade do setor agropecuário, é uma alternativa de renda para muitas comunidades.

Celebrado em 22 de maio, o Dia do Apicultor foi definido em homenagem à Santa Rita de Cássia, padroeira dos profissionais que trabalham não apenas com a produção do mel, mas também com outros derivados das abelhas, como própolis, geleia real e pólen. A atividade exige não apenas um profundo conhecimento sobre o cultivo e sobre o habitat das abelhas, mas também cuidados específicos.

A apicultura causa impactos positivos nos âmbitos social e econômico e tem cada vez mais contribuído para o crescimento da agricultura familiar, gerando fontes de renda para famílias que vivem nos campos. É o caso dos apicultores e colaboradores da Cooperativa dos Apicultores da Região de Ribeirão Preto (COOPERAPIS), que durante todo o ano trabalham nas florestas de eucalipto da International Paper, em uma parceria que começou em 2011, por meio do projeto Apicultura Solidária, uma iniciativa do Instituto International Paper.

Além de gerar renda, o projeto ajudou a fixar os apicultores em um local, sem que eles precisem viajar grandes distâncias por dia. “Somos em torno de 20 cooperados mais colaboradores e esse trabalho é a grande fonte de renda que sustenta nossas famílias”, explica o presidente do COOPERAPIS, José Antônio Monteiro, que trabalha na área há mais de 30 anos.

Ele conta como funciona a rotina dos cooperados, estipulada pelas condições climáticas e pela natureza. “Cada dia é um dia. Quando não estamos em uma área, estamos em outra. Se o tempo não favorece, trabalhamos no campo ou estamos no barracão, mexendo com a cera. E durante todo o ano é assim”. O volume da produção também é incerto e não depende apenas do esforço dos apicultores.

“A produção depende do ano, em um produzimos mais, em outro menos. O mel faz parte da agricultura e a agricultura depende muito do clima, da chuva, da seca, tudo isso influencia nossa produção. Ano que chove muito, como esse, é mais complicado já que a flor não segura muito néctar, que é lavado pela água”, explica Monteiro.

A falta de chuva, entretanto, também pode ser um problema. “Quando não chove, a flor do eucalipto não floresce, o que impede a polinização pelas abelhas, impossibilitando a produção de mel, o que faz com que seja necessária a migração dos insetos”, continua José. A migração das abelhas é uma das atividades mais importantes da produção, e pode garantir a sobrevivência das mesmas. “Chega a época da florada e temos que migrar para uma área de flores silvestres, para que a abelha encontre alimento. A produção só vai acontecer novamente a partir de setembro”, completa.

Esse trabalho exige certas normas, destaca Monteiro. “É necessário manter uma higiene impecável. Estamos sempre em cima de um cavalete, protegidos da terra. A centrifugação é feita em uma sala adequada”. Ele explica ainda que nessa profissão, a experiência de trabalho conta muito, mas é fundamental que os apicultores nunca parem de estudar sobre o tema, participando de cursos sempre que possível.

Apicultura Solidária

A renda de José Monteiro e dos outros 24 apicultores é fruto de uma parceria muito importante, firmada em 2011, entre o Instituto International Paper e duas cooperativas. O projeto, chamado Apicultura Solidária, incentiva a produção de mel nas florestas de eucalipto da IP, nas cidades de Luiz Antônio, Mogi Guaçu, Altinópolis e Brotas, no Estado de São Paulo.

E sem ele, a realidade dos apicultores da COOPERAPIS seria bem diferente. “Essa parceria agregou valou à nossa produção, que hoje inclusive conta com uma marca própria. Sem a parceria com a IP, não teríamos floresta de eucalipto para colocar as abelhas e teríamos que migrar para regiões distantes. Hoje nosso trabalho é positivo e temos um grande suporte da IP. Eles sempre nos dão muita atenção em tudo que precisamos, há sempre muita conversa, fundamental para nosso trabalho”.

Além de gerar renda para apicultores regionais, o projeto também oferece oportunidades para que as cooperativas vendam o mel para distribuidoras e dentro da própria empresa. O Apicultura Solidária já trouxe resultados muito significativos, desde sua implementação mais de 40 toneladas de mel já foram produzidas.

Cesar_Assin2

Mire-se no Exemplo: a palavra de quem aprendeu muito e ainda aprende no dia a dia da profissão

César Assin:  “É muito gratificante poder contribuir para o crescimento desses futuros profissionais”

César Assin, Gerente Geral de Mogi Guaçu durante um dos encontros com os alunos do Projeto Escola Formare

Há 27 anos na International Paper, o Gerente Geral da planta de Mogi Guaçu, César Assin, conta como é participar do “Mire-se no Exemplo”, uma ação que faz com que os próprios profissionais olhem para suas respectivas carreiras e encontrem diferentes formas de contribuir para a formação das novas gerações.

Tutor desde 2011, quando o “Mire-se no Exemplo” foi implantado na unidade de Luiz Antônio, unidade em que trabalhava na época, Assin conta que reconhece a importância de ações deste tipo, uma vez que já esteve no lugar dos alunos e a ajuda que obteve dos profissionais mais experientes quando estava em início de carreira foi fundamental para o desenvolvimento de habilidades e competências dentro da companhia.  “Ao participar do projeto, pude olhar para trás ver o quanto foi importante ter o suporte e o direcionamento de pessoas com experiência no mercado”, conta.

Mas somente a experiência não basta. Ser Tutor exige o aprimoramento de outras habilidades para que se construa uma relação de confiança e empatia com os tutorados. Por isso, as expectativas são grandes de ambos os lados. “Na primeira vez que participei como tutor em 2011, eu estava muito apreensivo e, ao mesmo tempo, ansioso sobre o que dizer, como falar e agir. Eu sabia que os tutorados contavam com os nossos conselhos, com as nossas dicas e esperavam que falássemos sobre nossas experiências profissionais”, rememora.

Confira, abaixo, a entrevista que fizemos com Assin, na qual ele conta quais os ensinamentos que “Mire-se no Exemplo” trouxe para sua vida profissional.

Instituto International Paper – O que mudou na sua vida desde que começou a atuar como tutor com os alunos do Formare?

“É muito gratificante poder contribuir para o crescimento desses futuros profissionais”

“É muito gratificante poder contribuir
para o crescimento desses futuros profissionais”

César Assin – Pude constatar, a cada ciclo de dez meses da formação de um aluno do Formare, como eles se desenvolvem. Isso acontece graças ao trabalho conjunto do Tutor e, principalmente, dos EV´s (Educadores Voluntários), além, é claro, da disciplina com que a coordenação do projeto atua.  A mudança, a meu ver, acontece para todos nós (Tutores, EVs e Coordenação), na vontade de vê-los vencer. A gente percebe que é uma peça fundamental para essa vitória deles. E todo esse ciclo nos faz crescer, porque as experiências que eles nos contam – muitas delas difíceis – nos fazem refletir um pouco mais sobre a vida.  Vejo que a IP está no caminho certo. Quem sabe, um dia, teremos algum participante do Projeto na liderança da empresa!

 IIP – O que mais gosta de fazer no papel de tutor?

César Assin – Gosto de ver o quanto os tutorados mudam ao longo desses dez meses que ficam conosco, e também de perceber o crescimento deles, especialmente no que diz respeito às informações novas que recebem e o quanto desfrutam disso. É muito gratificante poder contribuir para o crescimento desses futuros profissionais.

IIP – Com relação ao “Mire-se no Exemplo”, como você vê a maturidade do projeto dentro do Formare?

César Assin – Desde que o Projeto Formare iniciou na IP, a maturidade vem aumentado e essa etapa do projeto tem sido cada vez mais leve, justamente porque sabemos o que esperam de nós e de que forma podemos ajudá-los, para que todos tirem o máximo de proveito desta experiência, construindo conhecimento.

IIP – E o que te desafia mais?

César Assin – O maior desafio é atingir o objetivo do Formare, isto é, colaborar para o desenvolvimento profissional destes jovens.

IIP – Você tem algum tema sobre o qual faz questão de falar a seus tutorados a cada ano?

César Assin – Reforço o quão importante é a dedicação e a garra para o alcance dos objetivos. Se não formos perseverantes, dificilmente venceremos, pois o sucesso profissional não é fruto da sorte. Eles são os condutores da própria carreira, precisam acreditar neles mesmos, entendendo que podem vencer e que não devem desistir nunca.

IIP – Quais os aprendizados que você tira dessa relação entre tutor e tutorado?

César Assin – É um saber ouvir constante. Por isso, é importante também passar-lhes as experiências vividas, ensinar-lhes a olhar o futuro sempre tendo um “Plano B”, para caso algo não funcione como o esperado. Sempre falo que eles encontrarão, na vida, pessoas que lhes darão suporte, mas também pessoas que não os apoiarão. É preciso muita garra e disposição para superar os obstáculos e atingir os resultados propostos. Nesse sentido, tento direcioná-los quando necessário e apoiar quem já tem uma meta definida.

IIP – O Formare é…  

César Assin – Uma excelente oportunidade de crescimento e autoconhecimento.  Só tenho a agradecer a todos que fazem desse projeto na IP um sucesso, alinhado todos aos princípios de nossa empresa. É realmente recompensador.

 

http://www.maisondelamutualite.com/

IP representa o Brasil em evento internacional de Sustentabilidade e Responsabilidade Social

Instituto International Paper foi a Paris para mostrar as boas práticas de sustentabilidade e RSC implantadas pela IP no Brasil.

http://www.maisondelamutualite.com/
Maison de la Mutualité, em Paris – divulgação (http://www.maisondelamutualite.com)

 No dia 12 de abril, a International Paper, por meio de seu Instituto, participou pela primeira vez da EcoVadis SustaIn 2016, conferência global anual sobre Sustentabilidade e Responsabilidade Social Corporativa (RSC). O Instituto foi o único representante do Brasil a participar da mesa redonda “Why is sustainability an opportunity to improve supplier-buyer relationships? ”, (Por que a sustentabilidade é uma oportunidade para melhorar as relações entre fornecedores e compradores?, em tradução livre).

Ao lado de executivos das áreas de sustentabilidade e RSC das empresas Adecco, Toyota e Forefront, Gláucia Faria, Gerente de Sustentabilidade e Responsabilidade Social da International Paper no Brasil, debateu com os demais profissionais sobre a importância da adoção de práticas sustentáveis em toda a cadeia produtiva, revelando a grande preocupação da IP com todas as etapas dos processos internos, além da atenção especial dedicada às questões de sustentabilidade de RSC, conduzidas pelos projetos do Instituto International Paper.

