shutterstock_800

Instituto IP visa a formação infantil em meio ambiente e bem-estar social

No mês de outubro, muitas ações por todo o País são destinadas às crianças. Lojas promovem campanhas, escolas incentivam atividades e é possível encontrar diferentes opções de passeios todos os dias do mês. Para a International Paper, o Dia das Crianças não se resume ao dia 12 de outubro. E sim aos 365 dias do ano, em que é possível levar para muitas crianças – e também para adolescentes –  a importância da educação e da preservação ambiental.

Ações como o concurso de redação do Projeto Educação Socioambiental colaboram para disseminar essa grande preocupação da IP com as questões ambientais. Tanto que, em 2007, a empresa reuniu um time de profissionais engajados e criou o Instituto International Paper (IIP), com o objetivo de atuar com foco na educação, proteção do meio ambiente e bem-estar social para crianças, adolescentes e jovens em diversas regiões do Brasil.

Muito se fala sobre as questões ambientais e essa é justamente uma das maiores preocupações que impulsionam o Instituto a desenvolver de todos os projetos por ano, formando a juventude brasileira sobre esses temas. Entre janeiro e outubro de 2015, 27 mil crianças e adolescentes participaram das iniciativas do Instituto: PEA (Programa de Educação Ambiental); ESA (Educação Socioambiental); Natureza e Corpo; Cidade do Livro Itinerante e Guardiões em Ação.

Os projetos do Instituto são pensados e desenvolvidos pela equipe de profissionais que abraçam a missão e acreditam no que fazem. As atividades desenvolvidas visam despertar o encantamento e a curiosidade de crianças e jovens pela vida, fomentar a paixão de conhecer melhor o mundo ao redor e transformar realidades.

Avançar em direção à educação ambiental, envolve mudança de valores da sociedade. Para Gláucia Faria, Coordenadora de Responsabilidade Social da International Paper, o maior desafio de quem trabalha com projetos nessa área é saber como medir e usar como indicador a satisfação do público-alvo: “Estamos sempre atentos para os brilhos nos olhos das crianças, os sorrisos e até as carinhas de tristeza quando vão embora do projeto”, ressalta. Para ela, é importante também ouvir os professores e ter um posicionamento sobre cada ação, que representa um incentivo a mais para continuar desenvolvendo os projetos do IIP.

O trabalho do Instituto International Paper é dedicado às comunidades localizadas em regiões onde estão unidades da empresa, e visa a qualidade do que é feito, e não a quantidade. É dessa forma que se trabalha, não só para pessoas, mas com pessoas, de forma particular e especial.

Gláucia ressalta que o que faz a diferença nos projetos desenvolvidos pelo IIP é saber que de alguma maneira os jovens estão absorvendo as informações e o conhecimento. “Como profissional, eu vejo as vidas que estamos impactando e transformando de alguma maneira”, enfatiza. E o mais gratificante, de acordo com a Coordenadora de RSC, é saber que, no momento em que a criança participou de alguma atividade do Instituto como a Cidade do Livro, por exemplo, ela foi impactada e aprendeu alguma coisa que será repassada aos familiares, aos amigos e aos vizinhos.

image1_800

Cidade do Livro Itinerante incentiva a leitura no interior de São Paulo

No mês em que se comemora o Dia Nacional do Livro, o Instituto International Paper (IIP) promoveu o Projeto Cidade do Livro Itinerante, de 5 a 9 de outubro, na cidade de Itapeva. Visando o desenvolvimento da capacidade crítica e criativa de crianças e adolescentes, o evento teve 3.478 participantes das cidades de Itapeva e Nova Campina, ambas no interior paulista.

O Dia Nacional do Livro é comemorado no Brasil no dia 29 de outubro. A data é uma homenagem ao aniversário de fundação da Biblioteca Nacional, localizada no Rio de Janeiro, que surgiu com a transferência da Real Biblioteca Portuguesa para o Brasil, em 1810. O espaço é considerado pela UNESCO como uma das dez maiores bibliotecas nacionais do mundo e também a maior biblioteca da América Latina.

Promover o incentivo à leitura é um dos objetivos principais do Instituto International Paper. Só em 2015, o Projeto Cidade do Livro Itinerante já teve a participação de mais de 20 mil crianças e passou pelas cidades de Suzano, Franco da Rocha e Paulínia no estado de São Paulo. É realizado a cada dois anos pelo IIP e possui um forte apelo visual e lúdico, com o objetivo de transmitir a importância e a paixão pela leitura.

image2_

Ao abrir as páginas de um livro, novos mundos se abrem. Para Vicente Bicudo Neto, responsável pela área de Qualidade e Meio Ambiente da International Paper de Nova Campina, que ajudou na organização do evento, o projeto foi bem recebido na região e as crianças de 6 a 14 anos foram impactadas positivamente. “Esse é o momento certo de despertar o interesse do futuro adulto na leitura. É importante frisar que quando a criança está na fase de interesse, de querer aprender e conhecer novas coisas, é o momento certo de despertar o gosto por ler. E, com certeza, essa criança será um adulto que apreciará a leitura”, enfatiza Bicudo.