As ações envolvem desde a utilização das florestas plantadas para beneficiar os apicultores locais no projeto “Apicultura Solidária”, como as iniciativas de educação socioambiental desenvolvidas para os alunos de escolas locais e filhos de profissionais da IP, que concretizam o “PEA” e o “Guardiões das Águas”, além do amplo trabalho de educação profissional realizado por meio do Projeto Escola Formare, que já capacitou cerca de 230 alunos para o mercado de trabalho.

“A experiência em Paris foi muito rica e me possibilitou entender melhor como empresas globais de diferentes segmentos tratam a questão da sustentabilidade e da responsabilidade social. Percebi que estamos muito bem posicionados neste assunto, por conta das ações desenvolvidas pelo Instituto e pelos projetos sociais que a IP apoia nas comunidades onde atua”, explica Gláucia.

O convite para participar da conferência partiu da própria organização do evento, por conta do engajamento da IP no uso do sistema de gestão desenvolvido pela EcoVadis, que mede o desempenho das empresas em temas relacionados à sustentabilidade e à responsabilidade social corporativa na cadeia de suprimentos e nos processos logísticos.

Esse destaque da IP for percebido pelo fato de a ferramenta ser utilizada para atender aos requisitos de uma indústria química global, da qual a International Paper é fornecedora. “Como este parceiro de negócios utiliza esse sistema, temos que fornecer as informações para assegurar a sustentabilidade dos processos e foi este desempenho que nos levou à Paris”, explica Gláucia.

A EcoVadis SustaIn é uma conferência anual, que acontece em cidades diferentes a cada edição. Em 2015, foi sediada em Genebra, na Suíça, e este ano ocupou a Maison de la Mutualité (foto), localizada no famoso Quartier Latin, região onde estão as universidades Sorbonne e Paris VII, na capital francesa.

 

guardioesdasaguas

“Guardiões das Águas” prorroga inscrições até 20 de maio

Escolas de Rio Verde ganham mais alguns dias para se inscrever. Concurso premiará instituições públicas de ensino e responsáveis pelos melhores projetos.

materia_GA_site_interna

O Instituto International Paper promove, desde 2008, o Projeto “Guardiões das Águas”, que tem por objetivo envolver escolas públicas no desenvolvimento de projetos que contribuam para a redução no consumo de água em toda a comunidade escolar. Este ano, o projeto acontece pela primeira vez no município de Rio Verde, em Goiás, e as instituições de ensino da região terão a oportunidade de colocar suas ideias em prática.

As inscrições foram prorrogadas para o dia 20 de maio e os três melhores projetos receberão aporte financeiro para que possam sair do papel e virar uma realidade. E os professores e funcionários escolares, idealizadores dos três melhores projetos, também serão contemplados com prêmios em dinheiro que poderão ir de R$ 1.000,00 até R$ 2.000,00.

Para participar, as escolas precisam se inscrever no site www.institutoip.com.br, ler o edital, que traz o regulamento completo para a enviar os seus projetos. Podem participar escolas estaduais e municipais de Rio Verde, que contemplem a o ciclo da educação básica: Educação Infantil e Ensino Fundamental.  Todos os projetos serão submetidos a uma banca avaliadora formada por profissionais da International Paper, entre outros especialistas.

Ou seja, além dos três prêmios de reconhecimento para os proponentes que tiverem seus projetos selecionados no edital, o IIP também custeará a execução do projeto selecionado dentro do valor de até R$ 8.000,00 por escola

Seja você também um “Guardião das Águas”

O projeto “Guardiões das Águas” é uma inciativa do Instituto International Paper voltada para conscientizar educadores, alunos e demais membros da sociedade civil sobre a importância do uso racional dos recursos hídricos.  Além do concurso, realizado este ano na cidade de Rio Verde, o IIP realizou uma série de atividades em torno da temática para sensibilizar a comunidade sobre a urgência em pensar a questão do uso da água.

As ações ligadas ao projeto este ano começaram com a palestra do navegador Amyr Klink, referência em consumo consciente de água e com a exposição “Linha d’ Água”, que mostra os registros fotográficos das expedições de Klink, e ficou em cartaz no Shopping Buriti, entre os meses de fevereiro e março.

Além da palestra e da exposição, O IIP levou para Rio Verde o “Espaço Mundi”, um teatro itinerante que revela a história do Dr. Gota e suas preocupações com o uso da água no Planeta. O espetáculo teatral pode ser visto por mais de 4.800crianças de escolas públicas do município e contou ainda com uma sessão aberta ao público.

O edital “Guardiões das Águas” marca a etapa final do projeto e visa a mobilizar a comunidade escolar da região a inovar em projetos que propiciem economia de água, aliando simplicidade e criatividade, formando multiplicadores para a difusão de boas práticas no consumo de água para um mundo mais sustentável.  “Nós acreditamos no potencial das crianças e jovens enquanto multiplicadores e o melhor espaço para que se desenvolva a inovação de maneira criativa e simples é a escola, justamente pelo olhar atento ao novo dos jovens, aliado à experiência dos educadores, que podem ver as coisas sob outra perspectiva”, acredita Glaucia Faria, Coodenadora de Responsabilidade Social e Sustentabilidade do Instituto International Paper.

 

 

 

IMG_0850

Somar para multiplicar

Nova parceria do IIP fortalece o papel de responsabilidade social da IP junto às comunidades onde atua

IMG_0831

O projeto Formare do Instituto International Paper ganhou um novo parceiro. Desde março, os 50 alunos têm 100% do vale-alimentação custeado pela empresa Solenis Especialidades Químicas, empresa responsável pelo fornecimento de químicos usados no processo produtivo e na estação de tratamento de água da IP.

Com esta novidade, o IIP reforça sua rede de parcerias com empresas envolvidas em projetos de responsabilidade social corporativa (RSC) e que possuem valores alinhados aos princípios organizacionais adotados pela International Paper. “Para nós, é uma grande satisfação termos empresas com os mesmos propósitos atuando em conjunto”, ressalta Sabrina Tenello, Analista de Responsabilidade Social do IIP.

Ser uma empresa com diretrizes de Responsabilidade Social bem definidas é um requisito fundamental para atuar junto ao time do IIP nos 11 projetos que a entidade mantém no país.

A parceria da Solenis com o Projeto Escola Formare não é de agora. Executivos da empresa participam ativamente do “Papo Formare”, uma iniciativa do Instituto International Paper que consiste na aproximação de profissionais experientes do mercado com os jovens alunos do projeto, que estão em processo de definição de carreira para uma troca de experiências. “Acreditamos que além de participar dos encontros com os alunos, podemos fazer muito mais. Gostaríamos de poder envolver mais os nossos colaboradores em atividades do Formare para ajudar o IIP com a quantidade de voluntários e poder divulgar de forma mais ampla o programa na nossa empresa. É um benefício para ambas as partes”, diz Elidio Frias, executivo de Marketing da Solenis.

A consolidação desta mais nova iniciativa reflete não só o resultado de uma história de sucesso e que gera bons frutos, mas revela também como as empresas podem se unir em torno de uma causa comum, gerando benefícios para a comunidade onde estão inseridas ao contribuir com a formação de jovens profissionais. É investir no presente com uma visão de futuro. “Para nós, firmar parcerias que agreguem valor a nossos projetos e contribuam para melhorias é fundamental. Para isso, nossos parceiros precisam seguir as mesmas diretrizes do Instituto, acreditando no seu papel de agente transformador”, diz Gláucia Faria, Coordenadora de Responsabilidade Social e Sustentabilidade da IP.

Entendendo a Responsabilidade Social Corporativa (RSC)

Responsabilidade Social Corporativa (RSC) é a forma de atuação adotada por empresas que se baseia em uma gestão ética e transparente com todos os públicos com os quais se relaciona, definindo metas que estimulem o desenvolvimento sustentável da sociedade, preservando recursos ambientais para as gerações futuras, respeitando a diversidade e promovendo a redução das desigualdades sociais. Além de trazer benefícios à comunidade, as ações de responsabilidade social também agregam valor ao negócio das empresas junto aos seus públicos de interesse.

Na IP, o Instituto International Paper é o responsável pelas ações de Responsabilidade Social Corporativa, que faz mediação dessas atividades junto às comunidades onde a empresa está presente, com 11 projetos em andamento: “Apicultura Solidária”, “Casa Vhida”, “Cidade do Livro Itinerante”, “Educação Socioambiental (ESA) ”, “Formare”, “Guardiões das Águas”, “Guardiões da Biosfera”, “Guardiões do Verde”, “Guardiões em Ação”, “Natureza e Corpo” e “PEA”. Todos estes projetos têm como pilares a promoção da educação socioambiental de crianças e jovens, além da disseminação de informações sobre o desenvolvimento sustentável.

‘Mire-se no exemplo’: tutores e tutorados aprendendo juntos

As dinâmicas do ‘Mire-se no Exemplo’ acontecem este mês, no dia 19 em Luiz Antônio e 28 em Mogi Guaçu, quando alguns líderes da IP assumem a posição de tutor de um dos alunos do Formare.

Imagine ter a oportunidade de compartilhar a sua experiência de carreira com um jovem que busca respostas para seu futuro profissional. Essa é a missão e a responsabilidade dos gestores convidados a participar do “Mire-se no exemplo”, iniciativa do Instituto International Paper vinculada ao Projeto Escola Formare, que visa a integrar profissionais experientes no mercado com os jovens alunos inscritos no Projeto, mostrando a importância do voluntariado na educação, um dos pilares do IIP.

A cada ano, 20 executivos da unidade de Mogi Guaçu, 20 de Luiz Antonio e 10 de Três Lagoas são convidados a integrar o time de gestores responsáveis por tutorar um aluno do Formare. Eles participam de uma dinâmica com os alunos e têm a oportunidade de conhecê-los um pouco melhor, entendendo suas dúvidas sobre carreira e suas intenções profissionais.

Durante a dinâmica, a equipe do Instituto International Paper faz uma explanação geral sobre o papel dos tutores e a importância deste acompanhamento individualizado. Em seguida, o IIP mostra o carômetro (painel com fotos dos alunos), com uma breve apresentação de cada um deles, apontando aspectos em que o aluno precisa desenvolver e potencialidades a serem exploradas.