Durante a cerimônia de abertura, o Projeto Cidade do Livro Itinerante contou com a participação do prefeito de Itapeva José Roberto Comeron e do chefe do Poder Executivo de Nova Campina, Nilton Ferreira da Silva, além de secretários municipais, vereadores e professores da Rede Municipal de Ensino.

O projeto também foi destaque na WEBTV da Diocese de Itapeva. Em entrevista, Gláucia Faria, Coordenadora de Responsabilidade Social da International Paper, ressaltou que a missão do Instituto de promover a educação em meio ambiente nas comunidades transforma a vida das pessoas. “Nós acreditamos que ao trazer esses projetos com foco em educação para crianças e adolescentes, conseguimos transformar a vida deles e cada vez mais melhorar o nosso futuro”, afirma.

Confira a matéria completa da WEBTV abaixo:

concurso

Concurso de Redação do IIP tem 10 mil inscritos

No dia 1º de outubro, o Clube Mogiano, em Mogi Mirim, foi o palco da 40ª Premiação dos Concursos de Redação e Literário do Projeto Educação Socioambiental, realizado pelo Instituto International Paper (IIP).

A cerimônia reconheceu os três primeiros lugares de cada uma das seis categorias do prêmio. No Concurso de Redação, voltado aos alunos, as categorias foram divididas pelas séries dos participantes: 5º e 9º anos do Ensino Fundamental e 3° ano do Ensino Médio. Já no Concurso Literário, que comemorou sua 10ª edição este ano, as categorias foram Conto, Crônica e Poesia.

Conheça os ganhadores:

CONCURSO literário

1º Lugar:

Nome: Daniela Aparecida Lanza
Título: Deus viu que isto era bom
Cidade: Mogi Mirim

2º Lugar:

Nome: Jair Francisco Dias
Título: O melhor solo
Cidade: Mogi Mirim

3º Lugar

Nome: Elaine Cristina Seco
Título: Sala de Reunião
Cidade: Mogi Guaçu

VENCEDORES DO CONCURSO DE REDAÇÃO

 5° ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

 1º Lugar:
Nome: Giuliana Maria Vanucci
Escola: EMEB Vereadora Terezinha da Silva Oliveira

 2º Lugar:
Nome: João Pedro
Escola: EMEB Professor Jorge Bertolaso Stella

 3º Lugar
Nome: Renato Mantovani Müller
Escola: COC

 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

 1º Lugar:
Nome: Isabela Bombarda
Escola: EMEB Francisco Piccolomini

2º Lugar:
Nome: Gabriel Chung Ravanini
Escola: Anglo

3º Lugar
Nome: Maria Luiza Bronzatto de Oliveira Santos
Escola: Colégio Delta Nobre


3° ANO DO ENSINO MÉDIO

 1º Lugar:
Nome: Gabriel Leite Ferreira
Escola: Colégio Integrado Anglo de Mogi Guaçu

2º Lugar:
Nome: Sofia Brunheroto Nehmeh
Escola: Educar Instituto Educacional

 3º Lugar
Nome: Vinícius Augusto Zamariolo Setin
Escola: Fundação Educacional Guaçuana (FEG)

Reconhecido pela importância no cenário educacional, o Concurso de Redação teve a participação de aproximadamente 10 mil alunos das redes públicas e particulares das cidades de Mogi Mirim, Mogi Guaçu e Estiva Gerbi.

Os inscritos passaram por três fases eliminatórias:

Fase I – Preparatória: seleção dos textos em sala de aula. Após pesquisas, palestras, aulas expositivas e vídeos, os alunos desenvolveram uma redação, sendo selecionado um representante por sala.

Fase II – Workshops: organizadas pelo IIP, as oficinas de redação foram ministradas pela Doutora em Linguística e professora da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Silma Ramos Coimbra Mendes, que falou com os alunos sobre estruturação de texto, deu dicas práticas sobre as categorias de texto do concurso o e fez um trabalho de leitura e compreensão. A participação nas oficinas era obrigatória e os alunos que não compareceram foram eliminados.

Fase III – Final: depois das duas primeiras fases eliminatórias, 294 alunos foram selecionados para a última etapa, onde precisaram desenvolver uma redação sobre o tema ‘Solo’, assunto escolhido devido à declaração da ONU, que elegeu 2015 como Ano Internacional dos Solos.

As redações foram julgadas por uma comissão formada por representantes da área de Educação e um membro do Instituto International Paper.

No Concurso Literário, concorreram à premiação cerca de 41 professores, que também escreveram seus textos seguindo o mesmo tema. A banca examinadora foi composta por profissionais da área de Comunicação Social, Letras e Linguística convidados pelo Instituto.

O professor de Português Jair Francisco Dias, que leciona há três anos na Escola Municipal de Ensino Básico Francisco Piccolonini de Mogi Mirim, foi o segundo colocado no Concurso Literário. Este é o segundo ano consecutivo em que ele é premiado. “Além do reconhecimento por ser um dos ganhadores, é gratificante ver o orgulho dos alunos pela nossa conquista”, diz.

E mais do que isso! Para o professor, os alunos se sentem motivados a participar quando veem alguém próximo receber o prêmio. “Sinto que eles ficam mais interessados, questionam sobre como produzir um texto e vão atrás da informação. Este projeto vai além da aprendizagem em sala de aula”, conta Jair. Silma Ramos Coimbra Mendes, responsável pelos Workshops, complementa. “Este concurso gera a valorização da figura do professor e reconhece o papel do aluno, além de colocar em debate um tema importante de responsabilidade social.” E finaliza: “Desde o início senti muita receptividade, envolvimento, comprometimento e entusiasmo por parte dos alunos. Isso nos mostra que o simples desenvolvimento de um texto criará um desdobramento muito maior em relação ao futuro deles.”

banda

FORMARE_foto

IIP abre as inscrições para o FORMARE

Começam nesta segunda-feira, 19 de outubro, as inscrições para o FORMARE das regiões de Mogi Guaçu e Luiz Antônio, projeto que completa cinco anos de muito sucesso aos cuidados do Instituto International Paper. O curso de capacitação já formou 174 jovens, com o diploma de Assistente de Produção da Indústria de Processo.

Podem participar do processo seletivo jovens que em 2015 estiverem cursando o 2º ou o 3º ano do Ensino Médio em escolas públicas. O curso de iniciação profissional é um complemento ao ensino regular, sendo as aulas ministradas de segunda a sexta-feira durante o dia nas fábricas da International Paper. Serão disponibilizadas 20 vagas para cada unidade (Mogi Guaçu e Luiz Antônio).

“Acreditamos que com esse projeto nós possamos colaborar com a comunidade que atuamos, capacitando os adolescentes para o mercado de trabalho”, afirma Gláucia Faria, Coordenadora de Responsabilidade Social da International Paper. As aulas do programa são ministradas voluntariamente por profissionais da IP, conhecidos como educadores voluntários, que fazem o intenso trabalho de incentivo à continuidade dos estudos e a busca pelo primeiro emprego aos alunos, fato que auxiliou na inexistência de abandono do curso nesses anos de projeto.

Na matéria “Educadores Voluntários do FORMARE falam sobre suas experiências”, divulgada pelo blog Instituto International Paper, em março de 2015, Alessandro Nogueira, técnico de programação na unidade de Luiz Antônio, contou sobre sua experiência: “os 40 minutos que eu tiro para dar aula para eles [os alunos] eu vejo que faz a diferença. Faz com que eu me sinta bem por saber que estou contribuindo para essas pessoas, disse.

Dos jovens formados nas duas unidades, 24% foram admitidos pela própria International Paper e 43% por outras empresas da região. Os outros alunos continuaram os estudos, ingressando em universidades ou cursos técnicos. Os dados refletem a boa receptividade do mercado de trabalho com formandos do FORMARE, jovens de baixa renda, moradores das comunidades de Mogi Guaçu, Luiz Antônio, Guatapará, São Simão e Santa Rosa de Viterbo.

Foi o caso de Kahena Machado, de 21 anos, formada pelo FORMARE, na unidade de Mogi Guaçu, em 2012. Atualmente, ela trabalha como Ajudante do Tratamento de Água e Efluentes da International Paper e também é professora voluntária do projeto. A ex-aluna acredita que o curso abriu caminhos profissionais e ajudou muito na escolha da área de atuação. “O curso foi uma das melhores coisas que aconteceu na minha vida, porque consegui dar o passo inicial na minha carreira”, ressalta.