O encontro – após a apresentação do IIP é a vez dos alunos encontrarem os executivos e de se apresentarem. “É o momento que eles têm para convencer o tutor das razões pelas quais eles seriam bons tutorados, mostrando seus interesses de carreira”, explica Sabrina Tenello, que coordena os trabalhos de seleção na unidade de Luiz Antonio. Após as apresentações, os alunos se retiram da sala, os líderes deliberam quais alunos irão escolher, para, ao final, enfileirados ombro a ombro, revelarem com a foto do aluno em mãos, quem serão seus tutorados.

O Gerente Geral da unidade de Mogi Guaçu, César Assin participa do ‘Mire-se no Exemplo’, desde 2011, quando a ação foi implantada na Unidade de Luiz Antônio, onde trabalhava na época. Ele conta que em princípio ficou bastante apreensivo em corresponder às expectativas dos alunos. “Eu sabia que eles esperavam algo que pudessem lhes direcionar no futuro profissional e tudo isso me fez pensar sobre como poderia ajudá-los da melhor forma possível”, conta ele, que acredita ser fundamental para o crescimento da dupla, uma relação de empatia entre tutor e tutorado, de maneira a construir confiança para que a troca de conselhos e de experiências possa ser levada por toda a vida.

Para Dorival Almeida, Gerente Geral da unidade de Luiz Antônio, o Formare proporciona uma experiência de aprendizado mútuo, em que o tutor ganha muito mais do que o tutorado. “O desafio é neste trabalho é conseguir transmitir uma mensagem que seja efetiva e duradoura no curto espaço de tempo que temos para conversar”.

O “Mire-se no Exemplo” é um projeto adaptado à realidade da International Paper e a equipe de Responsabilidade Social do Instituto procura, quando possível, conciliar os interesses profissionais dos alunos, com os gestores das respectivas áreas ou de áreas correlatas para que o aluno tenha um contato mais próximo e aprenda um pouco mais sobre a carreira desejada, quando ele já tem algumas opções em mente. “Embora o Formare tenha um formato definido, por ser uma franquia social, conseguimos adaptar o ‘Mire-se no Exemplo’ ao projeto, como forma de aproximar os líderes da empresa do trabalho voluntário e da educação, que fazem parte dos objetivos do Instituto, e do trabalho de Responsabilidade Social”, explica Sabrina.

Para Assin, o Formare tem um papel muito importante na vida destes jovens e isso se deve ao trabalho conjunto dos Educadores Voluntários, da coordenação do Projeto e dos tutores. “Sempre reforço com os alunos a importância da dedicação e da perseverança, para que se consiga os objetivos; falo também que os donos das carreiras são os próprios jovens e, por isso eles precisam acreditar no próprio potencial e, que para vencer, não podem desistir nunca”.

Implantado pelo Instituto International Paper em 2010, o Projeto Escola Formare já capacitou cerca de 230 alunos nas unidades de Mogi Guaçu Luiz Antonio e Três Lagoas. Desde que o projeto faz parte do IIP, o ‘Mire-se no exemplo’ acontece como um reforço do aprendizado. O líder assume o papel de tutor e todos os meses tem um almoço com seu tutorado para alinhamento de ideias e troca de experiências.

Além disso, os gestores participam do “Papo Formare”, encontro periódico realizado entre os gestores e as turmas para falar sobre assuntos relacionados à vida profissional, num espaço pensado para um diálogo aberto, em que os alunos se sintam à vontade para esclarecer suas dúvidas sobre trabalho e carreira. “A prática contínua e a participação das pessoas contribuíram muito para melhorar esse projeto ao longo dos anos. Hoje o ‘Mire-se no exemplo’ está muito bem definido e consolidado dentro do Formare. explica Almeida. Outra oportunidade dos gestores se fazerem presentes é durante as práticas profissionais, já que alguns alunos acabam fazendo prática na mesma área que o seu tutor o que possibilita um acompanhamento do aprendizado mais próximo.

“O ‘Mire-se no exemplo’ foi a maneira que o IIP encontrou de tornar a prática mais próxima dos alunos, por meio do diálogo e da troca de experiências, pois o jovem em momento de escolha profissional, passa por uma série de dilemas e, o trabalho do tutor é mostrar que, sim, eles podem mais, que o caminho não é fácil, mas que não se pode ter medo de desafios”, finaliza Glaucia Faria, Coordenadora de Responsabilidade Social e Sustentabilidade do Instituto International Paper.

 

 

shutterstock_321596360

Acordo de Paris será assinado no próximo dia 22 na sede da ONU

shutterstock_321596360Resultado da COP-21, pacto universal substitui o Protocolo de Kyoto e estabelece a meta de contenção do aquecimento global para 1,5°C

Na próxima sexta-feira, quando se celebra o Dia Mundial da Terra, mais de 60 chefes de Estado e representantes da sociedade civil devem comparecer à Cerimônia de assinatura do Acordo de Paris, documento que substitui o Protocolo de Kyoto e estabelece a meta global de redução da emissão de gases poluentes pelos países, com o objetivo de limitar o aquecimento do planeta em menos de 2°C até 2100. A meta mais ambiciosa propõe o limite de 1,5°C.

A expectativa da ONU é otimista e estima que mais de 130 países assinem o compromisso a partir do 22 de abril, quando o documento fica disponível para assinaturas. Para entrar em vigor, o Acordo de Paris precisa da assinatura de pelo menos 55 países, responsáveis por 55% das emissões de gases de efeito estufa (GEE), ratificando um compromisso global pela melhoria da vida no planeta. Após as assinaturas, o documento começa a vigorar no prazo de 30 dias.

Resultado do COP-21, Conferência das Nações Unidas sobre as mudanças Climáticas, que aconteceu em dezembro de 2015 na capital francesa, o Acordo de Paris chama os países a assumir um compromisso para a redução na emissão de poluentes e para maiores investimentos em fontes renováveis de energia. O Brasil, na ocasião, se comprometeu em reduzir em até 37% as emissões de GEE até 2025 e em 43% até 2030, considerando os indicadores-base de 2005.

Mas para que isso aconteça é necessário conter o desmatamento ilegal e ampliar os investimentos em novas fontes de energia limpa, fazendo declinar a utilização de combustíveis fósseis.

A COP-21 teve alguns desdobramentos no país. Em fevereiro deste ano, a cidade de Fortaleza sediou a II Jornada sobre Cidades e Mudanças Climáticas, que abriu espaço para as discussões iniciadas no COP-21, com foco no papel das cidades nas metas locais para a sustentabilidade e planejamento quanto às mudanças climáticas.

É um grande desafio não só ao Brasil, mas a todos os países, para que tenhamos um mundo mais sustentável e saudável para as futuras gerações.

 

 

imagem materia IR_leao

Transforme o momento da declaração do Imposto de Renda em uma boa ação!

imagem materia IR_leaoDoações a fundos de direitos da criança e do adolescente permitem a dedução de até 6% no Imposto de Renda devido. Veja como participar.

Você sabia que é possível doar uma parte do seu imposto devido a uma boa causa? Muitas pessoas desconhecem essa possibilidade, mas saiba que a doação pode ser feita por pessoas físicas e jurídicas até o mês de dezembro do ano base e, no caso de pessoas físicas, também podem ser feitas no exato momento de preenchimento do IR no site da Receita.

Para este segundo caso, as deduções podem ser feitas caso o contribuinte escolha como receptora desse valor uma entidade que seja parte dos fundos de direitos da criança e do adolescente, que pode ser nacional, estadual ou municipal (FUMCAD).

Como nem sempre temos tempo em nosso dia a dia para exercer o voluntariado ou então, quando temos, o tempo não é o suficiente, o Instituto International Paper explica o passo a passo dessa doação e também sugere um dos projetos, apoiados pelo IIP, que pode receber sua contribuição. Trata-se do “Casa Vhida”, vinculado ao FUMDCA de Manaus (AM). Saiba mais.

Casa Vhida – Acolhimento a crianças portadoras do HIV

Sediada em Manaus, a Casa Vhida é uma instituição de apoio a crianças portadoras do HIV, que oferece, além de suporte médico, nutricional e psicológico, uma estrutura de creche equipada para receber as crianças e suas mães, que acompanham todo o atendimento.

A Casa Vhida também desenvolve um trabalho de doação de leite materno que beneficia mais de 800 crianças, filhas de mães HIV positivas, que não podem ser amamentadas. A instituição também promove eventos beneficentes para arrecadar fundos e auxilia as famílias com a doação de roupas, calçados e alimentos não perecíveis, quando possível.

Interessou? Confira abaixo o passo a passo para doar:

É durante o período de recolhimento do Imposto de Renda , que é possível colaborar para o desenvolvimento destes projetos. Lembrando que a dedução máxima é de 6% no Imposto de Renda devido.  Esse desconto é válido somente para contribuintes que fizerem a declaração completa do Imposto de Renda. As pessoas que tiverem despesas dedutíveis no valor superior a R$ 16.754,34, teto da declaração simplificada, devem optar pela declaração completa.

As pessoas que não tiverem IR a restituir poderão descontar até 6% do imposto a ser pago. Se couber a restituição do IR, válido para pessoas que têm muitas deduções, seja com educação, saúde e demais despesas com dependentes, pode-se acrescentar 6% do valor devido ao IR na restituição.

imagem materia IR_exemplo

Entenda o que são os fundos de direitos da criança e do adolescente:

 São fundos públicos, criados com o Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei nº 8069/90), que direcionam recursos financeiros para entidades previamente cadastradas na Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. De acordo com o artigo 260 do Estatuto, as doações podem ser feitas a entidades assistenciais com abrangência nacional, distrital, estadual ou municipal.

Os fundos de direitos da criança e do adolescente financiam projetos que atuam exclusivamente na promoção, na proteção e na defesa dos direitos da criança e do adolescente e são mecanismos de descentralização do orçamento público. Isso significa que, embora a doação seja feita para um fundo público, o dinheiro doado será utilizado para uma finalidade específica.

 

 

“Guardiões em Ação” reúne voluntários e crianças em dia especial

IMG_1607

 Enfim chegamos à época mais doce do ano: a Páscoa! E para comemorar essa data de forma significativa, o Instituto International Paper realizou no último dia 26 mais uma edição do projeto “Guardiões em Ação”, com a missão de tornar a Páscoa de crianças e voluntários ainda mais especial.

 A ação deste ano contou com a participação de 66 “padrinhos e madrinhas” que se mobilizaram para tornar a Páscoa das crianças do Centro de Promoção Social Bororé um dia inesquecível. Os guardiões presentearam 73 crianças com ovos de chocolate e a entrega aconteceu pessoalmente, no dia 21 de março, no escritório da International Paper em São Paulo. Dividido em dois períodos, manhã e tarde, o encontro foi acompanhado por um divertido lanche, com muitas brincadeiras e é claro, muito chocolate.

Satisfeita com o resultado desta missão, Karla Califfa, Coordenadora de Planejamento Financeiro da International Paper, participou do Guardiões em Ação pela quarta vez e destaca a importância de ações solidárias dentro das organizações: “Vejo esta Ação como uma forma de olhar o que acontece em torno de nós. Sempre que volto deste projeto tenho a sensação de que, só de ver os sorrisos das crianças, fazemos o bem ao outro. Na correria do dia a dia nunca encontramos tempo para fazer uma ação solidária e quando a empresa nos dá essa oportunidade, percebemos o quanto podemos ajudar, mesmo que seja com este pequeno gesto”.

Para a Assistente Administrativo Pâmella Silva, a participação nas missões do “Guardiões em Ação” é sempre muito gratificante.  “É muito bom saber que fiz a diferença um dia pelo menos na vida daquelas crianças”, diz ela.

 O projeto, criaIMG_1806do em 2013, tem como objetivo ampliar o voluntariado dentro da International Paper, envolvendo, neste caso, os profissionais do escritório, em São Paulo. As “missões” acontecem sempre em datas comemorativas e só no ano passado, mobilizou 80 voluntários que presentearam crianças de quatro instituições diferentes.

Para Glaucia Faria, Coordenadora de Sustentabilidade e Responsabilidade Social do Instituto International Paper, projetos como o “Guardiões em Ação” reforçam o poder transformador do voluntariado, um dos pilares do IIP, além de ser um aprendizado de mão dupla. “O encontro dos profissionais com as crianças mostra o quão é importante ajudar com os gestos mais simples. Esses momentos são sempre muito gratificantes”, diz.

ResponsabilidadIMG_1868e Social Corporativa – Além de fabricar seus produtos em florestas 100% plantadas, renováveis e certificadas, a IP realiza, por meio

do Instituto International Paper, projetos voltados à educação e à sustentabilidade nas regiões onde a empresa mantém operações, beneficiando as comunidades locais. Desde sua criação, o Instituto tem como um de seus principais objetivos mobilizar e engajar parceiros, colaboradores e profissionais em causas que melhorem principalmente a educação socioambiental de crianças e jovens.

Atualmente, mais de 200 voluntários participam de projetos como Formare, EmCena Brasil, Guardiões das Águas, Guardiões do Verde, Guardiões em Ação, entre outros, que já impactaram a vida de aproximadamente 30 mil pessoas.

Realizar algum tipo de trabalho voluntário traz inúmeros benefícios também a quem pratica. Cada vez mais, as organizações valorizam profissionais que dedicam parte do seu tempo a causas sociais, especialmente se têm a prática inserida na própria cultura organizacional, como é o caso da IP.

Saiba mais sobre a instituição beneficiada pelos Guardiões em Ação:

 O Centro de Promoção Social Bororé está localizado em uma região extremamente carente, no Jardim Lucélia, na Zona Sul de São Paulo. Dividido em três lares sociais que abrigam 24 crianças e adolescentes, a entidade atende também 380 menores por meio dos programas Cantinho da Criança e Educando Para o Futuro, além de realizar diversos programas sociais que envolvem toda a comunidade. Saiba mais aqui.

 

Formare_mg_leandra_iip2

Alunos do Formare falam sobre carreira e oportunidades com a presidente do IIP

Encontro faz parte da série de bate-papos que o Instituto promove para aproximar os jovens estudantes de profissionais experientes do mercado

Formare_mg_leandra_iip

A Presidente do Instituto International Paper e Diretora Jurídica e de Sustentabilidade da IP, Leandra Ferreira Leite, se reuniu com a turma de 2016 do Formare nos dias 8 e 11 de março para uma conversa sobre futuro e expectativas de carreira. Seja em um encontro presencial, como aconteceu no dia 11, com os alunos de Mogi Guaçu, ou via Telepresence, como foi o bate-papo com a turma de Luiz Antonio, Leandra faz questão de participar desta conversa com os alunos em todas as edições.

À frente do Instituto desde 2012, quando assumiu a presidência, Leandra acumula ampla experiência na área jurídica de empresas como Polenghi, Braskem, Leroy Merlin e Embraer, onde auxiliou na Implantação do Instituto Embraer de Educação e Pesquisa, experiência que a aproximou do Instituto International Paper desde o início das atividades em 2007, quando atuava como advogada, antes de assumir a presidência.

Os alunos tiveram a oportunidade de conhecer uma profissional da área jurídica, que aliou a prática do direito com questões ligadas à sustentabilidade e à responsabilidade social, temas fortemente ligados aos negócios da IP e às causas do Instituto.

Estudar sempre – Leandra participa dos encontros com alunos do Formare desde o início do projeto e sua principal mensagem em todas as edições é a importância dos estudos. “É preciso estar aberto a oportunidades e nunca deixar de estudar, porque pode ser um diferencial. Também faço questão de dizer que é muito importante acreditar em um futuro melhor para alcançar os sonhos. E nunca desistir deles.”

Além da importância dos estudos para o desenvolvimento da carreira, a presidente do IIP ressalta o valor da humildade para qualquer ser humano em qualquer momento da vida pessoal e profissional. “Cada um tem sua história e suas dores, mas é preciso motivação e interesse pelo que acontece no mundo, por que isso traz um olhar crítico e mais atenção para as novas possibilidades e oportunidades que surgirem pela frente, algo fundamental no desenvolvimento da carreira.”

Expectativas – Todos os anos, Leandra espera que os alunos do Formare sejam uma turma curiosa e com muita vontade de aprender. “Espero também que possamos conseguir coloca-los no mercado de trabalho. Esse é um dos principais objetivos do projeto.”

A importância do diálogo – Para Leandra, oportunizar momentos de diálogo entre profissionais experientes e os jovens do Formare é essencial para que os jovens tenham a oportunidade de aprender por meio de diferentes perspectivas e experiências, pois cada profissional traz uma trajetória, com vivências e dificuldades que podem se assemelhar em alguns momentos, ou podem ser totalmente diferentes. “O mais importante é que esses jovens percebam que não estão sozinhos em suas dúvidas e dificuldades. Durante o bate-papo, eles percebem que é possível mudar de vida e conquistar coisas que eles ainda nem sabem que podem”, diz. Nesse sentido, “cada experiência é uma aula de vida. Cada interface é um aprendizado recíproco”, finaliza.

 

 

Turma 2016 - Formare IP Luiz Antônio (SP)

Hora de aprender: Formare retoma aulas em Mogi Guaçu e Luiz Antônio

formare_lan_2016_baixa

Alunos de Luiz Antônio


De caderno e caneta na mão, 40 novos alunos do Projeto Escola Formare iniciaram as aulas nas cidades de Mogi Guaçu e Luiz Antônio, ambas em São Paulo, no dia 1º de março. Na mochila, além dos livros, está também a expectativa para o início de uma nova experiência. Para muitos, este é o primeiro passo e uma grande oportunidade para a construção da carreira profissional.

“Sei que esta é uma chance única para minha vida, que vai me ajudar a abrir as portas para o mercado de trabalho, por isso, quero aproveitar ao máximo esta experiência”, conta Murilio Henrique Arruda da Silva, de 18 anos, aluno da unidade de Luiz Antonio. Rafaela Aparecida de Abreu Adolpho Rodriguês, 18 anos, também é aluna de Luiz Antônio e já está pensando no futuro. “Quando finalizar o curso, estarei preparada para conseguir um emprego”.

A expectativa é grande, ainda mais depois de um criterioso processo seletivo, realizado em cinco etapas, que reuniu mais de 100 jovens em cada unidade. “Eu estava muito nervoso, principalmente na dinâmica de grupo, pois tínhamos que falar abertamente sobre a nossa vida na frente de outras 50 pessoas,” relembra Murilo.

O frio na barriga e aquela sensação de começar um novo projeto não ficou restrita aos alunos. Nestas turmas, iniciaram também 146 novos Educadores Voluntários (EVs), cheios de vontade de compartilhar e receber conhecimento. “Confesso que a ansiedade era grande, mas a aula se desenvolveu de forma tão proveitosa, que uma hora foi pouco. A turma foi muito receptiva, e acho que o interesse das duas partes foi o que fez a aula se desenvolver daquela forma”, destaca Glauber Sales, Trainee I – RH, da unidade de Mogi Guaçu, que iniciou o trabalho como EV este ano. Engenheiro, Glauber é o responsável pela matéria “Fundamentos Numéricos”.

Mesmo quem já tem mais tempo de casa como Educador Voluntário sempre tem uma história nova para contar, como é o caso de Leticia André, Analista de Planejamento Logístico – Exportação, da unidade de Mogi Guaçu. A Analista faz parte desse time de educadores desde 2014. “Eu aprendo todos os dias com os alunos: ouvir mais, ser grata por tudo e todos que eu tenho em minha vida e me relacionar melhor com o outro. É uma via de mão dupla, onde doamos e recebemos conhecimento em todas as aulas.”

Lançado pelo Instituto International Paper em 2010, o Formare é desenvolvido pela Fundação Iochpe (franquia social) e oferece cursos de educação profissional para jovens de famílias de baixa renda, na faixa etária entre 16 e 18 anos.

Desde então, o Projeto já formou 194 jovens, dos quais 28% são hoje profissionais da International Paper. “Este é um grande diferencial do Projeto. Todos ganham com a iniciativa: o jovem, que conquista seu emprego, e a empresa, com o recrutamento de um profissional com energia para aprender e que já conhece a cultura, normas e políticas da companhia”, afirma Gláucia Faria, Coordenadora de Responsabilidade Social da International Paper.

formare_mg_2016_baixa

Alunos de Mogi Guaçu

 

Já aqueles que não ingressam na empresa chegam mais preparados para enfrentar o mercado de trabalho, pois recebem certificado de Assistente de Produção da Indústria de Processo, reconhecido pelo MEC e emitido pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

Os benefícios que o Formare traz aos alunos vão além da formação profissional, e a troca de experiências transforma todos os envolvidos. “Acho que o programa tem um potencial gigante para impactar a vida desses jovens, e estou disposto a dar toda assistência possível para fazer isso acontecer”, ressalta Glauber Sales. Para Leticia André, “estar em sala de aula com os alunos é o momento em que eu desligo um pouquinho do meu trabalho e conecto com ‘mundinho’ deles. Cada aluno traz consigo sua história, sua personalidade e quando entramos em contato, todos nós ganhamos.”