Kahena é uma das alunas de sucesso do projeto que, além de ter conquistado uma vaga de emprego na empresa que queria, continua com sonhos de crescer ainda mais na profissão. Depois de ingressar como profissional na International Paper, decidiu cursar técnico em química e pretende cursar a faculdade de biologia. “No FORMARE, a aula que mais me marcou foi a que eu tive com o meu atual chefe, a parte ambiental, água, efluentes e geração de energia. Essa matéria foi a que teve mais influência para mim. Eu decidi que era aquilo que eu queria para a minha vida”, declara.

A ex-aluna acredita que o projeto a ajudou a ampliar a sua visão de mercado, carreira e possibilidades de trabalho. Desde 2013, ela é uma das profissionais da IP voluntárias do projeto. No final deste ano, ministrará a matéria da mesma área em que atua, o tratamento de água e afluentes e a geração de energia. “Eu falo para meus alunos: abracem a oportunidade e vejam o FORMARE como seu futuro, ampliem seus sonhos, assim como eu fiz!”, enfatiza Kahena.

FORMARE: Como funciona

O Instituto International Paper disponibiliza 20 vagas por unidade para jovens ingressantes do 2º e 3º ano do Ensino Médio de escolas públicas, moradores das comunidades atendidas pelo IIP. Por ano, há cerca de 100 candidatos por região.

Lançado na International Paper em 2010, o Projeto Escola Formare, desenvolvido pela Fundação Iochpe (franquia social), oferece cursos de educação profissional para jovens de famílias de baixa renda, com certificado reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC) e emitido pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). Os professores são funcionários da International Paper que se voluntariam para as vagas e ajudam a formar os alunos em “Assistentes de Produção da Indústria de Processo”.

Neste ano, os candidatos terão até o dia 6 de novembro para se inscreverem pela internet. Será aplicada uma prova em cada unidade, sendo: Mogi Guaçu, dia 13 de novembro, às 13h, no Colégio São Francisco; Guatapará, dia 12 de novembro, às 8h30, na E.E. “Jornalista Gavino Virdes”; Luiz Antônio, dia 12 de novembro, às 13h30, na E.E. “Coronel Arthur Pires”; São Simão, dia 12 de novembro, às 19h, na E.E. “Prof. Agenor Medeiros”; e Santa Rosa de Viterbo, dia 13 de novembro, às 13h30, na E.E. “Conde Francisco Matarazzo”.

Em seguida, há um filtro que define quem passa para a dinâmica, avaliando os pré-requisitos de renda, moradia e nota da prova. Por fim, uma visita domiciliar. Os aprovados para o projeto serão notificados até a primeira quinzena de dezembro.

Clique AQUI para fazer a sua inscrição.

Mogi Guaçu

MOGI

Luiz Antônio

LuizAntonio

Guatapará

Guatapara

Santa Rosa de Viterbo

SANTAROSA

São Simão

SaoSIMAO

Cidade do Livro - Paulínia

Cidade do Livro atinge 4 mil alunos em Paulínia

No mês de setembro, o Instituto International Paper (IIP) realizou pela primeira vez no município de Paulínia o projeto Cidade do Livro Itinerante. A atividade aconteceu entre os dias 21 e 25, no Ginásio de Esportes da Avenida João Aranha e atingiu mais de quatro mil alunos da rede pública de ensino.

Um dos objetivos do programa é estimular o hábito da leitura de crianças e adolescentes por meio de um ambiente lúdico e criativo. Para Lucilene Prado, professora do Ensino Fundamental I e integrante do Departamento Pedagógico (DEPE) da Secretaria de Educação de Paulínia, o projeto contribui com o trabalho de leitura desenvolvido no município. “O Cidade do Livro Itinerante veio aprimorar o que temos feito a partir de uma didática com apresentações e histórias que prendem a atenção das crianças”, enfatiza.

O projeto possui um espaço cenográfico lúdico, com forte apelo visual, que tem como diferencial ser altamente educativo.

No período da tarde, a professora Cristiane Nunes, também integrante do Departamento Pedagógico, acompanhou todas as atividades desenvolvidas. Para ela, o projeto foi muito positivo para toda a cidade. “Toda a estrutura possibilitou atender o maior número de alunos e foi uma novidade no município. O evento correspondeu a todas as expectativas da Secretaria de Educação de Paulínia”, afirma.

No espaço do projeto, os alunos visitantes aprenderam a importância dos livros abordando temas como: ética, diversidade, saúde, meio ambiente e cidadania. “Eu acho que se todos apoiassem essas iniciativas, hoje realmente teríamos um Brasil melhor, com uma educação diferente. Projetos como esse do Instituto International Paper auxiliam no desenvolvimento da educação”, avalia Cristiane.

O Projeto Cidade do Livro Itinerante é realizado a cada dois anos pelo IIP.

Cidade do Livro (9)_baixa