Além do contato com os Educadores Voluntários, os alunos do Formare têm tutores – executivos da International Paper – que se voluntariam para direcioná-los durante os projetos no decorrer do curso. Além disso, periodicamente, o IIP promove bate-papos dos alunos com profissionais experientes do mercado, em um momento descontraído para falar sobre decisões de carreira e expectativas para o futuro.

Dicas sustentáveis no volta às aulas

Já que o tema é volta às aulas, que tal relembrar dicas importantes de como aproveitar melhor o seu material escolar? Com o conceito dos 3Rs da sustentabilidade fica mais fácil:

Reduzir:

  • Pense bem antes de comprar: faça uma lista com tudo o que você precisa antes de ir à loja para evitar desperdício de tempo, material e dinheiro.
  • Vai precisar consultar livros para pesquisa? Nos sebos você vai encontrar o melhor custo-benefício. Você pode também ver com amigos e conhecidos para pegar livros emprestados, mantendo-os sempre bem cuidados.

Reutilizar:

  • Reutilize os materiais escolares do ano passado. Mochilas, borrachas, canetas e estojos, se bem preservados, vão servir direitinho para este ano também.
  • Seja cuidadoso com o material didático, pois ele pode ser útil para outras pessoas. Encapar livros e cadernos pode ser uma boa dica para preservá-los. ­­­­­

Reciclar

  • Se o seu caderno do ano passado tem folhas em branco sobrando, use-as como rascunho. Você pode fazer um bloco de anotações e ainda personalizar a capa com recortes e adesivos.
  • Pesquise sobre a coleta seletiva em sua cidade e saiba mais sobre como dar o destino correto a vários tipos de lixo que possam ser reciclados. Cidadania se exerce desde as atitudes mais simples do dia a dia.

 

espaçomundi4

‘Espaço Mundi’ une teatro e educação para o uso consciente de água em Rio Verde

Iniciativa faz parte do projeto ‘Guardiões das Águas’ promovido pelo Instituto International Paper e visa ao envolvimento de crianças em práticas de economia dos recursos hídricos

Trabalhar o uso consciente da água desde a infância deve ser uma preocupação constante não só dos profissionais que lidam com educação, mas da sociedade em geral. Ciente de seu papel social e do poder multiplicador das crianças, capazes de ‘reeducar’ os adultos para práticas de educação ambiental, o Instituto International Paper promove o ‘Espaço Mundi’, um espetáculo teatral itinerante, voltado para alunos do 4º e 5º ano do Ensino Fundamental das Escolas Municipais de Rio Verde – GO.

O ‘Espaço Mundi’ traz, dentro de um teatro inflável em forma de semicírculo, o universo do Dr. Gota, um cientista maluco, muito preocupado com a água no planeta Terra. Se pensarmos que o Planeta tem 2/3 de sua superfície coberta por água, mas apenas 3% é água doce, e que, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 7480 milhões de pessoas não têm acesso a água potável,  talvez o Dr. Gota não seja tão maluco assim!

Para a realização do espetáculo, o Instituto International Paper conta com o apoio da Secretaria Municipal da Educação de Rio Verde. O evento é uma das ações que compõe o Projeto ‘Guardiões das Águas’ (GA), iniciativa que premia as melhores iniciativas com relação ao consumo consciente de água, em trabalhos inscritos pelas escolas municipais. Também faz parte do projeto GA a exposição fotográfica “Linha D’Água”, que mostra os registros fotográficos das expedições do Navegador Amyr Klink e que ficou em cartaz no Shopping Buriti até o último dia 04.

“O Guardiões das Águas” é um projeto que acontece ao longo do ano e tem como objetivo sensibilizar a comunidade para a importância do uso consciente da água, por isso, é fundamental o envolvimento das escolas e da Secretaria de Educação para que sejam feitas ações efetivas para que as crianças tenham olhar mais atento às questões ambientais”, explica Glaucia Faria, coordenadora de Sustentabilidade e Responsabilidade Social, do Instituto International Paper.

PARA AS ESCOLAS

As apresentações para as escolas acontecem de 18 a 23 de março no Parque de Exposições (Sindicato Rural) de Rio Verde – Rua 72, nº 345 – Bairro Popular. O evento é gratuito.

PARA FILHOS DE FUNCIONÁRIOS IP

O ‘Espaço Mundi’ terá uma sessão exclusiva para filhos de funcionários da International Paper, no dia 20 de março (domingo), às 10h.

ABERTA AO PÚBLICO

Além das apresentações para grupos escolares, no dia  20 de março (domingo), o ‘Espaço Mundi’ terá duas sessões abertas ao público. A primeira às 15h e a segunda às 19h. A entrada é franca.

Confira o edital para as inscrições no site www.institutoip.com.br.

01_APICULTURA-baixa

2016: ano de expectativas para o Apicultura Solidária

Volume de chuvas do início do ano favorece a produção de mel entre os apicultores participantes do Projeto

foto_apicultura“A expectativa é ótima!” É com este entusiasmo que José Antônio Monteiro, Presidente da COOPERAPIS (Cooperativa dos Apicultores da Região de Ribeirão Preto) e outros 20 cooperados iniciaram o ano de 2016. O motivo vem do céu. “O volume de chuvas dos últimos meses vai impulsionar a nossa produção de mel este ano”, comemora.

Além dos diversos impactos no fornecimento de água, a estiagem de 2015 afetou também a produção de mel entre os apicultores do país. “Sem a chuva o eucalipto não floresce, e sem flores para polinização as abelhas não produzem o mel”, explica Arnaldo Maurício Correa Neto, Consultor em Apicultura, que deu suporte à AAPILEME (Associação de Apicultores de Leme e Região), nova parceira do Instituto International Paper no programa Apicultura Solidária.

No entanto, o consultor alerta. “Chuva em excesso também pode atrapalhar a produção. O clima ideal é a mescla de chuvas moderadas e sol, favorecendo a floração das plantas, a produção de néctar das flores e a polinização das abelhas.”

Os prejuízos pela falta de chuva os apicultores do projeto do IIP conhecem bem. Enquanto em 2014 a produção foi de 40,523 toneladas de mel, 2015 fechou o ano com apenas 8,4 toneladas, mesmo contando com o dobro de caixas-isca instaladas. “Foi um ano preocupante para nós. Mas acreditamos que em 2016 vamos alcançar ótimos resultados”, afirma Monteiro. E não é para menos. Este ano, cerca de 1000 colmeias foram instaladas na floresta de eucalipto que atende à unidade de Luiz Antônio. “Como o período de florada do eucalipto é de dezembro a maio, vamos conseguir fazer entre duas e três ‘colheitas’”, estima.

Fora deste período de florada do eucalipto, os apicultores sobrevivem da colheita de mel silvestre, onde as caixas-isca são instaladas em mata nativa ou em outros tipos de cultura, como o da laranja, por exemplo. Neste ponto, a International Paper também consegue contribuir, já que mantém preservada 20% da mata nativa em suas florestas de eucalipto. “Sem a parceria da IP, nós não sobreviveríamos na região”, destaca José Antônio Monteiro.

Segundo Arnaldo Maurício Correa Neto, essas parcerias com grandes empresas são fundamentais para estes grupos de apicultores. “Poucas companhias têm programas de apicultura já consolidados como a IP. Estas parcerias com grandes empresas estimulam a formação de associações e cooperativas entre os apicultores locais, que ganham força e incentivos do governo. No estado de São Paulo, os apicultores que não fizerem parte destes grupos não vão sobreviver”, ressalta Arnaldo.

Atualmente, o Projeto Apicultura Solidária mantém parceria com dois grupos de apicultores que atuam nas florestas das regiões de Mogi Guaçu e Luiz Antônio, beneficiando cerca de 25 pessoas, entre cooperados e colaboradores.

Copenhagen

O que as cidades ecologicamente corretas têm em comum?

Morar em uma “cidade verde” tem se tornado, cada vez mais, o sonho de muita gente. Quem é que não gostaria de andar por ruas arborizadas, respirar ar puro e passear à beira de rios despoluídos?

Pode parecer cenário de conto de fadas, mas o relatório Green City Index (Índice Verde de Cidades, em português), realizado pela Siemens com a Economist Intelligence Unit, aponta, em todo o mundo as cidades que mais se encaixam neste perfil. E tem mais notícia boa! No último levantamento, divulgado em 2015, uma cidade brasileira está entre esse grupo.

A pesquisa considera e pontua oito pontos de sustentabilidade: energia e emissões de CO2, opções de transporte, água, gestão de resíduos, qualidade do ar, saneamento, construções verdes e governança ambiental global.

san_franciscoSan Francisco (Estados Unidos)

Foi considerada pela pesquisa a cidade mais ecológica da América do Norte. Tem uma longa história de consciência ambiental, com uma taxa de reciclagem de 77%, uma das mais altas do mundo, possibilitada pela obrigatoriedade de se separar o lixo comum do reciclável. Uma ótima ideia, não é? Além disso, a cidade americana prioriza o consumo de ingredientes produzidos localmente e utiliza a bicicleta como meio de transporte.

 

Copenhague (Dinamarca)

Na Europa, o destaque vai para a cidade dinamarquesa que apresenta índices de emissões de poluentes Copenhagenextremamente baixos, considerando seu tamanho e população, de cerca de 1,2 milhão de habitantes. Sabe como isso é possível? Com a utilização da bicicleta como meio de locomoção para mais de 50% da população e transporte público de qualidade e acessível. Outras características que se destacam: a preocupação com a reciclagem e a fabricação de adubo orgânico, além, é claro, do empenho para encontrar maneiras de economizar eletricidade e calor.

 

Vancouver

Vancouver (Canadá)
Quer ar puro? Vancouver teve ótima classificação no quesito emissões de gás carbônico e qualidade do ar. A solução? O incentivo ao uso de energias limpas. A cidade se comprometeu ainda em reduzir suas emissões em 33% até 2020. Enquanto as grandes cidades do mundo continuaram abrindo avenidas, priorizando o trânsito de veículos, a cidade voltou sua atenção para oferecer aos cidadãos opções ecológicas de transporte, investindo em ciclovias e espaço aos pedestres. Ponto positivo para eles! 

 

Cidade do Cabo (África do Sul)Cape Town

A segunda cidade mais populosa da África do Sul está na dianteira do movimento ambiental no continente africano. O caminho para alcançar estelugar foi apostar na economia de energia e no uso de recursos renováveis, como a energia eólica. E a meta é ir além: até 2020, obter 10% de sua energia por meio de fontes renováveis. Outro movimento que começa a tomar força é o incentivo pelo uso da bicicleta como meio de transporte. Apesar de ainda não possuir muitas ciclovias, as bikes podem ser levadas nos ônibus, estimulando a população a deixar o carro em casa.

 Curitiba (Brasil)

curitibaRepresentante latino-americana, a capital do Paraná se destaca pelo eficiente sistema de corredores de ônibus, que contribui para a adesão da população ao transporte público e, consequentemente, para a classificação de Curitiba como uma das cidades com os melhores índices de qualidade do ar do ranking. Olha que exemplo bacana! Além disso, a cidade ainda conta com um programa de reciclagem pioneiro, pensado lá nos anos 80. As metas futuras incluem planejamento para construção de metrô e mais de 300 km de ciclovia.

Em um mundo cada vez mais urbano, ser ecologicamente correto é um desafio. Mas acabamos de ver que, com a articulação de um governo ambientalmente responsável e com o apoio de uma população engajada, isso é possível.

Ser uma cidade ecológica representa buscar um equilíbrio entre a administração das necessidades e o comprometimento da cidade com a preservação do meio ambiente. Significa ser sustentável! E essa transformação deve começar com a gente, nas pequenas ações. Você está fazendo a sua parte?

 

 

Instagram_612x612px

Instituto IP leva projeto “Guardiões das Águas” para Rio Verde

Cidade recebe o navegador Amyr Klink para uma palestra, além da exposição “Linha d’Água”, que mostra o registro fotográfico das expedições de Klink e ressalta o uso consciente dos recursos hídricos.

guardioesdasaguasA edição 2016 do “Guardiões das Águas” está chegando pela primeira vez em Rio Verde – GO e traz para o evento inaugural uma palestra sobre consumo responsável com o navegador Amyr Klink, que contabiliza mais de 40 viagens oceânicas, 15 delas pela Antártica em 30 anos de alto-mar. O evento acontece no dia 26 de fevereiro (sexta-feira), às 19h no Senac Rio Verde.

O projeto “Guardiões das Águas” é uma iniciativa do Instituto International Paper para a conscientização das comunidades que vivem próximas às unidades da empresa quanto ao uso responsável dos recursos hídricos. O projeto envolve as escolas de educação básica da região com o objetivo de formar multiplicadores para atitudes ecologicamente sustentáveis.

Klink foi o primeiro e único a fazer a travessia solitária do Atlântico Sul a remo, em 1984 a bordo do barco I.A.T. No retorno à terra firme, registrou a experiência no livro “Cem dias entre o Céu e o mar”, a primeira de suas cinco publicações.

amyr_klinkEm 2006, lançou “Linha d’ Água – entre estaleiros e homens do mar”, livro que este ano comemora uma década e nomeia a exposição de fotos itinerante que chega a Rio Verde e exibe a trajetória do navegador em suas expedições. Além das fotografias, a mostra gratuita também apresenta ao público, o I.A.T, barco utilizado pelo navegador no seu trajeto solitário pelo Atlântico há 30 anos.

Nestas três décadas de alto-mar, Amyr Klink virou referência em consumo consciente de recursos hídricos, uma vez que as longas jornadas pelos oceanos exigem um planejamento preciso da quantidade de água doce embarcada e o controle na utilização para que não haja desperdício.

A exposição “Linha d’Água” é um evento gratuito que acontece de 27 de fevereiro a 04 de março no Buriti Shopping, localizado na Rua O, 1044 – Jardim Campestre.

Aberta ao público das 10h às 22h, de segunda a sábado. Aos domingos, das 14h às 20h.

guardioesdasaguas

Seja um Guardião das Águas!

Com ações simples, você também pode se tornar um defensor desse recurso natural tão precioso
A economia de água tem sido um assunto bastante debatido nos últimos anos, devido a disponibilidade hídrica e os impactos da falta de chuva em diversas regiões do País.

Ciente de sua responsabilidade social, o Instituto International Paper promove anualmente o projeto Guardiões das Águas”, que chega em 2016 em sua 9º edição tendo como objetivo envolver alunos e professores de escolas municipais e também profissionais da IP em um movimento para a conscientização sobre o uso racional dos recursos hídricos e a conservação ambiental.

Mais do que proporcionar um momento de reflexão, a ideia é formar agentes multiplicadores de atitudes ecologicamente sustentáveis nas comunidades onde vivem.  Por isso, a mobilização de crianças em idade escolar é muito importante para que elas tenham a consciência de que a preservação acontece nas ações do dia a dia e a água precisa de guardiões em todos os lugares!

Guia rápido para se tornar um Guardião das Águas:

  • No banho:feche o chuveiro ao se ensaboar e depois abra para se enxaguar. Não fique com o chuveiro aberto. O consumo poderá cair de 180 para 48 litros.
  • Ao escovar os dentes:feche a torneira e utilize um copo de água para enxaguar a boca. Essa atitude economiza até três litros de água.
  • Na descarga:verifique se a válvula não está com defeito, aperte-a uma única vez e não jogue lixo no vaso sanitário.
  • Na torneira:uma torneira aberta gasta de 12 a 20 litros por minuto. Pingando pode gastar até 46 litros por dia. Isto significa 1.380 litros por mês.
  • Na lavagem de louças:lavar louças com a torneira aberta, o tempo todo, desperdiça até 105 litros de água. Ensaboe a louça com a torneira fechada e depois enxágue tudo de uma vez. Na máquina de lavar são gastos 40 litros. Utilize-a somente quando estiver cheia.
  • Lavar carro:reduza o número de lavagens no mês. Ao lavar em casa, prefira o balde à mangueira, que chega a gastar cerca de 600 litros de água em uma única lavagem.
  • Na limpeza de quintal e calçadas: use vassoura e, se precisar, utilize a água que sai do enxágue da máquina de lavar.

Apesar dos índices de chuva  no final de 2015 e começo de 2016 estarem superando as expectativas, abastecendo as represas e estabilizando o fornecimento de água em várias cidades, precisamos continuar alertas para evitar o desperdício.

A crise hídrica que vivemos recentemente deve servir como um lembrete de que a água é um recurso finito e que, se não cuidarmos dele agora, vai acabar no futuro. Pense nisso!

 

Formare

Alunos do Formare participam de bate-papo sobre carreira

Turma de Três Lagoas recebe o executivo de marketing Elídio Frias para uma troca de ideias
sobre planejamento e carreira

Os alunos do Formare Três Lagoas receberam no dia 3 de fevereiro, quarta-feira, o executivo de marketing da Solenis Especialidades Químicas, Elídio Frias, para uma conversa descontraída sobre trajetória e carreira.

Parceiro do Instituto International Paper, em ações ligadas ao Formare, o executivo teve a oportunidade de compartilhar com os jovens suas experiências profissionais, além de falar um pouco sobre ética, sobre as dificuldades de tomar decisões e a importância de conquistar os sonhos, mas com o pé na realidade.  “Sempre procuro mostrar que todos têm potencial, mas é preciso conhecer a si mesmo e estabelecer metas compatíveis. Se você tem medo de ver sangue, tem que reconsiderar a ideia de se tornar médico”, diz.

O encontro marca o início de uma iniciativa do IIP de promover periodicamente reuniões dos alunos do Formare com profissionais de diferentes áreas para uma troca de experiências sobre trabalho e carreira em um espaço que favoreça o diálogo e tire dúvidas dos estudantes.

Elídio (foto) é químico e construiu sua carreira na área de marketing e vendas em grandes indústrias do setor. É a sexta vez que participa de atividades com os alunos do Formare e cada encontro sempre parece ser o primeiro.  “No início dá um frio na barriga quando começo a conversar com os alunos. Parece que a minha responsabilidade aumenta quando estou na frente deles, depois os temas fluem e a conversa acaba num clima bem agradável”, conta.

Duplo aprendizado

Segundo Elídio, cada eeidio_frias_solenis_formarencontro com os alunos do Formare traz diferentes desafios e é preciso estar preparado para dar respostas inteligentes e atuais. “Essa dinâmica tem me ensinado muito sobre as dúvidas e os hábitos desta geração e eu aprendi que que devemos nos esforçar cada vez mais para contribuir de alguma forma com a educação dos nossos jovens.”

Outro assunto debatido com os alunos foi a importância de ter boas referências na vida, pessoas que são fontes de inspiração.  “Sempre mostro nas apresentações exemplos de profissionais que são símbolo de sucesso. Entre as imagens de pessoas famosas, como Pelé e Madonna intercalo uma foto do gerente da fábrica. Desta vez, foi o Amaury Malia, Gerente Geral da Fábrica de Três Lagoas.  Os alunos percebem que podemos ser referência dentro do nosso universo de atuação e é muito legal ver a reação deles”, conta Elídio, que sempre alerta os alunos para os cuidados com carreiras curtas, além da importância do “ser”, em detrimento do “ter”.

Autores da própria história

O diálogo entre o executivo e os jovens do Formare trouxe uma troca de ideias interessante entre as duas gerações e um ensinamento válido para muitos outros alunos e profissionais que passarem pelo projeto no futuro. “É nossa obrigação passar para esses jovens aquilo que sabemos, as superações de nossas dificuldades e incentivá-los a fazer o mesmo. É mostrar que eles são os autores das próprias histórias e têm potencial para escrever belas narrativas.”

 

Carnaval

Folia com saúde e segurança

ilustração_matéria carnavalCarnaval é uma das datas mais esperadas do ano, são quatro dias para viajar ou aproveitar a folia em algum bloco de rua ou trio elétrico. Entretanto, é também uma época em que as pessoas se esquecem de tomar cuidados essenciais, que se ignorados podem colocar em risco a saúde e bem-estar.

Cuidados com o corpo

Muitas pessoas desconsideram o fato de que pular carnaval em pleno verão requer atenção extra com o corpo. Como acontece nos períodos mais quentes do ano, durante a folia é necessário manter-se hidratado e beber mais água que o habitual. Principalmente se estiver consumindo bebidas alcoólicas, o que desidrata o organismo. O mais indicado é intercalar a bebida com água, ou, se preferir beber isotônicos, sucos naturais ou água de coco.

A alimentação também é negligenciada durante as festas, fase em que o corpo fica cansado e precisa de nutrientes para suportar a maratona carnavalesca. Se não for possível realizar as refeições em horários regulares, o melhor é dar preferência a alimentos leves e ricos em vitaminas e proteínas e tomar um café da manhã bem reforçado, que possa sustentar o corpo durante o resto do dia.

A vestimenta e proteção da pele também são cuidados que devem ser tomados na hora de se preparar para o carnaval. Para evitar o desconforto, prefira vestir roupas leves e sapatos confortáveis. Usar óculos, bonés e chapéus durante o dia também são uma boa dica. Por último o uso do protetor solar e labial são fundamentais em caso de exposição ao sol.

Preserve a sua segurança

Outro tópico que costuma ser recorrente durante o carnaval é a embriaguez no volante. É comum que nesses dias, centenas de pessoas sejam flagradas bêbadas enquanto dirigem, causando confusão e, muitas vezes, acidentes graves.

Uma boa opção para pessoas que planejam beber é alternar a direção com amigos do grupo. Eleger o motorista da vez em cada dia, que fique responsável por não consumir álcool e levar todo mundo para casa de forma segura. Caso queira aproveitar e beber mesmo assim, o ideal é deixar o carro de lado e utilizar o transporte público ou o serviço de táxi.

Além da responsabilidade no trânsito, algo que deve ser indispensável é o uso de preservativos. Além da AIDS, é possível evitar a contaminação pelo papilomavírus humano (HPV), outras doenças sexualmente transmissíveis e a gravidez indesejada.

Para curtir o carnaval de forma saudável, não deixe de verificar também se sua vacinação está em dia. Nessa época do ano, turistas lotam o país e a transmissão de doenças em locais de aglomeração se torna ainda mais recorrente, além de que existe o risco de se ferir com garrafas ou latas de bebida e pegar uma infecção. Aproveite ao máximo, mas de forma consciente.

Vai viajar?

Fique atento ao trânsito e procure pegar a estrada descansado. No Carnaval do ano passado, a Polícia Rodoviária Federal registrou queda de 22% do número de acidentes nas rodovias federais, o que é uma boa notícia. Ainda assim, a cada quatro minutos e meio a PRF retirou das estradas um motorista alcoolizado. Por isso, manter a atenção no trânsito e praticar a direção defensiva é fundamental.

Aproveite o Carnaval, mas sem exageros!

635876799318057060

O importante trabalho dos Educadores Voluntários no Projeto Formare

Adequar as aulas no projeto Formare com a rotina de trabalho faz parte da vida dos Educadores Voluntários (EV’s), profissionais de diferentes áreas que se dedicam a capacitar jovens e adolescentes por meio do projeto. Para que o resultado dê certo, os Educadores têm que organizar a agenda de forma que as aulas e as atividades do trabalho não conflitem entre si. “Separo os dias de aula já com os horários firmados na agenda do meu gerente. Busco realizar o conteúdo prévio no início do curso sobre o que ministrar em cada módulo. Isso torna rápido o preparo das aulas”, explica Bruna Locatelli Fernandes, EV e Assistente Administrativa na fábrica de Três Lagoas/ MS. Segundo a profissional, cada aula demanda de 30 a 40 minutos do seu dia.

Assim como Bruna, Joselir Cassuci, Técnico de Processo na IP de Luiz Antônio/ SP, tenta administrar sua agenda para que as atividades do dia a dia e o seu trabalho como educador voluntário possam ser cumpridos com sucesso. “Caso o horário de aula coincida com algum compromisso prioritário, procuro trocar o período com outra disciplina, pois não gosto de atrasar o conteúdo programático”, completa.  Para o Analista de Controles Internos da unidade de Mogi Guaçu/ SP, Jairo Lima, “compromisso é compromisso”, por isso ele procura organizar sua agenda antecipadamente para fugir de imprevistos.

O preparo prévio das aulas é fundamental para que os alunos recebam o conteúdo de forma prática e pertinente. Além de utilizar o material de apoio do Formare e livros didáticos, os EV’s buscam materiais de apoio na internet e no meio empresarial. “Procuro sempre temas que irão auxiliar os alunos por toda a vida e em qualquer profissão que optarem”, continua Joselir, EV desde a primeira turma da unidade de Luiz Antônio.

Outro fator essencial no desenvolvimento do conteúdo programático é a avaliação dos alunos. “É primordial o feedback deles. Sempre pergunto se estão conseguindo assimilar o assunto, caso contrário, preparo a mesma aula de forma mais didática, até que todos consigam absorver. Isso indica o quanto a matéria está ou não sendo proveitosa”, destaca Bruna, EV há quase dois anos.

Além de carregar a responsabilidade de auxiliar na capacitação de jovens e adolescentes, os EVs aprendem a enxergar as relações sociais de uma forma diferente, tanto no âmbito pessoal quanto profissional.

“Nesses cinco anos de Formare, conheci muitas histórias de vida. Com algumas me alegrei, com outras me entristeci, mas com todas aprendi o quanto é importante praticar o amor ao próximo. É gratificante contribuir com o crescimento desses jovens para uma nova oportunidade de vida. O ato de ensinar com empenho, respeito e dedicação restaura e transforma vidas”, conta Joselir, homenageado três vezes pelos alunos formados. “Eu me sinto honrado ao ver o reconhecimento e os frutos do meu trabalho. É a confirmação de dever cumprido e uma motivação para continuar”, finaliza.

O impacto do Formare na vida dos alunos é grande, mas tem um papel fundamental também na vida de quem se dedica a compartilhar seus ensinamentos. “Aprendi a ser um ser humano melhor em todos os aspectos. Não sabemos o quanto temos a agregar aos outros com o nosso conhecimento. Todos deveriam educar…. Não há nada mais gratificante quanto receber um obrigado apenas por repassar algo que você aprendeu. Com certeza o Formare transformou não só a eles, mas a mim também”, completa Bruna.  “Com os alunos, eu aprendo a aprender e ganho novas experiências ao ver as coisas por uma outra perspectiva”, conta Jairo, que já deu aulas de informática, física e fundamentação numérica.

Faça parte do time de voluntários do projeto Formare você também! Seja um Educador Voluntário na sua unidade, aprenda ensinando e ajude a transformar a história desses jovens e a sua também.

 

Inscrições abertas de 29/01 a 19/02.

 Luiz Antônio:

Sabrina Tenello – sabrina.tenello@ipaper.com ou 39073
Andreza Camacho – andreza.camacho@ipaper.com ou 39076

Mogi Guaçu

Tomás Fernandes – tomas.fernandes@ipaper.com ou 38955

 

 

 

 

 

 

 

IMG_9888

Filhos de funcionários passam um dia na IP

Ação envolveu os filhos de profissionais das unidades de Mogi Guaçu e Luiz Antonio. Atividades incluíram palestras e dinâmicas em equipe

Nos dias 20 e 21 de janeiro, o Instituto International Paper promoveu mais uma edição do Programa de Educação ambiental (PEA). Este ano 98 crianças de seis a 10 anos de idade tiveram a oportunidade de aprender um pouco mais sobre o lugar onde os seus pais trabalham e entender como acontece a fabricação de papel.

O Programa tem como objetivo desmistificar algumas informações sobre a indústria de papel e celulose, mostrando a preocupação da IP com o meio ambiente e as atividades que a empresa realiza em suas florestas plantadas de eucalipto.

Durante o dia que passam na unidade, elas participam de um bate-papo sobre preservação ambiental, assistem a um vídeo sobre as florestas plantadas. Em um segundo momento, passam da teoria à prática e participam de atividades lúdicas em contato com a natureza.

Luiz Antonio

No primeiro dia de evento, 45 crianças foram recebidas na unidade de Luiz Antonio para um dia inteiro de atividades. Após a identificação na portaria, elas participaram de um momento de integração em que puderam se conhecer e entender como funciona uma indústria de papel e celulose. Após as atividades de integração, elas foram para o Centro de Educação Ambiental da IP para um bate-papo com os educadores sobre as florestas plantadas.

Na hora do almoço, as crianças puderam encontrar os seus pais para uma refeição no restaurante da unidade, preparando-se para uma tarde recheada de brincadeiras no bosque.

Em meio à natureza, elas assistiram a uma apresentação de mágica e participaram de jogos de perguntas e respostas e brincaram com um jogo da memória palpável. As crianças também participaram de um tour de ônibus pela unidade. “Por conta das normas de segurança, o passeio foi pela área externa”, conta Douglas Arantes, consultor do projeto.

Mogi Guaçu

 No dia 21 de janeiro, foi a vez da unidade de Mogi Guaçu receber os filhos de profissionais e prestadores de serviços da IP. As 53 crianças foram divididas em duas turmas. A primeira, das 8h às 12h e a segunda das 13h às 17h.

Ambas as turmas puderam acompanhar um bate-papo com os educadores ambientais sobre a preocupação da International Paper em fazer um trabalho sustentável, também assistiram a um vídeo sobre as atividades da empresa para, num segundo momento, interagir com os jogos e brincadeiras sobre meio ambiente e preservação. As atividades foram realizadas no Mini Clube.

Todo o projeto foi desenvolvido pelo Instituto International Paper em parceria com as empresas Biosustentare e Cityvida, que desenvolveram as atividades.

 

PEA 9 LAN 17 FEV

IIP: balanço das atividades de 2015

2015 foi um ano e tanto para o Instituto International Paper. Mais uma vez, o objetivo de transformar vidas a partir do desenvolvimento educacional e socioambiental, com foco em crianças e adolescentes, foi atingido com sucesso!

Ao todo, mais de 39 mil pessoas em 23 cidades foram impactadas pelas sete iniciativas mantidas pelo IIP em todo o Brasil.

Neste ano, um dos grandes desafios foi a consolidação e a ampliação de projetos nas cidades onde estão instaladas as fábricas de embalagens da IP, como, por exemplo, a chegada do Projeto Cidade do Livro Itinerante nas cidades de Suzano, Paulínia, Franco da Rocha e Itapeva (Nova Campina).

Além disso, outra conquista que merece destaque foi o aniversário de 40 anos do projeto EducAção Socioambiental na região de Mogi Guaçu, o projeto abrangeu os alunos dos anos finais do Ensino Fundamental I e II e Ensino Médio da rede pública e particular de ensino dos municípios de Mogi Guaçu, Mogi Mirim e Estiva Gerbi. Esse ano o projeto veio com inovações, como os workshops para professores e alunos, além da presença muito especial do maestro João Carlos Martins e sua Orquestra Bachiana no evento de premiação dos vencedores do concurso literário e de redação.

Um trabalho grandioso, que só foi possível graças ao envolvimento demilhares de profissionais e voluntários da IP que, com carinho e dedicação, foram peças fundamentais na missão de transformar vidas.

Conheça os números de cada projeto em 2015:

FORMARE

Oferece formação profissional com certificado do MEC nos cursos de Assistente de Produção da Indústria de Processo.

Beneficiados: 50 jovens do 3º ano do Ensino Médio da rede pública, além de aproximadamente 230 profissionais que atuam como voluntários no projeto.
Atende as cidades de Mogi Guaçu (SP), Luiz Antônio (SP) e Três Lagoas (MS).

Programa de Educação Ambiental (PEA)

Desenvolve atividades para formar cidadãos engajados na defesa do meio ambiente.

Beneficiados: 6.231 crianças, adolescentes, pessoas com deficiência e idosos.
Atende as cidades das regiões das fábricas de Mogi Guaçu (SP) e Luiz Antônio (SP).

Apicultura Solidária

Incentiva o uso compartilhado das florestas de eucalipto da IP com apicultores locais para produção de mel e geração de renda.

Beneficiados: 25 apicultores e 02 cooperativas.
Atende as cidades das regiões florestais de Mogi Guaçu (SP) e Luiz Antônio (SP).

Educação SocioAmbiental

Promove ações sociais e socioambientais por meio de concurso literário e de redação, além do plantio de mudas de árvores.

Beneficiados: 8.408 alunos e professores.
Atende a cidade de Mogi Guaçu e cidades vizinhas, como Mogi Mirim e Estiva Gerbi.

Cidade do Livro Itinerante

Desenvolve atividades educativas para conscientizar crianças e adolescentes sobre a importância da leitura.

Beneficiados: 22.797 crianças e adolescentes.
Atende as cidades de Suzano, Paulínia, Franco da Rocha e Itapeva (Nova Campina).

Natureza e Corpo

Divulga costumes populares que resgatam a identidade e a cultura regional e estimula o desenvolvimento sustentável com o cultivo de horta solidária.

Beneficiados: 377  pessoas.
Atende a cidade de Três Lagoas (MS).

Guardiões em Ação

Incentiva ações voluntárias dos profissionais da IP, com iniciativas voltadas a crianças e adolescentes.

Beneficiados: 182crianças e adolescentes e cerca de 160 profissionais voluntários.
Atende a cidade de São Paulo.

Casa Vhida

Atendimento especializado a crianças e adolescentes carentes portadores do vírus HIV, nas áreas de saúde, nutrição e serviço social.

Beneficiados: Cerca de 1.000 crianças e adolescentes.
Atende a cidade de Manaus e outras cidades da região norte do Brasil

2016 está apenas começando e o nosso objetivo é ir ainda mais longe. Vamos seguir juntos nessa caminhada de transformação de vidas e de valores.

 

 

shutterstock_60963283

MESMO VETOR, NOVAS DOENÇAS: CUIDE-SE

Conheça mais sobre chikungunya, dengue e zika e previna-se

O ano de 2015 bateu o recorde de 2013, com 200 mil casos a mais e 189 mais mortes por dengue no Brasil. Campanhas de conscientização em todos os estados se fortaleceram, mas a atenção deve ser redobrada, principalmente agora no verão.

No calor, o período reprodutivo do Aedes aegypti fica mais curto e mais rápido. Além do fato de que, com a maior incidência de chuva no verão, a agua se acumula, tornando o ambiente propício à proliferação do mosquito. Por isso é importante drenar rotineiramente terrenos com tendência a encharcar, limpar vasos de plantas, tampar caixas d’água e evitar guardar pneus e garrafas vazias.

O transmissor, inicialmente conhecido apenas por causar a dengue, no último ano causou uma epidemia de zika e chikungunya em todo o território nacional. Ambas as doenças são infecções e ainda não possuem tratamentos específicos. Os sintomas são os mesmos da dengue. A chikungunya também causa inflamações com fortes dores nas juntas acompanhadas de inchaço, vermelhidão e calor local.

É importante manter-se protegido do mosquito causador das doenças, mesmo quando infectado por uma delas. Dessa forma evita-se que o Aedes aegypti transmita o vírus a outras pessoas.

Origem do transmissor

O Aedes aegypti pode ter chegado ao Brasil com navios negreiros. Após a erradicação da febre amarela, acreditou-se que o país estava livre do mosquito também. Com novos criadouros, a “praga” se proliferou.

“Apesar do A. aegypti já ter sido erradicado no Brasil no final da década de 1950, acredita-se que o relaxamento de medidas de controle tenha trazido o mosquito de volta. Hoje em dia, considera-se que sua eliminação é praticamente impossível, sobretudo, devido ao crescimento da população, à ocupação desordenada do ambiente e à falta de infraestrutura dos grandes centros urbanos. A industrialização também dificulta o enfrentamento desse tipo de inseto, já que os produtos descartáveis por ela produzidos (tais como copos e garrafas de plástico) são eliminados de forma incorreta e acabam por transformar-se em possíveis focos para a multiplicação do vetor”, informa a Agência FIOCRUZ (Fundação Oswaldo Cruz) de Notícias.

A transmissão do vírus da dengue acontece através da fêmea do mosquito, quando também infectada com o vírus, causando tanto a manifestação clássica da doença quanto a forma hemorrágica. Não ocorre contágio de dengue pelo contato com um doente ou com suas secreções.

A larva do mosquito transmissor da dengue se desenvolve em água parada, limpa ou suja. O seu controle é difícil por ser muito resistente e por sobreviver muito tempo sem água.

Para diferenciar o Aedes aegypti do pernilongo comum, basta observar se o corpo tem tonalidade escura com traços brancos. Ele tem o hábito de picar de dia. Afaste-os usando repelentes, atentando-se aos componentes, pois alguns não são indicados para o uso em crianças e gestantes.

Em caso de suspeita de dengue, não se automedique, procure um médico imediatamente. A dengue leva os pacientes à desidratação, por isso é recomendado maior consumo de água, o que pode impedir o agravamento do quadro.

Faça sua parte, evite possíveis criadouros em casa e se observar qualquer outra condição favorável à proliferação do mosquito na rua ou no trabalho informe as autoridades competentes para que tomem as devidas providências.

 

novo

APROVADOS FORMARE 2016

O Projeto FORMARE completou 7 anos sob os cuidados do Instituto International Paper. Jovens que cursam o terceiro ano do Ensino Médio de escolas públicas em 2016 participaram do processo seletivo.

O curso de iniciação profissional é um complemento ao ensino regular, e acontece de segunda a sexta-feira durante o dia nas fábricas de celulose e papel da International Paper. Foram disponibilizadas 20 vagas por unidade, Mogi Guaçu e Luiz Antônio.

A disputa pelas vagas foi acirrada: 121 alunos se candidataram em Luiz Antônio e 349 em Mogi Guaçu. Confira abaixo a lista de aprovados nestas unidades:

LUIZ ANTÔNIO MOGI GUAÇU
Abner Roger Do Nascimento Gonçalves Bárbara Letícia de Freitas
André Martins Peres Beatriz Teodoro Martins
Andress Vicente da Lapa Lisboa Bruno Henrique de Oliveira
Camila Alves Pastora Carina de Melo Maineti
Débora Calixto Domiciano Daniel Alexandre Siqueira Vieira
Gabriel Jonas da Silva Emanuela Martins Tereziano
Hudson Do Carmo Mendes Fernanda Carolina Macedo De Almeida
Izabella Verucci Pascoalin Gabriela Soares Souza
José Alessandro Nogueira Teixeira Gustavo de Araújo Rodrigues
Joyce Santos Silva Iago Fernando Cirino
Lamia Cristina de Souza dos Santos Jefferson Leonardo Silva de Souza
Leonardo Stella Silva Jeovanna Orsoli dos Santos
Leticia Danieli Ferreira José Everson Ferraz da Silva
Luan Junior Teixeira Kétherlyn Vieira De Oliveira Depieri
Luis Gustavo Assunção Silva Leonardo Neppi Franco
Matheus Alexandre Gonçalves Raul Elias
Murilo Henrique Arruda da Silva Rebeca Cristine de Araujo Silva
Rafaela Ap. de A. A. Rodriguês Roberto Junio Pereira Belarmino
Rodrigo vicente da silva Ruan Tomaz Vieira da Costa
Silvelaine Tiburcio Stefani da Silva Xavier

 

Os ingressantes no FORMARE 2016 devem providenciar os seguintes documentos para o exame admissional:

  • 1 foto ¾, recente;
  • 1 cópia do RG;
  • 1 cópia do CPF;
  • 1 cópia da Certidão de Nascimento;
  • 1 cópia do Comprovante de endereço (conta de luz, água ou telefone);
  • 1 cópia do RG e do CPF dos Pais e/ou Responsável Legal (a pessoa que assinará o Termo de Formação – FORMARE);
  • Comprovante de endereço dos pais e/ou responsável (apenas no caso de residir em endereço diferente do aluno);
  • Declaração de conclusão do Ensino Médio (apenas aprovados para FORMARE em Luiz Antônio)
  • Declaração de matrícula no 3º ano do Ensino Médio (apenas aprovados para FORMARE em Mogi Guaçu)

 

Os responsáveis pelo projeto Formare em cada unidade entrarão em contato em breve  para marcar as datas dos exames. Em caso de dúvida procure:

LUIZ ANTÔNIO
Sabrina Tenello
sabrina.tenello@ipaper.com
(16) 3986-9073/ (16) 99781-7695
MOGI GUAÇU
Tomás Fernandes
tomas.fernandes@ipaper.com
(19) 3861-8955/ (19) 99818-8245